sexta-feira, 30 de novembro de 2018

Quarto mandamento e outros

      Algumas igrejas dizem que é o 5º mandamento, mas a divisão clássica, mais antiga e mais usada no mundo cristão é chamar de 4º Mandamento. Enfim, o importante é o que está no mandamento. Que leio na Bíblia na Linguagem de Hoje:
“Respeite o seu pai e a sua mãe, para que você viva muito tempo na terra que estou lhe dando.” (Êx 20.12)
      Este mandamento é repetido muitas e muitas vezes na Bíblia. Mas um dos que eu mais gosto está em Efésios 6.2:
“Como dizem as Escrituras: “Respeite o seu pai e a sua mãe.” E esse é o primeiro mandamento que tem uma promessa”.
      O apóstolo Paulo lembra que para Deus, respeitar e obedecer pai e mãe é tão importante, que ele não deu simplesmente a lei, mas ainda fez uma promessa para todos que cumprirem o mandamento.
      E como isso funciona na prática.
      Outro dia um pastor contou a seguinte história: ele mora em um local de bastante montanhas e curvas nas estradas.
      Um dos moradores da cidade transportava verduras para outra cidade.
      Acontece que o caminhão estava com problemas nos freios. O pai do rapaz disse:
      — Não vá meu filho, é perigoso! Vamos perder a venda da semana, mas vamos consertar o carro.
      — Pode deixar pai, eu vou devagar. Sei o que estou fazendo.
      O rapaz foi. Sofreu um acidente. Ficou preso nas ferragens. O carro incendiou e ele acabou morrendo.

      Na prática, podemos afirmar que ele morreu porque não obedeceu o seu pai.
Se tivesse obedecido, não teria ido e estaria vivo sobre a terra que o Senhor deu para ele viver...

      Vocês, crianças, não vêm para a escola aprender a respeitar os pais... Isso vocês devem aprender em casa, com o apoio de suas igrejas. Os professores devem falar disso também, mas não é função deles.
      Vocês também não vêm para a escola aprender coisas que seus pais não querem que aprendam.
      Vocês vêm para cá para aprender matemática, português, geografia, ...
      Vocês vêm para crescer e se desenvolver e os que estão se formando hoje, com o apoio de dedicados professores e demais profissionais da escola, estão saindo muito mais preparados para a vida do que entraram. Estão mais corajosos. Mais independentes. Ganharam conhecimento. Ganharam amizades.
      Levarão no coração alguns dos professores que estão aqui. Eu seu porque até hoje trago a lembrança da Tia Terezinha (1ª série no Renato Araújo Maia), Tia Zezé (na mesma Escola), Tio Ocarlino (matemática, no Polivalente)...
      Interessante é que o Tio Ocarlino era negro... Isso nunca foi nem bom nem ruim. Era nosso Tio Ocarlino. Meu Tio Ocarlino... Eu, um alemãozinho... e também Tio do meu melhor amiguinho, um negro que hoje é padrinho da minha filha menor.
      Bons tempos em que não éramos divididos por cores. Só depende de nós que seja assim novamente.
      E sim, eu chamava de Tia e Tio. E gosto muito disso. Tem uma ramo da educação que não gosta. Tem até um livro: “professora sim, tia não” (aliás, as ideias desse autor estão por trás do empobrecimento da educação nos últimos 20 anos).
      Bobagem.
      Quem não acaba se afeiçoando por aqueles olhinhos curiosos? Quem não quer ver seu sucesso? E mais: os tios, aprendemos a respeitar como respeitamos aos pais... Ensinar (e não educar) é mais do que uma operação de trabalho, onde um tem o conhecimento e o outro precisa aprender. É uma relação de companheirismo que muitas vezes dura anos...
      Então, queridos Tios e Tias de nossos filhos. Muito obrigado por seu esforço. Vocês sempre terão nosso respeito, admiração e apoio quando precisarem. Mais do que isso, contem sempre com nossa oração por suas vidas.

      E nós pais, nesse empreendimento?
      Muitos pais terceirizaram a educação de seus filhos. Esperam que a escola, além de ensinar, dê a educação. Se a gente, em casa, com 1, 2 ou três já tem dificuldade de educar, imagina se tivéssemos 30... Por turno.
      Os professores fazem a parte deles: matemática, português, informática (lembram?!)... Desafiar a inteligência e as capacidades... Criar ocasião para surgirem amizades e para que aprendam a cooperar.
      Mas o fardo (o bom fardo) da educação é nosso. A nós cabe guiar no caminho que almejamos.
      Exemplo: se discute se deveria ter aula de religião nas escolas.
      Eu particularmente, não sei se a escola é o lugar para se "ensinar" religião. Aliás, pode ser que se decida ensinar uma religião que não é a sua, e daí?
      Religião se aprende em casa e na sua igreja.
      Se for a escola de uma igreja, tudo bem, ali faz sentido. Uma "escola confessional", como há tantas. Mas se quisermos que se ensine religião em nossas escolas, todas deverão ser ensinadas... É um princípio da democracia.
      Eu prefiro, como pai, ensinar eu mesmo os valores que trago desde meus antepassados. Valores que, no meu caso, são cristãos. Eu ensino sobre a minha fé. Aliás, minha esposa e eu.
      Eu ensino levando a cada domingo na igreja. Eu ensino falando de Jesus.
E ainda, uma última lembrança, muito importante, que trago em forma de um texto que circula a anos na internet:

Só uma vez seu filho terá 3 anos e estará doido para sentar-se no seu colo.
Só uma vez ele terá 5 anos e desejará brincando com você.
Só uma vez ele terá 10 anos e desejara estar com você em seu trabalho.
Só uma vez ele será adolescente e vera em você um amigo com quem conversar.
Só uma vez ele estará na universidade e vai querer trocar ideias com você.
Se você perder essas oportunidades, você perdera o seu filho e ele não terá tipo um PAI!!!
      Deus abençoe a todos:
         - Professores e demais profissionais da educação;
         - Pais e demais responsáveis pelas crianças;
         - Crianças. Presente e futuro de nosso país.

Rev. Jarbas Hoffimann

Congregação Castelo Forte
Nova Venécia, ES
Igreja Evangélica Luterana do Brasil

Veja algumas fotos do evento. Muitas outras em sara.h.fotos






















20 perguntas para CRISTÃOS sobre casamento homossexual

A imagem pode conter: texto 

     Se você não é cristão, este questionário não te diz respeito, você tem suas crenças, ou a falta delas... Fala-se aqui em cristão, ou sobre aqueles que pensam que são cristãos. Então o que vale são as respostas de cristãos que consideram a Bíblia como a palavra de Deus.

20 perguntas sinceras para cristãos que apoiam o “casamento” homossexual.


