segunda-feira, 31 de dezembro de 2018

Um ano de Paz, só com Jesus

      Queridos irmãos.
      A foto acima mostra a manjedoura se transformando no Cristo da Cruz.
É uma mensagem significativa e quer nos lembrar a importância de estar com Jesus todos os dias. Para um dia, estar com ele.
      Pedindo:
"Ó Deus, cria em mim um coração puro e dá-me uma vontade nova e firme! Não me expulses da tua presença, nem tires de mim o teu santo Espírito." (Salmo 51.10-11).
      Hoje, quando for agradecer por mais um ano que termina na iminência do que começa, pare e fale com Deus. Ore. Convide os outros para orar. Que coisa fantástica se todos da congregação e se todos cristãos, hoje, além das deliciosas comidas e bebidas... Dos excelentes bate-papos e amizades...m vez de só as boas comidas e boas bebidas,  também lembremos especialmente de nosso Deus.
      Confie em Deus, assim como fez Paulo, ao relatar em Filipenses:
      Não estou querendo dizer que já consegui tudo o que quero ou que já fiquei perfeito, mas continuo a correr para conquistar o prêmio, pois para isso já fui conquistado por Cristo Jesus. É claro, irmãos, que eu não penso que já consegui isso. Porém uma coisa eu faço: esqueço aquilo que fica para trás e avanço para o que está na minha frente. Corro direto para a linha de chegada a fim de conseguir o prêmio da vitória. Esse prêmio é a nova vida para a qual Deus me chamou por meio de Cristo Jesus.
      Todos nós que somos espiritualmente maduros devemos ter essa maneira de pensar. Porém, se alguns de vocês pensam de maneira diferente, Deus vai tornar as coisas claras para vocês. Portanto, vamos em frente, na mesma direção que temos seguido até agora. (Filipenses 3.12-16)
      Nós ainda temos muito a fazer nesta terra. Muito na Obra do Senhor. Ele tem planos em 2019 para nós também. Confie toda a sua vida ao Senhor que te amou tanto, que entregou seu único filho, para que pecadores como nós, possamos ter, pela fé em Jesus, a vida eterna.

Então, ore:
      Amado Pai Celestial.
      Quando este ano termina, preciso agradecer por tantas coisas boas e também difíceis que se vão com ele. As coisas boas, que constantemente tu renovas, estão passando, na lembrança de que esta vida e suas coisas boas, são passageiras. Por mais formidáveis que tenham sido as bênçãos, elas se vão. Mas tua misericórdia as substitui com outras...
      Quanto às situações ruins, que também passaram, nos lembram que estamos sempre em tuas mãos, em todo tempo. Seguros, protegidos, amparados, mesmo nas maiores dores. E, a pior delas, que seria o eterno afastamento de ti, nós não temos. Por tua graça e teu amor, nos trouxeste para junto de ti e nos mantiveste por mais um ano.
      Àqueles que perderam entes queridos este ano, continua confortando. Aos que tiveram dificuldade de saúde, recupera. Aos que tiveram dificuldade para ter um emprego, abre novas portas e tudo mais, Senhor, cobre com tua misericórdia e teu amor.
      Quanto a mim, não sei se este ano será meu último. Mas se for, que ao findar este período, o eterno comece junto a ti.
      E se for para viver longos anos ainda sobre esta terra, que minha vida seja de gratidão, pelo alimento, roupa, casa, amigos, emprego e tudo mais que preciso para viver neste mundo. Mas acima de tudo, gratidão porque tenho a fé em Jesus e uma igreja onde congregar com outros irmãos esta mesma esperança eterna. Em nome de Jesus, meu salvador, da manjedoura ao sepulcro vazio, amém.

Rev. Jarbas Hoffimann

Congregação Castelo Forte
Nova Venécia, ES
Igreja Evangélica Luterana do Brasil

Quando olho para o céu

“Quando olho para o céu, que tu criaste, para a lua e para as estrelas, que puseste no seus lugares — que é um simples ser humano para que penses nele? Que é um ser mortal para que te preocupes com ele?”
      O Salmo 8 é o texto sugerido para a leitura no culto de Ano Novo, dia primeiro de janeiro, pela agenda litúrgica da IELB (www.ielb.org.br).
      E o salmista faz uma reflexão sobre si mesmo, que fica muito clara nestes dois versículos (3 e 4), citados logo no início deste texto.
      Não é autopiedade.
      Não é falsa modéstia.
      Não é depressão.
      Não é complexo de inferioridade.
      É uma pessoa que reconhece a grandiosidade de Deus e consegue pensar: “Mas por que Deus me ama? Por que ele se importa comigo? Eu só peco... Tento fazer certo, mas sai errado... Eu não tenho andado na presença de Deus como deveria... Então, Senhor, por que o Senhor ainda se lembra de mim e quer o meu bem?”
      O Salmo deixa clara a misericórdia do Amor de Deus, que não está atrelada a nossas atitudes, mas sim às atitudes salvadoras de Jesus Cristo.
      Por amor a Jesus Cristo, nós somos salvos. Por fé em Jesus, nós temos a herança da vida eterna. Não depende de nós ou nossas obras. E ainda bem, pois mesmo “todas as nossas boas ações são como trapos sujos. Somos como folhas secas; e os nossos pecados, como uma ventania, nos carregam para longe.” (Isaías 64.6).
      Porém a obra de Deus para a nossa salvação é perfeita. Todo aquele que crê em Jesus Cristo, já aqui, tem a salvação e pode ter a certeza da vida eterna.
      Você tem alguma dúvida de que está no caminho da vida eterna? Se tem, você não está usufruindo suficientemente da presença de Deus. Então aproveite cada momento (e 2019 terá um ano cheio de oportunidades) para estar na presença do Senhor. Para ler a Bíblia, para crescer na fé, na comunhão...
      Deus vai abençoar você e sua vida, junto dele, também em 2019.

Rev. Jarbas Hoffimann

Congregação Castelo Forte
Nova Venécia, ES
Igreja Evangélica Luterana do Brasil

Culto em 5/jan/2019

Leia os textos bíblicos indicados.
Se não tem ainda, instale um app da Bíblia em seu celular.


domingo, 30 de dezembro de 2018

Perdão para um ano novo abençoado - pregação

Textos do dia:
Sl 111
Êx 13.1-3a, 11-15
Cl 3.12-17
Lc 2.22-40


      Nos capítulos 1 e 2 de Colossenses, o Apóstolo Paulo trata da doutrina que deve ser seguida na igreja cristã. Colossenses é, nas palavras de Lutero, um breve resumo daquilo que é tratado mais demoradamente na carta aos Efésios.
      O primeiro capítulo de Colossenses poderia ser resumido assim:
“Primeiro, o apóstolo elogia os colossenses, desejando-lhes que continuem e cresçam na fé. Ressalta o que é o evangelho e a fé, a saber, uma sabedoria que reconhece a Cristo como Senhor e Deus, por nós crucificado, sabedoria esta que está oculta para o mundo e que agora foi revelada por meio do seu ministério.” (Lutero)
      Já no segundo capítulo, Paulo “adverte contra doutrinas humanas que o tempo todo se opõem à fé”. E Paulo descreve estas heresias em Colossenses, como não aparece mais em lugar nenhum da Bíblia.
      Então entramos ao terceiro capítulo, de onde é escolhido o texto de hoje. Um capítulo prático, no qual o Apóstolo descreve a vida cristã do dia-a-dia.
Vocês são o povo de Deus. Ele os amou e os escolheu para serem dele. Portanto, vistam-se de misericórdia, de bondade, de humildade, de delicadeza e de paciência. (Cl 3.12)
      Deus nos escolheu. E esta escolha é feita em Cristo. Ninguém, fora da fé em Cristo, é escolhido. Ninguém, fora da fé em Cristo, terá a salvação.
      Paulo exorta a viver esta fé na prática, como misericórdia, bondade, humildade, delicadeza e paciência... Coisas que tanto faltam hoje em dia...
      As pessoas só têm misericórdia de seus amigos e conhecidos. São bondosas com quem tem bondade com elas. Em vez de ter humildade, cada um quer ser mais do que o outro... Vivemos uma sociedade orgulhosa, egoísta... Onde também não há delicadeza no trato com as pessoas e a paciência já faz tempo que foi embora.
      Estas virtudes, porém, não vêm da própria pessoa. Não é por esforço. É dom de Deus. Talvez, por isso, estejam desaparecendo na mesma medida que as pessoas estão se afastando de Deus. Conforme as igrejas esvaziam, o desamor aumenta. As pessoas pensam só em si mesmas... Se isolam em seu mundinho virtual onde elas são o seu próprio deus. E se dão mal.
      Segue Paulo:
Não fiquem irritados uns com os outros e perdoem uns aos outros, caso alguém tenha alguma queixa contra outra pessoa. Assim como o Senhor perdoou vocês, perdoem uns aos outros. E, acima de tudo, tenham amor, pois o amor une perfeitamente todas as coisas. (Cl 3.13-14)
      Perdão.
      Ano novo é hora de olhar para frente. Mas é também tempo de olhar para trás. Se você não procurar perdoar e viver o perdão, você também não tem perdão do Senhor. “E perdoa-nos as nossas dívidas, assim como nós também perdoamos.” Se você não perdoa, está renegando o perdão de Cristo para sua vida. Depois começa tudo a desandar e você não sabe porquê.
      Está brigado com o pai, ou com irmão... Que são ferramentas que Deus colocou na sua vida, para te ajudar e para que você também possa exercer sua fé, ajudando... Mas por uma pirraça e orgulho idiota, você prefere “nem conversar”.
      Sinto em te dizer, se é que você não sabe, mas se você não perdoa, está indo a passos largos para a condenação. Porque está rejeitando o perdão de Deus para sua vida.
      Está afastando-se do amor de Deus... Este amor que a tudo pode consertar. Não existe briga grande demais. Não existe rancor intransponível. O Senhor nos ama para que nós também amemos uns aos outros, seja da família, seja de outro círculo de convivência.
      Só assim viveremos o que segue nos versículos 15 a 17:
E que a paz que Cristo dá dirija vocês nas suas decisões, pois foi para essa paz que Deus os chamou a fim de formarem um só corpo. E sejam agradecidos. Que a mensagem de Cristo, com toda a sua riqueza, viva no coração de vocês! Ensinem e instruam uns aos outros com toda a sabedoria. Cantem salmos, hinos e canções espirituais; louvem a Deus, com gratidão no coração. E tudo o que vocês fizerem ou disserem, façam em nome do Senhor Jesus e por meio dele agradeçam a Deus, o Pai.
      Só com o amor de Deus em nossa vida, viveremos em paz uns com os outros.
      Só com paz em casa e na congregação, conseguiremos ser “um só corpo”.
      Só entendendo tudo que Deus fez por nós, com a morte e ressurreição de Jesus é que verdadeiramente seremos “agradecidos”.
      Só vivendo esta paz e este amor é que “a mensagem de Cristo” viverá em nossa vida e seremos testemunhas vivas do Deus que quis tanto salvar os seres humanos, que enviou seu filho, para que nós tenhamos a vida eterna.
      Aí também nosso viver na igreja será de ensino, hinos de louvor, oferta com gratidão no coração, pois tudo que fizermos, estaremos fazendo em nome do Senhor Jesus.
      Se vocês têm alguma pendência de 2018 para resolver, resolvam agora. Não esperem para pedir perdão no velório. Peçam perdão e perdoem, como Cristo perdoou a cada um de nós e sejam gratos por ter uma família, uma igreja e a Salvação para a vida eterna.
      Assim, será, de fato, um abençoado e feliz 2019.
      Amém.

