sábado, 11 de dezembro de 2010

Esperamos com fé o Senhor e Salvador

Fp 4.4-7
3º Domingo no Advento

Que a graça do Senhor Jesus Cristo, o amor de Deus e a presença do Espírito Santo estejam com todos vocês! (2Co 13.13).


Sl 85 / Sf 3.14-20 / Fp 4.4-7 / Lc 7.18-28(29-35)


Queridos irmãos em Jesus.

É Advento! Tempo de preparação e de espera.

Já estamos no terceiro domingo no Advento... Mais alguns dias e será Natal: a chegada do Salvador. Você está preparado pra receber o Salvador?

O bom pastor resgatando a ovelhaQuerido irmão no Senhor...

...é preciso estar preparado.

Jesus disse: “Vigiem e orem para que não sejam tentados. É fácil querer resistir à tentação; o difícil mesmo é conseguir.” (Mt 26.41). João Batista disse, como lembramos semana passada: “Preparem o caminho para o Senhor passar! Abram estradas retas para ele!” (Mt 3.3).

Jesus ainda usou várias parábolas para nos mostrar que é necessário estar preparados. Ele falou das 10 moças que esperavam pelo noivo (Mt 25.1-13). Cinco estavam preparadas, as outras cinco não. As que estavam preparadas entraram na festa. As outras perderam a vez.

Em outra ocasião Jesus advertiu que sua segunda vinda será “como o ladrão” (1Ts 5.2,4; 2Pe 3.10; Ap 3.3; 16.15), que vem quando menos se espera. Aí não haverá mais tempo para se preparar. É preciso aproveitar cada oportunidade. Cada culto. Cada momento para ler a Palavra de Deus e participar da Santa Ceia. São todas oportunidades para se preparar.

Todos nós sabemos que não esperamos mais o Jesus menino. Esperamos o Salvador que virá julgar vivos e mortos. E “O Senhor virá logo”, disse o apóstolo Paulo aos filipenses.

O fato de ele ainda não ter vindo demonstra a sua misericórdia. Para dar mais tempo àqueles que ainda não andam no seu caminho. Porque Deus quer que todos se salvem. Você e eu e todas as outras pessoas. Deus quer todos nós na vida eterna.

Mas ele não vai esperar para sempre.

No dia que só ele sabe, Jesus virá com toda sua glória, para julgar vivos e mortos. Por isso, preparem-se!

Onde você gostaria de passar a eternidade? Junto à glória eterna de Deus ou na desgraça por toda a eternidade?

Se é no céu, então prepare-se!

Mas como?

Filipenses mostra como se preparar:

Tenham alegria...

... Alegria em Jesus Cristo.

Quando sofremos, ficamos tristes. Mas com Cristo sabemos que temos a vitória final. Não é: “talvez eu vencerei!” Não é isso. E sim: Cristo já conquistou a vitória e a dá a todos os fiéis. Isto enche o fiel de alegria, mesmo em momentos de angústia. Porque a vitória não é uma dúvida. Para o fiel é uma certeza.

É por isso que Satanás luta tanto para nos tirar a alegria. Porque ele quer nos tirar a vitória que já é nossa pela fé. Só esperamos o momento de tomar parte na bênção eterna.

Tenham alegria...

Quando vierem os fardos e tentações, lembrem de Jesus, que disse: “Venham a mim, todos vocês que estão cansados de carregar as suas pesadas cargas, e eu lhes darei descanso.” (Mt 11.28). Jesus transforma a tristeza em alegria. E só ele pode fazer isto.

Se estas dificuldades parecem intermináveis, lembre das palavras do Salvador: “eu estou com vocês todos os dias, até o fim dos tempos.” (Mt 28.20). E se o Senhor está comigo, quem poderá me derrotar?

Ninguém!

Esta certeza nos enche de alegria e paz.

Alegria e paz é tudo que as pessoas buscam hoje, mas não encontram. Nós temos de sobra. Porque temos Jesus Cristo. Não despreze o Salvador que tanto te amou a ponto de morrer por você...

“Sejam amáveis com todos”.

Com o colega de trabalho que te tratou mal e com o chefe que age como se fosse seu dono. Com o vizinho que te tira o sossego e com o médico que não te atendeu direito.

Ser amável não quer dizer ser passivo. Não quer dizer aceitar a maldade e os maus tratos. Quer dizer ter brandura até mesmo quando se vai contestar e condenar.

Sejam amáveis com a esposa, ou com o marido... Com os filhos. Tratem a eles como o presente mais precioso que Deus deu pra vocês nesta terra, porque é isso que são.

Paulo ainda diz: “Não se preocupem com nada”.

Nada pode preocupar demais o cristão, porque toda sua vida está nas mãos do Senhor. Quando tiver dificuldades: “ore”. Fale com Deus e peça o que você precisa, mas peça de forma agradecida, sabendo que Deus sempre fará o melhor por você.

Se vocês procurarem agir assim, “a paz de Deus, que ninguém consegue entender, guardará o coração e a mente de vocês” (Fp 4.7) até o dia da vinda de Jesus Cristo.

E no texto logo a seguir, o apóstolo Paulo, guiado pelo Espírito Santo, nos manda encher a mente com tudo que é bom. Se nossa cabeça estiver ocupada com coisas boas, o mal tentará entrar, mas não achará espaço.

Se nossa mente estiver cheia da Palavra de Deus, Deus governará nossa vida. E a boca fala do que está cheio o coração. Por isso, com a mente cheia da Palavra de Deus, nossos lábios pronunciarão palavras boas. Palavras amáveis. Palavras que querem levar Jesus Cristo às outras pessoas. Para encher de alegria e paz a vida delas, assim como a nossa vida se enche de alegria por causa de Jesus.

Isto é viver o Advento: é estar preparado para a volta de Jesus, seja quando for.

E tudo isso só faz sentido, porque o Senhor, no primeiro Advento, veio e nos deu a Salvação, pela fé.

Que Deus nos abençoe e guarde nesta fé e nesta esperança até o dia de comemorarmos o aniversário de Jesus junto com ele. Porque quem crê em Jesus está preparado para a vida eterna. Amém.

E a paz de Deus, que ninguém consegue entender, guardará o coração e a mente de vocês, pois vocês estão unidos com Cristo Jesus. Amém. (Fp 4.7)

Pastor Jarbas Hoffimann – Nova Iguaçu-RJ

Soli Deo Gloria

Como você está esperando Cristo?

Rm 15.4-13
2º Domingo no Advento

Que a graça do Senhor Jesus Cristo, o amor de Deus e a presença do Espírito Santo estejam com todos vocês! (2Co 13.13).


Sl 72.1-7 / Is 11.1-10 / Rm 15.4-13 / Mt 3.1-12


Queridos irmãos em Jesus.

Estamos vivendo o período de Espera do Menino Jesus. É Advento. Lembramos novamente o Salvador menino, nascido humilde. Filho de uma virgem de Belém, da família do Rei Davi.

Não é bom misturar as coisas. Esse Advento já acabou. Cumpriu-se na “plenitude do Tempo”, mas ao mesmo tempo estamos sempre no Advento da segunda vinda de Jesus Cristo.

O Salvador virá novamente, mas desta vez com toda sua glória e majestade. Virá julgar a todos os seres humanos. E todos receberão sua recompensa de acordo com a vida que levaram aqui nesta terra.

O texto do profeta Isaías nos lembra que o Rei está vindo. E Isaías estava olhando para a primeira vinda de Jesus Cristo. O Rei perfeito. Mas isto já aconteceu. Então este texto, assim como o Salmo, que fala de um Rei, nos falam do Rei Jesus que já veio, mas que também voltará uma segunda vez. Todos os crentes em Cristo, que viveram uma vida correta neste mundo serão salvos. Todos aqueles que souberam esperar irão com Deus para a eternidade.

anunciação Por isso a pergunta de hoje é:
Como você está esperando Cristo?
Sendo relapso ou trabalhando por Cristo?
Muitas pessoas, que pensam ser cristãs, querem esperar Cristo sentadas. Descansando. Sem fazer nada com a fé que um dia Deus lhes deu. Mas a fé é um precioso dom de Deus que só continua viva quando é compartilhada. Se não ela morre. Porque “a fé é assim: se não vier acompanhada de ações, é coisa morta.” (Tg 2.17).