1. Quais argumentos Bíblicos te levaram a crer que o casamento gay é aprovado por Deus?

2. Quais versículos você usaria para mostrar que o casamento entre pessoas do mesmo sexo pode representar adequadamente a união de Cristo e a igreja?

3. Se Jesus é a favor da união homossexual, por que ele reafirmou a definição de Gênesis de que o casamento é entre um homem e uma mulher?

4. Quando Jesus falou contra a porneia, quais pecados você acha que ele estava proibindo?
(Algumas traduções da Bíblia usam a palavra "fornicação" onde outras usam a expressão "relações sexuais ilícitas" ou "imoralidade sexual". A palavra original grega é "porneia", que é definida como "relações sexuais ilícitas" [Dicionário da Bíblia Almeida], que inclui, mas não é limitado ao adultério. A palavra "ilícito" [que significa ilegal ou impróprio] pode confundir algumas pessoas, uma vez que vivemos num tempo quando pouca coisa é considerada ilícita. Somente porque nossas autoridades civis legalizaram algumas atividades que Deus não autorizou não as torna corretas diante de Deus.)
5. Se algum comportamento homossexual é aceitável, como você entende a “mudança” pecaminosa que Paulo destaca em Romanos 1?

6. Você acredita que passagens como 1Coríntios 6.9 e Apocalipse 21.8 ensinam que a imoralidade sexual pode te afastar do céu?
Vocês sabem que os maus não terão parte no Reino de Deus. Não se enganem, pois os imorais, os que adoram ídolos, os adúlteros, os homossexuais, (1Coríntios 6.9)
Mas os covardes, os traidores, os que cometem pecados nojentos, os assassinos, os imorais, os que praticam a feitiçaria, os que adoram ídolos e todos os mentirosos, o lugar dessas pessoas é o lago onde queima o fogo e o enxofre, que é a segunda morte. (Apocalipse 21.8)

7. A quais pecados sexuais você pensa que essas passagens se referem?

8. Quando você pensa na longa história da igreja e sua reprovação quase universal da atividade homossexual, qual parte da Bíblia você entendeu, que Agostinho, Calvino e Lutero não entenderam?

9. Quais argumentos você usaria para explicar para outros cristãos que o entendimento deles sobre a homossexualidade é biblicamente incorreto e o seu novo entendimento não é condicionado pela cultura?

10. Você acredita que crianças se sairão melhor com um pai e uma mãe?

11. Se não acredita, qual pesquisa você apresentaria para apoiar essa conclusão?

12. Se sim, você acha que a igreja ou o estado tem algum papel em promover as condições para que as crianças tenham uma mãe e um pai?

13. Você acredita que o propósito do casamento aponta para algo maior do que apenas a realização emocional e sexual de um adulto?

14. Como você define casamento?

15. Na sua opinião, igualdade significa que qualquer tipo de relacionamento seja definido como casamento?

16. Cristãos que discordam da prática homossexual podem exercitar suas crenças religiosas sem medo ou punição, retribuição ou coerção?

17. Você vai se posicionar contra o bullying e a opressão de todos os tipos, quer seja contra gays e lésbicas ou contra evangélicos e católicos?

18. Como você define o que é pecado sexual quando se trata de um LGBT?

19. Se “o amor vence”, como você define o amor?

20. Você acredita que é possível amar alguém e discordar de decisões importantes que ela tome?


Adaptado de voltemos ao Evangelho
Fonte: @QueissoPastor

quinta-feira, 29 de novembro de 2018

A economia do Natal

Resultado de imagem para natal ganancia

      O comércio e o turismo já estão fazendo a sua parte para a chegada do Natal com alvos bem definidos, a economia. A igreja tem no Advento a mesma finalidade econômica. Mas, claro, com objetivos distintos na origem da palavra grega “oikonomos”. Na tradução, oikos é casa e nomos é lei, ou seja, “cuidar da casa”. Por isto, quando a Bíblia fala em economia, no final das contas, ela chega no resultado desta festa cristã que celebra o nascimento de Jesus. Por exemplo:
Sejam bons administradores (oikonomoi) dos diferentes dons que receberam de Deus. Que cada um use o seu próprio dom para o bem dos outros. (1Pedro 4.10).
      Lucro, receita, rendimento no sentido bíblico sempre entra na conta dos outros — “para o bem dos outros”. E aí surge o real sentido do Natal, a lembrança do nascimento de um rei que
abriu mão de tudo o que era seu e tomou a natureza de servo, tornando-se assim igual aos seres humanos. (Filipenses 2.7). 
      Nada de errado o comércio, os lucros, as festas no Natal. Sem esta economia aquecida, já naquele tempo Jesus ficaria sem os presentes dos reis magos. Precisamos comer, viver, ter alegria. Mas, foi Jesus quem disse ao Diabo que
o ser humano não vive só de pão, mas de tudo o que Deus diz (Mateus 5.5).
      Este é o problema no Natal e em tudo nesta vida, nós esquecemos do que Deus diz. O resultado disto é a administração das coisas nesta vida para o mal dos outros. Uma gerência que só pensa em si mesmo, uma economia que tira dos outros, que destrói, rouba, mata.
      Natal, por isto, é fazer as contas com mais atenção. É perceber que o resultado sempre será negativo quando fechamos os ouvidos para a voz do deserto:
Arrependam-se dos seus pecados porque o Reino do Céu está perto. (Mateus 2.2).
      Por isso a propaganda do Advento que prepara e convida para o bom consumo do Natal que gera lucros e a aquece a economia no coração das pessoas.

Pastor Marcos Schmidt
Igreja Evangélica Luterana do Brasil
Novo Hamburgo, RS

Não se distraia!



