sexta-feira, 30 de outubro de 2009

você é escravo do pecado?

Jo 8.31-36

Que a graça do Senhor Jesus Cristo, o amor de Deus e a presença do Espírito Santo estejam com todos vocês! (2Co 13.13).



Queridos irmãos em Cristo.

A Paz do Senhor esteja com todos vocês.

Nos livros de história e nas reportagens de TV e jornais vemos falar sobre escravidão. Sempre nos é mostrado o quanto é ruim ser escravo.

Anualmente vemos muitas reportagens sobre trabalhadores que viviam em regimes de escravidão ou semi-escravidão. Em terras de grandes fazendeiros, no centro-oeste e norte do Brasil. No interior de estados como São Paulo e pode aparecer em qualquer lugar.

E nenhum de nós gostaria de ser escravo. Porque o escravo não tem nenhum poder de escolha. Ele não tem salário. Ele apenas trabalha, em condições muito precárias. Muitas vezes não tem alojamento, não tem a comida necessária. Mas mesmo assim deve continuar trabalhando para poder continuar vivo.

No texto do Evangelista João, Jesus está falando sobre a escravidão. Ele diz aos seus ouvintes para eles crerem nele, pois só assim eles seriam realmente livres e não mais escravos.

Os judeus que ouviam Jesus disseram: "Nós somos descendentes de Abraão e nunca fomos escravos de ninguém. Como é que você diz que ficaremos livres?"
| Jo 8.33.

O que aqueles judeus não sabiam é que apesar de livres neste mundo, eles estavam presos a seus pecados. Eram escravos dos desejos da carne. Eram escravos do egoísmo, da mentira, da fofoca, do desamor a Deus e ao próximo. Eram escravos da falta de compromisso com a fé. E Jesus não está falando a qualquer um. Jesus fala para aqueles judeus que creram nele, mas ainda confiavam em suas obras para ter a libertação do pecado.

Aquelas pessoas eram escravas porque, mesmo sabendo que o pecado desagrada a Deus, não conseguiam se livrar delas. E, muitas vezes, não queriam se livrar. Tava bom do jeito que tava.

Situações como esta que Jesus aponta vêm se repetindo com o povo cristão no decorrer dos séculos.

Quantos hoje são escravos de sua luxúria?

Quantos são escravos da desonestidade?

Quantos são escravos das bebedeiras e brigas? Do desamor a Deus e ao próximo?

E você? É escravo de coisas parecidas com estas?

Quem for escravo de seus pecados não terá salvação. Mas se você é escravo do pecado e quer se livrar dele, existe solução: Jesus Cristo, nosso único Salvador. Aquele que, com sua morte na cruz liberta todos do pecado e da morte eterna.

Jesus diz: "Eu afirmo a vocês que isto é verdade: quem peca é escravo do pecado. O escravo não fica sempre com a família, mas o filho sempre faz parte da família. Se o Filho os libertar, vocês serão de fato livres."
| Jo 8.34-36.

Pode ser que pareça não fazer diferença entre o escravo e o verdadeiro filho de Deus. Afinal de contas, as portas da casa do Pai estão sempre abertas para todos que vêm. E nem sempre é possível saber se uma pessoa realmente crê ou não em Deus olhando-a de fora.

Os dois podem vir à igreja, mas aquele que escuta a Palavra do Pai celeste e não corrige sua vida, ainda continua sendo escravo. E o escravo será separado da família no devido momento. Quando apenas os filhos de Deus terão a vida eterna.

Aqueles que vêm à igreja, mas continuaram escravos do seu pecado, morrerão e ainda passarão pela segunda morte, que é o lago de fogo e enxofre, como nos diz Apocalipse. Lá no lago de fogo e enxofre, que representa os piores sofrimentos, os escravos do pecado ficarão para sempre. E terão todo o tempo da eternidade para se arrependerem. Infelizmente não servirá de mais nada.

É hora de pensar nas coisas que são lá do céu. Deixar de lado os pecados que nos cercam e pedir ajuda a Deus para resistir às tentações.

Viva sua fé de forma completa. Não apenas no fim de semana ou em uma ocasião ou outra. Não naquilo que você quer, mas naquilo que Deus quer. Seja cristão 100% do tempo.

Ser cristão é crer em Jesus Cristo. E uma vez que temos a fé que nos foi dada pelo Espírito Santo, temos Deus ao nosso lado para nos ajudar a resistir às tentações de Satanás.