A fé se agarra às Escrituras Sagradas. E por meio da Palavra, diariamente Deus renova nossa paciência para esperar e nossa esperança. Assim como diz Rm 15.4: “Porque tudo o que está nas Escrituras foi escrito para nos ensinar, a fim de que tenhamos esperança por meio da paciência e da coragem que as Escrituras dão.” Por isso há tanta gente aflita pelo mundo afora. Há muita gente que não pode ter verdadeira esperança, porque falta a verdadeira fé em Cristo.

A fé não é só saber que Cristo veio ao mundo e morreu pra salvar o pecador. Mas, uma vez crendo nisso, a fé torna-se prática diária. A fé passa a ser vivida por aquele que crê.

E você como tem vivido sua fé? Como tem esperado Jesus Cristo? Sendo relapso ou trabalhando pra Cristo?

Aqueles que são relapsos, podem ser pegos de surpresa. Pois Jesus volta a qualquer momento, e quem não estiver acordado em sua fé será considerado morno. Nem frio nem quente, como diz Apocalipse. E será vomitado para fogo eterno.

Prezados irmãos...

É hora de viver a fé. Existem muitos lugares onde podemos colocar nossa fé em prática. Aqui na casa de Deus, por exemplo. Ajudando em tudo o que for necessário. Me colocando a disposição na diretoria e não fugindo por covardia ou acomodação.

Às vezes Deus nos chama e quer fazer muito por meio de nós, daí vem o Diabo e diz:

— Não! Você não sabe. Pra quê você vai se incomodar? Deixa isso pros outros.

E assim, Satanás paralisa o trabalho do povo de Deus. E aquela fé que um dia era viva, vai enfraquecendo. Primeiro a pessoa não quer mais se comprometer com nada na igreja. Depois começa a não valorizar os Estudos Bíblicos, os cultos, a Santa Ceia. Depois ela se afasta completamente. Se esquece de ler a Bíblia, de orar de falar de Cristo aos filhos...

Nesse momento o Diabo venceu. E esta pessoa está a caminho do inferno.

O Senhor, por outro lado, é tão bom, que é ele quem nos dá todo o necessário para fazermos o trabalho que é dele, mas que foi confiado a nós. Existem inúmeras maneiras de levar o nome de Jesus adiante.

A notícia é a mesma que nós sempre escutamos: “Cristo se tornou servo dos judeus a fim de mostrar que Deus é fiel, para fazer com que se cumprissem as promessas feitas por Deus aos patriarcas e para fazer com que os não-judeus louvassem a Deus pela sua bondade.” (Rm 15.8-9).

Como você está esperando Cristo?

Sendo relapso ou trabalhando por Cristo?

Aquele que está sendo relapso está sendo omisso com a fé que Deus lhe deu e um dia será cobrado.

Aquele que trabalha, começa a ver aqui quanta bondade Deus tem reservado para seus filhos na eternidade. Porque aqueles que hoje estão com Deus são novas criaturas, vivem a paciência e a esperança que só pode ter o verdadeiramente crente.

Como você está esperando Cristo?

Sendo relapso ou trabalhando por Cristo?

Vamos trabalhar para levar o nome de Jesus a todos quantos for possível. Vamos ofertar. Vir à igreja, ajudar em todo o necessário. E sempre louvando o nosso Deus Pai Todo-Poderoso, Criador do céu e da terra.

Como diz o lema de nossa igreja para este próximo ano: vamos comunicar a vida. E as pessoas que vierem ouvir Jesus, serão acolhidas e integradas ao número dos que estão sendo salvos. E o melhor disso é que a tarefa de anunciar Jesus vai fazer com que nós também fiquemos cada vez mais firmes na fé.

Por isso, glórias a Deus, porque ele enviou Jesus no primeiro Advento para salvar a humanidade. Por isso todos que creem em Jesus e vivem essa fé no dia-a-dia, têm a vida eterna. Promessa garantida por Jesus, o nosso Salvador.

Amém.

E a paz de Deus, que ninguém consegue entender, guardará o coração e a mente de vocês, pois vocês estão unidos com Cristo Jesus. Amém. (Fp 4.7)

Pastor Jarbas Hoffimann – Nova Iguaçu-RJ

Soli Deo Gloria

sábado, 27 de novembro de 2010

A noite está terminando

Que a graça do Senhor Jesus Cristo, o amor de Deus e a presença do Espírito Santo estejam com todos vocês! (2Co 13.13).

Sl 122 / Is 2.1-5 / Rm 13.8-14 / Mt 24.36-44

A noite está terminando

Queridos irmãos em Jesus.

Glória a Deus nas maiores alturas do céu! E paz na terra para as pessoas a quem ele quer bem!

E que a paz do Senhor esteja com todos vocês. Amém.

Hoje, lemos, entre os outros textos, Romanos 13, onde Paulo faz uma série de recomendações aos cristãos que viviam em Roma por volta do ano 100 depois de Cristo.

Naqueles dias, muitos cristãos estavam em dúvida sobre como viver a vida depois de ter sido convertido. Precisavam de orientação para saber agir frente aos fatos da vida. O apóstolo, instruído pelo Espírito Santo ensina a eles e hoje também ensina a cada um de nós.

Com toda humildade de um servo de Cristo, mas também com toda a autoridade que Deus confere aos seus pastores Paulo adverte aos cristãos de como deve ser a vida deles.

Por todo o livro aos Romanos, o apóstolo falou de tudo o que Jesus Cristo fez. De como ele foi fiel e venceu a morte. De como ele suportou todos os sofrimentos para salvar as pessoas da condenação eterna. Lembrou também que, sem Jesus, nossa vida e nossa fé seriam inúteis. É a obra de Jesus Cristo que nos dá a esperança da vida eterna.

Romanos nos lembra também que todas as pessoas são culpadas e nenhum ser humano tem desculpas diante de Deus. Precisa reconhecer e, arrependido, ir a Jesus para receber o perdão.

Paulo conhecia textos como os do Salmo 51.5: “De fato, tenho sido mau desde que nasci; tenho sido pecador desde o dia em que fui concebido.”

Sabendo que somos pecadores, precisamos cada vez mais olhar para Jesus Cristo, pois só dele depende a nossa salvação. E não há outro meio. Só Jesus Cristo salva. E ele vem novamente neste Advento, nos lembrar que veio salvar a todas as pessoas, pois todas as pessoas que creem em Jesus serão salvas.

Com a certeza da salvação em mente, o apóstolo diz a nós: “Vocês precisam fazer todas essas coisas porque sabem em que tempo nós estamos vivendo; chegou a hora de vocês acordarem, pois o momento de sermos salvos está mais perto agora do que quando começamos a crer.” (Rm 13.11).

Procurem viver como cristãos! A cada dia de sua vida. Como se fosse a última oportunidade, pois pode ser mesmo.

É isto que Paulo alerta. Não deixem para fazer o que é certo amanhã, porque amanhã pode ser muito tarde.

Estamos vivendo os tempos do fim. E cada vez mais eu tenho certeza disto. Mesmo que não fossem os últimos dias deste mundo, ainda podem ser os últimos dias de nossa vida aqui neste pedaço de chão.

Deus nos fala: “A noite está terminando, e o dia vem chegando. Por isso paremos de fazer o que pertence à escuridão e peguemos as armas espirituais pra lutar na luz.”

A noite está terminando.

raiar do sol na cruzImaginem alguém que passa a noite inteira cuidando de alguém outro num hospital. Aquela pessoa precisa ser atendida a todos os momentos, pois pode ser que morra repentinamente. Aí precisamos ficar com os olhos bem abertos, acompanhando a pessoa doente, os aparelhos, as reações, os conselhos dos médicos e enfermeiros...

Além do cansaço físico, existe toda a angústia de saber que a vida da outra pessoa depende da nossa atenção. Que se nós cochilarmos pode ser que a pessoa morra. Isso traz cansaço mental.

Imaginem fazer isso por uma semana inteira. Ou por um mês inteiro. No fim, a pessoa que cuida estará desmaiando de cansaço.

Agora imaginem esta situação pela vida inteira. Sempre preocupado com o que vai acontecer se eu cochilar. É neste estresse que o cristão vive. Sabendo que a qualquer momento o senhor vem, precisamos vigiar sempre.

Qual a melhor notícia para alguém que precisa cuidar de um doente? É saber que ele melhorou e pode voltar pra casa.