      Nossa geração sofre com a distração. Precisamos confessar que diversas vezes em que precisamos estar focados para um importante trabalho, a tentação é grande em dar aquela olhadinha na notificação da rede social ou no último e-mail que chegou. O smartphone alerta as notificações e lá vamos nós responder aos recados, dar mais uma olhadinha na rede social e, quando nos damos conta, já estamos distraídos olhando aquele vídeo engraçadinho que "viralizou" no grupo de amigos. E o importante trabalho está lá, clamando por nosso foco e atenção.
      A distração com a parafernália digital que está em nosso bolso oferece riscos às nossas vidas. No trabalho a produção e a qualidade podem perder força. Nos relacionamentos esta distração pode nos tirar do foco do convívio com a família, os filhos, os amigos. E no trânsito, basta lembrar das campanhas alertando a respeito do perigo do uso do celular ao dirigir e até mesmo quando se está atravessando uma rua a pé.
      Há um outro tipo de distração muito perigosa e pode nos custar a vida, para sempre. Veja o que a Palavra de Deus registra em Lucas 21.34-36:
E Jesus terminou dizendo: —Fiquem alertas! Não deixem que as festas, ou as bebedeiras, ou os problemas desta vida façam vocês ficarem tão ocupados, que aquele dia pegue vocês de surpresa, como se fosse uma armadilha. Pois ele cairá sobre todos no mundo inteiro. Portanto, fiquem vigiando e orem sempre, a fim de poderem escapar de tudo o que vai acontecer e poderem estar de pé na presença do Filho do Homem quando ele vier.
      Não se distraia, não perca o foco, não perca Cristo do seu olhar. Não se deixe distrair pela sociedade onde tudo é relativo e nada é errado e que, nome de qualquer amor, tudo se pode. Não se deixe distrair pelas ideologias que arruínam a fé cristã. Jesus voltará. O Senhor da salvação está cada vez mais próximo. Mantenha-se focado na graça de Deus, no perdão dos pecados, na sede de ouvir a Palavra e alimentar-se na Santa Ceia. Viva a sua vida cristã sem perder o foco.
      Então #ficaadica: eis que o tempo de Advento está batendo à nossa porta, carregando consigo a importante mensagem da preparação. Preparem-se, o Natal está chegando. Preparem-se, Jesus voltará. Não se distraia. Mantenha o olhar fixo no Salvador Jesus. Afinal, o olhar gracioso de Deus está sobre nossas vidas. Ele não se distrai.
Pastor Bruno A. K. Serves
Congregação Cristo
Igreja Evangélica Luterana do Brasil
Candelária-RS

segunda-feira, 26 de novembro de 2018

quinta-feira, 22 de novembro de 2018

Black Friday, Ação de Graças e Advento

      Mais um mês está caminhando para o seu final. E, quando desaceleramos nossas rotinas, percebemos que é mais um ano que está indo para o seu fim. O final do mês de novembro tem a peculiaridade de misturar diferentes sensações. Ao mesmo tempo em que somos bombardeados pelas promoções e apelos consumistas em ritmo de Black Friday, também somos convidados a ter um momento de paz e reflexão com o Dia de Ação de Graças. Enquanto continuamos nas correrias contra o relógio, o calendário e as tarefas, vamos percebendo que as ruas, vitrines e casas começam a receber enfeites de Advento e Natal. De novo! Mais uma vez!
      Permitam-me misturar ainda mais estas datas e sensações. Podemos fazer uma bela mistura de Black Friday, Dia de Ação de Graças e tempo de Advento. A Black Friday, ou “sexta-feira escura”, carrega consigo a ideia de grandes descontos e bons negócios. Porém é possível voltar para uma determinada sexta-feira escura, aliás, a mais escura e sombria de toda a história: a Sexta-Feira Santa. Foi naquela Black Friday que o sangue de Deus escorreu na cruz, sangue inocente derramado para o perdão dos pecadores. Em vez de descontos, aquela sexta-feira escura e sombria garantiu a quitação de toda a dívida, como diz a Palavra do Senhor:
“Ele acabou com essa conta, pregando-a na cruz” (Colossenses 2.14).
      Está consumado, está pago – gritou o salvador em sua cruz.

      A Palavra de Deus também dá a certeza de que “Deus ressuscitou Jesus, e todos nós somos testemunhas disto” (Atos 2.32). Jesus vive! Nosso Deus é Deus vivo, ressuscitado, presente, cuidador. O Dia de Ação de Graças nos faz louvar pela Black Friday da salvação, pela morte e ressurreição de Jesus. Demos graças ao Senhor pela sua mão presente em nossos dias, inclusive nos dias mais sombrios e escuros. Louvemos porque ele resgatou nossas histórias, nossos dias, nossa eternidade.
      E, por fim, marcados pela Black Friday da cruz e pelo Dia de Ação de Graças, podemos preparar um belo tempo de Advento para nossas famílias. Sim, mesmo que no coração ainda pesem preocupações, enfermidades, lutos e sofrimentos diversos. Afinal, os enfeites de Advento são uma doce lembrança para os olhos e o coração de que Deus veio a nós, em Jesus, para nos redimir e garantir a vida que nunca termina.
      Então fica a dica: Black Friday, Dia de Ação de Graças e o tempo de Advento. Eis aí uma bela mistura que pode nos apontar para a misericórdia de Deus. Desfrute de tudo o que Jesus conquistou por você.

Pastor Bruno A. Krüger Serves
Congregação Cristo, Candelária-RS
Igreja Evangélica Luterana do Brasil

terça-feira, 20 de novembro de 2018

Ação de graças e a ansiedade

      Ação de Graças só tem validade na sua origem cristã quando o “muito obrigado” a Deus respinga no próximo. São as boas ações do dia a dia. É aquilo que Jesus contou na parábola:
“Quando vocês fizeram isso ao mais humilde dos meus irmãos, foi a mim que fizeram” (Mateus 25.40).
      É contraditório dizer: “Eu te agradeço, Senhor, pela comida, casa, saúde, fé, perdão, salvação...”, se este louvor aos céus não baixar à terra – em atitudes concretas de amor aos desprovidos.
      Ação de graças não é dar esmolas, fazer assistencialismo, muito menos praticar obras de caridade para merecer as dádivas divinas. Aliás, sempre é bom lembrar que as bênçãos na terra e no céu são presentes de Deus devido ao sacrifício de Cristo, e que as boas ações dos agraciados são consequências da fé neste imensurável amor. Quando um seguidor de Cristo estende a mão ao semelhante, faz isto impulsionado por aquilo que já recebeu de graça. “Charis” é o termo grego de “graça”, também traduzido por carisma, dom, presente. Ou, como diz a Bíblia:
“Pela graça de Deus vocês são salvos por meio da fé. Isso não vem de vocês, mas é um presente dado por Deus (...) Foi Deus quem nos fez o que somos agora (...) para que fizéssemos as boas obras” (Efésios 2.8-10).
      É só ler o restante da epístola sagrada para descobrir que as boas obras são tudo aquilo que o mundo tanto precisa, sobretudo ao recomendar: “Sejam bons e atenciosos uns para com os outros” (4.32).
      Por fim, ação de graças é bálsamo às próprias feridas quando o bom samaritano reflete no coração e nos gestos. É a melhor terapia para angústias, amarguras, aflições. Ouso dizer que a doença do século, a ansiedade, tem grande culpado no crescente egoísmo da modernidade. Se olharmos mais para cima por aquilo que temos e olharmos mais para o lado por aquilo que os outros não tem, a vida terá sentido e as aflições se dissiparão.

