domingo, 30 de janeiro de 2011

Quem entrará no templo?

 

Sl 15
4º Domingo após Epifania

 

Que a graça do Senhor Jesus Cristo, o amor de Deus e a presença do Espírito Santo estejam com todos vocês! (2Co 13.13).

Sl 15 / Mq 6.1-8 / 1Co 1.18-31 / Mt 5.1-12

 

igreja corpo de cristoA Paz do Senhor esteja com vocês. Amém.

Queridos irmãos, muitas igrejas e muitas pessoas querem ter a resposta para a pergunta do Salmo 15: “Ó Senhor Deus, quem tem o direito de morar no teu Templo? Quem pode viver no teu monte santo?”

Muitas pessoas acham que sabem a resposta a esta pergunta. Na verdade, a resposta já está no próprio Salmo, mas muitos ignoram os versículos seguintes e tentam dar a sua própria resposta a seu jeito.

Você está aqui. Nesta Igreja. Você entrará no Santuário? Não se apresse em responder nem que sim, nem que não, nem talvez e muito menos, não sei. Porque se você não sabe, ninguém mais poderá responder por você. Lembrem o que o Senhor disse por meio de Ezequiel: “a vida de todas as pessoas pertence a mim. Tanto a vida do pai quanto a vida do filho são minhas. A pessoa que pecar é que morrerá.” (Ez 18.4). Não é o pecado do outro que nos condena, também ninguém pode crer por nós.

Quem entrará no templo eterno? Esse é o ponto de Davi.

É claro que, num primeiro momento, Davi fala do templo mesmo. Aquela construção física. Mas profeticamente ele fala também da Jerusalém eterna. Do monte santo.

Afinal de contas, pessoas falsas entram em vários templos. Diariamente. Assim é hoje, assim era no tempo de Davi. Assim era no tempo de Jesus, quando, por exemplo, Jesus observava as pessoas ofertarem e viu uma viúva ofertar junto com outros que ofertavam grandes quantias. Para espanto dos discípulos, Jesus disse que a viúva estava sendo honesta e os outros falsos. E estavam todos no templo.

Neste mundo, pessoas que não querem saber de Deus, conseguem entrar no templo. Mas naquele templo eterno não vão entrar. Lá só entrará aquele que “vive uma vida correta, que faz o que é certo e que é amigos e não espalha boatos a respeito dos seus vizinhos. ... cumpre o que promete, mesmo com prejuízo próprio.” (Sl 15.2-4).

Bem fácil né?

Não, não é fácil. Especialmente porque ninguém consegue cumprir isto perfeitamente. Ninguém consegue viver dignamente conforme deveríamos viver por sermos discípulos de Jesus. Mas esta é a nossa meta, alcançar a linha de chegada, seguindo fielmente o nosso Senhor Jesus Cristo, que no fim nos espera com o prêmio.

Queridos irmãos, no texto de Miqueias encontramos o seguinte: “O Senhor diz: --Meu povo, o que foi que eu fiz de errado? Será que exigi demais de vocês?” ... “O Senhor já nos mostrou o que é bom, ele já disse o que exige de nós. O que ele quer é que façamos o que é direito, que amemos uns aos outros com dedicação e que vivamos em humilde obediência ao nosso Deus.” (Mq 6.3,8).

Se olharmos pelo lado humano, teremos que concluir que o Senhor realmente exigiu demais de nós. Não conseguimos ser perfeitos, porque já nascemos pecadores. Não conseguimos resistir às tentações e fugir do pecado. Por isso mesmo o Senhor nos envia o Espírito Santo, que nos dá a fé e nos capacita a uma nova vida. Vida que é vivida junto com Jesus Cristo e em comunhão com os irmãos. Vivemos a mensagem que é loucura para o mundo, como diz Paulo aos Coríntios. A loucura de dizer que Jesus Cristo é o Salvador e todo aquele que nele crê, tem a vida eterna.

Assim, em Cristo, vamos conseguir entender o que Jesus diz em Mateus 5. Porque reconhecemos nossa pobreza espiritual, mas sabemos que dos pobres de espírito é o Reino do céu. Vamos chorar por causa da dor de nossos pecados, mas o Senhor nos consolará nos pecados e em todos os sofrimentos.

Deixaremos o orgulho de lado, para lavar os pés ao irmão, mas lembramos que quem serve, serve também ao Senhor e os humildes receberão o que Deus prometeu.

Lembramos que nesse mundo difícil, olhamos em volta e vemos as pessoas se esquecendo de Deus. Certamente, muitas vezes queremos fazer a vontade do nosso Pai, mas o mundo nos impede. Porém felizes somos nós, que temos essa fome e essa sede da vontade de Deus, porque no momento certo o Senhor nos deixará fartos.

Neste mundo cada vez mais individualista, nossa compaixão pelo próximo é algo que o Senhor recompensa. É claro que não ajudamos aos outros pensando na recompensa, mas o Senhor prometeu recompensar até por um copo de água e esta certeza nós também temos, que no Senhor, nosso trabalho nunca é vão.

A fé em Jesus purifica nossos corações. Somos lavados no sangue do Cordeiro. Aliás, a Bíblia é o único lugar onde a gente lava as roupas com sangue e elas ficam brancas. O Senhor nos torna puros. O Senhor nos faz amar o irmão, com as suas fraquezas, assim como nós somos amados, mesmo com as nossas fraquezas. Como amamos ao irmão, vamos amar aquele que ainda anda longe do Senhor e, por amor, buscar, acolher e integrar à família de Deus. Vamos trazer para dentro deste templo, para que todos estejamos juntos Naquele templo, no monte santo.

Não seremos tratados como escravos, mas como filhos. Não seremos tratados como capachos, mas como filhos. Como é que se trata um filho? Com amor. E se traz ele para bem perto de nós. Assim o Senhor faz e fará com aqueles que buscam a paz na igreja e fora dela.

Nisso tudo, vocês são perseguidos. Me parece que como era na época dos primeiros cristãos não, mas há uma perseguição velada à fé cristã. Aos que são verdadeiramente de Jesus.

Não desanimem de fazer a vontade de Deus, porque o Reino de Deus é daqueles que buscam fazer a vontade do Senhor.

Voltando à primeira pergunta: “Quem entrará no Templo”

Há uma canção que diz:

|: Senhor, quem entrará, no santuário, pra te louvar? :|
|: Quem tem as mãos limpas e o coração puro,
    quem não é vaidoso e sabe amar? :|

|: Senhor, quem entrará, no santuário, pra te louvar? :|
|: Ó dá-me mãos limpas e um coração puro.
    Arranca a vaidade e ensina-me a mar. :|

|: Senhor, já posso entrar, no santuário, pra te louvar? :|
|: teu sangue me lava, teu fogo me queima.
    O Espírito Santo inunda meu ser. :|

Este hino é muito bonito, mas o Salmo que o inspira é muito mais. Ele fala que todo aquele que tem as mãos limpas, ou como diz no salmo, “que vive uma vida correta, que faz o que é certo e que é sincero e verdadeiro no que diz. Este vai entrar no santuário.

Você é assim?

Lembre que não há espaço para a dúvida.

Se você crê em Jesus, você teve suas mãos limpas por ele. Não suje novamente as mãos. Mantenha limpas, lendo a Palavra de Deus, estudando em casa e onde mais puder. Participando da Santa Ceia e sendo um exemplo de cidadão e cristão. Com este exemplo, muitos ainda vão vir a Jesus e serão limpos também.