Ser cristão é crer em Jesus.

Ser cristão é estar livre dos pecados.

Enquanto estamos no mundo continuamos pecadores, mas não somos mais escravos do pecado. Ele não nos domina.
Como diz Jesus: "Se você continuarem a obedecer aos meus ensinamentos, serão, de fato, meus discípulos e conhecerão a verdade, e a verdade os libertará."
| Jo 8.31.

Você é escravo do pecado?

Em Jesus há liberdade pra você.

Creia em Jesus Cristo e ouça o que ele tem a te ensinar na Bíblia. Confie nele até o fim e lembre-se que ele estará sempre junto de você para te proteger nos momentos de provação e tentação.

Venha à casa de Deus e leia a Bíblia para conhecer a verdade e ficar livre. Participe da Santa Ceia sempre que tiver oportunidade, pois a Ceia liberta do pecado também.

Seja filho de Deus e não escravo do pecado. Pois os filhos sempre farão parte da família.

Que Deus te abençoe e te guarde, em nome de Jesus Cristo.

Amém.



E a paz de Deus, que ninguém consegue entender, guardará o coração e a mente de vocês, pois vocês estão unidos com Cristo Jesus. Amém. (Fp 4.7)

Pastor Jarbas Hoffimann – Nova Iguaçu-RJ



Glórias Somente a Deus

João 8.31-36 - exegese


Mais uma exegese, para auxiliar no estudo bíblico, de João 8, versículos 31 a 36.
Você pode ler neste Jo 8.31-36.

No fim de semana publicarei o Sermão.

quinta-feira, 29 de outubro de 2009

Marcos 12.28-37 - exegese


Mais uma exegese, para auxiliar no estudo bíblico, de Marcos 12, versículos 28 a 37.
Você pode ler neste Mc 12.28-37.

No fim de semana publicarei o Sermão.

sábado, 24 de outubro de 2009

Insista na oração

Mc 10.23-31

Que a graça do Senhor Jesus Cristo, o amor de Deus e a presença do Espírito Santo estejam com todos vocês! (2Co 13.13).



Queridos irmãos em Cristo.

A Paz do Senhor esteja com todos vocês.

Quero, agora fazer a leitura do Evangelho e por isso peço que todos se coloquem de pé:

"46Jesus e os discípulos chegaram à cidade de Jericó. Quando ele estava saindo da cidade, com os discípulos e uma grande multidão, encontrou um cego chamado Bartimeu, filho de Timeu. O cego estava sentado na beira do caminho, pedindo esmola. 47Quando ouviu alguém dizer que era Jesus de Nazaré que estava passando, o cego começou a gritar:

– Jesus, Filho de Davi, tenha pena de mim!

48Muitas pessoas o repreenderam e mandaram que ele calasse a boca, mas ele gritava ainda mais:

– Filho de Davi, tenha pena de mim!

49Então Jesus parou e disse:

– Chamem o cego.

Eles chamaram e lhe disseram:

– Coragem! Levante-se porque ele está chamando você!

50Então Bartimeu jogou a sua capa para um lado, levantou-se depressa e foi até o lugar onde Jesus estava.

51– O que é que você quer que eu faça? – perguntou Jesus.

– Mestre, eu quero ver de novo! – respondeu ele.

52– Vá; você está curado porque teve fé! – afirmou Jesus.

No mesmo instante, Bartimeu começou a ver de novo e foi seguindo Jesus pelo caminho."



Estamos vendo mais uma vez o Senhor misericordioso. Ele está há uns 10 km do rio Jordão e ainda falta cerca de 30 km para chegar a Jerusalém. Na porta da cidade de Jericó há muitas pessoas com Jesus. O texto bíblico fala que estavam acompanhando o Salvador os seus discípulos e uma grande multidão.

Onde uma multidão passa, ela desperta curiosos. Certamente entre os mendigos que estavam à beira do caminho não foi diferente. Entre eles estava um cego, filho de Timeu. Que não podia ver mas ouviu o alvoroço. Logo alguém lhe diz que é Jesus Cristo quem passa e Bartimeu não tem dúvidas. Começa a gritar:

"– Jesus, Filho de Davi, tenha pena de mim!"

E neste momento a multidão não age como cristãos. Ela age como normalmente agem as massas: alvorossadamente. Agem por impulso e cada um pensa apenas em si. Mandam Bartimeu calar a boca, pois todos eles também queriam ver aquele profeta que estava entre eles.