Marcos Schmidt
pastor luterano
Novo Hamburgo, RS

Leigos consagrando a Santa Ceia



Parte do curso ministrado em setembro de 2018.
Todo o curso está aparecendo no canal www.youtube.com/pastorjarbas

segunda-feira, 19 de novembro de 2018

sábado, 17 de novembro de 2018

Fim do mundo: Tomem cuidado



No texto de Mc 13.1-13 Jesus começa a dar as dicas sobre coisas que acontecerão antes do fim do mundo.
Jesus e os discípulos estão nas proximidades do Templo. Então, diante da grandiosidade do templo em Jerusalém, os discípulos se admiram, como quem se admira de si mesmo e de sua capacidade de construir grandes coisas.
Jesus parte daí para começar a explicar o que aconteceria antes do fim dos tempos. O texto bíblico, nos dois primeiros versículos diz:
1Quando Jesus estava saindo do pátio do Templo, um discípulo disse:
— Mestre, veja que pedras e edifícios impressionantes!
2Jesus respondeu:
— Você está vendo estes enormes edifícios? Pois aqui não ficará uma pedra em cima da outra; tudo será destruído!

Jesus inicia sua fala sobre a queda de Jerusalém e do fim do mundo prevendo a destruição do templo. E com isso nós lembramos que o que torna digno o templo não é a sua beleza ou aparência, mas a Palavra de Deus ali pregada.
Por mais bonito que seja o templo, se ali não é pregada a Palavra de Deus, aquilo não passa de uma construção humana. Nada mais. E como tal, será destruída algum dia.
É bom lembrar também que o Templo era uma espécie de “embaixada” do céu na terra. O que o torna obsoleto com o nascimento de Jesus, que veio ser nosso templo definitivo.
Em Jesus Cristo, a plenitude da divindade habita corporalmente entre nós. Como lembra Cl 2.9: Pois em Cristo, como ser humano, está presente toda a natureza de Deus.
Não precisamos mais recorrer a um único templo, pois onde a Palavra de Deus é pregada clara e puramente, ali é, de fato, um lugar onde Deus habita.

Depois disso, Jesus e os discípulos seguem para o Monte das Oliveiras. E Jesus continua explicando sobre as coisas do fim.
Este texto também foi registrado por Mateus (24.3-14) e Lucas (21.7-19).
3Jesus estava sentado no monte das Oliveiras, olhando para o Templo, quando Pedro, Tiago, João e André lhe perguntaram em particular:
4— Conte para nós quando é que isso vai acontecer. Que sinal haverá para mostrar quando é que todas essas coisas vão começar?
5Então Jesus começou a ensiná-los. Ele disse:
Tomem cuidado para que ninguém engane vocês. 6Porque muitos vão aparecer fingindo ser eu e dizendo: “Eu sou o Messias!” E enganarão muitas pessoas. 7Não tenham medo quando ouvirem o barulho de batalhas ou notícias de guerras. Tudo isso vai acontecer, mas ainda não será o fim. 8Uma nação vai guerrear contra outra, e um país atacará outro. Em vários lugares haverá tremores de terra e falta de alimentos. Essas coisas serão como as primeiras dores de parto.
9 — Vocês precisam ter cuidado porque serão presos e levados aos tribunais e serão chicoteados nas sinagogas. Por serem meus seguidores, vocês serão levados aos governadores e reis para serem julgados e falarão a eles sobre o evangelho. 10Pois, antes de chegar o fim, o evangelho precisa ser anunciado a todos os povos. 11Quando prenderem e entregarem vocês às autoridades, não fiquem preocupados, antes da hora, com o que irão dizer. Quando chegar o momento, digam o que Deus lhes der para dizer. Porque as palavras que disserem não serão de vocês mesmos, mas virão do Espírito Santo. 12Muitos entregarão os seus próprios irmãos para serem mortos, e os pais entregarão os filhos. E os filhos ficarão contra os pais e os matarão. 13Todos odiarão vocês por serem meus seguidores, mas quem ficar firme até o fim será salvo.

Deste texto quero destacar apenas alguns aspectos hoje:
3. “Pedro, Tiago, João e André” perguntam a Jesus em particular. Os discípulos tinham dúvidas e se não perguntassem, ficariam em dúvida. Você tem dúvidas? Quem não tem? Pergunte: o pastor está aí para isso. A Palavra de Deus (se você a lê) te dará muitas respostas. Cristãos fiéis de nossa igreja também podem te orientar na fé.
Não fique na dúvida. Pergunte. Às vezes a resposta pode não ser a que você quer. Mas é a melhor resposta que você pode ter. Pois é melhor ser bem orientado, do que te passarem a mão na cabeça e te deixarem ir para o Inferno, simplesmente pra não discordar de você.
4. Que sinal haverá para mostrar quando é que todas essas coisas vão começar? Jesus mesmo tinha alertado que muitas vezes as pessoas pedem sinais (milagres) para crer em algo. Neste caso, os discípulos querem aprender a reconhecer quando o tempo se aproximasse. Interessante que Jesus começa dizendo:
5. Tomem cuidado para que ninguém engane vocês. Jesus sabia a quantidade de charlatões que apareceriam se dizendo seus discípulos. Gente fazendo milagre de tudo que é jeito. Revelando tudo que as pessoas querem ouvir... Dizendo ter uma linha direta com Deus e dizendo que falam em nome de Deus. Quanta gente é enganada nos dias de hoje, por pilantras se fazendo passar por pastores, bispos, diáconos e todos os nomes que quiserem chamar. O aviso de Jesus é “Tomem cuidado para que ninguém engane vocês.” Provem pela Bíblia. Provem pela Palavra de Deus. Mas para isso é preciso conhecer a Palavra. Leia. Reflita. Medite. Questione.
A fé não se baseia naquilo que se vê, mas “A fé é a certeza de que vamos receber as coisas que esperamos e a prova de que existem coisas que não podemos ver.” (Hb 11.1). A fé é dom (presente) do Espírito Santo em nossa vida e vem pela Pregação da Palavra de Deus. Mas muitos têm usado a Palavra de Deus para enganar... Com sinais externos. Com coisas que só têm valor neste mundo...
Então Jesus fala dos sinais:
6. muitos vão aparecer fingindo ser eu (enganarão muitos)
7. barulho de batalhas ou notícias de guerras.
8. tremores de terra e falta de alimentos.
9. Vocês precisam ter cuidado porque serão presos e levados aos tribunais e serão chicoteados nas sinagogas.
10. antes de chegar o fim, o evangelho precisa ser anunciado a todos os povos.

Destes sinais, que são constantes na história da humanidade, o único ainda não cumprido é o Evangelho pregado a todos. Notem que não é preciso que todos creiam. É preciso que o Evangelho seja anunciado.
Vejam o que Jesus disse quando enviou seus 72 discípulos: “10Porém, quando entrarem numa cidade e não forem bem-recebidos, vão pelas ruas, dizendo: 11“Até a poeira desta cidade que grudou nos nossos pés nós sacudimos contra vocês! Mas lembrem disto: o Reino de Deus chegou até vocês.” (Lc 10.10-11)

Quero apenas relembrar: “Tomem cuidado para que ninguém engane vocês.” (5).
Muitas são as promessas de tudo. Mas poucas igrejas têm falado em Jesus e na salvação eterna. Fujam de tudo que não aponta para a Salvação em Jesus Cristo.
Coisas deste mundo... Todas elas passarão. A fé em Jesus vai conosco até o Céu. Ele é o único caminho. Ele vem a nós em sua Palavra, na Santa Ceia, no Batismo.
O mundo vai acabar sim. Acredite você ou não. Vai acabar.
E nesse dia, aqueles que ainda estiverem vivos, se juntarão com todos que já tiverem partido, para juntos, por toda a eternidade, estarmos com Deus no céu.
Independente dos sinais que vejamos ou não...
Independente de tudo que possamos ver neste mundo...
O importante é, pela fé, estar com Jesus Cristo no nosso último dia.
Que o Senhor nos abençoe.
Creia em Cristo. Amém.