E naquele último e grandioso dia, o Senhor convidará a todos para entrar, cantando, ao seu Templo eterno. Amém.

E a paz de Deus, que ninguém consegue entender, guardará o coração e a mente de vocês, pois vocês estão unidos com Cristo Jesus. Amém. (Fp 4.7)

Pastor Jarbas Hoffimann – Nova Iguaçu-RJ

Soli Deo Gloria

terça-feira, 25 de janeiro de 2011

Exegese–1Co 1.10-18

 

Para vc que gosta de estudar a Bíblia, talvez este recurso ajude. Quando o tempo permite, costumo tentar concluir estudos mais detalhados sobre o texto que pregarei no fim de semana. Infelizmente tais textos saem quase junto com a pregação, o que impossibilita compartilhar com mais antecedência. Olhando por outro ponto de vista, ele está agora, 3 anos antes da próxima vez que vai aparecer na série de leitura.
Com o tempo pretendo recuperar outros que já publiquei na internet. Eles estão no Scrib e podem ser acessados a partir da link abaixo, na janela. Aqui o texto que resultou no sermão que está neste blog também, com o tema “Jesus não divide a Igreja”.

1 Coríntios 1.10-18 - Exegese - Jarbas Hoffimann

domingo, 23 de janeiro de 2011

Jesus não divide a igreja

1Co 1.10-18
3º Domingo após Epifania – Desinstalação do Rev. Jarbas Hoffimann

 

Que a graça do Senhor Jesus Cristo, o amor de Deus e a presença do Espírito Santo estejam com todos vocês! (2Co 13.13).

Sl 27.1-14 / Is 9.1-4 / 1Co 1.10-18 / Mt 4.12-25

 

A Paz do Senhor esteja com vocês. Amém.

Queridos irmãos, hoje é meu último sermão deste púlpito, pelo menos nesta passagem por aqui. E, para mim, é uma honra falar em nome do meu Senhor Jesus Cristo, que nos tornou irmãos na fé.

Nas últimas duas semanas, deste púlpito, nós falamos da importância da união da Igreja de Jesus Cristo. Especialmente de nossas congregações Bom Pastor e Esperança.

Não foram textos escolhidos por mim, são os mesmos textos usados por toda a igreja neste período de Epifania, que neste ano, nos levaram a pensar sobre a união, neste período de transição. E repetimos com Davi: Como é bom e agradável que o povo de Deus viva unido como se todos fossem irmãos! (Sl 133.1).

O povo é um só, porque o Salvador é um só: Há um só Senhor, uma só fé e um só batismo. (Ef 4.5). Nós cremos em um só Senhor Jesus. E ainda usamos a figura do corpo para dar exemplo de unidade, porque existem muitas partes, mas um único corpo de Cristo.

O Senhor Jesus não divide a Igreja. Mas muitas vezes a sabedoria humana divide. Paulo está falando sobre isso no texto que lemos hoje e nos versículos que se seguem.

Em Corinto, algumas pessoas estavam começando a ensinar coisas diferentes da Palavra de Deus, como se fosse a verdadeira e pura Palavra. Se exaltava a sabedoria no uso das palavras. Alguns começavam a ter preferência pelo batismo de um, pela pregação do outro, o jeito dinâmico de um terceiro, por isso: alguns dizem ser de Paulo, outros de Apolo e outros ainda de Jesus.

Mas se Jesus não divide a igreja, quem é que faz? Nós.

Nós dividimos a igreja, caindo nas tentações do inimigo.

Muitas vezes não queremos ouvir o irmão. Muitas vezes queremos fazer a nossa e só a nossa vontade, e ainda queremos dar aparência de direito. Quanto a isso nos adverte Paulo, quando escreveu aos Romanos: Tenham por todos o mesmo cuidado. Não sejam orgulhosos, mas aceitem serviços humildes. Que nenhum de vocês fique pensando que é sábio! (Rm 12.16).

E a situação entre os cristãos de Corinto era a seguinte: vivem como se fossem pessoas deste mundo. Quando existem ciumeiras e brigas entre vocês, será que isso não prova que vocês são pessoas deste mundo e fazem o que todos fazem? (1Co 3.3). Eles queriam ser reconhecidos como cristãos, mas não estavam vivendo como tal.

Salomão, o sábio, guiado pela sabedoria de Deus disse: O orgulho só traz brigas; é mais sábio pedir conselhos. (Pv 13.10). O orgulho afasta. Mas quem confia no Senhor ouvirá o irmão. Só que dar conselhos também não é mandar no outro. É, de fato, aconselhar com amor.

Os cristãos precisam viver unidos, não só porque Jesus Cristo é um só, mas porque ele mesmo nos faz trabalhar juntos. Com o objetivo de levar sua Palavra até os confins da terra. Como era o propósito de Israel: Eu lhes darei este único propósito na vida: temer sempre a mim, para o próprio bem deles e dos seus descendentes. (Jr 32.39). Eles receberam este propósito como um povo único; unido...

Quando vê a unidade se perdendo o apóstolo precisa ser duro, como foi aos cristãos da Galácia: Mas, se vocês agem como animais selvagens, ferindo e prejudicando uns aos outros, então cuidado para não acabarem se matando! (Gl 5.15). Porque quando falta unidade, a igreja desmorona. Quando esquecemos a vontade de Cristo e queremos que outros façam a nossa vontade, o corpo de Cristo fica doente.

O Senhor Jesus não divide a Igreja, ele nos faz trabalhar unidos. Num mesmo corpo, numa mesma fé, num mesmo batismo e num mesmo propósito de levar Cristo para Todos e numa mesma esperança da vida eterna. Aos que crerem, o Senhor vai Acolher e Integrar ao número dos que estão sendo salvos. E a nós, como adultos na fé, cabe dar o bom exemplo de dedicação e união em Cristo, porque aquele que busca a divisão, não entendeu o que Jesus ensinou. Não crê de fato.

Irmãos no Senhor Jesus...

Depois de nos unir num mesmo corpo, o Senhor nos dá uma tarefa para fazermos juntos: levar a salvação àquele que está perdido.

E nesta tarefa é ainda mais importante a união em Cristo, pois o mundo pensa que Deus, se existe, não regula bem da cabeça: De fato, a mensagem da morte de Cristo na cruz é loucura para os que estão se perdendo; mas para nós, que estamos sendo salvos, é o poder de Deus. (1Co 1.18).

Para nós, que estamos sendo salvos, pode ser muito simples acreditar que numa cruz, dois mil anos atrás, um galileu meio rebelde, morreu inocente e, com sua morte, salva a todos que têm fé nele. Mas para os que estão no caminho da perdição isso é muito difícil de acreditar. E, se não fosse o poder do Espírito Santo, ninguém seria convertido. Aliás, nem eu e nem vocês. Afinal: quem não tem o Espírito de Deus não pode receber os dons que vêm do Espírito e, de fato, nem mesmo pode entendê-los. Essas verdades são loucura para essa pessoa porque o sentido delas só pode ser entendido de modo espiritual. (1Co 2.14).

Na missão tem muita coisa pra gente fazer juntos. Como se fôssemos um único organismo. Mas tem muita gente que prefere ficar “segurando as suas ideias para quando tiver oportunidade de mostrar serviço”. Ou fica se queixando de tudo que os outros fazem, porque, certamente, sabem fazer melhor, mas preferem criticar o outro.