Em vez de se calar, o que faz Bartimeu?

"mas ele gritava ainda mais: – Filho de Davi, tenha pena de mim!"

E Jesus o escuta. Pára e manda chamá-lo.

Agora a multidão, antes malvada, parece solícita e vai buscar Bartimeu: "Coragem! Levante-se porque ele está chamando você!"

O cego vai e Jesus lhe pergunta o que ele quer.

– Mestre, eu quero ver de novo! – respondeu ele.

E Jesus cura aquele homem.



Tantas vezes lemos este texto que muitas vezes não nos damos conta de algo muito importante...

Lemos este texto e vemos o mestre misericordioso, que pára tudo para atender a Bartimeu.

Vemos também o Filho do Homem manifestando seu maravilhoso poder e confirmando que, de fato, é o Messias prometido.

Valorizamos a fé que teve Bartimeu, que não foi superada nem pela multidão esbravecida, nem pela dificuldade de encontrar Jesus.



Mas o que quero destacar hoje é outra coisa: a oração.

Pois o que aconteceu com Bartimeu, poderia muito bem ser chamado de oração. Afinal, o que é uma oração?

É o momento em que nos dirigimos a Deus, para pedir e agradecer pelas bênçãos recebidas. É também o momento em que prometemos fidelidade ao Senhor.

Vejam só:

Bartimeu ouviu falar de Jesus e creu no Salvador.

Então, ao percebê-lo por perto, clama por misericórdia.

Então tem a resposta do Senhor: a cura que tanto queria.

E passa a seguir como discípulo do Salvador.



Em nossas orações, buscamos a Deus por nossos problemas e para agradecer as alegrias. Deus nos ouve e atende. As vezes diz sim, outras vezes diz espere e outras vezes diz não mesmo.

Querem um exemplo de não?

O apóstolo Paulo, escrevendo aos Coríntios diz: "Três vezes orei ao Senhor, pedindo que ele me tirasse esse sofrimento. Mas ele me respondeu: 'A minha graça é tudo o que você precisa.'" (2Co 12.8).



Temos um canal direto com Deus, por meio de Jesus Cristo. Podemos e precisamos falar com Deus. Especialmente se pensamos que nossa fé é pequenina. Isso é verdadeiramente exercitar a fé. É falar com o Senhor e lhe confiar toda a nossa vida.



O poder para todas as coisas não está em nós, não está nem mesmo em nossa fé. O poder está em Deus que nos vê pela fé em Jesus Cristo.



Para um exemplo prático existe uma historinha:

Uma senhor, no interior, morava em frente a um morro muito grande, para dar a volta nele não dava. Então o único jeito era passar sobre ele.

Para tristeza daquela senhora, o seu marido trabalhava do outro lado do morro e ela, todos os dias, levava o almoço para facilitar a vida dele. Se chovia, o morro era perigoso e difícil. Se desse sol, aquela subida era terrível.

Certo dia ela ouviu que se pedisse com fé, tudo que pedisse lhe aconteceria. Então, debruçada na sua janela, vendo o morro, disse: Senhor meu Deus, faz esse morro desaparecer pra minha vida ficar mais fácil. E foi dormir.

No dia seguinte abriu apressadamente a janela e mau terminou de abrir, exclamou: eu sabia que o morro ainda estaria aí!



Há duas coisas nesta história: primeiro a falta de fé que a mulher teve, uma vez que "já sabia" que não ia acontecer, certamente duvidou.

A segunda coisa é que nem sempre Deus resolve os nossos problemas do jeito que nós queremos. Às vezes ele não vai tirar o morro. Ele vai mudar a nossa casa pro outro lado ou trazer o nosso emprego para este lado.



O importante a guardar do texto onde aparece Bartimeu é a certeza de que Deus nos ouve e atende de maneira maravilhosa.

Qual é o seu problema? Você já pediu a Deus? Se pediu, não desista porque ainda não foi atendido. A multidão não queria deixar Bartimeu ser atendido e ele insistiu ainda mais.

O Senhor espera nossas orações e ele quer atender a todas elas.

Toda oração fiel, para o bem do próximo, para o meu próprio bem e para o bem do Reino será atendida, pois o Senhor quer fazer o bem aos seus filhos.

Assim fez Jesus com Bartimeu.