20181117CF-NV
JarbasHOFFIMANN

quarta-feira, 14 de novembro de 2018

O preço do perdão

      Ressentimentos. Repetição de um sentimento ruim. De mágoa, raiva, ódio. Motivos não faltam, afinal, a maldade anda mais solta que os bandidos. Mas, ressentimento é tomar veneno e esperar que a pessoa detestada morra. O jeito, portanto, é perdoar.
      Perdonare, diz o latim.  Per – total. Donare – doar. Ato que vem da razão, não da emoção. Não é esquecer. É não mais cobrar. Coisa que o coração não faz. Coisa que o Pedro perguntou:
“Senhor, quantas vezes devo perdoar o meu irmão que peca contra mim? Sete vezes?”. “Você não deve perdoar sete vezes, mas setenta e sete vezes”.
      Coisa de maluco. Mas, e a loucura da cruz? Interessante que o termo “perdão” tem vários irmãos gêmeos nas páginas da Bíblia. Nasa, kaphar, salach na língua hebraica, aphesis, aphíemi, charizomai, apolúo, paresis, dikaio, katalasso na língua grega. É um monte de palavras complicadas na pronúncia assim como o próprio perdão na prática, mas que carregam o mesmo significado fácil e simples de entender: apagar, deixar de lado, expiar, doar, presentear.
      O perdão não é facultativo. É regra primordial de convivência onde todos se ofendem. Além do mais, é a primeira obra do amor cristão. Tanto que, se o perdão não vier lá de cima, nunca haverá chance aqui em baixo. Mas, Jesus lembrou:
“Se não perdoarem (...), o Pai de vocês também não perdoará as ofensas de vocês” (Mateus 6.15).
      É causa e efeito. É fé e ação. Deus me perdoa e eu perdoo. Eu não perdoo e o perdão divino congestiona. Foi o problema do credor incompassivo (Mateus 18). Na parábola, o empregado livre de milhões não anistiou seu colega que lhe devia cem, e o incalculável indulto do patrão retornou ao vermelho. “Perdoa as nossas dívidas”, ensinou Jesus, “assim como nós também perdoamos aos nossos devedores”.
      “Quem ama não guarda mágoas” (1Coríntios 13.5), sublinha o hino do amor. Não é fácil. Para Deus custou a vida do seu único Filho. E para mim?

Marcos Schmidt
pastor luterano
Novo Hamburgo, RS

terça-feira, 13 de novembro de 2018

Pisadinha Luterana


Um dos fantásticos e divertidos momentos do nosso Dia das Crianças 2018.
Muito mais vem por aí, com as músicas e outras apresentações também das crianças.

segunda-feira, 12 de novembro de 2018

domingo, 11 de novembro de 2018

A "alma volta ao universo"

     Recentemente li algo sobre o tema de que "cientista renomado" descobriu que a morte não existe de verdade, que a alma volta ao ao universo de um modo "quântico". Essa história de "quântico", para mim seja bem legal nas histórias em quadrinhos... Com camadas sobre camadas do mesmo "multiverso" e das "infinitas terras", como no seriado "The Flash". Ou em "O Homem Formiga e a Vesta".
      Fora isso, não entendo nada desta "ciência" (que coloco entre aspas por nem entender se é ciência de fato ou especulação). Já ouvi falar de computador quântico também (mas com preços que giravam em torno de 10 milhões de dólares, nem sei se estão sendo fabricados)... E pelo que li na página do techtudo, a coisa ainda demora:
"Se fosse fácil produzir um computador quântico, eles já estariam em todos os cantos. Há uma série de desafios tecnológicos em torno dessas máquinas e um dos mais impressionantes tem a ver com a temperatura. Para funcionar, o D-Wave 2000Q precisa ser mantido a -273º Celsius, temperatura que é poucas frações acima do zero absoluto e 180 vezes mais fria do que o espaço interestelar."
      Deixa esse troço pra lá, então... Nossa geração dificilmente terá um desses sobre a mesa. Até porque os atuais projetos estão do tamanho de uma vã.
      Vamos falar de alma.
      Há muita especulação sobre o que acontece com a alma na hora da morte. Aliás, tem gente que discute até entre dicotomia (corpo e alma) e tricotomia (corpo, alma e espírito). Nem nisso há consenso. Imagina no resto.
      Vou falar do que eu creio e, pela fé, entendo. Talvez você discorde, tudo bem, mas leia:
      Na hora da morte, há separação entre corpo e alma. A alma vai para junto de Deus, se a pessoa tinha (tem) fé em Jesus Cristo, ou para a condenação do Inferno, se a pessoa não cria em Jesus. Não há outro caminho possível segundo a Bíblia Sagrada. Purgatório é uma "novidade" bem depois do templo bíblico. E mesmo que existisse, as regras pra sair de lá são tão difíceis, que já seria um inferno.
      Um Deus bondoso e misericordioso, a meu ver, não daria um castigo antes da Salvação. Ele já dá a Salvação logo, quando partimos deste mundo... Por outro lado, sendo justo, também condena ao infiel. Não tem segunda chance.
      Na hora da volta de Jesus, quando acontecerá a ressurreição (muuuuuuito diferente de reencarnação, observe isso)... Então! Nessa hora, Deus "recria" o mesmo corpo e une com a alma. Tanto o corpo dos salvos, que será perfeito como o de Cristo, incorruptível, quanto o corpo dos condenados, que irá ser parte do sofrimento do inferno.
      A alma não fica num "universo paralelo" ou sobreposto quântico)... Ela vai, desde o momento da morte, para o céu ou para o inferno.
      E só tem um jeito de se livrar do inferno: Jesus Cristo. Pela fé nele, todos podem ter salvação. Por obras que fazemos, nada merecemos, se não condenação. Mesmo nossas obras, a bíblia chama de "trapos de imundície". Porque sem Cristo, tudo que fazemos é lixo. Com Cristo, tudo terá sua recompensa.
      Pense. Reflita. Leia a Bíblia.
      Deus o abençoe.
Rev. Jarbas Hoffimann