Assim é a nossa vida. Precisamos vigiar sempre, especialmente sabendo que a noite está terminando.

O dia já vem raiando e com ele, Jesus quer renovar as esperanças. E naquele último dia, quer levar todos à vida eterna. Por isso que Deus nos alerta: Vivam “decentemente, como pessoas que vivem na luz do dia. Nada de farras ou bebedeiras, nem imoralidade ou indecência, nem brigas ou ciúmes. Mas tenham as mesmas qualidades que o Senhor Jesus Cristo tem e não procurem satisfazer os maus desejos da natureza humana de vocês.” (Rm 13.13-14).

Procurem viver diariamente a fé em Jesus Cristo. E Deus estará com vocês sempre. Ele nunca abandonará aqueles que procuram a sua ajuda.

Veja que lindas as palavras do Salmo 50.15): “Se me chamarem no dia da aflição, eu os livrarei, e vocês me louvarão.” Vocês já tiveram dias de aflição... Foram libertados... Novos dias de aflição virão ainda pela vida de vocês, mas nunca desistam de seguir Jesus Cristo. Se com Deus a vida já não é fácil, imaginem se não tivéssemos a presença de Deus em nossas vidas...

E quando a noite desta vida estiver terminando, será um tempo de muita aflição. Por isso invoquem sempre o Senhor e ele os socorrerá. Ele os levará para a vida eterna, onde a presença de Deus nos alegrará por toda a eternidade.

Pois naquele dia eterno, todos os que creem em Jesus Cristo, estarão na vida eterna. Amém.

E a paz de Deus, que ninguém consegue entender, guardará o coração e a mente de vocês, pois vocês estão unidos com Cristo Jesus. Amém. (Fp 4.7)

Pastor Jarbas Hoffimann – Nova Iguaçu-RJ

Soli Deo Gloria

sábado, 20 de novembro de 2010

Firmes e adiante

Ml 3.3-18

Último Domingo do Ano Eclesiástico.

Que a graça do Senhor Jesus Cristo, o amor de Deus e a presença do Espírito Santo estejam com todos vocês! (2Co 13.13).


Sl 73 / Ml 3.3-18 / Cl 1.13-20 / Lc 23.27-43

Que a Paz do Senhor esteja com vocês. Amém.

Queridos irmãos...

O texto de Malaquias aponta para fraudes. Para tentativas do povo escolhido em enganar a Deus. Já no versículo 6 o Senhor afirma: “Eu sou o Senhor e não mudo. É por isso que vocês, os descendentes de Jacó, não foram destruídos.” Porque o Senhor tinha prometido que guardaria e manteria esse povo aos patriarcas. E, como ele não muda, suas promessas não mudam.

E no meio desse julgamento todo, no penúltimo capítulo, do último livro do Antigo Testamento, o Senhor, por meio de Malaquias diz:

13Vocês falaram mal de mim e ainda perguntam: “O que foi que falamos contra ti?” 14Vocês dizem: “Não vale a pena servir a Deus. Não adianta nada a gente fazer o que o Senhor Todo-Poderoso manda ou vestir roupas de luto para mostrar a ele que estamos arrependidos. 15É fácil notar que os orgulhosos são felizes, e a gente vê que tudo dá certo para os maus; quando põem o Senhor à prova, eles não são castigados.”

16Então os que temiam o Senhor falaram uns com os outros, e ele escutou com atenção o que estavam dizendo. E na presença dele foram escritos num livro os nomes dos que respeitavam a Deus e o adoravam. 17O Senhor Todo-Poderoso diz:

– Eles serão o meu povo. Quando chegar o dia que estou preparando, eles serão o meu próprio povo. Eu terei compaixão deles como um pai tem compaixão do filho que lhe obedece. 18E mais uma vez o meu povo verá a diferença entre o que acontece com as pessoas boas e com as más, entre os que me servem e os que não me obedecem.

Notaram bem a atualidade deste texto?

Hoje parece não haver diferença entre aqueles que seguem o Deus verdadeiro e aqueles que o ignoram...

A lei parece beneficiar uns poucos e parece estar contra os cidadãos de bem. Muitas vezes ouvimos:

– Todo mundo tá sendo desonesto e tá se dando bem... Eu vou ser também! Todo mundo dá um jeitinho pra se dar bem e não acontece nada com eles.

Às vezes a vontade é deixar de ser fiel e seguir aos infiéis.

Às vezes a vontade é deixar a fé verdadeira na qual eu fui instruído desde pequeno, pra seguir falsos profetas que prometem milagres e mansões. Ou prometem que você poderá falar com alguém querido que já morreu. Ou aquela benzedeira que cura tudo... Afinal, todo mundo faz...

Todo mundo não!

Aquele que crê em Deus e sabe a sua vontade, não seguirá estes servos de Satanás. Mesmo que eles sejam bem falantes, bonitos e bem vestidos. Mesmo que venham com a promessa de te dar o mundo. Afinal, o que adianta alguém ganhar o mundo inteiro e perder sua alma?

Portanto queridos irmãos...

Sigam firmes na fé em Jesus Cristo. Ele jamais os abandonou e jamais os abandonará. Olhem para trás e vejam quanta coisa Deus fez na vida de vocês e muito mais ele fará até o último dia.

Este é o último dia do ano da igreja. Semana que vem, se Deus permitir, começamos o período de Natal. São quatro semanas pra nos prepararmos para a vinda do Salvador.

Faça deste Advento um momento ímpar na sua vida.

Você vem pouco à Casa de Deus? Venha mais.

Você lê pouco a Bíblia? Leia mais.

Você oferta com mesquinharia? Oferte com generosidade, assim como Deus te abençoa.

Você só fala com Jesus nos momentos de aperto? Fale também para agradecer por mais um dia de vida, por mais um prato de comida e por tudo que ele tem te dado.

Você tratou mal as pessoas de sua família? Peça perdão e perdoe.

forgiveness1 Pode parecer que os maus vão se dar bem e as vezes isso é muito difícil de entender (como o caso do Salmo 73), mas no fim, apenas os que forem fiéis estarão com Jesus.
Eu quero estar no meio dos fiéis. E pela graça de Deus conseguirei... E você, pode dizer o mesmo?
Pode!
Não rejeite os Convites do Senhor, ele quer te dar a vida eterna.
A mensagem do último dia do ano da igreja é a mesma do Natal, que inicia o ano novo da igreja. E esta mensagem é: Jesus veio pra salvar a todos e todo aquele que nele crê será salvo.
Que o Senhor nos conduza em fé, até o fim. Amém.

E a paz de Deus, que ninguém consegue entender, guardará o coração e a mente de vocês, pois vocês estão unidos com Cristo Jesus. Amém. (Fp 4.7)

Pastor Jarbas Hoffimann – Nova Iguaçu-RJ

Soli Deo Gloria

domingo, 14 de novembro de 2010

Agindo em Ação de Graças

2Ts 3.1-13
Penúltimo Domingo do Ano Eclesiástico
Culto de Ação de Graças


Que a graça do Senhor Jesus Cristo, o amor de Deus e a presença do Espírito Santo estejam com todos vocês! (2Co 13.13).

Sl 98 / Ml 4.1-6 / 2Ts 3.1-13 / Lc 21.5-36

Que a Paz do Senhor esteja com vocês. Amém.

Queridos irmãos...

Neste dia em que estamos lembrando o Dia de Ação de Graças, nós, então, vamos olhar com um pouco mais de atenção o texto de 2Ts 3.

Neste trecho o apóstolo Paulo já está concluindo sua carta ao Tessalonicenses e faz algo que para ele era bem comum: Ele pede e recomenda a oração.

Para Paulo, a oração de gratidão era muito importante. Muitas vezes ele repete isso. Alguns exemplos são Ef 5.4: “Não usem palavras indecentes, nem digam coisas tolas ou sujas, pois isso não convém a vocês. Pelo contrário, digam palavras de gratidão a Deus.”. E 2Co 2.14: “Mas dou graças a Deus porque, unidos com Cristo, somos sempre conduzidos por Deus como prisioneiros no desfile de vitória de Cristo. Como um perfume que se espalha por todos os lugares, somos usados por Deus para que Cristo seja conhecido por todas as pessoas.”.