Quanta reclamação ouvimos na igreja! Mas o que deveríamos é olhar no olho do irmão que fez o máximo e dizer: “Parabéns! Da próxima vez, conta comigo, que a gente vai fazer ainda melhor.”

Nós todos precisamos ouvir mais o texto de Paulo aos Filipenses: Façam tudo sem queixas nem discussões (Fp 2.14), se nós agirmos assim: não existe divisão no corpo, mas todas as suas partes têm o mesmo interesse umas pelas outras. (1Co 12.25).

Qual a tarefa? Paulo responde: Mas nós anunciamos o Cristo crucificado — uma mensagem que para os judeus é ofensa e para os não judeus é loucura. (1Co 1.23). E aquilo que parece ser a loucura de Deus é mais sábio do que a sabedoria humana, e aquilo que parece ser a fraqueza de Deus é mais forte do que a força humana. (1Co 1.25).

Nesse tempo de prazeres hedonistas, onde cada um só se interessa por si mesmo, parece uma utopia a busca da união em Cristo. Nós até elogiamos a capacidade que temos de ajudar, como tem acontecido para ajudar as vítimas das chuvas.

Fico realmente feliz, pela quantidade de gente ajudando com sinceridade. Mas me pergunto quantos estão ajudando apenas para desencargo de consciência? Eu vi pelo menos duas entrevistas em que as pessoas disseram (talvez por infelicidade das palavras), a gente precisa ajudar, porque “amanhã pode ser um de nós”.

Então não se ajuda por amor, mas por medo de ficar sem socorro no futuro? Que pensamento horrível! É a lei do “toma-lá-da-cá”. Esse é o tempo que vivemos... É um tempo que divide.

Mas nós, unidos, anunciamos Cristo e sua morte na cruz, para salvar a todas as pessoas. Isso será loucura para muitos, mas não importa Pois aquilo que este mundo acha que é sabedoria Deus acha que é loucura. Como dizem as Escrituras Sagradas: “Deus pega os sábios nas suas espertezas.” (1Co 3.19). E a palavra de Deus é viva e poderosa e corta mais do que qualquer espada afiada dos dois lados. Ela vai até o lugar mais fundo da alma e do espírito, vai até o íntimo das pessoas e julga os desejos e pensamentos do coração delas. (Hb 4.12).

Queridos irmãos, neste último sermão entre vocês, gostaria que ficassem essas palavras de incentivo à união. Ao amor mútuo. Ao respeito pelo pensamento e agir do irmão, que muitas vezes fraqueja, assim como cada um de nós fraqueja também. Lembremos que nossa força vem de Jesus, que nos perdoou e deu a salvação.

Eu vou continuar pregando a Palavra. Ainda não sei onde, mas creio no que diz o lema da minha formatura: E Deus me escolheu para ser servo da Igreja e me deu uma missão que devo cumprir em favor de vocês. Essa missão é anunciar, de modo completo, a mensagem dele. (Cl 1.25).

Anunciar que o Senhor Jesus não divide a igreja e a faz trabalhar unida, para testemunhar, Acolher e Integrar ao perdido.

Me despeço dizendo: Agora, o mais importante é que vocês vivam de acordo com o evangelho de Cristo. Desse modo, tanto se eu puder ir visitar vocês como se não puder, eu saberei que vocês continuam firmes e unidos. E saberei também que vocês, por meio da fé que se baseia no evangelho, estão lutando juntos, com um só desejo. (Fp 1.27).

Que o único Senhor Jesus esteja hoje e sempre com vocês. E se a gente não se vir mais na terra, no céu nos encontramos. Amém.

E a paz de Deus, que ninguém consegue entender, guardará o coração e a mente de vocês, pois vocês estão unidos com Cristo Jesus. Amém. (Fp 4.7)

Pastor Jarbas Hoffimann
Igreja Evangélica Luterana do Brasil (IELB)
Nova Iguaçu-RJ

Soli Deo Gloria

sábado, 15 de janeiro de 2011

Unidos somos fortes

1Co 1.1-9

2º Domingo após Epifania

Que a graça do Senhor Jesus Cristo, o amor de Deus e a presença do Espírito Santo estejam com todos vocês! (2Co 13.13).

Sl 40.1-11 / Is 49.1-7 / 1Co 1.1-9 / Jo 1.29-42a

 

A Paz do Senhor esteja com vocês. Amém.

Queridos irmãos em Jesus...

Vai parecer que estou sendo repetitivo, mas união aparece novamente no texto de hoje. Especificamente no texto do apóstolo Paulo aos coríntios. E num mundo cada vez mais de pessoas isoladas, os cristãos precisam saber o valor da união.

União com Cristo, que perdoa nossos pecados e por isso nos une a Deus Pai e Espírito Santo. Desta união com Deus, pela fé em Jesus, vem a união com as pessoas à nossa volta. Assim, ficamos unidos uns aos outros pela fé em Jesus Cristo. Uma união que será mais forte do que os problemas passageiros desta vida.

Mas o que isso representa em nossa vida? Qual a vantagem e qual a responsabilidade que esta união traz à nossa vida cristã?

O último versículo, de Coríntios, lido hoje, diz assim: “Deus é fiel e chamou vocês para que vivam em união com o seu Filho Jesus Cristo, o nosso Senhor.” (1Co 1.9)

Aí está repetido o desejo de Paulo: que vocês vivam em união com Jesus Cristo. É a vida cristã diariamente, não só quando me convém.

Ainda semana passada, falamos da vida nova, que vem pela união com Cristo. Uma vida cheia de esperança e alegria. Uma vida que não anda perdida, mas tem rumo certo: vida com Deus neste mundo e salvação eterna.

Na igreja falamos muito de união. Congregar é unir. Comunidade é um lugar onde as coisas são comuns. É um lugar de todos. É onde se comunga numa mesma fé.

Infelizmente, nós muitas vezes esquecemos o que é estar unido com Jesus Cristo. Mas a Palavra de Deus nos lembra e nos ensina. Para nos manter unidos e fortes até o fim.

missãoEm coríntios, o apóstolo Paulo começa lembrando que ele mesmo foi unido a Cristo. E algo interessante é que ele escreve a carta junto com outra pessoa: Sóstenes. Não se sabe muito a respeito de Sóstenes, a não ser que era judeu, chefe de uma sinagoga em Corinto e que naquela sinagoga levou uma surra diante do governador Gálio: “Então eles agarraram Sóstenes, o chefe da sinagoga, e o surraram diante do tribunal. Porém Gálio não se importou com isso.” (At 18.17).

Naquela ocasião Paulo estava sendo acusado de pregar contra as leis judaicas, por isso queriam leva-lo a julgamento, o que acabou não acontecendo. E Sóstenes leva uma surra de seus irmãos judeus. E Sóstenes, pela fé, se une a Cristo e a seu irmão Paulo.

Mais tarde, Paulo e Sóstenes, unidos a Cristo, querem anunciar a Palavra do Senhor às pessoas de Corinto e Paulo escreve a carta que lemos hoje.

Unidos, aqueles irmãos em Cristo, querem anunciar também a nós, como diz o apóstolo: “Esta carta é também para aqueles que em todos os lugares adoram o nosso Senhor Jesus Cristo, Senhor deles e nosso.” (!Co 1.2). Ou seja, é para nós também.

Estes dois homens do Senhor, unidos, testemunham.

Esta é também a nossa tarefa: unidos testemunhar. E quando as pessoas vêm, acolhemos e integramos à mesma família de Deus, como nós uma vez fomos acolhidos e integrados.