Congregação Castelo Forte
Nova Venécia, ES
Igreja Evangélica Luterana do Brasil

sábado, 10 de novembro de 2018

A maldição da Mega-Sena

      As notícias de hoje, enquanto escrevo este texto, dão conta de que a Mega-Sena sorteará a fortuna de 22 milhões de Reais. Pense bem: milhões! Pobre ganhador. Quem sabe você não vá concordar comigo, mas arrisco a dizer que com esta fortuna, o ganhador é tão pobre e tão rico. Com tamanha fortuna, vai ter que abrir mão da sua vida anônima. Vai viver em prisões disfarçadas de mansões luxuosas, monitoradas eternamente e de segurança máxima. Vai ter que colocar inúmeros seguranças ao redor dos seus filhos, dos seus familiares, das pessoas que mais ama. A montanha de dinheiro será como uma camada de isolamento, tornando impossível um simples caminhar anônimo e despreocupado pelas ruas da cidade.
      O dinheiro não é uma praga. O dinheiro é uma bênção de Deus. É fruto do trabalho honesto, digno. Mas já vi muitas reportagens contando a história de tantos ganhadores da Mega-Sena que acabaram na desgraça. Vítimas dos sanguessugas que se aproximaram apenas para tirar proveito. Vítimas de assassinatos arquitetados pelos próprios seguranças, pela própria esposa, pelas pessoas que deveriam proteger e amar. Foram vítimas dos desejos do seu próprio coração, que bate no tom da onipotência de quem tudo pode a qualquer momento e em qualquer lugar. O título da reportagem? A maldição da Mega-Sena.
      Você pode concordar comigo ou não sobre a fortuna astronômica da Mega-Sena. Mas este é um bom momento para lembrar algo importante:
“o amor ao dinheiro é uma fonte de todos os tipos de males” (1Timóteo 6.10).
      O dinheiro, por si só, não é o problema. O amor ao dinheiro que é o começo da ruína moral, familiar, ética. Nosso Brasil, corrupto e quebrado, está repleto de exemplos. O amor ao dinheiro corrompe. O amor ao dinheiro faz esquecer valores morais.
      Então fica a dica: o dinheiro é uma bênção de Deus, é com o dinheiro que honramos a Deus com nossas ofertas, que aproveitamos a vida, que somos felizes. Deposite seu coração naquele que pagou nossas dívidas, assumiu nossas culpas, perdoou nossos pecados e é Salvador: Jesus. E seja feliz com o dinheiro e o salário honesto e digno que você tem. Ah, e se você pudesse dar um conselho ao ganhador da Mega-Sena? Que tal este:
“Aos que têm riquezas neste mundo ordene que não sejam orgulhosos e que não ponham a sua esperança nessas riquezas, pois elas não dão segurança nenhuma. Que eles ponham a sua esperança em Deus, que nos dá todas as coisas em grande quantidade, para o nosso prazer!” (1Timóteo 6.17). 
Rev. Bruno A. K. Serves
Congregação Cristo
Igreja Evangélica Luterana do Brasil
Candelária, RS

sexta-feira, 9 de novembro de 2018

Curso sobre a Doutrina do Ministério - lançamento dos vídeos





Todos os outros vídeos aparecerão neste mesmo canal de Youtube. São várias e várias horas de curso sobre a doutrina do Santo Ministério.

Por onde andar?


      A foto acima foi tirada anteontem, perto do Santo Antônio, em Nova Venécia. Tinha chovido bastante nos dias anteriores. Meu tênis nunca tinha visto lama, pois só o usava para asfalto... Tava com a sola ainda bem branquinha...
      Daí eu pergunto, olhando para a foto, onde você pisaria? Ou voltaria para o asfalto, para não pisar na lama?
      Olhando para a foto, vemos uma parte mais molhada, que dá mais a impressão de que ali vai sujar mais. Daí nossa reação seria pisar na parte mais alta e menos úmida da estrada. Se você cresceu em locais onde nunca tem lama, talvez não perceba que um dos dois lugares é mais seguro do que o outro para se pisar...
      Se você for por seus olhos e imaginar que a parte mais seca é a melhor, acabará com o risco de afundar o pé inteiro na lama. É isso mesmo, a parte aparentemente mais seca é justamente a parte onde carros e motos não passam, então a terra se acumula e, nela, mesmo que não na superfície, a água está. Se você pisar na parte que diz para seus olhos: "estou mais seca", possivelmente terá uma resposta desagradável...
      Já a parte que está mais úmida, chegando a ter água, é "batida" e por isso pode pisar ali que nem lama agarra direito na sola dos sapatos. Há o perigo de escorregar, mas é menor do que na parte aparentemente mais seca.
      Olhando para os caminhos de sua vida, quantas vezes você já imaginou estar indo pelo caminho certo, quando viu, estava num atoleiro? Pra se livrar de um aparente problema, pra tentar (visualmente) resolver mais rápido, acabou indo pelo caminho mais sujo...
      Nem sempre, nos caminhos da vida, a gente vai perceber onde está mais perigoso e onde está mais seguro. Assim como caminhar nas estradas enlameadas requer experiência, viver também requer. Podemos e devemos aprender com nossos erros passados, para ter um futuro melhor. Insistir no erro é burrice. Simples assim. Segundo Einsten "insanidade é continuar fazendo a mesma coisa e esperar resultados diferentes".
      Olhe os caminhos de sua vida. O que não tá funcionando bem, mude a forma de fazer. Às vezes é preciso derrubar para construir de novo.
      E nunca se esqueça que existe UM CAMINHO que é sempre seguro. Se você tem por objetivo alcançar a Vida Eterna, só há um caminho: "Eu sou o caminho, a verdade e a vida; ninguém pode chegar até o Pai a não ser por mim." (João 14.6).
      Então, pise na lama... Suje seus pés... Brinque com sua família... Seja feliz... Mas nunca se afaste DO CAMINHO.
Rev. Jarbas Hoffimann

Congregação Castelo Forte
Nova Venécia, ES
Igreja Evangélica Luterana do Brasil

quinta-feira, 8 de novembro de 2018

Bom dia! Bom dia nada. :(

      Então...
      Como o assunto me parece maior, resolvi fazer em dois textos, sendo este o segundo. O primeiro está aqui, se quiser ler (Cadê a alegria?).