Rev. Jarbas Hoffimann

Congregação Castelo Forte
Nova Venécia, ES
Igreja Evangélica Luterana do Brasil

sábado, 29 de dezembro de 2018

Ainda dá tempo de ter o bom Natal

      Precisamos confessar que às vezes não conseguimos apreciar os encantos natalinos. A agenda lotada de confraternizações, amigos secretos e preparativos para o próprio Natal nos fazem acelerar o passo e o relógio. E, neste embalo frenético, a vida vai passando. Neste embalo, a vida e mais um Natal podem acabar escorrendo entre nossos dedos. E quem sabe um dia poderemos nos queixar de que a vida não foi vivida, o Natal não foi encantado, os filhos não foram vistos crescendo e que nos arrependemos amargamente de não ter curtido os pais, os amigos, os irmãos.
      Ainda dá tempo. É possível agarrar o Natal e vive-lo. É possível apreciá-lo. E, para isto, quem sabe seja necessário tirar o foco dos atropelos e fazer um check-in lá na estrebaria de Belém. E, com a vida que Deus nos deu, juntar-nos a Maria, José, pastores e aos animais daquele momento histórico. Afinal, no nascimento de Jesus, Deus veio a nós. Sim, Deus se fez homem, se fez carne, se fez um de nós. Veio ao mundo experimentar a nossa vida, viver a nossa vida, cuidar de nossa vida. Jesus é Deus que não deixou e jamais deixará nossas vidas escorrerem entre seus dedos, mas é Deus que tem em suas mãos todo o nosso viver, com nossas angústias, aflições e medos. Assim testemunha a Palavra de Deus: “O Verbo se fez carne e habitou entre nós, cheio de graça e de verdade, e vimos a sua glória, glória como do unigênito do Pai” (João 1.14).
      O bom Natal está pronto. E não pode ser comprado. Não há dinheiro no mundo que pague por ele. Ele é precioso. O bom Natal é Jesus. É Deus conosco. É o menino vindo para restaurar nossa existência, com sua morte e ressurreição, provando ser Deus verdadeiro que oferece perdão, vida e salvação. Não pode ser comprado... É dado por graça. Unicamente pela fé! É possível experimentar este bom Natal. Com um Papai-Noel gordo, cheio de presentes, ou com um Papai-Noel magrinho que apenas presenteia com simples balinhas. O bom Natal é possível porque é o Natal de Jesus, é o Natal da salvação.
      Não deixe mais um Natal ser sufocado pela agenda e pelo relógio. Desacelere, respire. Creia no Senhor Jesus e seja transformado pela mensagem de amor, paz e reconciliação que o menino nos trouxe e ainda continua trazendo. O bom Natal transforma vidas. O bom Natal ensina a perdoar. O bom Natal reconcilia. Aliás, este ano que está indo para seu final foi marcado por polaridades e extremidades. As diferenças entre ideologias, opiniões políticas e votos causaram verdadeiras ebulições entre famílias e amigos. Por isto, é tempo de viver o bom Natal. É tempo de perdoar e reconciliar-se.
      Então fica a dica: celebre o Natal de Jesus com sua família. No pouco ou no muito, nos sorrisos ou nas lágrimas, nas esperanças ou nas depressões, lá está ele, o menino Jesus. Ainda dá tempo de preparar o bom Natal do Salvador. Aliás, ele já está pronto, basta apreciá-lo.

Pastor Bruno A. Krüger Serves
Igreja Evangélica Luterana do Brasil
Candelária, RS

A liberdade cristã segundo Lutero



Texto do pastor Franco Thomassen, de seu blog: Mensagem Luterana

Principais textos de Lutero sobre o tema da Liberdade Cristã.
  • Manifesto à nobreza cristã da nação alemã (1520), que escreveu contra a hierarquia romana;
  • Prelúdio acerca do cativeiro babilônico da Igreja (1520), contra o sistema sacramental de Roma (Batismo, Penitência, Confirmação, Matrimônio, A Ordem e a Extrema-Unção);
  • Tratado acerca da liberdade cristã (1520), em que Lutero pretendeu afirmar tudo quanto ao assunto da fé, do amor e da liberdade cristã.


Qual era a sua proposta?

      A proposta de Lutero não é tão simples quanto parece.
      Como alguém pode ser livre de tudo e não estar sujeito a ninguém, mas ao mesmo tempo servo de todos?
      Outros temas podem ser abordados aqui que resumem essa dialética que parece ser uma controvérsia.
      Dentro do tema “Justificação pela Fé”, podemos encontrar a resposta em relação à liberdade cristã. Uma vez que somos justificados perante Deus mediante Cristo Jesus, não precisamos das obras para nossa Salvação.
      Lutero expõe isso claramente no tratado da liberdade cristã. Ele escreve:
      Pois a palavra de Deus não pode ser recebida e cultivada por nenhuma obra humana, senão somente pela fé. Por isso claro está que assim como a alma necessita tão somente da Palavra para a vida e a justiça, do mesmo modo ela é justificada somente pela fé, e por nenhuma obra. Pois se pudesse ser justificada por qualquer outra coisa, ela não necessitaria da Palavra e, conseqüentemente, também não da fé. (OS 2, 435-460)
      A palavra oferece ao ser humano Cristo, o Salvador, que nos justifica independente de nossas obras. Fazendo citações de Rm 3.23 e Rm 3.10 ss, ainda comenta:
      Uma vez reconhecido isso, saberás que tens necessidade de Cristo, que por ti sofreu e ressuscitou, para que, crendo nele, te tornes outra pessoa por meio desta fé, recendo perdão de todos os teus pecados e sendo justificado por méritos alheios, a saber, somente pelos méritos de Cristo. (OS 2, 435-460)
      Em relação à justificação ainda comenta:
      Por isso, claro está que assim como a alma necessita tão-somente da Palavra para a vida e a justiça, do mesmo modo ela é justificada somente pela fé, e por nenhuma obra. (OS 2, 435-460)
      A primeira pergunta já está respondida por Lutero, entretanto isso não quer dizer que não precisamos fazer nada. Inclusive era o pensamento de algumas pessoas da época de Lutero e também de alguns amigos. Vejamos então a resposta para a segunda pergunta.

Como alguém pode ser livre e servo?

      Nesse ponto, pode ser abordado o tema das “Boas Obras”. Contudo, essa também não é uma questão fácil de responder. Melanchton, amigo de Lutero, expõe isso de maneira clara na obra “Justificação pela Fé”. Ele escreve:
      “Essa fé é atribuída como justiça diante de Deus, Rm 4.3-5.” E quando o coração é erigido e vivificado dessa maneira pela fé, recebe o Espírito Santo, que nos renova de modo que possamos cumprir a lei, amar a Deus e sua palavra, obedecer a Deus em aflições, ser castos, amar o próximo, etc. Ainda que estas obras por ora distem muito da perfeição da lei, agradam, contudo, em razão da fé, pela qual somos reputados justos, em virtude de crermos que temos um Deus reconciliado por causa de Cristo. (Justificação pela Fé, 35)
      Lutero entra no assunto da lei dizendo que lhe é impossível ao ser humano cumpri-la e seu fundamento está em Oseias 13.9: “És tua própria perdição, Israel, e teu auxílio está só em mim.” A pessoa que do contrário busca salvação por meio da lei, não encontra em sim mesma aquilo pelo qual possa ser justificada e salva. Porque Deus Pai depositou tudo na fé, para que quem tem a esta, tenha tudo; quem não a tem; não tenha nada. Assim, as promessas de Deus dão de presente o que os preceitos exigem, e cumprem o que a lei ordena, para que tudo seja exclusivamente de Deus, tanto os preceitos quanto o seu cumprimento. E Melanchton ainda escreve:
      Não cumprimos nem podemos cumprir a lei antes de reconciliados com Deus, justificados e renascidos. Nem agradaria a Deus esse cumprimento da lei a menos que fôssemos aceitáveis em virtude da fé. E visto serem os homens aceitáveis em razão da fé, por isso mesmo agrada o cumprimento da lei, e tem galardão nesta vida e depois dela. (Justificação pela Fé, 42)
      Escreve também:
      Depois de justificados e renascidos pela fé, principiamos a temer e amar a Deus, a rogar e dele esperar auxílio, a reder-lhe graças e louvor, e a obedecer-lhe nas aflições. Começamos também a amar o próximo, por ter no coração movimentos espirituais e santos. (Justificação pela Fé, 44)
      Esta é a liberdade cristã, nossa fé, que não faz que sejamos ociosos ou vivamos mal, mas que ninguém necessite da lei ou de obras para a justiça e salvação.
      As obras devem brotar da cruz, de um coração que está em Cristo. Fora de Cristo não há boa obra. C. F. W. Walter faz uma boa ilustração do que é uma boa obra utilizando do texto de Zaqueu.
      Zaqueu diz: “Senhor, resolvo dar aos pobres a metade de meus bens; e, se nalguma cousa tenho defraudado alguém, restituo quatro vezes mais”. O Senhor não exigiu que ele fizesse isso. Sua própria consciência, primeiramente despertada, mas agora já tranquilizada, exigia que ele praticasse esse grande ato de generosidade para com os pobres. (Lei e Evangelho, 43)
      Ou seja, é a ação de Deus em nossa vida. Por isso o cristão deve ser servo de todos. Em gratidão ao amor de Deus. É sempre Deus que vem primeiro. Também podemos ver isso com o salmista quando diz : “unges-me a minha cabeça com óleo, o meu cálice transborda”. É como se ele dissesse: Senhor molda-me primeiro, para que eu possa te servir.

O que afirmar?