Mas o inimigo quer semear a discórdia entre as pessoas. Entre as famílias e entre os membros do corpo de Cristo.

Se Satanás conseguir nos separar, vamos ficar fracos e a missão vai perder. Por isso tantas vezes a palavra de Deus diz para nós ficarmos unidos. Pois unidos somos fortes. Separados fraquejamos.

O próprio Jesus, em sua oração sacerdotal, pede ao Pai: “peço que todos sejam um. E assim como tu, meu Pai, estás unido comigo, e eu estou unido contigo, que todos os que crerem também estejam unidos a nós para que o mundo creia que tu me enviaste.” (Jo 17.21)

E esta união traz benefícios incomensuráveis e responsabilidades também: “Por estarem unidos com Cristo Jesus, vocês foram enriquecidos em tudo, tanto no dom de anunciar o evangelho como no dom da sabedoria espiritual.” (v. 5).

A mensagem é: crê em Jesus e você será salvo. E o praticar da palavra traz sabedoria.

Versículo 6: “A mensagem a respeito de Cristo está tão firme em vocês.”

Está mesmo? Então por que vacilamos tanto? Por que contestamos a Palavra de Deus? Por que muitas vezes, para mostrar nosso orgulho, pisamos no irmão? A mensagem a respeito de Cristo está firme em vocês? Se não está, ainda é tempo para crescer na Palavra e na comunhão. Hoje é o dia da salvação.

Para crescer nesta fé só há uma receita: ler e estudar a Palavra de Deus. Seja em Estudos Bíblicos, nos cultos, na leitura da Palavra e qualquer outra forma de contato.

Os momentos que estamos diante da Palavra de Deus são os mais especiais, porque nesses momentos o Senhor nos torna fortes para o dia-a-dia. Para enfrentar as tentações e vencer, unidos com Jesus Cristo. Porque não conseguimos a união por nós mesmos. É também um presente do Senhor para seu povo. Deus atende aquela oração feita por Jesus no Evangelho de João.

Assim, se estamos firmes na fé, o apóstolo diz: “Cristo vai conservá-los firmes até o fim para que no dia da volta do nosso Senhor Jesus Cristo vocês não tenham culpa de nada.” (v. 8).

É o próprio Senhor, em sua união conosco, que nos mantem firmes até o fim. Não precisamos temer que o inimigo nos afastará de Deus, pois ele não tem poder para isso. Somos propriedade exclusiva de Deus. Fomos comprados pelo sacrifício do Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo. Nossa tarefa é anunciar Jesus, para Acolher e Integrar as pessoas à família de Deus.

Muitas vezes nos sentiremos como no texto de Isaías: “Todo o meu trabalho não adiantou nada; todo o meu esforço foi à toa.” E nesses momentos podemos expressar a mesma fé, que aparece exatamente no mesmo versículo: “Mesmo assim, eu sei que o Senhor defenderá a minha causa, que o meu Deus me recompensará.” (Is 49.4).

Não esperamos o reconhecimento do mundo, pela palavra de amor anunciada. É do Senhor que esperamos e receberemos tudo. Aliás, o mundo muitas vezes nos receberá com pedras. Assim como os apóstolos e tantos outros foram maltratados e martirizados. Mas em nossa união com Cristo, vamos ser fortes até o fim. Pois quando somos fracos, o Senhor se faz forte em nós.

É hora de união.

É hora de juntos, buscar orientação do Senhor para o trabalho da Bom Pastor, aceitando cada um assim como é, com suas fraquezas, assim como eu tenho as minhas, pois juntos nos tornamos fortes.

Também é hora de juntarmos forças para ajudar as pessoas que sofrem em nosso Estado.

Quanta dor, quanta tristeza! As pessoas começaram a semana felizes e hoje, nem lugar para enterrar os mortos têm. É uma situação que só de pensar desespera. Nesse momento o povo cristão precisa se unir para ajudar. Com orações sim. Mas também na prática. Enviando comida, água, remédios e tudo que for possível e necessário. Nós já ajudamos gente de lugares mais distantes, agora é o momento de ajudar o nosso próprio povo.

Mesmo nesse momento de dor, se estamos unidos a coisa vai ficar mais fácil. Porque unidos em nome de Cristo ficaremos fortes e levaremos conforto do Salvador às pessoas que perderam tudo.

É Jesus que nos une.

Que o Senhor nos faça permanecer sempre e cada vez mais unidos a ele e uns com os outros. Para que prevaleça a Palavra do Senhor e muitos ainda sejam acolhidos e integrados nesta família cristã, o Corpo de Cristo, o Cordeiro de Deus, em nome de quem todos recebem salvação. Amém.

E a paz de Deus, que ninguém consegue entender, guardará o coração e a mente de vocês, pois vocês estão unidos com Cristo Jesus. Amém. (Fp 4.7)

Pastor Jarbas Hoffimann – Nova Iguaçu-RJ

Soli Deo Gloria

quinta-feira, 13 de janeiro de 2011

Convite

PC050150Você que sempre acompanhou este blog, com suas mensagens e seus ensinos, também está convidado para a minha Desinstalação da Comunidade Bom Pastor, onde tenho servido desde 2008.

Estou saindo em fins de janeiro, e, como é costume na Igreja Luterana (IELB), sempre que possível acontece um culto de despedida. Este culto será no dia 23 de janeiro de 2011, às 16h00, no templo da comunidade Bom Pastor, conforme o mapinha no blog da comunidade (www.celbp.blogspot.com).

Ore por mim e pelos novos desafios e pela Bom Pastor na continuidade de sua missão em Nova Iguaçu.

Fique com Deus.

Rev. Jarbas Hoffimann
Pastor da Igreja Evangélica Luterana do Brasil

quarta-feira, 12 de janeiro de 2011

Vivamos a nova vida

Rm 6.1-11

1º Domingo após Epifania

 

Que a graça do Senhor Jesus Cristo, o amor de Deus e a presença do Espírito Santo estejam com todos vocês! (2Co 13.13).

Sl 29 / Is 42.1-9 / Rm 6.1-11 / Mt 3.13-17

A Paz do Senhor esteja com vocês. Amém.;

Queridos irmãos em Jesus...

Um dos momentos mais bonitos na vida do ser humano é o seu nascimento. Talvez não pra ele mesmo, mas certamente é para aquelas pessoas que esperam pelo seu nascimento.

Pro seu pai e sua mãe é um momento que jamais será esquecido: aquela criança tão esperada e já tão amada, finalmente vem ao mundo. Finalmente podemos ver seu rostinho e segurar em suas mãozinhas. Aquela vida é um presente de Deus. O Salmo 128 chama os filhos de “as flechas do guerreiro”.

Mas aquele ser humano que acabou de nascer, já nasceu condenado. Como nos lembra Davi, no Sl 51.5: “De fato, tenho sido mau desde que nasci; tenho sido pecador desde o dia em que fui concebido.”

Nós nascemos pecadores e, apesar de recém-nascidos, este pecado nos levará à morte física e pode levar à morte eterna. Estaríamos eternamente condenados, se Deus não tivesse mostrado uma solução: a nova vida em Cristo.

Se de Deus ganhamos nossa primeira vida, por meio de nossos pais, de Deus também ganhamos nossa nova vida, por meio de Jesus Cristo, pois é somente Deus que nos dá a nova vida em Cristo.

Como é esta nova vida?

60-Jesus e NicodemosPoderíamos perguntar como Nicodemos: “Como é que um homem velho pode nascer de novo? Será que ele pode voltar para a barriga da sua mãe e nascer outra vez?”