      Como você acorda pela manhã?
      Eu "odio" do fundo do coração acordar cedo... Mas pensa numa coisa que eu "odio"! (e é "odio" mesmo, não odeio e nem esqueci o acento, é pra você entender o tanto que eu "odio").
      Pra mim o melhor horário de sono é aquele depois das 6 da manhã... Aquele que termina logo ali perto do meio dia. Quem tem filho adolescente (ou se você é adolescente) entende do que estou falando.
      Tem gente que "adora" acordar cedo. Não entende essa gente. Mas cada um com sua alegria. Se acordar cedo te faz feliz!!!
      Já vai longe minha adolescência. Já vejo pelo retrovisor (aliás, nem vejo mais, ficou pra trás da curva). Também já trabalho a muitos anos. E sou marido, pai, pastor... Pai há 15 anos.
      Quando os filhos nascem, eles é que costumam determinar seu horário de sono. Mas graças a Deus, minhas filhas sempre foram bem tranquilas quanto a isto e minha esposa e eu nos auxiliamos em muitas tarefas.
      Meu horário de trabalho também, muitas vezes se estende até tarde da noite, então não teria problema dormir até mais tarde. Se você não sabe (especialmente para luteranos da IELB), pastor não trabalha 8 horas por dia. Somos pastores 24x7x365... É parte do trabalho. E na maioria absoluta dos dias estamos trabalhando bem mais do que essas 8 (que tem gente que reclama ser muito). Graças a Deus por isso. Sem reclamação do trabalho aqui. Desde que assumimos o ministério estamos numa espécie de "plantão perpétuo". Tipo escoteiros: "sempre alerta".
      Então (de novo)...
      Você agora já sabe da inimizade profunda que existe entre mim e acordar cedo. Daí cabe a mim tomar uma decisão que vai definir meu dia:
      1. Vou acordar mal humorado e perder pare da alegria da manhã? (e do dia)
      2. Vou acordar bem humorado e aproveitar até o ter acordado cedo?

      Note bem, eu não tenho muita escolha. Tenho que acordar cedo para trabalhar, para levar as filhas à escola. Esta semana, até na folga resolvi levantar cedinho, porque era a única hora que meu trabalho permite que eu tenha tempo para atividades físicas... E decidi retomar. Acabaram as desculpas.
      Fora isso, folga de pastor da IELB é um troço meio chato. Eu acabo indo pro escritório trabalhar, porque os filhos estão na escola, a esposa trabalhando fora...
      Como eu tenho que acordar cedo, mesmo não gostando, decidi gostar de acordar cedo. Normalmente estou bem disposto e alegre pelo dia que começa. Isso é coisa de Deus, não minha. Não adianta "pensamento positivo" se Deus não está ao lado.
      É bom acordar cedo? Não sei. Faz bem pra saúde? Também não sei e duvido que alguém saiba... Porque a ciência todo dia muda de opinião. Mas bom mesmo é acordar com Deus.
      Quando você se levantar, vá ao banheiro, dá uma boa encarada na pessoa que te olha de volta do espelho. Lave o rosto e faça sua higiene pessoal. Mas decida ali, com a presença de Deus em sua vida, que será feliz naquele dia. Mesmo em dias ruins, não adianta desesperar (aliás, desesperar é o contrário de ter esperança)...
      Em dias bons e maus Deus estará com você, pela fé que tem em Jesus Cristo (se não tem esta fé, "pergunte-me como"). Este já é motivo mais do que suficiente para entender que o dia estará repleto de bênçãos, até quando coisas ruins acontecerem.

Rev. Jarbas Hoffimann

Congregação Castelo Forte
Nova Venécia, ES
Igreja Evangélica Luterana do Brasil

quarta-feira, 7 de novembro de 2018

Cadê a alegria?

      Hoje, em vez de "bike", fui caminhar... Pra descansar das pedaladas... Como a rota da caminhada pegou o início da manhã perto das escolas e em locais onde as pessoas estavam começando seu dia de trabalho, pude ver as pessoas iniciando seu dia.
      Observei, desde as escolas, muitas caras fechadas.
      Já passava um pouco das 7 da manhã e alguns atrasados estavam à porta da escola, implorando para entrar... Não estavam implorando mesmo, tipo: gritando, chorando, ou coisa semelhante, mas tentavam chamar a atenção para mostrar que queriam entrar.
      Um dos alunos, parece que se divertia com o atraso. Talvez pensando: "bem, já me lasquei mesmo, vamos aproveitar, então!" Aliás, esta é uma atitude muito boa para você ter:
      — Se o problema já está estabelecido...
      — Se não tem nada que você pode fazer no momento...
      — Faça o que pode...
      — Mas não se deixe abater ou desesperar com situações que nem desesperadoras são, de fato...
      Bem, se você perder o Enem, só ano que vem. Mesmo assim, o desespero vai ajudar no quê? Vai vivar meme pra diversão de outros e "the zueira never ends"...
      RETOMANDO a caminhada...
      Depois daquele rapaz feliz num momento delicado, não vi mais ninguém sorrindo por vários passos. Vi mães apressadas puxando seus filhos pela mão (atrasadas também)... Certamente tiveram seus motivos para o atraso, pois só gente mal educada "decide chegar atrasada". Esta mãe em questão estava sisuda, apressada, preocupada. Creio que seu motivo era justo.
      Vi outras pessoas, também aparentemente tristes porque começava "mais um dia de lutas e árduo trabalho". Se você começar seu dia com este espírito, sinto muito, mas você terá um péssimo dia (vou escrever mais sobre isso no artigo de amanhã, que também já pensei enquanto caminhava hoje).
      Daí, já no final da Rua Colatina (quem é de Nova Venécia sabe onde é, quem não é daqui, tem o google maps)... Uns 250 metros antes de ela virar "Estrada Colatina", encontrei dois caminhões da coleta de lixo. Aí sim "dei valor"...
     Um dos motoristas, que conheço, por ser da mesma igreja que eu, mas não da mesma congregação, estava feliz, sorridente, brincando com seus colegas de trabalho. Os garis (que prestam um dos serviços mais essenciais à cidade) fazendo seu trabalho com alegria. Como foi bom encontrar aquelas pessoas logo pela manhã. Já estava perdendo a esperança de encontrar alguém começando seu dia de trabalho feliz.
      Feliz por ter vida.
      Feliz por ter saúde.
      Feliz por ter um trabalho.
      Feliz porque esse trabalho ajuda também o próximo (nunca se esqueça).
      Feliz...
      O trabalho dessas pessoas não deve ser o melhor do mundo. Lidar com cacos de vidro mal embalados (inseguros). Lidar com restos hospitalares ou material de higiene (usado e fedido) das nossas casas. Restos de alimentos putridos... Lidar com o preconceito das pessoas, que sequer os olham nos olhos ou dão bom dia.
      Eles teriam motivo para estar reclamando de estar correndo (isso, ainda fazem seu trabalho correndo, literalmente) atrás de um caminhão, carregando pesadas cestas de lixo. Mas não. Estavam contentes. Eu deveria ter perguntado por quê? Mas como não perguntei, vai minha suposição:
"o trabalho não é dos melhores, mas é o que lhes coloca comida na mesa... Se ele for feito entristecido ou amargurado, não melhora a situação. Aliás, só piora. Então, assim como o rapaz atrasado na porta da escola, eles estavam fazendo o que podiam." E aproveitando.
      Aproveite seu dia também. Ele é uma bênção que o Senhor te deu. Veja as bênçãos que tem em forma de família, filhos, saúde, emprego... Se algo lhe falta, não perca a confiança, o Senhor continua cuidando de você.
      Deus abençoe seu dia.