      A Fórmula de Concórdia é um conjunto de artigos que afirmam a verdadeira doutrina bíblica. Foram escritos entre 1530 a 1575 na tentativa de acabar com as controvérsias doutrinárias. Infelizmente algumas controvérsias perduram até hoje.
      Uma dessas controvérsias, diz respeito às Boas Obras que encontramos no capítulo IV da Fórmula de Concórdia.
      Gostaria de ressaltar aqui uma das afirmações que encontramos na Apologia da Fórmula de Concórdia:
      Também cremos, ensinamos e confessamos que não as obras, mas apenas o Espírito de Deus, por intermédio da fé, preserva a fé e a salvação em nós. As boas obras são testemunho da presença e habitação do Espírito Santo. (Cremos por isso também falamos, 64)
Conclusão

      Diante da pesquisa realizada, percebi a ligação do tema liberdade cristã com vários outros, como por exemplo: fé, obras, justificação e santificação.
      Todos os temas estão interligados. Talvez possa até afirmar que o tema liberdade cristã pode ser encontrado “camuflado” na maioria dos escritos de Lutero.
      Em seu “Tratado sobre A Liberdade Cristã”, Lutero conclui que a pessoa cristã não vive em si mesma, mas em Cristo e em seu próximo, ou então não é cristã. Pela fé em Cristo não somos livres das obras, mas do falso conceito das obras, isso é, da presunção de uma justificação conseguida pelas obras.
      Por isso, faz-se necessário diferenciar justificação por obras e justificação pela fé para poder entender qual é a liberdade do cristão, sendo que justificado pela fé em Cristo é capacitado diariamente a fazer boas obras.
      Devido às afirmações, a Igreja pode se posicionar e confessar como consta no 4º artigo da Fórmula de Concórdia:
      Também cremos, ensinamos e confessamos que não as obras, mas apenas o Espírito de Deus, por intermédio da fé, preserva a fé e a salvação em nós. As boas obras são testemunho da presença e habitação do Espírito Santo. (Cremos por isso também falamos, 64)

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS


  • Bíblia Traduzida, ARA.
  • A Nobreza Cristã da Nação Alemã, acerca da Melhoria do Estamento Cristão. OS 2, 277-340.
  • Prelúdio Acerca do Cativeiro Babilônico da Igreja. OS 2, 341-424.
  • Tratado de Martinho Lutero sobre a liberdade cristã. OS 2, 435-460.
  • WARTH, Martin C. A Justificação pela Fé. Porto Alegre, Concórdia,1983.
  • LIENHARD, Marc. Martim Lutero - Tempo, Vida e Mensagem. São Leopoldo, Sinodal, 1998.
  • GOERL, Otto A. Cremos, por isso também falamos – Fórmula de Concórdia. Porto Alegre, Concórdia, 1977.
  • Seibert, Erní W. Introdução às Confissões Luteranas – Sua atualidade e relevância. Porto Alegre, Concórdia, 2000.
  • Walter, C. F. W. Lei e Evangelho. Porto Alegre, Concórdia, 2ª edição 1998.
  • Livro de Concórdia – As Confissões da Igreja Evangélica Luterana do Brasil.

quarta-feira, 26 de dezembro de 2018

segunda-feira, 24 de dezembro de 2018

Refúgio no Natal

      O feliz Natal está distante da nossa triste realidade. A enxurrada com votos de paz e alegria, a celebração — tudo não tem sentido com a vida. Nosso dia-a-dia é bem outro dos presentes, mesa farta, família reunida, abraços, sorrisos. O que existe é ausência, fome, família dividida, semblantes amargurados. Por isto os sentimentos de frustração, contrariedade e melancolia tão comuns no Natal.
      Graças a Deus que sentimos esta tristeza sem explicação. Se estivermos felizes, satisfeitos, realizados, então não precisamos do Natal, então não precisamos do Salvador. E tudo vai ficar só na comida, nos presentes, no papai-noel. E estaremos “felizes” tapando o sol com a peneira.
      Precisamos sentir o sufoco no Natal igual à Maria quando visitou sua prima Isabel (Lucas 1.39-45). Estava vulnerável, debilitada, desprovida de cuidados. Sofria o peso da gravidez. Carregava o Natal na barriga. O sentimento de fragilidade obrigou-a por refúgio. Noiva de um carpinteiro e grávida pelo Espírito Santo — quem acreditaria nesta conversa? Até José duvidou, mas o anjo logo desfez o mal entendido. Se ficasse na vila de Nazaré, seria apedrejada. Precisava de um esconderijo. Encontrou na casa de Isabel.
      Natal é carregar Jesus no coração. Natal é gravidez gerada por Deus. Isto gera transtornos, dificuldades, cruz. Foi Paulo quem descreveu que a concepção de Deus no coração — a fé — é igual à gestação de uma mulher  (Gálatas 4.19). Sofrimento e esperança ao mesmo tempo. O apóstolo, então, reforça:
“Mas a Jerusalém celestial é livre e ela é a nossa mãe” (4.26).  
      Por isto, no Natal e em cada dia precisamos visitar Isabel. Existe agitação, perigos, ameaças. Onde encontrar refúgio? Onde buscar um lugar sossegado, um ombro amigo, uma casa para nos acolher?
 “Procurem e vocês acharão, batam e a porta será aberta para vocês” (Mateus 7.7), responde o Salvador. E assim, Feliz Natal!
Pastor Marcos Schmidt
Igreja Evangélica Luterana do Brasil
Novo Hamburgo, RS

Antes de uma cirurgia

Sl 17.8 “Protege-me como protegerias os teus próprios olhos e, na sombra das tuas asas,”
      Depois de pensar cuidadosamente, você decidiu se submeter a uma cirurgia na esperança de melhorar sua saúde. Não foi uma decisão fácil, porque você está bem ciente do risco que está assumindo. Você sabe que a cirurgia é necessária e sabe os riscos de não fazê-la. Seu desejo é melhorar a situação. Mas você não ignora o risco de que a cirurgia também possa acelerar sua morte. Você percebe que está dando um passo muito sério, um passo no qual deve se colocar completamente sob o cuidado e segurança de Deus.
      Você precisa saber que os médicos e enfermeiros farão tudo o que estiver ao seu alcance para que o resultado da cirurgia seja o melhor esperado. Mas você também sabe que o sucesso da cirurgia dependerá da bênção de Deus. O poder sobre a morte e a vida reside inteiramente nas mãos de nosso Pai amoroso.
      Ao dedicar seu caminho ao Senhor, você ora com as palavras do salmista: “Protege-me como protegerias os teus próprios olhos e, na sombra das tuas asas.”
      No Cântico de Moisés, no final de sua jornada, o grande líder fala de Jacó, como sendo “a menina dos olhos” de Deus. Aquele por quem ele mostrou o mais terno cuidado, a quem ele colocou sob sua proteção e dirigiu a vida. O apelo de Moisés a Deus é ser mantido como “a menina dos olhos” e assim pedir seu terno cuidado, proteção e orientação para si mesmo e para o povo de Israel. Abrigar-se sob a sombra das asas de Deus é uma expressão pitoresca que quer nos levar a encontrar conforto, segurança e proteção com Deus. E é isto que alguém procura antes de fazer uma cirurgia.
      Ser filho de Deus dá a você o privilégio de vir a seu Pai Celestial e mostrar suas necessidades e desejos. Como filho de Deus, você conhece, por experiência, as promessas do pai. Sabe que ele não deixará suas orações sem resposta. Em sua sabedoria divina, ele pode respondê-las de um modo diferente do que você deseja agora, mas você sabe que, qualquer que seja o caminho do Senhor, será um caminho de misericórdia e amor, e que nenhum dano eterno pode chegar a você por se você está seguro sob as asas do Pai.

Oração
      Querido pai celestial, tu me criaste, sustentaste e me fizeste teu querido filho por meio do Santo Batismo e da regeneração do Espírito Santo. Na minha hora de angústia e necessidade, venho a ti para procurar refúgio. “Protege-me como protegerias os teus próprios olhos e, na sombra das tuas asas.” Contigo encontrarei perdão por todos os meus pecados. Sob tua proteção terei paz, conforto e segurança. Esteja perto de mim nas horas de ansiedade que me aguardam nos próximos períodos. Guie aquele que fará a cirurgia e todos os envolvidos. Dê força, capacidade e perseverança. Confiando em ti, não tenho medo, porque tudo farás bem. Amém.

Outros textos bíblicos
Dt 7.9: Lembrem que o Senhor, nosso Deus, é o único Deus. Ele é fiel e mantém a sua aliança. Ele continua a amar, por mil gerações, aqueles que o amam e obedecem aos seus mandamentos,
Dt 33.27: O Deus Eterno é o nosso protetor; ele sempre nos protege com os seus braços. Na nossa presença Deus expulsou os inimigos e mandou que os destruíssemos.
Js 1.5-6: Você nunca será derrotado. Eu estarei com você como estive com Moisés. Nunca o abandonarei. Seja forte e corajoso porque você vai comandar este povo quando eles tomarem posse da terra que prometi aos antepassados deles.
Sl 23.4: Ainda que eu ande por um vale escuro como a morte, não terei medo de nada. Pois tu, ó Senhor Deus, estás comigo; tu me proteges e me diriges.
Sl 31.3: Tu és a minha rocha e a minha fortaleza; guia-me e orienta-me como prometeste.
Sl 31.15: Tu estás sempre cuidando de mim. Salva-me dos meus inimigos, daqueles que me perseguem.
Sl 34.7: O Anjo do Senhor fica em volta daqueles que o temem e os protege do perigo.
Sl 36.5-6: Ó Senhor Deus, o teu amor chega até o céu, e a tua fidelidade vai até as nuvens. A tua justiça é firme como as grandes montanhas, e os teus julgamentos são profundos como o mar. Ó Senhor Deus, tu cuidas das pessoas e dos animais.
Sl 37.5: Ponha a sua vida nas mãos do Senhor, confie nele, e ele o ajudará.
Sl 50.15: Se me chamarem no dia da aflição, eu os livrarei, e vocês me louvarão.”
Sl 67.1: Ó Deus, tem misericórdia de nós e abençoa-nos! Trata-nos com bondade.
Sl 73.28: Mas, quanto a mim, como é bom estar perto de Deus! Faço do Senhor Deus o meu refúgio e anuncio tudo o que ele tem feito.
Is 41.10: Não fiquem com medo, pois estou com vocês; não se apavorem, pois eu sou o seu Deus. Eu lhes dou forças e os ajudo; eu os protejo com a minha forte mão.
Is 41.13: Eu sou o Senhor, o Deus de vocês; eu os seguro pela mão e lhes digo: ‘Não fiquem com medo, pois eu os ajudo.’
Mt 7.7: Peçam e vocês receberão; procurem e vocês acharão; batam, e a porta será aberta para vocês.
Jo 14.27: Deixo com vocês a paz. É a minha paz que eu lhes dou; não lhes dou a paz como o mundo a dá. Não fiquem aflitos, nem tenham medo.
Rm 8.28: Pois sabemos que todas as coisas trabalham juntas para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles a quem ele chamou de acordo com o seu plano.
2Ts 3.3: Mas o Senhor Jesus é fiel. Ele lhes dará forças e os livrará do Maligno.
1Pe 5.7: Entreguem todas as suas preocupações a Deus, pois ele cuida de vocês.
Adaptação do Livro "Ministering to the sick".
Textos bíblicos da Bíblia NTLH da sbb.org

fofoca faz bem?