Além de muitos outros textos, como no início de suas cartas, muitas vezes o apóstolo diz que sempre dá graças a Deus pelas pessoas que creem no Senhor Jesus.

crianças orando Neste trecho de Tessalonicenses ele está encerrando uma carta e incentiva as pessoas que orem por ele: “Finalmente, irmãos, orem por nós para que a mensagem do Senhor continue a se espalhar rapidamente e seja bem aceita, como aconteceu entre vocês.” (2Ts 3.1). O pedido de oração não é simplesmente: “orem por nós”. É um pedido de oração com uma finalidade muito especial: “orem por nós para que a mensagem do Senhor continue a se espalhar rapidamente e seja bem aceita”. É um pedido por salvação. É um pedido para o bem de outros. E esta é uma das formas mais bonitas de dar Ação de Graças: agir pelo bem do próximo, mesmo que seja orar por ele.

Paulo pede também que os irmãos orem por seu livramento da maldade, assim como oramos e “Livra-nos do mal”.

E o incentivo à oração lembra que:

- O Senhor é fiel (v. 3).

- O Senhor nos mantém firmes e livra do Maligno (v. 4).

- O Senhor quer fazer compreender o tamanho do amor de Deus, para que eles continuem em Cristo.

Queridos irmãos...

Ação de graças é agir com gratidão. É louvar ao Senhor, porque ele tem ouvido nossas orações. E, com toda confiança, podemos continuar pedindo e agradecendo.

É agir. E não fazer como os preguiçosos que havia em Tessalônica: “Estamos afirmando isso porque ouvimos dizer que há entre vocês algumas pessoas que vivem como os preguiçosos: não fazem nada e se metem na vida dos outros.” (v. 11). A estes o apóstolo diz para que trabalhem e ocupem suas mentes com coisas boas, em vez de ficar se metendo na vida alheia e criando discórdia. E diz muito seriamente: “Quem não quer trabalhar que não coma.” (2Ts 3.10).

Ação de graças não é apenas um dia, lembrar que os alimentos sobre nossa mesa, são dons de Deus, mas a cada dia, ao deitar e ao levantar, lembra que a própria vida é dom de Deus. Lembrar que a Salvação (a nova vida) é dom de Deus...

Mas como agir com gratidão?

Tem tanta coisa pra fazer...

E tudo se resume no amor a Deus e no amor ao próximo, demonstrado na prática.

Porque a gratidão não tem muita explicação.

Como agradecer aos meus pais por terem me gerado e cuidado de mim?

Como agradecer as noites mal dormidas e por terem aguentado muita chatice calados?

Como agradecer pelo esforço para fazer de mim uma boa pessoa e me tornar um bom cidadão, bom marido e bom pai?

Como agradecer por terem me levado a Jesus?

Outra perspectiva:

Como agradecer a quem doa os órgãos de seu filho que acaba de morrer tragicamente?

Como agradecer a um irmão que me doa o rim ou a medula?

E a perspectiva mais importante:

Como agradecer a Deus pela criação?

Como agradecer a Deus pela Salvação?

Como agradecer a Deus pelo cuidado e amparo?

Como agradecer pela comida e vestimenta, trabalho e tudo mais?

Então, se não dá pra explicar, pelo menos podemos agir graciosamente. Demonstrando amor a Deus e ao próximo. A fim de que todos possam também ter coisas boas nesta vida e, além disso, a salvação de suas almas.

Certamente é mais fácil dar graças quando tudo vai bem. Mesmo que muitos, ao se sentirem confortáveis, se esqueçam de Deus.

Jesus mostrando o caminho Difícil mesmo é agradecer a Deus em meio ao sofrimento. Agradecer porque, mesmo sofrendo, o Senhor não nos abandona, como não abandonou Jó, ou Paulo, ou Pedro ou qualquer cristão sobre a face da terra.

O coração grato enfeita o rosto.

Mas a gratidão a Deus não é algo que possa ser superficial. Ela é intrínseca. Ela faz parte da vida do cristão. Agradecemos pelo muito, ou pelo pouco. Somos gratos...

Ou, como diria Paulo: “Sei o que é estar necessitado e sei também o que é ter mais do que é preciso. Aprendi o segredo de me sentir contente em todo lugar e em qualquer situação, quer esteja alimentado ou com fome, quer tenha muito ou tenha pouco.” (Fp 4.12).

Que cada um de nós possa aprender este segredo. E que nossa vida seja uma constante ação de Graças ao Senhor que nos salva e responde bondosamente às nossas orações.

E como diz Paulo aos Tessalonicenses: “vocês, irmãos, não se cansem de fazer o bem.” (2Ts 3.13). Amém.

E a paz de Deus, que ninguém consegue entender, guardará o coração e a mente de vocês, pois vocês estão unidos com Cristo Jesus. Amém. (Fp 4.7)

Pastor Jarbas Hoffimann – Nova Iguaçu-RJ

Soli Deo Gloria

domingo, 7 de novembro de 2010

O Senhor nos escolheu desde o início

2Ts 2.1-8,13-17
Antipenúltimo Domingo do Ano Eclesiástico

Que a graça do Senhor Jesus Cristo, o amor de Deus e a presença do Espírito Santo estejam com todos vocês! (2Co 13.13).

Sl 148 / Êx 3.1-15 / 2Ts 2.1-8,13-17 / Lc 20.27-40

O Senhor nos escolheu desde o início

Que a Paz do Senhor esteja com vocês. Amém.

Queridos irmãos algumas coisas são certas em nossa vida:

Haverá tempos de tribulação.

Haverá sofrimento.

Haverá tristeza e morte, mas “Não se perturbem facilmente, nem fiquem assustados se alguém afirmar que o Dia do Senhor já chegou. Talvez alguém diga que nós tenhamos afirmado isso enquanto profetizávamos ou anunciávamos o evangelho ou que escrevemos isso em alguma carta.”. (v. 2).

O Dia do Senhor, como anunciado por Jesus, ainda não chegou. Mas chegará. E naquele dia muitos irão chorar e se lamentar, assim como se lamentaram os que ficaram fora da Arca, nos dias do dilúvio.

O que está acontecendo em 1Ts 2 é que Paulo está orientando os Tessalonicenses, pois entre eles havia pessoas que estavam declarando que o Dia do Senhor já tinha chegado. Embora ninguém tivesse visto, as pessoas começavam a dar ouvidos para essa “novidade”. E o apóstolo alerta que estavam usando de mentiras, para falar do Dia do Senhor. Estavam dizendo que os próprios apóstolos é que tinham falado.

Então o apóstolo orienta os Tessalonicenses a permanecerem nas verdades que anteriormente ouviram. Seja por meio dos apóstolos pessoalmente, ou por meio de suas cartas.

O apóstolo lembra a eles e lembra a nós que:

O Senhor nos escolheu desde o início. Ele nos chamou pelo Evangelho, nos santificou com seus dons e nos conserva na fé, por meio da sua Palavra e dos Santos Sacramentos.

Os inimigos querem nos afastar de Deus. Querem nos convencer de que o Senhor nos abandonou, mas isso não é verdade. O Senhor não abandona os seus e o Salvador Jesus afirma isso no fim do Evangelho de Mateus: “lembrem disto: eu estou com vocês todos os dias, até o fim dos tempos.” (Mt 28.20).

Por isso podemos consolar o nosso coração. Pois o Senhor está e estará conosco diariamente.

Os amigos nos abandonarão. Os empregos nós perderemos. A saúde irá embora, mas o Senhor estará conosco todos os dias.

Os pais ou os filhos vão morrer ou vão embora, pessoas nos darão as costas com traições e calúnias, mas o Senhor estará conosco sempre.

Eleições virão e passarão. Governos nos prometerão muitas coisas para se eleger, mas logo farão somente o que querem, mas o Senhor nos consolará e estará conosco todos os dias.

Por isso consolem o coração. Ou, como expressa a tradução da Bíblia que estamos acostumados: “encham o coração de vocês de ânimo e os tornem fortes” (v. 17).