Você tem algo sobre o que gostaria que eu escrevesse (ou tentasse)? Entre em contato e me diga. Minhas redes estão aí. Quem sabe a gente bate um pavo, você vem ao culto (se morar em NV)...
Rev. Jarbas Hoffimann

Congregação Castelo Forte
Nova Venécia, ES
Igreja Evangélica Luterana do Brasil

terça-feira, 6 de novembro de 2018

Curso de pastores - um "aperitivo"

Aqui um pequeno "aperitivo" do curso que será postado em vídeos no canal @pastorjarbas, do youtube. Se quiser ser avisado, inscreva-se no canal.



para ler todo o material do curso.

O Enem do céu

      — O que devo fazer para conseguir a vida eterna? (Marcos 10.17).
      A pergunta do jovem rico e religioso deveria ser levada à sério por aqueles que se preocupam com o “depois” da morte. Os que acham que a vida termina aqui, tem só esta pergunta:
      — O que devo fazer para me dar bem, ser feliz, próspero?
      A resposta é estudar, se esforçar, trabalhar, ser honesto... Claro, outros preferem um caminho diferente: não estudar, não trabalhar, viver às custas dos outros. Em todo o caso, quem deseja também a vida eterna tem esta perguntinha:
      — O que fazer?
      Jesus respondeu ao jovem: “Você conhece os mandamentos”, e lembra de todos eles. O rapaz, de peito estufado, lascou:
      – Ah, isto eu tenho obedecido desde criança.
      Este é um engano comum no assunto religião: tentar entrar no céu sendo bonzinho aqui na terra. A Bíblia tranca a porta do céu e diz:
“Ninguém é aceito por Deus por fazer o que a lei manda, porque a lei faz com que as pessoas saibam que são pecadoras” (Romanos 3.20).
      Ou seja, Deus tem uma nota para a sua prova do Enem: perfeição.
“Porque quem quebra um só mandamento da lei é culpado de quebrar todos” (Tiago 2.10).
      Quer dizer, então, que não adianta nada estas “coisas de igreja”? Jesus responde:
“Não pensem que eu vim para acabar com a lei de Moisés e com os ensinamentos dos Profetas. Não vim para acabar com eles, mas para dar o seu sentido completo” (Marcos 5.17).
      Permanece a pergunta:
      — Como entrar na vida eterna?
      Só tem um jeito:
“Deus aceita as pessoas por meio da fé que elas têm em Jesus Cristo” (Rm 3.22).
      Ou seja, Jesus tira nota mil, sem erros, no meu lugar. A outra notícia é que esta religião (religação com Deus) também ajuda a pessoa no cumprimento da lei do amor a Deus e ao próximo. No final, a pergunta “o que devo fazer” não é para entrar no céu, mas como viver o amor na terra.

Marcos Schmidt
pastor luterano
Novo Hamburgo, RS

Qual a lente que você usa?

      Hoje, bem cedinho, andando de "bike" e observando a natureza, estava usando um óculos de proteção, como é recomendado. Pra quem acha que é "estilo" ou "frescura"... Já que os modelos são coloridos e normalmente cobrem mais que óculos comuns, chegando à lateral dos olhos, saiba um pouco mais.
      Alguns anos atrás, quando comecei a pedalar para saúde, não tinha os óculos... Vivia com os olhos irritados e não sabia por que. É que à beira do asfalto (e várias rotas são assim), os caminhões e outros veículos, mas especialmente os caminhões, levantam a poeira e esta areia vem parar nos olhos se você não tiver algum tipo de proteção. Depois dos óculos a irritação parou. Outra serventia é que eles costumam vir com várias lentes. Tem toda colorida, cinza, transparente, marrom, amarela... Tem pra todo gosto. Com o tempo percebi para que servem. Se o dia está claro, mas não tem muito sol é melhor usar a azul ou a cinza. Se é para pedalar à noite, a melhor é a transparente ou a amarela, mas esta amarela potencializa os faróis dos carros, então é melhor se for para trilhas "off-road". Dependendo da lente, você pode ser cegado pelas luzes, ou pode enxergar melhor o seu caminho. Se for usar a de sol durante a noite, não verá nada. Nem com iluminação.
      Algo semelhante acontece com alguém que já entrou na época da presbiopia (acontece por volta dos 45 anos, talvez antes) e que precisa de óculos para conseguir ver coisas que estão próximas. Especialmente para a leitura...
      Algo muito semelhante vai acontecer em nossa vida.
      Dependendo da "lente" que estivermos usando, veremos as coisas diferentemente. Se nossa lente for pessimista, nada NUNCA estará bom. É tipo aquele cara que tivesse ganho 150 milhões na Mega da Virada... Que quando vêm lhe falar do prêmio ele retruca: "já imaginou agora a quantidade de imposto... Terei problemas de segurança... Muitos chegarão perto de mim só por interesse...". Dá quase pena de alguém assim... Vontade de dizer: dá o prêmio pra mim, então!
      Se a lente for otimista de mais, sem levar a realidade em conta, pode nos dar a sensação de que façamos o que façamos, tudo sempre dará certo e, quando vierem os problemas e eles virão, podemos ser destruídos pelo excesso de confiança que nos impediu de preparar para o futuro. (Não tocará no ungido de Deus... Isso não existe, basta ver os ungidos de verdade. Todos sofreram, a começar por Davi.)
     Tanto para pedalar, quanto para ler, é preciso ter a lente certa para cada ocasião. Para a vida também. E que seja "multifocal" e "transition" ainda. Para diversas situações da vida. Porque teremos dias tensos, tenebrosos em que precisaremos ter uma lente mais otimista. Existirão dias mais efusivos e festivos, que precisaremos de uma lente mais "realista", que não nos deixe tirar os pés do chão e fazer uma bobagem no momento alegre.
      Existem momentos difíceis, não os valorize de mais, pois eles passarão.
      Existem momentos alegres, não os valorize de mais, pois eles passarão.
      O momento difícil pode nos dar problemas já quando estamos passando por eles, por isso, sempre confie em Deus.
      O momento alegre pode nos dar problemas quando passar, por isso, sempre confie em Deus também.
      E lembre-se também que existe uma lente pela qual Deus nos olha. Esta "lente" é Jesus Cristo. Deus nos olha através da fé que temos em Cristo e assim não vê nosso pecado. Quem está sem Jesus, continua no pecado. Quem tem fé em Jesus, tem a salvação.

Rev. Jarbas Hoffimann

Congregação Castelo Forte
Nova Venécia, ES
Igreja Evangélica Luterana do Brasil