Ele não fala mal dos outros, não prejudica os seus amigos e não espalha boatos a respeito dos seus vizinhos. (Salmo 15.3)
Pense bem antes de responder. Veja o que saiu em uma pesquisa recente:
Minha vó já dizia que fofoca faz bem para a pele, e um estudo recente da Universidade de Michigan confirmou que de fato a fofoca faz bem á saúde da mulher já que diminui o estresse e a ansiedade pelo incremento da progesterona, hormônio associado ao comportamento social e ânimo.
A progesterona estimula o instinto de se vincular emocionalmente com outra pessoa e a sensação de tranquilidade, este hormônio tem baixas durante certos momentos do ciclo menstrual  que é justamente quando a mulher fofoca mais.
Este incremento na fofoca tem por sua vez o efeito de aumentar os níveis de progesterona. Faz sentido, mas essa não é qualquer fofoca, é uma fofoca que te conecte com uma amiga, que estabeleça  laços, já que na verdade o bem-estar que dela decorre vem na verdade da interação social mais profunda.
E então, fofoca faz bem?
Pode até fazer um bem físico, como apontou a pesquisa, mas fará um mal à sua alma. É o que diz o Salmo 15, versículo 3, que lembra que a pessoa que fala mal dos outros (quer dizer, fazer fofoca) não vai entrar no santuário (Templo) do Senhor. Esta pessoa estará privada da vida eterna.
Então, mesmo que venham te “contar as últimas novidades”, sendo você homem ou mulher, não concorde com a fofoca. Diga não e não ouça e, caso ouça, não espalhe. Acostume-se a, sabendo o problema, tentar ajudar e não espalhar ainda mais para piorar a vida das pessoas.
O Senhor Jesus te perdoa e te salva, creia nele e você será salvo. Amém.

domingo, 23 de dezembro de 2018

Eu comeria um boi…

não se vinguem dos que fazem mal a vocês. Se alguém lhe der um tapa na cara, vire o outro lado para ele bater também. (Mateus 5.39)
Você já ouviu falar em hipérbole?
hipérbole
(latim hyperbole, -es, do grego huperbolé, -és, lançamento para baixo, excesso, proeminência, exagero)
s. f. 1. Ret. Exagero com efeitos enfáticos no sentido das palavras ou das frases (ex.: rebentar de tanto rir).
2. Geom. Curva na qual é constante a diferença das distâncias de todos os seus pontos a dois pontos fixos chamados focos. (http://www.priberam.pt)
Jesus muitas vezes usou este recurso linguístico para ensinar. Lutero também usava o recurso do exagero, porque pensava que era bastante educativo quando se quer dizer algo com toda a ênfase.
Você certamente já ouviu ou disse: “estou com tanta fome que comeria um boi…” Isso é hipérbole. E quem ouve a frase entende que a pessoa está com muita fome, embora não possa, de fato, comer um boi.
No versículo citado, de Mateus 5, Jesus está ensinando algo muito importante e que se encontra no meio do Sermão do Monte. Ele está ensinando a não revidar. Aliás Jesus não revidou quando o xingaram, maltrataram e cuspiram. E a uma palavra sua a terra teria se desfeito sob os pés de seus algozes. Vocês já imaginaram o que nós, pecadores vingativos, faríamos com tamanho poder nas mãos, no momento do sofrimento? Pois Jesus não revidou. E não revidando ele nos proveu a salvação por meio de sua morte e ressurreição.
Assim também ele ensinou com palavras e com ações que a vida do cristão é um dia-a-dia de amor, mesmo quando é maltratado. Buscando o perdão e a salvação do próximo.
É claro que Jesus não está ensinando a gente a ficar parado num lugar tomando tapas na cara. Ele está ensinando a não revidar e devolver o amor a quem nos deu ódio.
Que o bondoso Deus nos dê mais desse amor, pois com estes gestos, certamente muitos serão alcançados para Cristo e haverá cada vez mais gente disposta a dar a outra face e menos gente pra bater. Não seria um mundo incrível!?
Amém.

sábado, 22 de dezembro de 2018

Natal na Praça

      Quer ver como foi nosso Natal na Praça este ano, acesse: Congregação Castelo Forte e veja.

A Nação pagã e o Homem-Deus

“Por que as nações pagãs planejam revoltas? Por que os povos fazem planos tão tolos?” (Salmo 2.1)
Nações pagãs! O que isso tem a ver conosco? Afinal, somos o maior país cristão do mundo, ou o país mais cristão do mundo, não sei bem ao certo e, na verdade, tanto faz, porque não é verdade.
Nos tornamos uma nação pagã. Aliás, pior que isso, nos tornamos uma nação pagã que acha que é cristã.
Atrás da liberdade de expressão e liberdade religiosa (não que se deva ser contra a liberdade, muito pelo contrário, é algo essencial) se esconde uma nação que adora deuses pagãos: o deus dinheiro, o deus-prosperidade, o deus-orgulho, fora outros deuses velados em estátuas e pessoas idolatradas. Porque aquele “pastor” é isso, aquele “missionário” é aquilo. E nesta época de tantos deuses-homens, o Homem-Deus, Jesus Cristo, acaba por ser esquecido.
E a verdade é a mesma: as pessoas seguindo esses “deuses” continuam fazendo seus planos tolos. Todos como planejar um ano novo melhor, mas esquecer que o meu ano novo depende de Deus, assim como dependeu o meu ano que termina daqui a pouco.
Porque é exatamente isso que nos lembra a palavra do Senhor no Salmo 2: “Agora escutem, ó reis; prestem atenção, autoridades! Adorem o Senhor com temor. Tremam e se ajoelhem diante dele; se não, ele ficará irado logo, e vocês morrerão. Felizes são aqueles que buscam a proteção de Deus!”
Aqueles que buscam a proteção do Senhor, por ele serão protegidos. Os que esquecem do Senhor, por ele serão esquecidos. E, no fim, destruídos.
Ainda bem que aqueles que creem em Jesus Cristo têm a vida eterna, pois todo aquele que crê em Jesus tem a salvação. Amém.
Senhor Jesus, agradeço-te por teres nascido para me dar a salvação. Continua a guiar meu caminho até o dia da vida eterna. Em teu nome, gracioso Salvador. Amém.

sexta-feira, 21 de dezembro de 2018

louvor completo


para ler todo o texto bíblico clique aqui

Louvor completo

"Aleluia! Que todo o meu ser te louve, ó Senhor!" (Salmo 146.1)

Aleluia vem do hebraico "Halleluyah". A primeira parte desta palavra significa "Louvem!", "Adorem" ou "Elogio". A segunda parte é "Yah", uma forma abreviada do nome de Deus (Javé ou Iahwé). Portanto aleluia significa "Louvem Deus Javé", "Adorem Deus Javé" ou, simplesmente: "Adorem a Deus", pois o próprio nome de Deus a Bíblia traduz por "eu sou o que sou". Enfim, dizer aleluia é dizer: Deus seja louvado. Assim como está escrito nas cédulas de Real.
Mas o que pensa um corrupto ao receber sua propina em dinheiro, afinal suborno não pode ser em cheque ou cartão?... O que pensa uma pessoa que recebe troco a mais? Será que ela olha pro dinheiro e diz: Deus seja louvado?
Se diz, ela está enganada no seu louvor a Deus. Pois Deus não quer ser louvado no erro e no pecado. E passar os outros pra trás pode ser legal pro mundo, mas pra Deus o jeitinho brasileiro continua sendo desonestidade. Pecado.
O Salmista pede que todo o seu ser louve ao Senhor. Que esta possa ser também a nossa oração... Que ao celebrarmos o aniversário de nossa independência como país, lembremos da nossa dependência do Senhor... E que assim sempre o louvemos por todas as coisas boas que ele tem feito em nossa vida. E na vida dos outros por meio de nós. Que o Senhor Jesus reine em nossas vidas até a Pátria Celeste, o nosso lar eterno. Que nos foi conquistado pela morte de Jesus na cruz e que nós ganhamos pela fé no Salvador. Deus seja. Amém.
Senhor meu Deus, que todo o meu ser te louve, pois tu és o único que tem todo o poder, toda honra e toda glória para sempre. Abençoa a nossa Pátria terrestre, enquanto aguardamos a nossa Pátria Celeste. Que teu amor possa reinar em nosso país, por Jesus. Aleluia! Amém.

quinta-feira, 20 de dezembro de 2018

“dizem que sou louco”


De fato, a mensagem da morte de Cristo na cruz é loucura para os que estão se perdendo; mas para nós, que estamos sendo salvos, é o poder de Deus. (1º Coríntios 1.18)
Certamente você já ouviu esta frase, cantada agudamente na voz de Nei Matogrosso. Interessante uma frase seguinte: “mais louco é quem me diz, e não é feliz, não é feliz”. É claro que não é uma música cristã. E nem tem pretensão de ser (ao contrário de tantas outras “cristãs” que temos por aí hoje, que falam de tudo, menos de Jesus). Mas é uma excelente música da MPB. De uma época nem tão distante em que os cantores e compositores conseguiam ter um pouco mais de inspiração do que simplesmente dizer “créu”,  “vou te aparar pela rabiola”, “ajoelha e chora”, “beijo na boca é coisa do passado…” e pra não faltar todos os estilos mais populares: “que pescar que nada…”.
Bem, afora esta “viajada” musical da pior qualidade, fico com a música que já foi gravada em mais de uma voz: “Balada de louco”. Que, repito, é muito bonita, embora o conteúdo possa ofender muitos cristãos.
Na música a pessoa faz como uma criança contrariada:
--Você é feia!
--Mais feio é quem me diz!
E então, o que isso tem a ver com a Bíblia? Eu só lembrei da música, quando meditava no texto de Paulo aos Coríntios, capítulo 1, versículo 18, repetido acima. Porque muitas vezes as pessoas, com suas “sabedorias” querem ajudar Deus a ser Deus. Parece que precisa ser esse ou aquele pregador, para que o Espírito “consiga” agir ou aja “poderosamente”. Nesse mesmo capítulo de Coríntios, o apóstolo afirma que não se precisa disso. Porque a Palavra é simples, sendo ainda, talvez por sua simplicidade, loucura para os sábios.
A sabedoria de Deus afirma: o Senhor Jesus morreu POR VOCÊ e por isso você tem salvação. A Cruz é loucura, porque razão nenhuma concebe tamanho sacrifício e ainda mais que ele possa nos trazer algum benefício. Mas creia. É assim.
Creia no Senhor Jesus e você será salvo, mesmo que isso pareça loucura.