Assim o Senhor faz a cada um de nós. Amém.



E a paz de Deus, que ninguém consegue entender, guardará o coração e a mente de vocês, pois vocês estão unidos com Cristo Jesus. Amém. (Fp 4.7)

Pastor Jarbas Hoffimann – Nova Iguaçu-RJ

Glórias Somente a Deus

quarta-feira, 21 de outubro de 2009

Marcos 10.46-52 - exegese


Mais uma exegese, para auxiliar no estudo bíblico, de Marcos 10, versículos 46 a 52.
Você pode ler neste Mc 10.46-52.

No fim de semana publicarei o Sermão.

sábado, 17 de outubro de 2009

Deus nos dá sustento e salvação

Mc 10.23-31

20º Domingo após Pentecostes

Que a graça do Senhor Jesus Cristo, o amor de Deus e a presença do Espírito Santo estejam com todos vocês! (2Co 13.13).


Queridos irmãos em Cristo.

A Paz do Senhor esteja com todos vocês.

Vocês conhecem o jovem rico. Ele é aquele rapaz que preferiu as riquezas a seguir o Salvador Jesus.

É muito fácil atirar pedras no jovem rico, mas quem seria capaz de fazer o que Jesus pediu? Eu faria! — Responde alguém entusiasmado. E daí alguém outro diz: eu também...

Então chega a hora da prática:

• Deixar família (não pra arrumar outra), mas para seguir o Mestre.

• Desfazer-se de todos os bens e dar o dinheiro aos pobres.

• Esquecer emprego e sustento.

• Esquecer roupas e luxo e sair andando pelos desertos atrás de Jesus, junto com outros discípulos.

Poucos fariam isso. Aliás, poucos fizeram. Temos 12 apóstolos que deixaram tudo: suas famílias, suas redes e tudo mais, para seguir Jesus. Há também outros que deixaram tudo para trás. E estes logo entenderam que o ponto crucial não está em ficar pobre, ou deixar o emprego. E nem mesmo o fato de dar tudo aos necessitados.

O deixar tudo para trás é colocar Jesus em primeiro lugar.

Alguns apóstolos, Pedro, por exemplo, tendo deixado tudo para trás, vez por outra voltava à sua casa, para estar com sua família. Numa dessas voltas, Jesus estava com ele e curou sua sogra. Como registrado em Mateus 8.14-15: "Jesus foi à casa de Pedro e viu a sogra dele de cama, com febre. Jesus tocou na mão dela, e a febre saiu dela. Então ela se levantou e começou a cuidar dele."

E Pedro já tinha deixado tudo para seguir Jesus, como ele mesmo afirma: "Veja! Nós deixamos tudo e seguimos o senhor." Será que Pedro deixou ou não deixou tudo para trás?

Novamente aqui é preciso estar seguro do que Jesus quer ressaltar no texto do evangelho de hoje. E o que ele quer apontar é a importância do Reino. Que é mais importante do que tudo.

Deixar algo para trás não é desprezar aquilo que se deixa. Mas é saber que por mais importante que algo possa ser, Jesus é o principal.

Por mais importante que seja a nossa vida, é melhor morrer testemunhando do que negar o Senhor e queimar no inferno. Por mais importante que seja o dinheiro, é melhor passar fome, do que usar o dinheiro para afastar-se de Deus. É por isso que um camelo passa fácil pelo buraco de uma agulha enquanto o rico ficará preso.

Porque muitos (se não quase todos) que têm dinheiro, se deixam controlar pelo dinheiro. Vivem para e pelo dinheiro, para ganhar e para gastar. Não têm tempo para nada. E o pior, não têm tempo para Deus.

Têm tempo para suas viagens. Têm tempo para negócios e estudos, mas nunca têm tempo para a oração.

Um exemplo rápido. O tempo para as orações em nossas vidas. Se você orar por 10 minutos, todos os dias, terá orado 70 minutos por semana. Totalizando 60 horas por ano. Quanto tempo você gasta com a TV? E lendo jornais? E ouvindo rádio? Em filas de banco e tantas outras filas? Passeando? 60 horas são apenas 2 dias e meio. E muitas vezes achamos muito difícil, em 365 dias, tirar 3 dias de tempo pra falar com Deus.

E quantos rejeitam o culto, quando vir ao culto é a maior oportunidade da semana. Deveríamos esperar pelo culto, como uma criança espera pelos presentes de Natal.