Animem-se na certeza de que o Senhor está do nosso lado. Veja o que diz Isaías: “O Senhor diz ao seu povo: ‘Eu, eu mesmo, lhes dou forças. Então, por que vocês têm medo de pessoas, de seres mortais que não duram mais do que a palha?’”. (Is 51.12).
O Senhor nos escolheu desde o início:
“Pai, quero que, onde eu estiver, aqueles que me deste estejam comigo a fim de que vejam a minha natureza divina, que tu me deste; pois me amaste antes da criação do mundo.” (Jo 17.24).
Anime-se“Antes da criação do mundo, Deus já nos havia escolhido para sermos dele por meio da nossa união com Cristo, a fim de pertencermos somente a Deus e nos apresentarmos diante dele sem culpa. Por causa do seu amor por nós.” (Ef 1.4). Não por mérito nosso, mas por causa de Jesus Cristo, fomos escolhidos na onisciência de Deus, antes da criação do mundo.
Então, em sofrimento, animem o coração. Porque se desanimarmos, vamos também desanimar da obra do Senhor. Vamos parar de testemunhar. Vamos parar de ler e meditar na Palavra do Senhor. Vamos parar de ofertar, de orar, de amar o próximo.
O Senhor nos escolheu desde o início, então confirme a fé que vocês têm, por meio das boas obras.
Tem tanta gente ao nosso redor...

O Senhor quer fazer de nós um povo dedicado a ele, a fim de que o mundo conheça Jesus e seja salvo. Portanto confirme a fé que vocês têm, trabalhando pela fé no Senhor.

Tem muitos jeitos de trabalhar para Cristo e ele mesmo nos ensinou: o Senhor curou doentes, alimentou famintos, consolou os abatidos e, acima de tudo, amou a todos, mesmo os que o odiaram... Mesmo aqueles que o mataram.

Se somos de Cristo, vamos confirmar nossa fé, seguindo nos seus passos e levando suas palavras com cada gesto de amor ao próximo.

Hoje faltam 3 semanas para o fim do ano da Igreja.

Então teremos novamente os belos hinos de Natal. A lembrança da promessa do Senhor Deus-Conosco. E teremos fim de ano é sempre momento de rever o que estava bom e procurar, como instrumentos na mão do Senhor, melhorar a cada dia.

Buscando forças naquele que nos chamou e nos escolheu desde o princípio: Jesus Cristo, pois é por meio dele que a nossa fé começa e é nele que nossa fé se confirma. É em Cristo e por Cristo que temos a vida eterna. Amém.

E a paz de Deus, que ninguém consegue entender, guardará o coração e a mente de vocês, pois vocês estão unidos com Cristo Jesus. Amém. (Fp 4.7)

Pastor Jarbas Hoffimann – Nova Iguaçu-RJ

Soli Deo Gloria

sábado, 30 de outubro de 2010

Só…

Rm 3.19-28

Dia da Reforma Luterana

 

Que a graça do Senhor Jesus Cristo, o amor de Deus e a presença do Espírito Santo estejam com todos vocês! (2Co 13.13).

Sl 46; Jr 31.31-34; Rm 3.19-28; Jo 8.31-36

Só...

Que a paz do Senhor esteja com vocês. Amém.

Queridos irmãos, a Reforma Luterana aconteceu 493 anos atrás. A partir de 1517. Na Alemanha.

Foi um acontecimento que desencadeou um processo de retomada da Palavra de Deus.

A Reforma baseou seus argumentos na Escritura Sagrada, tentando responder de onde o ser humano recebe salvação. Então, definiu três pilares sobre os quais repousa o ensinamento luterano até os dias de hoje.

Pilares são usados para construir uma casa, por exemplo. Se o pilar for fraco ou se não existir, não é possível construir a casa. Ou, se constrói, mas ela está fadada ao desastre.

No caso da Salvação, a casa a ser construída leva à vida eterna.

bíbliaUm destes 3 pilares é a Escritura Sagrada. A palavra de Deus.
Somente na Escritura Sagrada está registrado o que é necessário para a Salvação dos seres humanos. “Pois toda a Escritura Sagrada é inspirada por Deus e é útil para ensinar a verdade, condenar o erro, corrigir as faltas e ensinar a maneira certa de viver.” (2Tm 3.16) E como Jesus diz em Jo 5.39: “Vocês estudam as Escrituras Sagradas porque pensam que vão encontrar nelas a vida eterna. E são elas mesmas que dão testemunho a meu favor.”
Não há necessidade de outros livros para a Salvação. As Escrituras Sagradas, divididas em Antigo e Novo Testamento, revelam nosso Deus Criador, Salvador e Santificador. Por isso nós luteranos afirmamos que só a Escritura salva.
O segundo pilar é a Graça de Deus.
Deus, em sua misericórdia, decidiu salvar o ser humano. Em sua graça ele enviou Jesus Cristo como Salvador. Em sua graça ele envia o Espírito Santo para consolar os cansados e abatidos. Também em sua graça ele traz à fé aqueles que creem nas Escrituras Sagradas e os torna filhos de Deus e herdeiros da vida eterna.

luz A Salvação não pode ser comprada. Ela vem pela graça de Deus como um presente maravilhoso. Pois não há o que alguém possa fazer para salvar a própria alma. Como nos alerta o Salvador Jesus: “O que adianta alguém ganhar o mundo inteiro, mas perder a vida verdadeira? Pois não há nada que poderá pagar para ter de volta essa vida.” (Mt 16.26).
A Salvação é somente pela graça de Deus.
Por isso, dizemos que a Salvação é Somente pela Escritura, de onde vem a Palavra de Nosso Deus e onde também vem a revelação de sua graça. A Salvação é só pela Escritura e só pela Graça de Deus. Estes então são dois pilares: Somente a Escritura e Somente pela graça...
O terceiro e último pilar da Reforma Luterana é “Somente pela Fé”. Só pela fé chegaremos a Deus.

A Salvação foi revelada na Escritura, e concedida pela Graça de Deus, mas só a tem quem tem fé.

Hoje muitos falam de fé. Vestem a fé em camisetas. Mas que fé é esta? Qual é a fé necessária para a Salvação?

A fé que Salva é aquela que vem pelo Espírito Santo e se apega a Jesus Cristo, que se encarnou e foi feito homem. Nasceu. Cresceu. Ensinou. Sofreu. E morreu, mesmo sem jamais ter pecado. Jesus foi condenado pelo seu e pelo meu pecado. Que vergonha! Somos culpados da morte de Cristo, o Filho de Deus!

Na morte de Cristo, Satanás achou que tinha vencido, mas Deus transformou a aparente derrota na maior de todas as vitórias. Naquele exato momento cumpria-se Gn 3.15: o filho da mulher estava esmagando a cabeça da serpente, mesmo tendo sido ferido no calcanhar.

Cristo morreu por nós, aliás, Cristo deu-se à morte. Mas ressuscitou e subiu aos céus. E Reina até o dia em que voltará.

A volta do Salvador não demora mais. Os sinais denunciam esta iminência.

São furacões, tsunamis e terremotos. É aquecimento global, são chuvas espantosas e secas terríveis. A violência crescendo assustadoramente, o desamor nos cerca. Nós estamos cada dia mais amedrontados, mas o Salvador logo vem, tenha fé nele. E alimente esta fé vivendo em Cristo.

Essa é a fé. A verdadeira fé. A única fé que interessa.

Só a fé em Jesus Cristo, o Filho do Deus vivo, salva.

Somente por Cristo podemos chegar diante de Deus e lhe pedir o que precisamos, agradecendo o que recebemos.

Quem quer ganhar a misericórdia de Deus por seus próprios esforços e obras, está cada vez mais afastado de Deus.

É como se dissesse:

Jesus! O que o Sr. fez não foi suficiente, eu vou ajudar o Sr. a me salvar.

SolaFide-01

Vocês já imaginaram como seria se tivéssemos que salvar a nós mesmos? Graças a Deus isto não é necessário. Contudo, muita gente anda por aí tentando ganhar o céu com suas boas obras e bom comportamento.

Tentam agradar a Deus com sua presença na igreja.

Tentam agradar a Deus com seu pagamento mensal.

Tentam agradar a Deus das maneiras mais infames. Quando, de fato, o único que Deus espera é a fé em Jesus Cristo. “[8] Pois pela graça de Deus vocês são salvos por meio da fé. Isso não vem de vocês, mas é um presente dado por Deus. [9] A salvação não é o resultado dos esforços de vocês; portanto, ninguém pode se orgulhar de tê-la.” (Ef 2.8-9).

Pela fé e não por aquilo que fazem é que vocês são salvos. O que precisava ser feito para salvar a humanidade já foi consumado na morte de Cristo e sua posterior ressurreição.

Mas Tiago alerta: “Portanto, a fé é assim: se não vier acompanhada de ações, é coisa morte.” (Tg 2.17).