quarta-feira, 19 de dezembro de 2018

Falando com Deus depois de uma cirurgia

“Tem compaixão de mim, pois me sinto fraco. Dá-me saúde, pois o meu corpo está abatido.” (Sl 6.2)
      Depois de horas de espera ansiosa nós podemos nos regozijar com aqueles que o Senhor conduziu em segurança durante a sua cirurgia e sua melhora (volta à consciência). O primeiro choque para o corpo já passou. O Senhor responde graciosamente as nossas orações e nos sustém enquanto passamos pelo vale escuro. Assim ele fez mais uma vez.
      O Senhor deu habilidade ao cirurgião, resistência ao seu corpo e assistência divina a todos que trabalharam por você. Por tudo isso nós temos muitas razões para agradecer ao Médico dos Médicos, nosso Senhor e nosso Deus.
      Entretanto, a recuperação é sempre um período crítico e por vezes perigoso. Agora é o momento de esperar no Senhor. Pois mesmo quando o caminho à frente seja duro e perigoso, o Senhor nos acompanha. E ele estará ao seu lado para dar plena recuperação. O nosso futuro está nas mãos do Senhor. Nos próximos dias você precisará de duas coisas do Senhor: de sua abundante misericórdia e de sua cura.
      A misericórdia do Senhor é especialmente necessária, por causa das aflições e dores às quais estão sujeitos os nossos corpos, por causa do pecado. E lembremos que quando Jesus esteve neste mundo, ele levou sobre si as nossas dores e os nossos pecados. E que ele se preocupou com o nosso bem-estar espiritual e, em diversas ocasiões, garantiu aos que sofriam o perdão dos pecados, antes de lhes conceder a cura do corpo.
      É da maior importância que não buscamos apenas alívio das aflições do corpo, mas que estejamos verdadeiramente preocupados com o nosso bem-estar espiritual. Que busquemos a cura do nosso pecado, pois “o salário do pecado na morte”, e os males e fragilidades do ser humano são os mensageiros que vêm nos avisar da aproximação da morte. Além disso, o pecado não se limita a levar à morte temporal, mas leva o pecador não arrependido à condenação eterna.
      Por nós mesmos, nada pode nos livrar dos grilhões do pecado, nem podemos pagar o resgate de nossa libertação. A única maneira de encontrar a cura para a nossa doença-pecado e escapar de suas terríveis consequências é a misericórdia de nosso Deus. Por causa de Cristo e do seu sangue sacrificial, derramado por nós no Calvário, Deus é clemente e misericordioso para conosco. O grito de Jesus: “Tem misericórdia de mim, ó Senhor”, não passou despercebido.
      Com a garantia da misericórdia divina, a questão da cura do corpo se torna menos urgente e importante. Se a sabedoria de Deus determinar que a cura do corpo será para o nosso bem-estar, ele também vai conceder misericordiosamente esta cura. Se, por outro lado, ele vê que a alma da pessoa será beneficiada ao carregar a cruz, assim também o Senhor fará.
      Pois quer estejamos sofrendo, ou livres dos sofrimentos, estamos nas mãos do Senhor. E que se faça a sua vontade agora e para sempre. Amém.

Oração
      Misericordioso Pai do céu, nós te louvamos porque guiaste em segurança a cirurgia ocorrida nesta semana. Te agradecemos por-que tudo ocorreu bem e segundo tua maravilhosa graça, nossa irmã já se encontra em recuperação satisfatória.
      Pedimos que continues a guiar todo o processo de cura e volta às atividades normais, conforme teu amor por nós, que se mostrou em teu Filho Jesus Cristo.
Guarda a todos sempre bem junto a ti, assim seremos saudá-veis de corpo e de alma. Por Jesus, nosso Salvador. Amém.

Outros Textos Relacionados
Dt 33.25; Jz 16.28; 1Sm 7.12; 1Cr 16.34; Ne 8.10 Sl 28.7; 50.15; 73.26; 92.1; 116.12; Is 38.5; 40.29; 40.31; Lc 5.12; Ef 5.20.

      Para ler os textos bíblicos, clique aqui e baixe o app para seu celular.

Do livro "Ministering to the Sick"

Enfermidade Prolongada (impaciência)

      Assim nós temos essa grande multidão de testemunhas ao nosso re-dor. Portanto, deixemos de lado tudo o que nos atrapalha e o pecado que se agarra firmemente em nós e continuemos a correr, sem desanimar, a corrida marcada para nós. Conservemos os nossos olhos fixos em Jesus, pois é por meio dele que a nossa fé começa, e é ele quem a aperfeiçoa. Ele não deixou que a cruz fizesse com que ele desistisse. Pelo contrário, por causa da alegria que lhe foi prometida, ele não se importou com a humilhação de morrer na cruz e agora está sentado do lado direito do trono de Deus.
      Pensem no sofrimento dele e como suportou com paciência o ódio dos pecadores. Assim, vocês, não desanimem, nem desistam. Porque na luta contra o pecado vocês ainda não tiveram de combater até à morte. Será que vocês já esqueceram as palavras de encorajamento que Deus lhes disse, como se vocês fossem filhos dele? Pois ele disse:
      “Prestem atenção, meu filho, quando o senhor o castiga,
      e não se desanime quando ele o repreende.
      Pois o Senhor corrige quem ele ama
      e castiga quem ele aceita como filho.”
      Suportem o sofrimento com paciência como se fosse um castigo dado por um pai, pois o sofrimento de vocês mostra que Deus os está tratando como seus filhos. Será que existe algum filho que nunca foi corrigido pelo Pai? (Hb 12.1-7)

Outros Textos Relacionados
Jó 23.10 Mas Deus conhece cada um dos meus passos; se ele me puser à prova, verá que sairei puro como o ouro.
Sl 17.8-9 Protege-me como protegerias os teus próprios olhos e, na sombra das tuas asas, esconde-me dos ataques dos maus.
Sl 37.7 Não se irrite por causa dos que vencem na vida, nem tenha inveja dos que conseguem realizar os seus planos de maldade. Tenha paciência, pois o Senhor Deus cuidará disso.
Sl 40.1 Esperei com paciência pela ajuda de Deus, o Senhor. Ele me escutou e ouviu o meu pedido de socorro.
Pv 17.3 O ouro e a prata são provados pelo fogo, mas é o Senhor Deus quem mostra o que as pessoas realmente são.
Is 26.3 Tu, ó Senhor, dás paz e prosperidade às pessoas que têm uma fé firme, às pessoas que confiam em ti.
Is 48.10 Eu os fiz sofrer, mas foi para purificá-los, como a prata é purificada na fornalha.
Is 49.14-15 Mas o povo de Sião diz: O Senhor nos abandonou; Deus nos esqueceu. O Senhor responde: Será que uma mãe pode esquecer o seu bebê? Será que pode deixar de amar o seu próprio filho? Mesmo que isso acontecesse, eu nunca esqueceria vocês.
Is 54.7-8 Eu a abandonei, mas só por um momento, e agora, com grande amor, eu a receberei de volta. Na minha ira e no meu furor, eu me escondi de você por um momento; mas com amor eterno eu terei compaixão de voe. É isso o que diz o Senhor, o seu Salvador.
Lm 3.25-26 O Senhor é bom para todos os que confiam nele. O melhor é ter esperança e aguardar em silêncio a ajuda do Senhor.
Lm 3.31-33 O senhor não rejeita ninguém para sempre. Ele pode fazer a gente sofrer, mas também tem compaixão porque o seu amor é imenso.
Rm 5.3-5 E também nos alegramos nos sofrimentos, pois sabemos que os sofrimentos produzem a paciência, a paciência traz a aprovação de Deus, e essa aprovação cria a esperança. Essa esperança não nos deixa decepcionados, pois Deus derramou o seu amor no nosso co-ração, por meio do Espírito Santo, que ele nos deu.
2Co 4.16-17 Por isso nunca ficamos desanimados. Mesmo que o nosso corpo vá se gastando, o nosso espírito vai se renovando dia a dia. E essa pequena e passageira aflição que sofremos vai nos trazer uma gló-ria enorme e eterna, muito maior do que o sofrimento.
2Co 5.7 Porque vivemos pela fé e não pelo que vemos.
2Co 12.8-9 Três vezes orei ao Senhor, pedindo que ele me tirasse esse sofri-mento. Mas ele me respondeu: “A minha graça é tudo o que você precisa, pois o meu poder é mais forte quando você está fraco.” Por-tanto, eu me sinto feliz em me gabar das minhas fraquezas, para que assim a proteção do poder de Cristo esteja comigo.
Fp 4.11 Não estou dizendo isso por me sentir abandonado, pois aprendi a estar satisfeito com o que tenho.
2Tm 2.3 Como fiel soldado de Cristo Jesus, tome parte no meu sofrimento.
Hb 10.36 Vocês precisam ter paciência para poder fazer a vontade de Deus e receber o que ele promete.
Hb 12.11 Quando somos corrigidos, isso no momento nos parece motivo de tristeza e não de alegria. Porém, mais tarde, os que foram corrigidos recebem como recompensa uma vida correta e de paz.
Hb 13.14 Porque neste mundo não temos nenhuma cidade que dure para sempre; pelo contrário, procuramos a cidade que virá depois.
1Pe 1.6-7 Alegrem-se por isso, se bem que agora é possível que vocês fiquem tristes por algum tempo, por causa dos muitos tipos de provações que vocês estão sofrendo. Essas provações são para mostrar que a fé que voes têm é verdadeira. Pois até o ouro, que pode ser destruí-do, é provado pelo fogo. Da mesma maneira, a fé que vocês têm, que vale muito mais do que o ouro, precisa ser provada para que continue firme. E assim vocês receberão aprovação, glória e honra, no dia em que Jesus Cristo for revelado.
Ap 3.21 Aos que conseguirem a vitória eu darei o direito de se sentarem ao lado do meu trono, assim como eu consegui a vitória e agora estou sentado ao lado do trono do meu Pai.