Não. Não é assim que Deus planejou. Não é necessário voltar ao ventre da mãe, para nascer de novo.

A nova vida é recebida por meio da fé em Jesus Cristo. Como Deus revela ao apóstolo Paulo em Gl 2.209: “Assim já não sou eu quem vive, mas Cristo é quem vive em mim. E esta vida que vivo agora, eu a vivo pela fé no Filho de Deus, que me amou e se deu a si mesmo por mim.” Esta é a nova vida.

Sem dúvida o primeiro nascimento é lindo. Inesquecível. Mas esta primeira vida começa escrava do pecado, mesmo antes de nascer e consequentemente está condenada ao inferno. Sem Cristo não há esperança para esta vida... Por mais que tentemos, jamais seremos merecedores da nova vida que leva à vida eterna. Pois nascemos escravos do pecado e sozinhos não podemos nos livrar.

É Deus que dá a nova vida e liberta do poder do pecado. Contudo isto não quer dizer que não somos mais pecadores. Quer dizer que não somos mais dominados pelo pecado. Que fomos libertados. Somos novas criaturas. Dominados pela graça de Deus.

Isto é ótimo para os fiéis verdadeiros, mas é péssimo para aqueles que se dizem cristãos e querem continuar vivendo em seu pecado. Pois não há mais desculpas. Não existe a “carne fraca”. Aqueles que nasceram em Cristo não são dominados pelo pecado. São dominados pela graça de Deus que quer afastar-nos do pecado cada vez mais. E trazer cada vez mais para junto de Deus e dos demais crentes, para vivermos em comunidade a nova vida.

Queridos irmãos e irmãs, nós fomos libertados do poder do pecado, por isso (Cl 3.5) “matem os desejos deste mundo que agem em vocês, isto é, a imoralidade sexual, a indecência, as paixões más, os maus desejos e a cobiça, porque a cobiça é um tipo de idolatria.” E também (Cl 3.9): “Não mintam uns para os outros, pois vocês já deixaram de lado a natureza velha com os seus costumes.”

Queridos irmãos e irmãs em Cristo, fomos libertados destas coisas; Não há como permanecer nelas. Quem conscientemente permanece em seus pecados não é realmente renascido de Cristo. Ainda é escravo do pecado.

Lembrem-se que Deus oferece a nova vida a todos.

Quando alguém, por meio da fé, recebe Jesus Cristo, Deus insere esta pessoa na nova vida. Primeiro ele liberta do poder do pecado, unindo a pessoa com a morte de Cristo na cruz. Não que morramos com Cristo, mas por causa de Cristo, pela fé nele, recebemos sua vitória sobre o pecado, conseguido na cruz.

Com esta vitória somos declarados justos diante dos olhos de Deus e somos libertados para viver uma nova vida neste mundo, nos preparando para a vida eterna, onde nenhum mal nos tocará.

batismo2A nova vida é agradável a Deus; Não porque nós mesmos sejamos agradáveis, mas porque ele nos torna agradáveis a ele, dando a cada filho seu a verdadeira fé em Jesus Cristo. Nos unindo com Cristo em sua morte e ressurreição. Afinal “... vocês sabem que, quando fomos batizados para ficarmos unidos com Cristo Jesus, fomos batizados para ficarmos unidos também com a sua morte.” (Rm 6.3).

Nascemos uma vez, mas nascemos condenados.

Mas aquele que crê em Jesus já nasceu uma segunda vez. Esta nova vida receberá, no seu final, a fida eterna. Pois Jesus mesmo afirmou isto dizendo: “Eu sou a ressurreição e a vida. Quem crê em mim, ainda que morra, viverá; e quem vive e crê em mim nunca morrerá.” (Jo 11.26-27).

Deus nos dá a nova vida.

Fomos libertados do poder do pecado e assim fomos trazidos à nova vida. Uma vida plena, abundante e maravilhosa de se viver. Uma vida com Deus aqui nesta terra. Em segurança, mesmo em meio à mais terrível violência. Em felicidade, mesmo nos momentos de maior tristeza.

Uma vida de vívida esperança e comunhão com Deus, pois a vida eterna já está garantida para quem crê em Cristo.

O que Deus espera de nós nesta nova vida?

Espera que não aproveitemos nossa nova vida para nos lançarmos novamente no pecado. Isto seria estupidez.

É como um preso condenado à morte que recebe perdão completo e sai livre. Então, a primeira coisa que faz, é cometer os mesmos crimes que o levaram à primeira condenação.

O Pai espera que sejamos responsáveis em nossa nova vida. Que vivamos unidos com ele e conscientes de nossas responsabilidades na igreja e na sociedade onde estamos inseridos. Deus espera que vivamos uma vida exemplar em palavras e obras. Para que outros, vendo nossa nova vida, possam também ser iluminados pelo Espírito Santo e trazidos à fé verdadeira em Jesus Cristo.

Isto é ser sal da terra e luz do mundo. É viver a nova vida no dia a dia, não somente quando vamos à igreja.

Queridos irmãos vocês foram libertados do poder do pecado. Essa liberdade é um presente gracioso de Deus para cada um de vocês. Agradeçam diariamente por este presente. Façam da nova vida de vocês uma vida iluminada e não queiram novamente se atirar nas trevas de Satanás.

E vocês também sabem que nesta nova vida Deus não nos abandona à deriva em meio aos perigos do mundo. Ele está conosco diariamente. Ele vem a nós em sua Palavra que fortalece a fé daqueles que a ouvem e praticam. Ele vem a nós na Santa Ceia e no Batismo que nos fortalece a fé e nos atribui a vitória de Cristo.

Deus nos deu nova vida por meio de Jesus Cristo. Vivamos nossa vida à espera da vida eterna que também já está garantida, no nome de Cristo. Amém.

E a paz de Deus, que ninguém consegue entender, guardará o coração e a mente de vocês, pois vocês estão unidos com Cristo Jesus. Amém. (Fp 4.7)

Pastor Jarbas Hoffimann – Nova Iguaçu-RJ

Soli Deo Gloria

O futuro a Deus pertence

Ef 1.3-14

2º Domingo após o Natal

 

Que a graça do Senhor Jesus Cristo, o amor de Deus e a presença do Espírito Santo estejam com todos vocês! (2Co 13.13).

Sl 119.97-104 / 1Rs 3.4-15 / Ef 1.3-14 / Lc 2.40-52

 

Queridos irmãos em Jesus.

A paz do Senhor esteja com todos vocês.

Hoje é o primeiro domingo de 2011.

Feliz ano novo a vocês.

Nós gostamos destas datas que parecem mudar o rumo das nossas vidas. Nós comemoramos aniversários e ano novo, normalmente, pensando: “agora temos novas chances para fazer o que não fizemos. Podemos corrigir erros passados ou deixa-los para trás. E de hoje em diante será tudo melhor.”

Mas será que melhorará?

CONY1003Há um ditado que diz: “o futuro a Deus pertence”. E pertence mesmo, mas este ditado, normalmente é lembrado em momentos de mudança. Mas quase sempre quando não se consegue fazer muitos planos sozinhos.

Porque enquanto achamos que estamos no controle de nossas vidas, achamos que o futuro pertence a nós e não a Deus. Porque nós tomamos as rédeas da situação.

Exemplo:

Temos um emprego, tudo está indo bem, então planejamos comprar um carro, uma casa, ou outra coisa qualquer. Então, perdemos o emprego e a renda, mas ainda queremos comprar uma casa. Será que conseguiremos comprar?