O culto é nosso momento máximo de comunhão, adoração, ensino, compromisso e muito mais.

Este é só um exemplo de que às vezes deixamos para trás aquilo que deveria estar em primeiro plano. Assim, se sobrar tempo, vamos ao culto, vamos orar, vamos ofertar...

Aqui outro ponto:

O apego aos bens materiais atrapalha a obra de Deus. Muitos não ofertam porque não confiam no Senhor. Ou porque acham que os outros têm mais dinheiro e deveriam ofertar mais.

Quem é infiel na oferta, está sendo um bom e útil instrumento de Satanás, para atrapalhar a obra do Senhor. Porque sem oferta, não se abre igrejas. Sem oferta, não se compra material evangelístico. Sem oferta, muitas igrejas ficam sem pastor. Sem oferta, muitas pessoas passam fome, porque não temos como comprar mantimentos para levar a elas. E muito mais deixa de ser feito.

Ainda ontem, no Congresso de Leigos (segundo Congresso do Distrito Rio de Janeiro), tivemos como tema: "leigos não será em vão a obra santa que fazeis".

Nenhuma obra que fazemos no serviço do Senhor é em vão. Deus multiplica o trabalho de nossas mãos às centenas e aos milhares. Assim, a minha oferta, por menor que eu ache, fará toda a diferença na obra do Senhor.

E lembra a palavra de Deus que o apegar-se ao dinheiro é a raiz de todos os males. Notem bem, não é o dinheiro que é ruim. Mas é o não conseguir deixar para trás. Isso sim é ruim. E isso não é só pra quem tem muito dinheiro, é também para quem vive em função de ganhar a qualquer custo. E às custas de quem quer que seja.

É claro que Deus quer sustentar dignamente aos seus filhos e se um passarinho não cai sem Deus permitir, também é impossível que algum filho de Deus passe fome. Parafraseando Lutero: "antes que um filho de Deus passe fome, os próprios anjos desceriam dos céus com comida".

E se alguém ainda tem alguma dúvida sobre o que é importante e o que deve ser deixado para trás, o versículo escolhido para hoje é: "Para os seres humanos isso não é possível; mas, para Deus, é. Pois, para Deus, tudo é possível."

O que é impossível para os seres humanos?

É impossível conseguir a Salvação.

Não adianta deixar nada para trás, pois a salvação não é por obras. A Salvação é por graça de Deus que nos dá seu Espírito Santo e nos faz crer em Jesus Cristo. A estes o Senhor capacita a deixar tudo para trás. A estes o Senhor fortalecerá dia após dia. Por meio da sua Santa Palavra e dos Santos Sacramentos. E uma pergunta que não poderia faltar hoje: para que servem as bênçãos materiais?

Elas servem basicamente para duas coisas:

Para sustentar a obra de Deus (oferta).

Para sustentar ao próximo necessitado (diaconia).


É claro que Deus quer que sejamos responsáveis com os bens que ele nos dá. Que não esbanjemos, que usemos para nosso bem também, mas se nossos bens não estão servindo para a obra do Senhor e o socorro ao próximo, eles não estão no serviço do Senhor. E estamos fazendo como o jovem rico, que preferiu seus bens a seguir ao Senhor.

Mas se deixamos tudo para trás, para estar com Jesus, nunca nada nos faltará, pois ele é o nosso Bom Pastor. É ele que garante que nós não podemos conseguir a salvação sozinhos. Que nós não conseguimos deixar as coisas para trás para segui-lo, apesar disso, ele nos chamou, nos deu a fé e diariamente fortalece a fé, à medida que nos aproxima de sua Palavra.

Deixar o mundo para trás e estar de frente para Deus. E de frente para Deus seremos recebidos naquele glorioso e eterno dia, quando o Senhor dirá: entrem na vida eterna, pois tudo que é ruim já ficou para trás. As coisas velhas já passaram, agora tudo é novo. Amém.


E a paz de Deus, que ninguém consegue entender, guardará o coração e a mente de vocês, pois vocês estão unidos com Cristo Jesus. Amém. (Fp 4.7)

Pastor Jarbas Hoffimann – Nova Iguaçu-RJ

Glórias Somente a Deus

sábado, 10 de outubro de 2009

Como conseguir a vida eterna?

Mc 10.17-22

19º Domingo após Pentecostes


Que a graça do Senhor Jesus Cristo, o amor de Deus e a presença do Espírito Santo estejam com todos vocês! (2Co 13.13).