Oração
      Querido Senhor que nos dá paciência para correr a corrida que foi co-locada à nossa frente. Tu sabes quão difícil é ter paciência no sofrimento, especialmente quando a recuperação é lenta. Por isso pedimos que derrames sempre a tua graça para confiarmos em ti completamente, pois tu sabes melhor que nós tudo o que é bom e saudável para nós e quando chegará o tempo de nos livrares de nossos sofrimentos. Ajuda-nos a lembrarmos a paciência de Jesus, nosso Salvador, que não murmurou nem se queixou em sua agonia e humilhação, mas pacientemente aguentou todas as coisas a fim de nos redimir. Não nos deixes esquecer que as virtudes dele são uma evidência do seu amor e de sua vontade de nos dar o bem-estar eterno. Dê-nos a força necessária para crescer em paciência. Responde esta nossa oração por causa de Jesus Cristo. Amém.

Do livro "Ministering to the Sick"

Abadiânia e o Natal

      Abadiânia vai ter que encontrar outro jeito para sustentar hotéis, pousadas, lojas... Os “milagres” do João (que precisa de outro apelido) vão junto com ele para o cárcere, e a cidade vai quebrar. A verdade sempre traz prejuízo, estrago, perdas – consequência que vive o Brasil que desvendou os abusos imorais contra o povo. No caso desta cidade de Goiás, ela lembra Éfeso que perdeu os lucros do mercado religioso em torno da deusa Diana “por causa do Caminho do Senhor” (Atos 19.23). Foi a salvação para muita gente.
      Nas devidas proporções, Natal virou uma grande Abadiânia. Imaginem se ficasse provado que Jesus é uma grande farsa, que nestes dois mil anos tudo do cristianismo é enganação? O que sobraria? Tem muita gente que acredita nisto, que a criança de Belém não é o Deus encarnado, que tudo na Bíblia são histórias inventadas. Não tem o que discutir, é questão de crer. Mas, o cristianismo e todas as religiões sempre enfrentaram o escândalo do comércio da fé. Não foi por nada a indignação do Salvador quando expulsou os mercadores do Templo com um chicote, e bradou “não façam da casa do meu Pai um negócio”.
      Quantos templos, cidades, países entrariam em colapso financeiro sem os lucros em cima da religião? A própria Bíblia acusa que “a religião é um meio de enriquecer” (1Timóteo 6.5).
      E junto com o dinheiro, o poder e o sexo sempre foram vícios diabólicos que causam escândalos, destruição e violência. Vejam a fúria do psicopata Herodes que não poupou as crianças de Belém quando soube do nascimento de um rei. Outro Herodes cortou fora a cabeça de João Batista quando este ousou falar de suas safadezas sexuais. E Judas alimentou sua ganância com trinta moedas de prata entregando Jesus aos soldados. Mas, é por isto o Natal.
      O Deus que vem livrar dos pecados - que não estão em Abadiânia mas no meu coração.

Desejos maus

Os desejos das pessoas são como o mundo dos mortos: sempre há lugar para mais um. (Provérbios 27.20)
Primeiro: não sou contra as tecnologias, como internet, tv, celular, etc… Tenho desde e-mail a twitter e este (entre outros) blog, tudo numa tentativa de usar para o bem, uma (0u várias) ferramentas tão preciosas que temos para divulgar o Evangelho de Jesus Cristo.
Mas boa parte desta mídia toda sobre vive dos maus desejos das pessoas. São homens seminus dançando num programa de sábado à tarde. Mulheres mostrando-se completamente, na contra-mão daquelas pioneiras que queriam tirar da mulher a marca de objeto.
E Salomão foi afetado pela situação do próprio texto que escreve, pois para saciar seus desejos, seja de poder ou seja de luxúria, ele se envolveu e casou-se com centenas de mulheres, contaminando seu reino com a idolatria de suas esposas. Ele sabia bem que sempre cabe um desejo ruim a mais diante dos olhos das pessoas. E se nossos olhos são maus, só vemos maldade. Só desejamos maldades. Então casamentos acabam, porque “me apaixonei perdidamente por outra”. Famílias são destruídas, porque “a cocaína me faz fazer coisas incríveis”. E os cinco minutos de fama são buscados diante de uma nação de estúpidos telespectadores, que não têm capacidade para escolher programas bons para si e para suas famílias. A tv, o computador e o nosso corpo são, em si, coisas boas, mas quando usados para o pecado, são um mar de perdição.
Muitas vezes queremos que o inimigo não entre na nossa casa, mas ele entrou e faz morada. Ali, na posição central: aparecendo no monitor que incita ao pecado, à traição, à fofoca, ao dinheiro fácil e tantas outras coisas. Mas não precisamos quebrar nossas tvs ou computadores. Vamos usar pro bem. Usar para levar a Palavra de Jesus. Este sim, torna nossos desejos bons. Que o Senhor abençoe a todos.

terça-feira, 18 de dezembro de 2018

Natal de Deus

      As acusações de crime sexual contra o famoso curandeiro João de Deus não deveriam surpreender ninguém neste mundo onde os espertos estão por toda a parte. Eles estão na religião, na política, no comércio, nos esportes. Nas ruas e até nos lares. Gente apta para persuadir, ludibriar, iludir, sempre com objetivos financeiros, sexuais e violentos. São clarividentes, astutos, inteligentes, que deixam rastros de indignação, tristeza e desolação. Gente perversa que sabe enganar, auto sugerir e até hipnotizar. Por isto a vergonha das vítimas, como aquelas que perdem dinheiro na velha história do bilhete premiado, e agora, estas mulheres violentadas sexualmente por alguém com sobrenome “de Deus”. Gente diabólica que se aproveita de indefesos, engana idosos, abusa crianças, logra doentes. Gente que ilude desesperados.
      O terrível malefício no meio disto é o uso do nome de Deus. Quantas pessoas avessas à religião por causa destes enganadores? No entanto, isto foi um insistente aviso de Jesus, que
“aparecerão falsos profetas e falsos messias, que farão milagres e maravilhas para enganar” (Mt 24.24).
      Prestem atenção – alerta o Salvador. Ou seja, se alguém faz milagres, promete prosperidade, oferece mundos e fundos, desconfie.
      Milagres existem, fatos extraordinários que a ciência não explica. O próprio Natal é a história de uma mulher que ficou grávida pelo poder do Espírito Santo. E a Bíblia está repleta com histórias onde Deus interferiu diretamente na “normalidade” da vida terrena. Tanto que “a morte de Cristo na cruz é loucura” (1Coríntios 1.18) para os que desprezam o poder de Deus. Se por um lado há descrença, por outro há falsas crenças.
      O João da Bíblia alertou:
“Ponham à prova essas pessoas para saber se o espírito que ela têm vem mesmo de Deus, pois muitos falsos profetas já se espalharam por toda a parte” (1João 4.1).
      Quem sabe até descobrir se o nosso Natal é de Deus.

Pastor Marcos Schmidt
Igreja Evangélica Luterana do Brasil
Novo Hamburgo

Feliz Natal com "S"



      Na semana passada um simples jardineiro de Jaciara, no Mato Grosso, fez algo que chamou a atenção. Cheio de bom coração e boa vontade, quis deixar uma mensagem de Feliz Natal no gramado à beira da avenida da cidade. Mas, revelando provavelmente sua baixa escolaridade, trocou a letra Z pela letra S e escreveu “Felis Natal”.
      Ao perceber o erro, o jardineiro logo apagou a mensagem no gramado. Mas, como estamos na era do mundo digital, diversas pessoas registraram o erro e a mensagem que era para animar a população acabou sendo motivo de piada nas redes sociais. Porém a prefeitura de Jaciara defendeu o seu jardineiro, reconhecendo o seu belo trabalho e a sua ótima intenção no ocorrido.
      Este jardineiro de vida simples me fez lembrar da simplicidade do primeiro natal. Aquele que foi esperado por toda a humanidade nasceu em um local cheirando a bicho, enquanto que outras famílias repousavam em suas confortáveis casas e pousadas. E como não lembrar dos pastores de ovelhas de Belém, vidas também tão simples, que foram convidados por anjos a visitar o menino Jesus? O Natal é para todos. Desde as vidas simples, como o jardineiro de Jaciara e os pastores de Belém, até pessoas ricas e de destaque, como os magos do oriente que vieram adorar a Jesus com suas riquezas. Jesus nasceu para todos. Jesus foi morto e ressuscitado por todos, independentemente da sua posição social ou da sua escolaridade.
      Mas o episódio do jardineiro que errou a grafia do feliz, trocando z pelo s, me faz lembrar que o Natal pode ser feliz mesmo quando há erros, não de português, mas na vida. Podemos ter um feliz Natal mesmo com tantos erros, pecados e culpas. O Natal pode ser feliz também para aqueles que lutam contra uma depressão, que estão na fila de uma cirurgia ou que lutam em uma quimioterapia. O Natal também pode ser feliz para aqueles que choraram durante o ano. O Natal pode ser feliz mesmo nas casas onde haverá um lugar vazio à mesa e também no coração.
      Sim, podemos ter um feliz Natal. Isto porque ele não está condicionado a presentes, sensações de bem-estar, mesa farta ou escolaridade. O Natal é feliz porque está condicionado à graça de Deus, ao que o menino Jesus veio fazer entre nós: “Ela terá um menino, e você porá nele o nome de Jesus, pois ele salvará o seu povo dos pecados deles” (Mateus 1.21). Natal não é focar nos penduricalhos, mas focar na salvação que o menino Jesus trouxe a todos.
      Então fica a dica: Jesus nos prepara um feliz Natal. Ele nos garante isto. Prepare e celebre o Natal do perdão, da bondade e da misericórdia de Deus. O Natal de Jesus é para todos!

Pastor Bruno A. Krüger Serves
Congregação Evangélica Luterana Cristo, Candelária-RS
Igreja Evangélica Luterana do Brasil

Que pés bonitos!!!