A resposta normalmente é: “o futuro a Deus pertence”.

Horas difíceis, são ocasiões para agir sabiamente. E é sempre bom lembrar que sabedoria não tem muito a ver com estudo ou inteligência. Especialmente a sabedoria que nos fala a Palavra de Deus.

Os textos bíblicos de hoje, Salmo 119, 1Rs e Lc têm algo em comum. Tratam da sabedoria que vem de Deus.

O Salmo é um louvor à Lei de Deus e à sua sabedoria, pois “por meio das tuas leis, consigo a sabedoria e assim detesto todos os caminhos da mentira.” (Sl 119.104).

Em 1Rs, Salomão tem um encontro com Deus e pede: “Portanto, dá-me sabedoria para que eu possa governar o teu povo com justiça e saber a diferença entre o bem e o mal.” (1Rs 3.9). Ele sabia que sem Deus, seu governo estava fadado ao fracasso, por isso precisava da sabedoria que vem do alto.

E em Lc é Jesus que, “conforme crescia ... ia crescendo também em sabedoria, e tanto Deus como as pessoas gostavam cada vez mais dele.” (Lc 2.52).

E mesmo em Efésios, de forma não tão direta, a Sabedoria aparece, pois Paulo lembra que todos os dons espirituais, entre eles temos a sabedoria, vêm de Deus, o nosso Pai.

O tema da sabedoria, tem muito a ver com o ano novo.

Especialmente com o ano novo de nossa congregação Bom Pastor e Missão Esperança. Pois este ano as congregações precisarão de muita sabedoria.

Por quê?

Porque daqui a alguns dias, temos a emissão de um chamado, para o novo pastor.

Além disso, ainda tem a questão da situação de nosso patrimônio. Ambas as situações exigirão sabedoria de todos, mas, em especial, dos líderes da congregação. Para ouvir, refletir e dirigir as congregações, pois para isso foram eleitos.

Agora não é hora de dizer: “o futuro a Deus pertence”. Embora pertença mesmo.

O futuro, o presente, o passado, desde a fundação do mundo, tudo está sob o controle amoroso de Deus.

Mas e os desafios que enfrentaremos?

O que eles farão com a nossa comunidade?

Depende de como nós entraremos nestes desafios. Se entrarmos confiando em nós mesmos e em nossa “sabedoria” adquirida, podemos até conseguir muita coisa, mas sempre ficará a dúvida se fizemos a vontade do Senhor ou a nossa vontade...

Se, por outro lado, mesmo com nossas dificuldades, nossas dúvidas, confiarmos na Sabedoria do Senhor, poderemos sempre ter a certeza de que o Senhor está conduzindo tudo.

A Sabedoria do Senhor se manifesta em sua palavra. Esta precisa guiar nossos passos e nossas atitudes. Orar e trabalhar. Essa é uma atitude sábia. Lembrem um dito de Lutero que falei recentemente: “trabalhem, como se tudo dependesse de vocês, mas orem, como se tudo dependesse de Deus”.

É claro que, no fim, a comunidade é que fará um chamado. O Senhor não costuma indicar ele mesmo o pastor que vai a cada congregação. Mas se acompanharmos o processo de chamado com oração. Com respeito às pessoas e às opiniões dos irmãos, podemos ter certeza de que a vontade do Senhor será feita e o servo que ele escolheu é que virá trabalhar aqui.

O mesmo também quanto ao uso das bênçãos materiais que o Senhor nos conferiu... O que é melhor? Vender pra não ter que lidar com algo que costuma ser problemático? Alugar e, planejar conseguir lucros para investir na missão aqui em nossa cidade, distrito e país? O que fazer?

Estas nunca são decisões fáceis. Por isso é preciso agir com sabedoria. Orando, mas também procurando trabalhar. Ou buscar pessoas que sabem lidar com a situação, pra nos aconselharem no que é melhor fazer.

Por fim, tanto quanto ao chamado, quanto no uso do terreno, a decisão será da assembleia e, com isso, será a vontade da congregação.

E a congregação, que orou, estudou, trabalhou e decidiu, poderá confiar que tomou a melhor decisão e agiu com sabedoria.

A sabedoria que vem de Deus, nos ensina que o inimigo estará ao nosso redor, buscando ocasião de nos dividir. Querendo nos fazer inimigos uns dos outros. Mas a sabedoria do Senhor nos torna “mais sábios que nossos inimigos.” (Sl 119.98).

Quando o inimigo ataca e quer nos dividir, precisamos da Sabedoria de Deus, para diferenciar aquilo que é o mais importante. E o que é mais importante numa congregação? Permanecer na Palavra de Deus e testemunhar de Jesus Cristo. Isto é o mais importante.

Para essa tarefa precisaremos ainda mais, da sabedoria que vem do Senhor. Sabedoria de perdoar e pedir perdão. Sabedoria de amar uns aos outros como o Senhor nos amou. Reconhecendo em cada irmão um motivo para continuar trabalhando em favor do Reino de Deus. Afinal, nosso trabalho e nossos planos, que pertencem a Deus e sua sabedoria, são para levar Cristo para Todos. Para acolher e integrar e não expulsar e dividir.

Nossa tarefa é compartilhar, como Paulo fez: “Deus, em toda a sua sabedoria e entendimento, fez o que havia resolvido e nos revelou o plano secreto que tinha decidido realizar por meio de Cristo. Este plano é unir, no tempo certo, debaixo da autoridade de Cristo, tudo o que existe no céu e na terra. Todas as coisas são feitas de acordo com o plano e com a decisão de Deus. ... Deus nos escolheu para sermos o seu povo, por meio da nossa união com Cristo.” (Ef 1.8-11).

O Senhor resolveu e nos salvou. E quer nos manter unidos em congregação e salvos em Cristo. Essa notícia serve para nós começarmos bem o nosso ano novo. Pois o futuro, sempre a Deus pertence. E o futuro de quem é de Cristo é a salvação e a vida eterna.

2011 será um ano em que nossa sabedoria, como congregação, será posta à prova. Mas o Senhor sempre quer continuar conduzindo esta congregação.

Que o Senhor nos dê um abençoado 2011. Amém.

E a paz de Deus, que ninguém consegue entender, guardará o coração e a mente de vocês, pois vocês estão unidos com Cristo Jesus. Amém. (Fp 4.7)

Pastor Jarbas Hoffimann – Nova Iguaçu-RJ

Soli Deo Gloria

Natal é cumprimento de promessa

Lc 2.1-20

1º Domingo após o Natal

 

Que a graça do Senhor Jesus Cristo, o amor de Deus e a presença do Espírito Santo estejam com todos vocês! (2Co 13.13).

Lc 1.68-79 / Tt 2.11-14 / Lc 2.1-20

 

Queridos irmãos em Jesus.

O texto escolhido para nossa meditação hoje, foi Lucas, capítulo 2, versículos 1 a 20. Este texto relata parte do que aconteceu quando Jesus Nasceu.

presépio de natalÉ interessante notar que Lucas é reconhecido, até por aqueles que não são cristãos, como um bom investigador. Ele procurou conhecer e fundamentar todos os fatos acerca desse acontecimento: o nascimento de Jesus, o Messias. Ele buscou as promessas e o cumprimento de cada uma delas.

E com Lucas, nós concluímos que o nascimento de Jesus foi uma prova do amor de Deus aos seres humanos. Com este acontecimento o Senhor mostra que ama a cada pessoa acima de tudo.