Queridos irmãos em Cristo.

A Paz do Senhor esteja com todos vocês.

Um jovem judeu se aproxima de Jesus, se joga de joelhos no chão e pergunta: "Bom Mestre, o que devo fazer para conseguir a vida eterna?" (17)

O jovem não era qualquer pessoa. Já tinha certa experiência de vida. Além disso, tinha dinheiro e, por causa do dinheiro, tinha influência entre as pessoas ao seu redor. Como acontece até hoje.

O jovem tinha conhecimento da Sagrada Escritura e estava preocupado com a vida eterna. Por causa de sua preocupação ele vai até Jesus e pergunta: "Bom Mestre, o que devo fazer para conseguir a vida eterna?"

Ainda hoje esta pergunta deixa muitas pessoas inquietas. É verdade que parece que cada vez menos as pessoas se preocupam com a vida após a morte. Parece que, mesmo aqueles lugares que se chamam de igrejas não falam mais da morte e vida eterna. Preferem falar da vida aqui, que dá mais lucro.

Mas esquecendo disto, pois estes locais não são igrejas, esta é a pergunta que deixa muitas pessoas inquietas:

O que fazer para conseguir a vida eterna?

Como fazer?

Como ter certeza?

Será que há algo que se possa fazer para conseguir a vida eterna?

A pergunta pode até ser certa, mas parte de uma premissa errada: o ser humano não pode fazer nada para conseguir, por suas forças, a vida eterna. A vida eterna é presente de Deus, pela fé em Jesus Cristo. É Deus quem dá a vida eterna a todos que têm a Salvação. Por isso a pergunta está errada.

Mas em nosso texto vemos Jesus dizendo:

"Você conhece os mandamentos: 'Não mate, não cometa adultério, não roube, não dê falso testemunho contra ninguém, não tire nada dos outros, respeite o seu pai e a sua mãe.'" (19).

Jesus mesmo afirma ao jovem: você conhece os mandamentos. Jesus não pergunta, mas afirma que aquele homem conhecia os mandamentos. E conhecia mesmo. Porém os mandamentos não deixaram que ele tivesse paz. Mesmo conhecendo e tentando cumprir todos eles, aquele homem ainda estava inquieto. Lhe faltava alguma coisa. Lhe faltava a paz que só o Senhor Jesus pode dar. E cumprir os mandamentos não trará a verdadeira paz.

Algo semelhante aconteceu com Lutero, que mesmo vivendo num mosteiro e se dedicando cada vez mais à Palavra de Deus, não conseguia ter paz e via Deus como um carrasco e não como Pai. Porque Lutero via Jesus, como aquele rapaz via, como um legislador e não como o Senhor que nos ama.

Jesus mostra àquele jovem que seu pensamento sobre a salvação estava errado. Não era por cumprir a Lei que ele teria o céu. E é por aí que Jesus começa. Ele aponta para os mandamentos, mas cita apenas aqueles que se referem ao próximo. Nenhum dos mandamentos que falam de Deus é citado.

Por que Jesus faz assim?

Porque é mais fácil reconhecer o pecado e a hipocrisia quanto a estes mandamentos. Não é necessário muito conhecimento e vivência espiritual para alguém saber que roubou, por exemplo.

E Jesus sabia que o jovem estava satisfeito com seu cumprimento da Lei. Ele achava que isso lhe faria merecedor da vida eterna. Porém o cumprimento da Lei não lhe trouxe tranquilidade. A ponto de ele se lançar aos pés de Jesus para saber como ter a vida eterna.

Jesus fala dos mandamentos porque sabia o que passava no coração daquele jovem. O rapaz achava que, por cumprir certas regras e observar certas cerimônias, Deus lhe daria o céu, mas ainda tinha dúvidas e por isso vai a Jesus.

E quantos ainda têm dúvidas hoje? E quantos têm certeza da coisa errada?

As pessoas cumprem regras como jejuns, vigílias, orações na madrugada, seminários, retiros, procissões, votos e tantas outras leis inventadas por pessoas. E o pior: as pessoas querem cada vez mais as recompensas terrenas e cada vez menos se lembram que precisam da salvação de Jesus para ter a vida eterna.