Que formosos são sobre os montes os pés do que anuncia as boas-novas, que faz ouvir a paz, que anuncia coisas boas, que faz ouvir a salvação, que diz a Sião: O teu Deus reina! (Isaías 52.7)
Hoje tive a oportunidade de participar de uma bonita cerimônia de desinstalação de pastor. Ele recebeu um novo chamado e entendeu que o Senhor o queria em um novo desafio.
Havia nove pastores participando da cerimônia, entre eles, o pastor Elmar, que estava sendo desinstalado depois de 9 anos e 5 meses de ministério na Paróquia Concórdia.
Um dos versículos (entre tantos) citados nesta cerimônia foi Isaías 52.7. Certamente um dos versículos mais belos sobre a missão e o mensageiro. E também sobre a notícia entregue, as “boas-novas” (que é a tradução de Evangelho, no Novo Testamento).
Analisando e contradizendo “que feio é o pé daqueles que trazem notícias ruins”. Não o pé em si. O texto fala poéticamente referindo-se às pegadas.
Imagine você chegando em casa e encontrar as pegadas daqueles que roubaram seus bens. Ou as pegadas que se investiga no CSI (“Crime Scene Investigation” – série muito premiada) para se descobrir assassinos, estupradores e outros marginais…
Se esses pés são feios… São horríveis. Nos trazem tristeza. E como pegadas, ficarão marcadas em nossa vida para sempre. Acredite! Senti na pele chegar em casa e ver pegadas de bandidos.
Com o tempo, qual pegadas na areia, as pegadas ficarão cada vez mais rasas, mas ao contrário da areia e como a “areia” lunar, as marcas ficarão como as pegadas de Neil Armstrong no solo do nosso satélite natural. Elas estão lá até hoje, mesmo 41 anos depois.
Se a gente deixar, as boas pegadas também serão apagadas de nossa vida. Mas se continuamente os mensageiros continuarem a vir, sempre haverá pegadas novinhas. Pegadas que nos lembrão de coisas bonitas. Coisas como a notícia da Salvação. Aliás, as pegadas de Jesus estarão sempre novinhas em nossos corações. Elas são renovadas quando paramos para ler a Palavra, quando vamos ao culto e tudo mais.
O pastor Elmar e todos os pastores dedicados ao Senhor, continuarão deixando boas pegadas, não só sobre os belos montes do Espírito Santo, mas aonde o Senhor os levar.
Que cada um de nós também possa deixar boas pegadas pelos caminhos que compartilhamos com outros. Amém.

segunda-feira, 17 de dezembro de 2018

Honestidade x felicidade


Feliz aquele que tem pena dos outros e empresta generosamente e que dirige os seus negócios com honestidade! (Salmo 112.5)
Emprestar generosamente não é empresatar muito.
Emprestar generosamente é emprestar com o coração aberto, pelo bem o outro, porque eu tenho aquilo que o outro precisa e o posso ajudar.
Isso faz par com o ser honesto, pois os desonestos é que cobram mais do que teriam direito. Aí entram os comerciantes que cobram exageradamente seus lucros (alguns ainda sonegam e ficam com o imposto que o cliente paga a eles), entram agiotas que enredam pessoas desesperadas e logo as deixam mais desesperadas ainda. Alguns ainda se justificam: “o dinheiro é meu e eu cobro o quanto eu quiser para vender.” Não. Ninguém tem este direito.
Feliz aquele que olha para os outros com amor (aqui traduzido por pena), que é generoso e que é honesto. Porque esta pessoa será feliz, mesmo que nunca seja rico. E se for assim, se o Senhor tiver reservado para você uma vida não abastada, mesmo assim, a promessa do Criador amoroso é de que estará com você todos os dias. Que andará ao seu lado e te dará tudo que você precisa para viver.
Por fim, ser honesto é sempre a melhor saída. Porque conseguimos dormir tranquilos neste mundo, sabendo que o Senhor nos espera, por causa do perdão que temos em Cristo, na vida eterna. Esta certeza transforma qualquer tristeza em felicidade. Amém.

Programa de Natal 24/dez/2018

      Leia os textos bíblicos indicados.
      Se não tem ainda, instale um app da Bíblia em seu celular.


domingo, 16 de dezembro de 2018

Firmes. Por quê?

      No primeiro Domingo no Advento, a Igreja Cristã, que segue a tradição litúrgica, iniciou o Ano Novo da Igreja. Eles começam sempre no domingo mais próximo ao dia 30 de novembro.
      Para ver todos os recursos já preparados pela IELB (Igreja Evangélica Luterana do Brasil) par o período, como cartazes e outros materiais de uso da igreja e dos pastores, veja aqui.
      Já há dois texto meus, escrito para o primeiro e segundo Domingo, mas aqui abaixo, para o terceiro Domingo no Advento.

      Pensando neste tema que norteará o trabalho, a pregação do culto no Segundo Domingo no Advento aconteceu com os textos sugeridos, que são:
      Sl 85 | Sf 3.14-20 | Fp 4.4-7 | Lc 7.18-350

Firmes em Cristo.
Por quê?


  • Porque Deus é bom.
    • Sl 85.1: Ó SENHOR Deus, tu tens sido bom para a tua terra; fizeste com que Israel prosperasse outra vez.
  • Porque Deus perdoa
    • Sl 85.2-3: Perdoaste todos os pecados do teu povo e não olhaste para as suas maldades. Acalmaste todo o teu furor e deixaste de lado o fogo da tua ira.
    • Sf 3.15: O Senhor Deus anulou a sentença que havia contra vocês e afastou todos os inimigos do seu povo. ...
  • Porque nosso sucesso está nas mãos de Deus
    • Fp 4.6: Não se preocupem com nada, mas em todas as orações peçam a Deus o que vocês precisam e orem sempre com o coração agradecido.
    • Sl 85.4: Faze com que prosperemos de novo, ó Deus, nosso Salvador, e não continues aborrecido com o teu povo!
    • Sl 85.12-13: O SENHOR Deus nos dará o que é bom, e a nossa terra produzirá as suas colheitas. A justiça irá adiante do SENHOR e preparará o caminho para ele.
  • Porque nossa proteção vem de Deus
    • Sf 3.15: ... O Senhor, o Rei de Israel, está com vocês, e vocês não precisam mais ter medo da desgraça.
    • Sf 3.18-20: O Senhor Deus diz: “Eu afastarei a ameaça que está sobre vocês e os livrarei da desgraça. Quando chegar aquele dia, castigarei aqueles que os perseguem. Salvarei os aleijados e trarei de volta os que foram espalhados. Vocês foram envergonhados em toda parte, mas depois terão louvor e glória. Quando chegar aquele dia, eu os ajuntarei e os trarei de volta para o seu país. Farei com que prosperem de novo; vocês serão famosos no mundo inteiro, e todos os povos os respeitarão.” Eu, o Senhor, falei.
  • Porque é de Deus que vêm nossas forças para viver.
    • Sl 85.6: Dá-nos forças novamente e assim o teu povo se alegrará por causa de ti.
    • Sl 85.8: Eu escuto o que o SENHOR está dizendo. Para nós, o seu povo, para nós, os que somos fiéis, ele promete paz se não voltarmos aos nossos caminhos de loucura.
    • Sf 3.16-17: “Não tenha medo, povo de Sião, não desanime, nem perca a coragem. Pois o Senhor, seu Deus, está com vocês; ele é poderoso e os salvará. Deus ficará contente com vocês e por causa do seu amor lhes dará nova vida. Ele cantará e se alegrará, como se faz num dia de festa.”
  • Porque é de Deus que vem a nossa Salvação
    • Sl 85.9: Na verdade, Deus está pronto para salvar os que o temem a fim de que a sua presença salvadora fique na nossa terra.
  • Porque somos testemunhas alegres
    • Fp 4.4-5: Tenham sempre alegria, unidos com o Senhor! Repito: tenham alegria! Sejam amáveis com todos.
    • Lc 7.22-23: Voltem e contem a João o que vocês viram e ouviram. Digam a ele que os cegos veem, os coxos andam, os leprosos são curados, os surdos ouvem, os mortos são ressuscitados, e os pobres recebem o evangelho. E felizes são as pessoas que não duvidam de mim!
  • Porque cremos na volta de Jesus
    • Fp 4.5: O Senhor virá logo.
  • Porque só com Deus é possível ter paz
    • Fp 4.7: E a paz de Deus, que ninguém consegue entender, guardará o coração e a mente de vocês, pois vocês estão unidos com Cristo Jesus.
Em Cristo, pela Salvação, nós temos Paz com Deus e é possível ter paz com o próximo.


Abra-se o mar


      Há uma música assim: “então eu direi: abra-se o mar. Então passarei pulando e dançando em sua presença”. Muito bonita a música. Muito animada. Enfim.

Muito há desse pensamento hoje em dia. De que as grandes coisas registradas na Bíblia vão se repetir na vida diária das pessoas. Mas uma olhada geral no Livro Sagrado já indica o contrário. O mar não foi aberto muitas vezes, foi só uma. A Abraão se pediu o sacrifício de seu filho uma única vez e a mais nenhum cristão foi aplicado um teste de fé tão difícil. Jesus não ressuscitou todas as pessoas da sua época, nem curou todos os doentes. Então, não é porque aquela vez, com propósito específico, Deus abriu o mar, fez mortos ressuscitarem, mandou pão do céu, fez o sol parar... Que ele vai fazer isso de novo quando eu quiser.
Deus age sempre com propósitos. E o principal propósito de Deus é salvar as pessoas. Por isso Jesus algumas vezes pedia: não falem ainda... Outra vez, quando já era hora e ele estava descendo pra ser julgado e crucificado, ele disse: “Então tiraram a pedra. Jesus olhou para o céu e disse: Pai, eu te agradeço porque me ouviste. Eu sei que sempre me ouves; mas eu estou dizendo isso por causa de toda esta gente que está aqui, para que eles creiam que tu me enviaste. Depois de dizer isso, gritou: Lázaro, venha para fora!”. (João 11.41-43) O propósito não era simplesmente a ressurreição de Lázaro. Mas era mostrar que ele era mesmo o Messias e que viera para fazer a vontade do Pai e salvar a humanidade de seus pecados.
Não. Deus não vai abrir o mar só porque você quer. Mas ele vai te socorrer em todas as vezes que o mar ameaçar te afogar. Seja o mar a falta de emprego, de dinheiro, de paz, de esperança... Deus prometeu estar com você (Mateus 28.19-20) e ele estará. Mas talvez você tenha que passar por problemas, porque o mundo traz problemas. Todos os temos. Ter problemas não significa que Deus te abandonou. Cada um dos discípulos teve problemas. Alguns foram martirizados, mas hoje vivemos um tempo em que dizem pra você que cristão não vai ter problemas. É mentira. Deus nunca prometeu isso. Porém Jesus prometeu: “Eu digo isso para que, por estarem unidos comigo, vocês tenham paz. No mundo vocês vão sofrer; mas tenham coragem. Eu venci o mundo.” (João 16.33). E aqui a chave para entender a grande diferença: Jesus nunca prometeu que nós venceríamos NO mundo, mas ele prometeu que venceríamos O mundo. Ou seja. Passar por problemas não é igual a ser derrotado. Sucumbir ao desânimo e falta de fé, isso é ser derrotado. Fomos chamados para vencer O mundo e quando alcançamos o fim de nossa vida, com a fé em Jesus Cristo, daí sim: vencemos O mundo. Talvez, aos olhos do mundo, sejamos derrotados. Como o próprio Jesus pareceu derrotado no alto da cruz. Mas sabemos que aquela foi a maior vitória de todos os tempos. Vitória que não nos abriu o mar. Mas abriu as portas do céu para todo o que crer.
Jarbas Hoffimanné formado em Teologia
e pastor da Igreja Evangélica Luterana do Brasil,
em Nova Venécia.
www.facebook.com/pastorjarbas