Este texto alerta que não trabalhamos para ser salvos. Muito mais do que isto, trabalhamos porque já somos salvos.

Trabalhamos alegres compartilhando a fé verdadeira com aqueles que estão perto de nós. Para que um dia estejamos no céu acompanhados pelo pai, a mãe, os irmãos, os filhos, os sobrinhos, os colegas de trabalho e tantos que precisam da palavra de Deus assim como cada um de nós.

Quando você se perguntar ou quando te perguntarem o que é necessário para a Salvação? Responda com toda a convicção: Só a Escritura Sagrada, Só a Graça de Deus e Só a Fé em Jesus Cristo.

E nunca se engane. Somente a fé em Cristo Salva.

Assim era para Abraão. Assim era para Lutero, assim é pra nós. Que Deus nos fortaleça a fé em Cristo. E, no fim, nos dê a Salvação. Amém.

E a paz de Deus, que ninguém consegue entender, guardará o coração e a mente de vocês, pois vocês estão unidos com Cristo Jesus. Amém. (Fp 4.7)

Rev. Jarbas Hoffimann – Nova Iguaçu-RJ

Soli Deo Gloria

segunda-feira, 25 de outubro de 2010

domingo, 24 de outubro de 2010

Eu fiz o meu melhor

2Tm 4.6-8,16-18
22º Domingo após Pentecostes


Que a graça do Senhor Jesus Cristo, o amor de Deus e a presença do Espírito Santo estejam com todos vocês! (2Co 13.13).

Sl 50.1-15 / Gn 4.1-15 / 2Tm 4.6-8,16-18 / Lc 18.9-17

Irmãos no Salvador, que a paz do Senhor esteja com vocês.

Quero propor duas situações:

Na primeira, um aluno muito inteligente, aproveita sua inteligência para não estudar. Ele é capaz e se contenta em tirar um 9,0, mesmo sem estudar.

Seus professores gostam de suas notas. Seus pais gostam de suas notas, mas as notas refletem a sua preguiça. Ele poderia facilmente, com um pouquinho de esforço chegar ao 10.

Outro aluno, com muitas dificuldades, estuda de madrugada, porque trabalha o dia todo para ajudar a família. Esse, com todo o esforço, tirou um 6,5. Também dá pra passar, mas ele está no limite...

O que estas histórias têm a ver com o texto de Paulo a Timóteo?

Vejamos:

MOMENTO-DE-REFLEXAO-SOBRE-VELHICE6Quanto a mim, a hora já chegou de eu ser sacrificado, e já é tempo de deixar esta vida. 7Fiz o melhor que pude na corrida, cheguei até o fim, conservei a fé. 8E agora está me esperando o prêmio da vitória, que é dado para quem vive uma vida correta, o prêmio que o Senhor, o justo Juiz, me dará naquele dia, e não somente a mim, mas a todos os que esperam, com amor, a sua vinda.”

Paulo diz a Timóteo: fiz o melhor que pude. Assim como aquele segundo aluno. Mesmo assim, ele está esperando seu martírio, por causa do evangelho.

E em nossa vida? Quantas vezes nós nos contentamos com o bom, quando poderíamos ter alcançado o ótimo?

Aquele primeiro aluno estava contente com o bom que, de fato, aos olhos dos outros, já era ótimo, mas pra ele não era. Aquele 9 expressava não o seu esforço, mas a sua preguiça e seu contentamento com o que já está bom as olhos dos outros.

Paulo nunca se contentou com o “está bom” e por isso, no fim de sua vida, alegremente ele pode esperar sua morte, olhar para traz e dizer: “fiz o melhor que pude”.

Se você olhar para trás agora, poderá dizer: eu fiz o meu melhor...? Tomara que sim!

É óbvio que Paulo está falando da vida cristã e para nós não podia ser diferente. Então, se você olhar para trás agora, poderá dizer: desde que Jesus me salvou, eu fiz o meu melhor...? De novo, tomara que sim!

Fazer o melhor não é não pecar. Mas, ao pecar, buscar abrigo no perdão do Senhor.

Fazer o melhor é usar os dons para a honra e glória do Senhor, sem ficar cobrando por isso. Fazer o melhor é viver na Palavra de Deus e ensinar a Palavra às pessoas que eu tenha oportunidade. Como disse o próprio apóstolo Paulo: “pregue a mensagem e insista em anunciá-la, seja no tempo certo ou não. Procure convencer, repreenda, anime e ensine com toda a paciência” (2Tm 4.2).

Em nossas vidas, fazendo o melhor, muitas vezes não seremos capazes de alcançar o objetivo. Outros vão olhar pra gente e desdenhar de nós. Nos olharão como incapazes, mesmo que empenhemos todo o nosso esforço. Mesmo que passemos noites acordados. Mesmo que nos desgastemos em sofrimentos e angústia... Muitas vezes, nos olharão como aquele menino esforçado que apenas conseguiu tirar o 6,5 para passar. Olharão e dirão: coitado. Esse aí nunca será ninguém. É preguiçoso. Olha só as notas dele.

Felizmente o Senhor nos olha com outros olhos. Ele olha por meio de Jesus Cristo. E por Cristo, a nossa vitória é completa, porque é a vitória de Jesus sobre mundo, morte e inferno.

Ou, como diz o apóstolo Paulo: “Em todas essas situações temos a vitória completa por meio daquele que nos amou.” (Rm 8.37).

Não apenas vitória financeira.

Não apenas vitória sobre os inimigos ou os problemas. Mas vitória completa.

Este texto de Romanos traz uma palavra que nunca foi suficientemente bem traduzida. Pois nada que temos em português pode expressar o que diz Paulo aos Romanos. A versão Revista e Atualizada da Bíblia de Almeida fala em “mais que vencedores”, mas também é mais do que isso.

A palavra é u`pernikw/men. É a composição e duas palavras: u`per que é a palavra que dá origem ao nosso “hiper”, ou o “super” do inglês. E nikw/men, que vem de nika,w, e que significa “vencer, conquistar, prevalecer”.

Um sentido aproximado seria: “prevalecer completamente”, ou ter a “mais gloriosa das vitórias”.

Então...

Mesmo que não consigamos ser suficientemente bons aos olhos os outros, o Senhor Jesus é bom por nós. É nele que confiamos e é ele que nos confere a vitória plena.

É por causa dele que podemos olhar para traz e, apesar de nossos pecados, dizer: eu fiz o melhor que pude.

Mas nãos e enganem. A atitude é de procurar viver da melhor forma possível. É procurar viver uma vida de testemunho. É procurar andar no Senhor todos os dias. É procurar testemunhar. Orar, ser bons filhos, bons pais, e tudo mais...

É como se estivéssemos no meio do mar, sozinhos, tentando não afundar. Nós continuaríamos nadando e nadando, fazendo o nosso melhor, até que, por fim, afundaríamos.

Muitas vezes afundaremos em nossos pecados, mesmo querendo fazer o melhor. Isso também nos lembra Paulo em Rm 7.19: “não faço o bem que quero, mas justamente o mal que não quero fazer é que eu faço.”

Mas quando afundamos no pecado, temos a quem recorrer e dizer: Senhor, eu pequei, mesmo querendo fazer o meu melhor. Me perdoa e me salva...

apostolo_paulo_escrevendo Aí, no fim de nossas vidas, confiando no Senhor e não em nossas forças, poderemos olhar para trás e dizer com o apóstolo: “Fiz o melhor que pude na corrida, cheguei até o fim, conservei a fé. E agora está me esperando o prêmio da vitória, que é dado para quem vive uma vida correta, o prêmio que o Senhor, o justo Juiz, me dará naquele dia, e não somente a mim, mas a todos os que esperam, com amor, a sua vinda.”

Por causa de Jesus, herdamos a vida eterna. Pois o Senhor olha nossa fé e, mesmo que o mundo nos veja como um derrotado, o Senhor nos vê como aquele que tem a vitória mais que completa, por causa de Jesus. Aquele que não simplesmente fez o melhor, mas fez tudo o que era necessário para a nossa salvação.

Que o Senhor nos conserve na fé em Jesus até o fim.

Amém.