Aquele jovem buscava a vida eterna. Mas também estava preocupado com a vida terrena. Prova disso é que quando Jesus lhe pede uma prova e diz: "Falta mais uma coisa para você fazer: vá, venda tudo o que tem e dê o dinheiro aos pobres e assim você terá riquezas no céu. Depois venha e me siga." o rapaz, dono de muitas coisas, retirou-se triste. E hoje muitos que estão dentro de locais luxuosos agiram da mesma forma.

Imaginem se Jesus dissesse: vende tudo o que você tem e doe aos pobres, depois vem e me segue. Quantos ainda cantariam nas TVs e rádios: "Estou seguindo a Jesus Cristo..."?

O texto do evangelista Marcos mostra um reflexo de nossos tempos. As pessoas querem Deus para servir como um prêmio da Mega Sena. Ou um parente milionário que deixou uma herança. Capaz de dar todas as riquezas neste mundo. Mas a maioria nem lembra que tudo que é riqueza ficará para trás. Tudo será consumido pelo fogo do último dia. Menos a fé em Jesus.

Naquele dia importará ter a fé verdadeira ou não. Naquele dia importará se você crê em Jesus Cristo ou não. Naquele dia importará se você viveu na fé ou não, como lembra Apocalipse (14.13): "felizes as pessoas que desde agora morrem no serviço do Senhor! ... Elas descansarão do seu duro trabalho porque levarão consigo o resultado dos seus serviços."

Se você crê no Senhor, então acredita que a Salvação é por graça e de graça. Pela graça de Deus, pela fé em Jesus Cristo. Não é possível comprar a salvação nem por todo o dinheiro do mundo. Não é possível comprar a salvação por meio de esforços. Aliás, a salvação é aquilo de mais importante que alguém poderia ter. Mas muitos preferem o carro do ano.

Carros existem muitos e muitos meios de tê-los, mas o único meio de ganhar a Salvação é tê-la, de presente, de Deus. E Deus dá a salvação a todos que creem em Jesus Cristo.

Então, cada vez que você sentir vontade de fazer a pergunta: "Bom Mestre, o que devo fazer para conseguir a vida eterna?"
(17) lembre que não pode fazer nada para ter a salvação. E nem precisa. Pois Cristo fez todo o necessário. Cada vez que alguém te fizer uma pergunta assim, responda: Jesus Cristo te salva, creia no Senhor Jesus e você será salvo.

Jesus, depois de cumprir sua tarefa, nos deixou ainda no mundo, como portadores desta linda mensagem. Estamos aqui para proclamar as maravilhas de Deus, que nos salva. Para que as outras pessoas também tenham a mesma fé que hoje nos salva.

E aquele que é do Senhor também tem diante de si os mandamentos que foram lembrados ao jovem rico. Os mandamentos nos servem de orientação e até como testemunho aos de fora.

O cumprir os mandamentos não nos salva, mas ninguém será salvo sem cumprir os mandamentos.

Cumprimos os mandamentos para mostrar que nos preocupamos com a vontade de Deus. Que queremos fazer deste mundo um mundo melhor, porque esta é a vontade de Deus.

Então, naquele último dia, o Senhor olhará para nós com o mesmo carinho que olhou pro rapaz rico e dirá:

Vem comigo meu filho, porque você tem a salvação. Você creu em Jesus Cristo e ele cumpriu a lei em seu lugar. Por causa de Jesus, meu Filho, eu também sou seu Pai. Entre na vida eterna, pois, de graça e por graça ela está preparada para você, desde a fundação do mundo.

O jovem preferiu as riquezas e perdeu a vida. Mas aqueles que creem em Jesus têm a vida eterna. Amém.


E a paz de Deus, que ninguém consegue entender, guardará o coração e a mente de vocês, pois vocês estão unidos com Cristo Jesus. Amém. (Fp 4.7)

Pastor Jarbas Hoffimann – Nova Iguaçu-RJ

Glórias Somente a Deus

quarta-feira, 7 de outubro de 2009

Marcos 10.17-31 - exegese


Mais uma exegese, para auxiliar no estudo bíblico, de Marcos 10, versículos 17 a 31.
Você pode ler neste Mc 10.17-31.

No fim de semana publicarei o Sermão.

sexta-feira, 2 de outubro de 2009

Marcos 10.1-16 - Exegese


Mais uma exegese, para auxiliar no estudo bíblico, de Marcos 10, versículos 1 a 16.
Você pode ler neste Mc 10.1-16.

No fim de semana publicarei o Sermão.