sábado, 1 de agosto de 2009

Jesus da o alimento completo

Dia Litúrgico: 9º Domingo após Pentecostes

Texto Bíblico: João 6.22-35

Tema: Jesus dá o alimento completo.


Que a graça do Senhor Jesus Cristo, o amor de Deus e a presença do Espírito Santo estejam com todos vocês! (2Co 13.13).


Queridos irmãos em Cristo Jesus Cristo.

Vamos ficar de pé e para orar.

Senhor, o pão nosso de cada dia nos dá hoje. Amém.

Queridos irmãos, nós normalmente dividimos o ser humano em duas partes: corpo e alma. E está muito bem assim. O ser humano tem corpo e alma. Mas qual seria o mais importante? Existe um mais importante? E se existe, qual seria: corpo ou alma?

Tentando responder a estas perguntas vamos meditar com o tema: "Jesus dá o alimento completo".

Pensemos sobre nós mesmos. O que pensamos quando escutamos que as pessoas no mundo passam fome?

Não é assim que muitas vezes falamos?:

Isso é falta da palavra de Deus

Falta de escutar o Evangelho.

Falta de receber a Santa Ceia e o perdão dos pecados.

Não é essa nossa conclusão à qual chegamos muitas vezes?

Sempre escutamos que Jesus quer chegar às pessoas e dizer: "Eu sou o pão da vida", então concluímos que tais pessoas precisam escutar a Palavra de Deus. Isso é verdade, mas é apenas parte da verdade.

Obviamente a Palavra de Deus guia todos os crentes até o céu. A Palavra de Deus encarnada em Jesus Cristo é o alimento para a alma, como diz o Salmo 119: a Palavra de Deus "está firmada para sempre" [89], "é o nosso prazer" [92], "nos da vida"[93], "é ilimitada"[96], "nos torna sábios"[98], "no dá prudência"[100], "nos ensina"[102], "é doce"[103], e "nos dá entendimento" [104].

Assim é descrita a Palavra de Deus. E essa Palavra nos transforma. Nos dá a vida eterna. Mas também nos torna pessoas que se interessam pelo seu próximo. Assim como Jesus trouxe o alimento para a alma (sua Palavra) e ainda alimentou e curou muita gente. Jesus alimentou completamente.

E para tornar mais clara a situação, quero dar um exemplo:

Alguém me disse: — Tenho fome.

Dei a ele a Palavra de Deus e fui embora.

No outro dia o encontrei novamente. E outra vez me disse: —Tenho fome, muita fome...

—Não se preocupe, no céu não existe fome. Disse e fui embora novamente.

Porém, outro dia, caminhando pelas ruas da cidade vi aquela pessoa caída numa esquina suja. Estava magro, feio, faminto. De tão fraco mau podia parar-se de pé. Estava com a Bíblia nas mãos e olhava esperançoso pro céu.

Então decidi fazer alguma coisa. Enquanto eu o ajudava, notei que a Bíblia estava aberta e marcada no seguinte texto:

"Então, Jesus tomou os pães e, tendo dado graças, distribuiu-os entre eles; e também igualmente os peixes, quantos queriam". (Jo 6.11).

Eu tive que ver uma pessoa morrendo de fome para entender que Jesus e seus discípulos levaram o alimento completo. Para o corpo e para a alma.

E nós, como "bons cristãos" que somos, quantas vezes ficamos apenas no alimento espiritual? Quantas vezes passamos de longe dos famintos? Quantas vezes expulsamos os famintos de nossas portas?

Como temos esquecido a Palavra de Jesus em Mateus 25 (41-43): "Afastem-se de mim, vocês que estão debaixo da maldição de Deus! Vão para o fogo eterno, preparado para o Diabo e os seus anjos! Pois eu estava com fome, e vocês não me deram comida; estava com sede, e não me deram água. Era estrangeiro, e não me receberam na sua casa; estava sem roupa, e não me vestiram. Estava doente e na cadeia, e vocês não cuidaram de mim."

Mas como as pessoas más, queremos nos justificar: "Senhor, quando foi que vimos o senhor com fome, ou com sede, ou como estrangeiro, ou sem roupa, ou doente, ou na cadeia e não o ajudamos?" (Mt 25.44).

E a resposta não poderia ser mais clara: " todas as vezes que vocês deixaram de ajudar uma destas pessoas mais humildes, foi a mim que deixaram de ajudar." (Mt 25.45).

Será que este texto não nos diz mais nada?

Jesus nos da o alimento completo. Para o corpo e para a alma. E nos ensina a fazer o meus ao nosso próximo.

Exemplo disto é também o povo de Israel caminhando pelo deserto, sendo alimentado física e espiritualmente por Deus. Tinham o maná e a Palavra de Deus.

E nós somos um tipo de Israel, ou o novo Israel, se querem chamar assim. Não pertencemos a este mundo. Somos viajantes. Estamos viajando para o céu, nosso verdadeiro lar. Mas Deus nos dá o alimento espiritual: Palavra, Batismo, Santa Ceia e perdão dos pecados e ainda nos dá o alimento físico diariamente. Assim como pedimos no Pai Nosso.

Assim como nós temos fome física e espiritual, o povo do mundo também tem fome. E de quem é a tarefa de alimentar o mundo? Dos discípulos de Jesus. Eu e você.

Quando vamos acordar para ver que muitos que nos cercam estão com fome? Fome espiritual sim, mas muitos têm também a fome corporal também. Fome de comida. E cabe a nós ajudar essas pessoas. Afinal somos discípulos de Jesus. E ele nos ensina a dar o alimento completo. Ele nos ensina que precisamos nos revestir "com a nova natureza, criada por Deus, que é parecida com a sua própria natureza e que se mostra na vida verdadeira, a qual é correta e dedicada a ele." (Ef 4.24). Pois como vamos dizer às pessoas: "eu te amo meu irmão", se nem vemos que ele tem fome? Como vamos dizer "eu te amo meu irmão", se lhes deixamos morrer de fome física?

Além disso sabemos que o ser humano é completo: corpo e alma. E Deus se importa com o ser completo.

E o que Jesus diz?

Ou melhor, o que Jesus faz?

Vejamos o Evangelho de hoje: "– Eu sou o pão da vida. Quem vem a mim nunca mais terá fome, e quem crê em mim nunca mais terá sede." (Jo 6.35).

Jesus diz que alimenta a alma. Que ele é o alimento para a vida eterna, mas lembre que no texto anterior, João 6.1-15, Jesus tinha alimentado a uma multidão.

Por isso vemos, mas uma vez, que Jesus se importa com o ser humano completo: corpo e alma.

E é o Pai que nos alimenta, também para que alimentemos ao faminto perto de nós. Dando alimento para o corpo e para a alma, para que todos nós fiquemos cada vez mais fortes e seguros na esperança da vida eterna. Pois a caridade é um forte testemunho de amor em nome do Senhor Jesus. E é dele que vêm todas as coisas boas que recebemos. Amém.

E a paz de Deus, que ninguém consegue entender, guardará o coração e a mente de vocês, pois vocês estão unidos com Cristo Jesus. Amém. (Fp 4.7)

Pastor Jarbas Hoffimann – Nova Iguaçu-RJ

Glórias Somente a Deus