E a paz de Deus, que ninguém consegue entender, guardará o coração e a mente de vocês, pois vocês estão unidos com Cristo Jesus. Amém. (Fp 4.7)

Pastor Jarbas Hoffimann – Nova Iguaçu-RJ

Soli Deo Gloria

sexta-feira, 24 de setembro de 2010

Salmo 139 - Ponto Cristão


Há pessoas que buscam por opções para decorar suas casas e igrejas, fazendo bordados. Entre os mais populares, está o Ponto-Cruz.
Aqui vamos oferecer vários recursos inéditos para você que queira bordar, juntar grupos na sua igreja, enfeitar estandartes e tudo que sua imaginação criar.
No primeiro, bordado, os 5 primeiros versículos do Salmo 139, na Bíblia Nova Tradução na Linguagem de Hoje.

domingo, 12 de setembro de 2010

Deus não olha o seu passado

1Tm 1.5-17
16º Domingo após Pentecostes


Que a graça do Senhor Jesus Cristo, o amor de Deus e a presença do Espírito Santo estejam com todos vocês! (2Co 13.13).

Sl 119.169-176; Ez 34.11-24; 1Tm 1.5-17; Lc 5.1-10


A Paz do Senhor esteja com todos vocês. Amém.

Querido irmão em Cristo...

O que é que vocês estavam fazendo ontem às 11 horas e 3 minutos da manhã? O que foi que vocês comeram anteontem? Quais as pessoas que vocês viram na última terça-feira? Como foi sua vida no passado?

Pode ser que vocês não se lembrem de muitas coisas. Mas também certamente há outras que vocês não conseguem esquecer. Talvez uma grande alegria... Talvez uma grande tristeza... Talvez um pecado que os atormenta ou uma briga que ficou mal resolvida. E ficou na linha do tempo de nossa vida.

Cada um de nós sabe que para Deus o tempo não existe. Ele é eterno. E sobre Deus, o apóstolo Pedro diz: “Meus queridos amigos, não esqueçam isto: para o Senhor um dia é como mil anos, e mil anos, como um dia.” (2Pe 3.8)

olhar para trás Para Deus não existe passado, nem futuro, pois em sua eternidade tudo é sempre presente. Ele conhece nosso ontem melhor do que nós conhecemos nosso hoje. Sabe antes de nascermos o que faremos amanhã. Ele sabe se seremos salvos ou condenados ao inferno. Por isso ele chama todos ao arrependimento e à fé em Jesus Cristo. Porque ele quer salvar a todos.
Mas será que Deus quer a nós também?
Será que, por aquilo que fizemos no passado, merecemos ser salvos?
Muitas pessoas se deparam com estas perguntas e começam a pensar em seu passado:
— Eu fiz isso ou aquilo e Deus não me aceitará por causa do pecado!
— Será que Deus me quer mesmo eu tendo sido um ladrão?

— Será que Deus me quer, mesmo eu tendo traído minha esposa?

Notem que estes exemplos não tratam de pessoas que ainda roubam ou que ainda são infiéis. Mas sim pessoas que cometeram pecados e se arrependeram.

Será que Deus aceita estas pessoas, apesar de sua vida passada?

É claro que sim!

E isso porque “Deus não olha para o passado de ninguém, mas ele olha pro presente.”

Ele não quer saber se você pecou. Quer saber se você está arrependido e não vai pecar mais.

Ele não quer saber se você não tinha fé em Cristo. Quer saber se você agora crê.

Deus não conta os pecados de quem se arrepende. “Ele apaga o pecado do pecador que se arrepende.” Como diz o Sl 51.1: “Por causa da tua grande compaixão apaga os meus pecados.”

Deus apaga os pecados do pecador arrependido, assim como apagou os pecados de Paulo. O apóstolo era um perseguidor de cristãos. Ele queria acabar com todos.

Deus não olhou para o passado de Paulo.

Deus ofereceu perdão a Paulo e ele arrependeu-se e creu em Jesus Cristo. Deus não olhou pro passado de Paulo, mas para o presente e o futuro que ele teria como grande missionário da fé em Jesus Cristo.

Na própria opinião de Paulo ele não se achava digno de sequer crer em Jesus, muito menos de ser sua testemunha e apóstolo.

Realmente Paulo não era digno, mas ninguém é digno de ser chamado filho de Deus. Assim nos lembra Ec 7.20: “Não existe no mundo ninguém que faça sempre o que é direito e que não erre.”

Mas graças a Deus ele não olha nossa vida no passado. E também não é nossa vida que nos torna dignos da salvação. A fé em Jesus é que faz isso: Quem crê em Jesus Cristo tem a vida eterna. (Jo 3.36; 6.47).

Por pior que você pense ter sido seu pecado. Em Cristo há perdão, vida e salvação. Pois Deus, pela fé em Jesus Cristo, perdoa seu pecado. Seja ele qual for. E te dá novas forças para seguir sem pecado. Assim como ele disse à mulher adúltera em Jo 8.11: “Vá e não peque mais.” Disse também ao paralítico curado em Jo 5.14: “Escute! Você agora está curado. Não peque mais, para que não aconteça com você coisa ainda pior.”

Se Cristo perdoou Paulo que o perseguiu. Perdoou Pedro que o negou. Perdoou a mulher adúltera e muitos outros de má fama... Porque este Senhor tão maravilhoso não perdoaria também o nosso pecado? Seja ele qual for...

Deus não olha para o seu passado. Ele olha para o seu presente. Vê se você tem fé em Cristo e se está arrependido de seus pecados. Vendo isso, ele te dá a salvação eterna.

Mas porque ele faz isso de graça?

Porque é um Deus de amor e misericórdia. É um Deus justo e compassivo. Esse é o nosso Deus Pai, nosso Deus Filho Salvador e nosso Deus Espírito Santo. Um único e verdadeiro Deus que vem a nós na sua Palavra, na Santa Ceia e no Batismo. O Deus de Abraão, Isaque e Jacó. O meu Deus e o Deus de todo que nele crê.

a-mulher-de-lo2-300x300 É o Deus que quer operar a salvação em cada um de nós e também por meio de nós chegar a outros.
Assim como Deus não olha nosso passado, ele também não olha o passado de ninguém para dar a Salvação. Por isso ele quer que nós falemos de nossa fé.
Tantos falsos profetas estão falando por aí. Vendendo suas porcarias ditas milagrosas e protetoras. E nós que temos a fé que salva, muitas vezes ficamos calados.
Esqueça seu passado. O pecado está perdoado. Levanta, segue o seu caminho e não peque mais. E Jesus te convida para essa tarefa maravilhosa de salvar almas.
Venha à igreja, faça sua oferta, cante a Deus e depois, vá ao mundo e conte tudo o que Deus tem feito por você. Como ele tem te dado fé, saúde, comida, trabalho. Paciência no sofrimento e tantas outras coisas.

Assim, mais e mais pessoas serão salvas. E nós todos juntos receberemos a herança eterna, garantida pelo Sangue de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo. Que Deus nos abençoe. Amém!

E a paz de Deus, que ninguém consegue entender, guardará o coração e a mente de vocês, pois vocês estão unidos com Cristo Jesus.” (Fp 4.7)

Pastor Jarbas Hoffimann – Nova Iguaçu-RJ

Soli Deo Gloria

sábado, 4 de setembro de 2010

Que o amor de Cristo nos torne irmãos na fé

Fm 1-21
15º Domingo após Pentecostes


Que a graça do Senhor Jesus Cristo, o amor de Deus e a presença do Espírito Santo estejam com todos vocês! (2Co 13.13).

Sl 1; Dt 30.15-20; Fm 1-21; Lc 14.25-35


A Paz do Senhor esteja com todos vocês. Amém.

Queridos irmãos no Senhor Jesus.

Temos diante de nós o texto de Paulo a Filemom.

Paulo está preso, talvez em Roma ou em Cesareia. E nesse tempo ele conheceu Onésimo.

Onésimo era um escravo de Filemom que, provavelmente tinha fugido do seu senhor. E ao ouvir a mensagem do evangelho, esse escravo fugido começa a crer no Senhor Jesus.

O apóstolo não acha correta a fuga e resolve mandar o escravo de volta. Mas como resolver a situação?