Afinal, quem buscou o afastamento de Deus foi o próprio ser humano com o seu pecado. Com isso nós nos jogamos debaixo da ira de Deus e estávamos condenados eternamente. Mas o Senhor, como tinha prometido, enviou ao mundo seu único filho, Jesus Cristo, que nasceu humilde em uma manjedoura de Belém.

Jesus, como relembramos em nosso programa de Natal, tinha sido prometido já em Gênesis. Logo depois que o primeiro casal desobedeceu a Deus. Ali mesmo, Deus prometeu enviar o Salvador ao mundo.

“Eu farei com que você e a mulher sejam inimigas uma da outra, e assim também serão inimigas a sua descendência e a descendência dela. Esta esmagará a sua cabeça, e você picará o calcanhar da descendência dela.” (Gn 3.15).

Essa promessa foi repetida muitas vezes, até que chegou o tempo certo e Jesus nasceu.

Como eu disse antes, Lucas é bastante cuidadoso em seu relato. E mostra vários detalhes que nos lembram de que o Senhor estava cuidando para que tudo saísse como deveria. E cada promessa sobre o Salvador foi cumprida.

Talvez algo que passe despercebido é que Maria e José moravam em Nazaré, mas o Messias deveria nascer em Belém. Era uma viagem de 150km e, no caso deles, à pé.

Naquela ocasião Deus usou o governo romano para promover o cumprimento da promessa feita a Davi. O imperador manda e o governador, Quirino, faz um recenseamento.

Hoje o IBGE vem às nossas portas. Naquela época, cada um deveria voltar e se apresentar em sua cidade natal. José então precisou viajar, com sua mulher prestes a dar à luz, para Belém. Então fazem uma viagem de mais ou menos 6 dias.

Talvez eles nem tenham percebido que isso estava acontecendo para que se cumprisse a promessa de Deus.

E naquela noite, numa pequena cidade, nasceu uma criança especial. Uma criança que tinha sido gerada pelo Espírito Santo, na virgem Maria.

Ali Deus estava cumprindo a promessa que tinha feito a Adão e Eva. Cumpria também a promessa de que o Messias iria nascer em Belém.

Naquela noite nasceu o Salvador da humanidade.

Mas quando Jesus nasceu, muitos não acreditaram nele. Aliás, a maioria das pessoas nem soube do acontecido. Apenas alguns pastores viram Jesus recém-nascido.

Aqueles pastores foram escolhidos como as primeiras testemunhas. O anjo disse a eles: “Não tenham medo! Estou aqui a fim de trazer uma boa notícia para vocês, e ela será motivo de grande alegria também para todo o povo! Hoje mesmo, na cidade de Davi, nasceu o Salvador de vocês — o Messias, o Senhor!” (Lc 2.10-11).

E aqueles pastores foram as testemunhas. Os primeiros que saíram dando glórias a Deus pelo Messias nascido.

Uma semana depois, outra promessa a ser cumprida: o Senhor disse a Simeão que ele não morreria até ver o Messias. Então, quando Maria e José levam seu pequeno filho ao templo, Simeão toma o menino nos braços e começa a cantar:

“Senhor, agora despedes em paz o teu servo...”

Já posso morrer, diz Simeão. O Senhor prometeu. O Senhor cumpriu.

Pouca gente soube do nascimento de Jesus. Mas hoje ele é o aniversário mais comemorado do mundo. Infelizmente, a festa ficou maior que o aniversariante e muitos não lembram mais nem o que estão comemorando.

familia sagradaNem quero me deter nisso, pois não é um dia de ficar lembrando o que nós fazemos de errado. Natal é dia de olhar para as misericordiosas promessas de Deus. Pois ele promete sempre para o nosso bem. E cumpre tudo o que promete.

Não podemos esquecer de todo amor que Deus demonstrou por nós. A ponto de enviar seu próprio Filho, pra morrer em nosso lugar. Natal é dia de olhar ao nosso redor e saber quantas pessoas estão precisando desse mesmo amor.

Não só no Natal precisamos olhar o próximo com carinho, mas Natal é uma época em que deveríamos lembrar mais mesmo. Pois lembramos do maior presente que já recebemos: a salvação.

Um dia esta vida e suas festas vai terminar. Mas a alegria do Natal continuará na festa do céu. Onde todos os crentes em Cristo, ficarão por toda a eternidade. Pois todo aquele que crê em Jesus tem a vida eterna.

Que o Senhor nos abençoe. Amém.

E a paz de Deus, que ninguém consegue entender, guardará o coração e a mente de vocês, pois vocês estão unidos com Cristo Jesus. Amém. (Fp 4.7)

Pastor Jarbas Hoffimann – Nova Iguaçu-RJ

Soli Deo Gloria

Do pecado à Salvação

Hb 1.1-12 – Programa de Natal

Que a graça do Senhor Jesus Cristo, o amor de Deus e a presença do Espírito Santo estejam com todos vocês! (2Co 13.13).

Sl 2 / Is 52.7-10 / Hb 1.1-12 / Jo 1.1-18

Queridos irmãos em Jesus.

Eu queria muito chegar aqui hoje e contar uma historia bonitinha. Daquele tipo que a gente recebe às centenas hoje em dia.

Daquelas que falam de uma criança que está sofrendo em um lugar longe e que você deveria saber. Talvez para se sentir melhor consigo mesmo.

pecado_pessoalAquelas histórias emocionantes e que quase sempre são mentira ou exageros.

Mas enfim, a história é bonitinha. Serve pra fazer a gente chorar. Ou melhor, a gente chora nas primeiras, mas depois enjoa ou se acostuma... Acaba percebendo que é golpe pra nos pegar pelo emocional. E aí nem liga mais.

Ou queria chegar aqui hoje e contar uma história muito alegre. Daquelas que a gente parece que sai meio flutuando depois de ouvir. Mas muitas dessas histórias, que também ouvimos hoje em dia, são apenas parábolas para nos emocionar. E acabam não sendo a verdade.

Porque estou dizendo isto?

Porque hoje vimos uma história de uma criança que já sofreu perseguições logo que nasceu. De uma criança que teve a vida pobre, mas, ao que sabemos, feliz com seus pais. Ou com sua mãe, já que provavelmente seu pai terreno morreu cedo. Olha aí mais um caráter emotivo: teria crescido órfão de pai, mesmo sendo filho do Pai do céu.

Sabemos que essa criança, quando cresceu, sofreu muito. A ponto de suar sangue. Carregou os nossos pecados sobre os seus ombros. É ou não é uma história triste?

É triste sim. Muito triste...

Ainda mais que sabemos por quem foi que Jesus sofreu.

Sofreu inocentemente, por nós, para a nossa salvação.

Por outro lado, essa história triste, terminou como aquelas histórias edificantes. Daquelas que deixam a gente meio flutuando.

Imaginem João, correndo, ofegante, chega à porta da gruta no domingo de manhã...

Não tem coragem de entrar. Afinal o que teria acontecido no túmulo?

Em seguida vem Pedro. Esse parecia não ter medo de nada. E num rompante entra sepulcro adentro.

Vazio...

Dúvida...

Emoção.

Pouco tempo depois, as dúvidas desaparecem. Jesus ressuscitou mesmo. Assim como prometeu.

Pedro e os outros não podiam se conter de alegria e contaram sua história para o mundo inteiro.

