Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Setembro, 2017

Dicas Úteis - informática 001

Contatos no Celular


A primeira útil (muito pra mim) é:
- Faça o seu celular armazenar os contatos, app, e tudo mais na conta do gmail.
- Não sei como é iPhone, pq nunca gostei do “bixo”, sempre preferi com sistema android. Mas se tem conta gmail, tem conta google.
- Se vc sincroniza os contatos, toda vez que trocar de celular, basta colocar a conta do gmail que volta tudo para a memória do celular.
- Voltam também as senhas de wifi, os aplicativos, etc...

Essa foi a de hoje.

Culto Luterano - Absolvição

3. A Absolvição Novamente encontramos uma variedade de nomes para a Absolvição. Ela é chamada de Confissão, Santa Absolvição, Poder das Chaves, as Chaves, Sacramento da Penitência.[1] Ao usar qualquer dessas designações, as Confissões Luteranas ou Livros Simbólicos, referem-se à confissão e absolvição privada, e não a um grupo de pessoas muitas vezes não identificáveis como no culto público.[2] Nessa situação privativa, a efetiva confissão dos pecados perde a sua força legalista e a importância que ela tinha no período da pré-Reforma. A confissão pode ser breve, sem necessidade de distinguir pecados veniais e mortais. O penitente deveria confessar aqueles pecados que de forma especial oprimiam a sua consciência. Teologicamente, as Confissões Luteranas, ao enaltecerem os benefícios e a importância da confissão privada, focalizam especialmente a absolvição pronunciada pelo ministro: “eu perdôo os teus pecados...”.[3] Assim como no Batismo e na Santa Ceia, este é o perdão dos pecados aplic…

Culto Luterano - Santa Ceia

2. A Santa Ceia As Confissões chamam o Sacramento do Altar por uma variedade de nomes. Ela é conhecida como a Ceia, Ceia do Senhor, Santa Ceia, o Sacramento, o mui venerável Sacramento, o Santo Sacramento, o Sacramento do Altar, a Missa. Com menor frequência é também chamada de Comunhão, o Corpo do Senhor, Eucaristia,[1] Liturgia, Synaxis e Agape.[2] Surpreendentemente, a construção “Santa Comunhão”, o termo mais corrente e preferido nos EUA, nunca ocorre nesta forma nas Confissões. Quer parecer que tenha sido importado para dentro da Igreja da Confissão Augsburgo a partir da Igreja da Inglaterra. É com boa razão que o Lutheran Worship preferiu o nome Culto Divino (Gottestdienst) para o culto principal da igreja. Os elementos terrenos no Sacramento do Altar são pão e vinho.[3] As Confissões não especificam o tipo de pão ou vinho. Historicamente, todavia, os Luteranos desejaram depreciar a simbólica associação do pão e o vinho, a qual poderia dar a impressão que o corpo e sangue de Cris…

Culto Luterano - o batismo

1. O Batismo O Batismo é a combinação do uso de água e a ordem e promessa batismal. A ordem e a promessa batismal é a Palavra de Deus. É por virtude desta divina Palavra que a água do Batismo é apropriadamente descrita como uma água celeste, água divina, água santa, água abençoada, água fértil, água graciosa, e um lavar regenerador.[1] Quanto ao modo de batizar, as Confissões não estão tão preocupadas em defender imersão ou aspersão, mas sim a ordem divina.[2] O Batismo não é um mero sinal vazio. O Batismo de fato salva (1Pe 3.20-21). É devido à promessa que o Batismo transmite (comunica) poder. O Catecismo Maior afirma: “devemos ser batizados sob pena de não sermos salvos”[3]. Além disso, o Batismo é descrito como perdão dos pecados, oferecimento da graça de Deus, novo nascimento, oferecimento da vida e recepção na Igreja, sendo vitorioso sobre a morte, e como aquele que nos livra das garras da morte.[4] Porque o Batismo opera o perdão dos pecados, ele remove a culpa do pecado original…

Culto Luterano - Sacramentos

B. Sacramentos Por bem mais de mil anos não havia consenso sobre quantos sacramentos existiam precisamente na igreja cristã. Na verdade, o número permaneceu indeterminado ao longo da maior parte da história do cristianismo.[1] Surpreendentemente, as Confissões não se atêm a um número específico de sacramentos. O número de sacramentos variou com os diferentes teólogos até o fim da Idade Média. Provindos desse contexto teológico, os confessores não se sentiam obrigados a especificar o número.[2] As Confissões, no entanto, reconhecem dois sacramentos como essenciais, e que se enquadram na definição de Agostinho: “Acresça o verbo ao elemento, e assim se torna sacramento.”[3] O Catecismo Maior, por exemplo, fala de: “nossos dois sacramentos, instituídos por Cristo.”[4] Apesar da posição comumente mantida de que dois e, exclusivamente dois, podem ser considerados sacramentos, as Confissões parecem mais inclinadas a estabelecer o número de três, incluindo a absolvição entre os sacramentos.[5]

Culto Luterano - A teologia do Culto nas confissões Luteranas - 1

III - A Teologia do Culto nas Confissões Luteranas[1] A. O Culto em Geral A Igreja Luterana é, por definição, uma igreja confessional. Ela nasceu em confissão e vive por suas confissões. A Igreja da Confissão de Augsburgo necessita tratar com seriedade o que as Confissões têm a dizer a respeito da pregação da Palavra, e a respeito da celebração dos Sacramentos. A teologia confessional deve ser o fundamento e a razão do nosso culto, pois é Deus quem, por meio do Evangelho — Palavra e Sacramentos, nos chama para Sua Igreja.[2] Onde a Palavra de Deus e os Sacramentros estão presentes, ali está a Igreja.[3] Esta postura confessional é a base do Culto Luterano. Devido a essa base confessional, necessitamos rever o que as Confissões dizem a respeito do Culto e dos Sacramentos. O culto não é um programa dentre muitos outros. Na verdade, ele é a vida da Igreja. Nossos livros simbólicos nos ensinam que o culto, na sua essência, é uma expressão de fé em Deus por meio de Cristo. Fé em Deus por me…