sábado, 15 de dezembro de 2018

lembrado para sempre


Quem é correto nunca fracassará e será lembrado para sempre.  Ele não tem medo de receber más notícias; a sua fé é forte, pois ele confia no Senhor.  (Salmo 112.6-7)
Lendo estes versículos procurei pensar em alguém que lembro pela correção. E não demorei mais que 3 segundos para me lembrar do ex-goverdador Paulista, já falecido, Mário Covas.
Nesse meio político, em que tanto se fala de malandragem, maracutaia, chantagem, superfaturameno, lembrei que nunca ouvi falar absolutamente nada sobre o comportamento do governador Mário Covas. Não acredito que ele fosse um “santo”, mas me lembro dele por sua postura correta em muitas circunstâncias. Postura que chegava a ser criticada como agressiva, pois parecia que “homem público” tinha que aceitar certas coisas.
Lembro bem de duas situações:
o governador, querendo chegar a determinado local, precisaria passar pelo meio de um protesto. Alertado por seus seguranças de que não deveria passar, ele teria respondido:
--Eu sou o governador deste Estado e, se o governador não pode passar nas ruas livremente, daqui a pouco vão começar a proibir o cidadão também. Eu vou passar pela rua que iria passar. O resultado disso foi uma pancada na cabeça com um pedaço de madeira e um agressor preso.
Em outra situação, já perto de morrer, ele dava uma entrevista, no hospital, falando de sua enfermidade. Algum repórter perguntou:
--O senhor fala tanto em Deus, mas não fica chateado que agora ele tenha lhe dado essa doença?
O que você responderia a esta pergunta? Eu não sei se responderia com a fé que Márico Covas demonstrou. Disse ele:
--Deus me deu a vida, não me cabe reclamar dos acessórios.
Lembraria de mais coisas, mas estes dois exemplos já são suficientes. O governador não teve medo de receber más notícias. E eu, do fundo do coração, espero que em seus momentos finais ele tenha tido o conforto de saber que, mesmo morrendo, Cristo salva àqueles que nele creem.
Foi bonito ver (se é que pode haver beleza em um sepultamento) algo raro em sepultamento de políticos. Praticamente todos os seus adversários políticos se fizeram presentes. E estavam lá prestando a homenagem a um homem que será lembrado para sempre. Não santificaram Mário Covas, mas ressaltavam sua honradez e firmeza. Porque o honesto será lembrado para sempre. Assim como serão lembrados todos aqueles que creem em Jesus e vivem uma vida correta. Amém.

sexta-feira, 14 de dezembro de 2018

Inocente, mesmo que condenado pelo mundo


Felizes são os que não podem ser acusados de nada, que vivem de acordo com a lei de Deus, o Senhor! (Sl 119.1)
Existem muitas histórias de acusações falsas. O próprio Jesus foi condenado com o uso de testemunhas que deturparam o que ele disse sobre o templo. Mas no fim, depois de tudo, o Senhor Jesus, hoje é reconhecido como aquele que falou a verdade. Ele foi acusado injustamente, mas não poderia ser acusado de nada. Primeiro, porque era o próprio Deus Filho encarnado e não tinha pecado. Segundo, porque em toda sua vida, jamais se afastou da lei de Deus.
Aqueles que vivem na lei de Deus estão também sujeitos a pessoas falsas que os acusarão. Mas no tempo certo, toda verdade será revelada, porque os que vivem na lei não podem ser acusados de nada.
Um outro exemplo. Outro dia, ouvi uma reportagem que fala de pessoas condenadas que estavam sendo libertadas nos Estados Unidos. Estas pessoas tinham sido acusadas de crimes que não cometeram e foram presas, mesmo jurando inocência. Agora, como é possível investigar o DNA, muitos processos estão sendo revistos:
James Woodard, condenado à prisão perpétua, foi libertado por um teste de DNA que provou a sua inocência. O homem, hoje com 55 anos, foi condenado com base em dois testemunhos em julho de 1981, por alegadamente ter estuprado e estrangulado uma mulher de 21 anos, cujo corpo foi encontrado nas margens do Rio Trinity, no Texas. (link completo).
216 pessoas já foram libertadas, entre elas, 16 estavam no corredor da morte. Muitas delas ficaram anos e anos à espera de que a verdade viesse à tona. Mas agora não podem ser acusadas de nada, pois não fizeram nada.
Muitas vezes, mesmo quando seguimos a Lei de Deus, as pessoas vão tentar nos acusar, mas diante do Senhor seremos sempre inocentes. Não simplesmente por cumprir a Lei de Deus, o que ninguém faz de forma perfeita, mas porque, mesmo sendo culpados, Jesus cumpriu a pena em nosso lugar e nos torna livres. Agora, pela fé no Senhor Jesus, temos salvação e vida eterna. Amém.

quinta-feira, 13 de dezembro de 2018

A Lei e eu

“Como eu amo a tua lei! Penso nela o dia todo.” (Salmo 119.97)
Tá aí uma coisa que dificilmente se vê: alguém que ame a lei.
Na verdade existem pessoas que amam mesmo a lei, mas pros outros. É de se admirar a quantidade de pessoas que buscam apenas o benefício próprio na lei. Procura-se a lei para acusar o outro e não para ajudar a “eu” viver melhor.
Certa vez, há muito tempo, alguém disse: olha pastor, hoje o sermão foi muito bom, pena que o irmão ... não estivesse aqui hoje. Ele é que precisava ouvir essas palavras e corrigir a vida...”
E é sempre assim que o ser humano pensa: a lei é muito boa, mas para o outro.
Não é isso que o salmista escreve em todos os versículos do salmo 119. Este é um salmo de louvor à Lei de Deus, porque ela é perfeita e porque diante dela ninguém pode se “fazer de santo”.
Ela é perfeita porque não perde sua eficácia nem eficiência. Aquilo que era pecado para Moisés, também é para mim e pra você. Aquilo que não era pecado, continuará não sendo.
Ela é perfeita porque me mostra o pecado e me dá, assim, oportunidade de ouvir a mensagem do Evangelho que diz: Jesus deu a vida por você, creia nele e você será salvo. Deus não passa a mão na cabeça do pecador, ele aponta o pecado para dar a solução: Jesus.
Neste ano que apenas começou, busque compreender a Lei de Deus, mas aplique primeiro para a sua própria vida. Depois não fique apenas na Lei, olhe também para tudo que o Senhor Jesus fez por você. Pois ele perdoou os pecados na cruz do Calvário e quer perdoar você de tudo que a lei te acusa. Creia em Jesus, viva uma vida cristã e feliz 2010.
Ore: Pai de amor. Como é difícil reconhecer meus próprios pecados. Ajuda-me, pela tua Lei, a ver os pecados e, arrependido, receber o perdão. Por Jesus. Amém.

quarta-feira, 12 de dezembro de 2018

Nem “só” de pão…


Jesus respondeu: — As Escrituras Sagradas afirmam: “O ser humano não vive só de pão, mas vive de tudo o que Deus diz.” (Mateus 4.4)
Imagine se fosse você que tivesse sobrevivido à tragédia da Região Serrana do Rio de Janeiro… Uma das frases que mais se ouviu nos primeiros dias pós-tragédia foi: “eu perdi tudo”, mas alguns completavam: “tudo não, pois fiquei com a vida”.
É fato, muitos ficaram apenas com a vida e só isso. Perderam amigos, parentes e pertences. Eu não perdi amigos, não perdi familiares, mas já tive quase tudo roubado, certa vez. E consigo entender bem uma frase, dita por um senhor, no meio desse turbilhão de desgraças. Ele estava sendo obrigado a sair de sua casa, porque esta está condenada pela Defesa Civil. Ele disse: “seria melhor ter morrido do que passar por essa angústia toda.” Isso é um grito de socorro de alguém que não perdeu a vida, mas dos poucos bens que tinha para viver, agora está sendo privado.
Quando tentado a ser dono do mundo, Jesus respondeu que o ser humano vive é da palavra de Deus. Todos sabemos disso. O que Jesus está fazendo é dando a importância certa para cada coisa. Ele não está simplesmente desprezando as coisas materiais (que são bênção do Senhor). Ele está dizendo que acima de tudo está Deus e sua misericordiosa Palavra. Mas perder “tudo” é muito difícil. Você levanta um monte de por quês. Você fica tentando entender e fica frustrado simplesmente com o fato de ter que começar tudo novamente. E Jeus diz que “nem só de pão”, mas precisa sim do “pão”.
Mas se a gente tiver que escolher entre o que é mais importante, não há dúvida: é permanecer na fé em Jesus Cristo, mesmo que vamos perder a vida. Pois do que adianta alguém ganhar o mundo inteiro e perder a alma?
Que o Senhor dê conforto a todos que “perderam tudo” e muita força para trabalharem honestamente e conseguirem tudo e ainda mais novamente. Que o Senhor abra as portas e janelas dos céus para derramar bênçãos sobre bênças a todas as pessoas que lhe são fiéis. Amém.

terça-feira, 11 de dezembro de 2018

O Senhor tirou-me da lama

Tirou-me de uma cova perigosa, de um poço de lama. Ele me pôs seguro em cima de uma rocha e firmou os meus passos. (Salmo 40.2)
Quanta gente esteve soterrada! Quantos pereceram em um poço de lama! Estou pensando mesmo na tragédia que se abateu sobre o lindo Estado do Rio de Janeiro e sobre a magnífica escultura do Senhor, que é a Região Serrana.
Logo me vem à mente a imagem daquela senhora sobre a casa (vídeo acima), quando a correnteza ia ficando cada vez mais e mais forte… Parte da casa desmorona. E a senhora nem tem onde se segurar. Nesse momento aparecem vizinhos (que pareciam um pouco mais seguros) atiram uma corda que aquela senhora amarra à cintura. Ela ainda tenta levar consigo seu fiel amiguinho (um cão), mas não é possível salvá-lo. Ela é içada a mais de 10 metros. Uma corda, numa situação que para alpinistas já seria complicada, uma senhora idosa é levada até um local seguro. Ela foi literalmente “tirada de uma cova perigosa”.
Davi passou por muitos momentos difíceis e neles, certamente ele teve a impressão de que não sobreviveria. E por suas próprias forças, não sobreviveria mesmo. Mas acontece que o Senhor lhe jogou a corda, amarrou em sua cintura e o resgatou, colocando-o em segurança. Por isso ele sabia sempre a quem recorrer no momento do Perigo.
Vamos continuar orando pelas pessoas da Região Serrana e também de São Paulo que estão sofrendo com as chuvas. E que o Senhor faça por elas o mesmo que fez por Davi: que as tire das covas de lama e as coleque em segurança, num lugar seco e quentinho. Amém.
Rev. Jarbas Hoffimann
20110114 – Nova Iguaçu-RJ