História que começa triste e sofrida com uma criança pobre. Que fica ainda mais triste com um homem (o Messias) morto pelos pecados do mundo inteiro. E uma história que por fim fica emocionante, pois Jesus venceu a morte.

Do pecado à Salvação. Essa era nossa peça teatral de hoje.

Do pecado à Salvação é a história que começa sem Cristo e termina em Cristo.

O Senhor nos conta a história da Salvação. E ele já contou de muitas maneiras, para que nós nunca esqueçamos dela.

Diz o texto de Hebreus 1: 1Antigamente, por meio dos profetas, Deus falou muitas vezes e de muitas maneiras aos nossos antepassados, 2mas nestes últimos tempos ele nos falou por meio do seu Filho. Foi ele quem Deus escolheu para possuir todas as coisas e foi por meio dele que Deus criou o Universo.”

Essa história nos lembra que Jesus, “depois de ter purificado os seres humanos dos seus pecados, sentou-se no céu, do lado direito de Deus, o Todo-Poderoso.” (Hb 1.3)

Lembra ainda que Jesus vai governar com justiça. E que ele odeia o mal. Os pecadores que não se arrependem serão condenados. Mas aqueles que se arrependem e confiam em Jesus, terão a vida eterna. Porque tudo que existe passará e, assim como se troca de roupa, o céu e a terra passarão.

Mas o Senhor não muda e suas promessas de amor também não.

Ressurreição - cruz vazadaLembram das histórias tristes e bonitinhas? A gente se acostuma com elas e passa a não ligar mais. Nem lê.

O mesmo não pode acontecer com a história de Jesus. Precisamos lembrar e relembrar sempre, para jamais esquecer. Precisamos contar a todos quantos pudermos e, especialmente às pessoas mais próximas de nós.

Precisamos crescer na Palavra do Senhor, para ficar cada vez mais firmes nesta fé que nos dará a vida eterna.

Essa é a história da Salvação. A história daquele menino nascido em Belém e que salva todos quantos creem nele.

Porque todo aquele que crê em Jesus tem a vida eterna. Amém.

E a paz de Deus, que ninguém consegue entender, guardará o coração e a mente de vocês, pois vocês estão unidos com Cristo Jesus. Amém. (Fp 4.7)

Pastor Jarbas Hoffimann – Nova Iguaçu-RJ

Soli Deo Gloria

Qual o tempo da Salvação?

4º Domingo no Advento

Que a graça do Senhor Jesus Cristo, o amor de Deus e a presença do Espírito Santo estejam com todos vocês! (2Co 13.13).

Sl 111 / Is 63.7-14 / Gl 4.4-7 / Mt 2.13-23

 

anunciação do nascimento aos pastores - jesus - natalQueridos irmãos em Jesus.

A paz do Senhor esteja com todos vocês.

Qual o tempo certo para fazer as coisas?

Qual o tempo certo para começar a trabalhar?

Qual o tempo certo para namorar?

Qual o tempo certo para casar? Qual o tempo certo para um casal ter filhos?

Permitam-me ler um trecho dos escritos do Sábio Salomão: Eclesiastes 3.1-8:

1Tudo neste mundo tem o seu tempo; cada coisa tem a sua ocasião.
2Há tempo de nascer e tempo de morrer; tempo de plantar e tempo de arrancar;
3tempo de matar e tempo de curar; tempo de derrubar e tempo de construir.
4Há tempo de ficar triste e tempo de se alegrar; tempo de chorar e tempo de dançar;
5tempo de espalhar pedras e tempo de ajuntá-las; tempo de abraçar e tempo de afastar.
6Há tempo de procurar e tempo de perder; tempo de economizar e tempo de desperdiçar;
7tempo de rasgar e tempo de remendar; tempo de ficar calado e tempo de falar.
8Há tempo de amar e tempo de odiar; tempo de guerra e tempo de paz.

Qual é o tempo da Salvação?

Muitos hinos já foram feitos sobre este tema:

“meu amigo, hoje tens a escolha, vida ou morte qual vais aceitar? Amanhã pode ser muito tarde, hoje Cristo te quer libertar.”

Podemos até não gostar deste hino ou achar que ele ensine alguma doutrina errada, mas ele ensina algo muito certo também. O tempo da graça é hoje. O tempo da Salvação é agora.

Amanhã pode nem chegar.

E é isso que diz outro hino que cantamos: “Hoje ele te chama, para restaurar, hoje ele te chama para renovar, hoje ele te chama para reviver e amar.”

Hoje é o tempo de crer e viver para Jesus. Hoje.

Quem sabe os tempos com extrema precisão é o Senhor que: “quando chegou o tempo certo, Deus enviou o seu próprio Filho, que veio como filho de mãe humana e viveu debaixo da lei 5para libertar os que estavam debaixo da lei, a fim de que nós pudéssemos nos tornar filhos de Deus.” (Gl 4.4-5)

Em outro momento, também no tempo certo, o Pai enviará novamente o Filho. Mas agora para julgar a todos. Vivos e mortos. Os crentes ganharão a vida eterna e os outros a condenação.

Quando será esse tempo?

Jesus responde: “Mas ninguém sabe nem o dia nem a hora em que tudo isso vai acontecer, nem os anjos do céu, nem o Filho, mas somente o Pai.” (Mc 13.32 e Mt 24.36).

E para aqueles que tentam adivinhar o dia do fim, falando sobre a vinda do Espírito Santo, o Senhor alerta: “Não cabe a vocês saber a ocasião ou o dia que o Pai marcou com a sua própria autoridade.” (At 1.7).

O tempo da Salvação é agora. E, a partir de agora, todos que creem são salvos. E aguardam a vitória final.

Paulo lembra aos Gálatas e a nós: 6E, para mostrar que vocês são seus filhos, Deus enviou o Espírito do seu Filho ao nosso coração, o Espírito que exclama: “Pai, meu Pai.” 7Assim vocês não são mais escravos; vocês são filhos. E, já que são filhos, Deus lhes dará tudo o que ele tem para dar aos seus filhos.”

Não somos escravos.

Somos filhos e podemos chamar como um filho que pede socorro ao pai amado.

Se hoje é o dia da salvação.

Hoje também é o dia de colocar nossa fé em ação. Amando a Deus e ao próximo.

Tem muita coisa pra fazer.

Aproveitem as esperanças renovadas do Natal e renovem também o coração. Encham de amor pelo próximo. Ajude a alimentar a quem tem fome, a socorrer o abatido e animar ao desanimado.

Assim, você será mais um instrumento de Salvação. E hoje, a salvação poderá ainda alcançar a muitas pessoas.

Porque todo aquele que crê no Senhor, tem a vida eterna.

Amém.

E a paz de Deus, que ninguém consegue entender, guardará o coração e a mente de vocês, pois vocês estão unidos com Cristo Jesus. Amém. (Fp 4.7)

Pastor Jarbas Hoffimann – Nova Iguaçu-RJ

Soli Deo Gloria

Colocando em dia

Olá irmãos.

A Paz do Senhor Jesus esteja com todos vocês.
Agora, passada a correria do fim de ano, vou atualizar as mensagens desde dezembro. Desculpem não ter postado antes, mas o tempo foi curto. Também há muitas mudanças neste mês de janeiro.

Que o Senhor use as palavras escritas aqui, para trazer conforto e orientação a todos, tanto quanto trouxeram para mim.

Que Deus os abençoe.

Rev. Jarbas Hoffimann
Pastor da Igreja Evangélica Luterana do Brasil (IELB).