Lembremos que era uma época em que se permitia ter escravos, mesmo que muitos pensassem que era errado.

crianca-que-ora O apóstolo, com a sabedoria do Senhor, resolve a situação de uma maneira maravilhosa. Ele não entra em critérios das leis do país. Paulo não discute os direitos que as leis daquele tempo, davam para um dono de escravos fugidos. Paulo aplica a maior de todas as leis, a Lei do Amor. E por esta lei, Paulo se sente à vontade para pedir a Filemom: “receba Onésimo de volta como se você estivesse recebendo a mim mesmo.” (v. 17).
Paulo, como irmão na fé, pede que Onésimo, agora não seja mais recebido como escravo, mas que seja recebido como irmão na fé. E assume até mesmo prejuízos que Onésimo possa ter dado a Filemom.
O que este texto tem a ver conosco?

Se falarmos da questão escravo e senhor, tem muito pouco. Mas considerando a situação apresentada, o texto tem muito a nos ensinar sobre o amor ao próximo. Na prática e não na teoria.

1. Amor independente da situação que se está vivendo. Paulo estava preso e, por amor, intercede por Onésimo.

2. Amor independente da situação da outra pessoa. Onésimo era um escravo fugido. E como escravo, desprezado por muitos.

3. Amor independente do que os outros poderiam alegar. Paulo intercede por um escravo fugido, mesmo que a lei estivesse a favor dos castigos que o escravo poderia sofrer.

4. Amor que leva a tentar resolver uma situação difícil. E Paulo faz isso com todo o carinho. Não procura impor nada. Mesmo podendo exigir, como afirma “eu sei que tenho o direito de exigir o que você deve fazer.”

Por amor a Onésimo e Filemom, Paulo espera que os dois irmãos se entendam. E o que une os dois é o mesmo que une a nós como Comunidade Cristã: é o amor a Jesus Cristo e o amor de Deus por nós, como nos lembra o apóstolo: “Peço a Deus que a fé que une você a nós faça com que compreendamos mais profundamente todas as bênçãos que temos recebido na nossa vida, por estarmos unidos com Cristo.”.

Acima dos problemas que possam aparecer, a vida cristã é união permanente do povo de Deus com Cristo Jesus. Esta união com o Salvador também nos une como irmãos numa mesma fé.

É nessa união e nesse amor que o apóstolo Paulo se sente no direito e na obrigação de tentar resolver uma situação ruim entre Onésimo e Filemom.

Queridos irmãos em Cristo.

Em nosso meio também aparecem discórdias. Mas será que elas valem perder um irmão em Cristo?

Em nosso meio também aparecem ideias divergentes, mas será que elas são maiores do que o amor que nos une ao mesmo Salvador e Senhor?

Será que nós vemos no outro um irmão na fé, ou alguém a ser superado e suplantado?

A semente da discórdia é plantada pelo inimigo. Às vezes por uma palavra mal compreendida. Às vezes por uma reação desmedida. Às vezes por ignorar o irmão que passa do nosso lado. E por tantas outras situações que nos machucam tanto.

uma rosa com amor É muito fácil destruir amizades e destruir aquilo que nos une. Não que Cristo seja fraco, mas é que nós fraquejamos. Nós, em vez de procurarmos resolver as situações, como foi o caso de Paulo, Onésimo e Filemom, procuramos nos livrar da situação difícil, passando de longe. Mas isso não resolve.

Porque onde há ofensa, precisa aparecer o perdão. Onde há rancor, precisa aparecer a suavidade do Senhor, para limpar nosso coração. Não é possível que dois irmãos na fé não se cumprimentem. Porque são irmãos e precisam, em amor, aprender a lidar com as diferenças.

Essa foi a atitude de Paulo, Filemom e Onésimo.

E o texto bíblico de hoje nos ensina que precisamos aprender agir com amor por todos. Sejam eles do nosso círculo de amizades ou sejam conhecidos por causa da igreja.

Paulo podia simplesmente esbravejar sua autoridade pra cima de Filemom, mas ele não o faz. Muito ao contrário o apóstolo é humilde e pede que Filemom leve em consideração o amor mútuo e o amor de Cristo por todas as pessoas.

Paulo age com brandura. Ele não busca mostrar razão, mas apresenta o amor de Jesus.

Que bom se nós sempre pudéssemos agir assim! Que bom se sempre víssemos no outro um alvo de nosso amor! Naquele que está sentado do nosso lado. Naquele que trabalha conosco. Naquele que encontramos na escola.

Quero encerrar esta mensagem com a oração de São Francisco. Um texto escrito também demonstrando muito amor ao próximo.

A oração diz:

Senhor, fazei-me instrumento de vossa paz.
Onde houver ódio, que eu leve o amor;
Onde houver ofensa, que eu leve o perdão;
Onde houver discórdia, que eu leve a união;
Onde houver dúvida, que eu leve a fé;
Onde houver erro, que eu leve a verdade;
Onde houver desespero, que eu leve a esperança;
Onde houver tristeza, que eu leve a alegria;
Onde houver trevas, que eu leve a luz;
Ó Mestre, Fazei que eu procure mais
Consolar, que ser consolado;
Compreender, que ser compreendido;
Amar, que ser amado.
Pois é dando que se recebe,
é perdoando que se é perdoado
e é morrendo que se vive para a vida eterna.

Que possamos ser assim. Amando porque Deus nos amou. Perdoando porque Deus nos perdoou, e na certeza que, mesmo morrendo, viveremos para a vida eterna. Amém.

E a paz de Deus, que ninguém consegue entender, guardará o coração e a mente de vocês, pois vocês estão unidos com Cristo Jesus.” (Fp 4.7)

Pastor Jarbas Hoffimann – Nova Iguaçu-RJ

Soli Deo Gloria

sábado, 21 de agosto de 2010

O pai que ama, corrige

Hb 12.4-24
13º Domingo após Pentecostes


Que a graça do Senhor Jesus Cristo, o amor de Deus e a presença do Espírito Santo estejam com todos vocês! (2Co 13.13).

Sl 50.1-15; Is 66.18-23; Hb 12.4-24; Lc 13.22-30


A Paz do Senhor esteja com todos vocês. Amém.

Queridos irmãos em Cristo.

Está em tramitação, em nosso congresso, uma lei que vai novamente afetar as relações familiares. Estamos caminhando para uma estatização dos filhos. Parece que os pais não devem mais ter responsabilidade sobre os filhos. O governo está tomando, à força de leis, o direito sobre as crianças.

Ainda esta semana li um comentário sobre a lei das palmadas, que afirma:


 “A lei contra as palmadas introduz dentro de casa um ‘olhar soturno do governo’ que ficará perpetuamente entre os pais e as crianças como um protetor dela (da criança) contra eles (os pais). Criará a impressão de que, no fundo, os pais são maus e o Estado é bom. Salta aos olhos que o verdadeiro dono dos filhos será o Estado. Pasmo ao imaginar que o Estado, que é favorável ao aborto, vira protetor dos filhos contra os pais! Aliás, já existem leis preconizando a permanência dos filhos doze horas na escola logo a partir dos 3 ou 4 anos de idade. É a formação estatal, comunitária, igualitária, que torna a família desnecessária e a transforma em mera ‘chocadeira’ para novos cidadãos.”

Não quero defender espancamentos. Isso é crime. Todo pai e mãe verdadeiro sabe. Mas é muito simplista afirmar que toda palmada é agressão. Que a pessoa ficará marcada para o resto da vida e que isso gerará um comportamento violento.

PMDCG031O comportamento violento que estamos vivendo vem exatamente da ineficácia de nossos governos em sanar problemas como educação e segurança. Ou na impressão que as autoridades passam de que ninguém será condenado, faça o que fizer.
Mas o tema da disciplina responsável de pais para com os filhos me saltou aos olhos quando li novamente Hebreus 12.(5-6):
“Preste atenção, meu filho, quando o Senhor o castiga, e não se desanime quando ele o repreende. Pois o Senhor corrige quem ele ama e castiga quem ele aceita como filho.”
O pai corrige porque ama. Porque corrigir é difícil e dá trabalho. É muito mais fácil deixar a pessoa fazer o que quiser e arcar com as consequências. Mas corrigir é necessário.
O pai, mostra o caminho certo. Esta é a função de nós pais e mães. Não é função estatal. Não é função da Igreja. Nós Pais é que precisamos cuidar e cuidar bem dos nossos filhos. E fazendo o melhor, pode ser que ainda não fique como esperávamos. O que não significa que foi falha do pai ou da mãe. O ser humano tem a infeliz capacidade de buscar o erro sozinho, mesmo que seja orientado para o bem.
De maneira semelhante, o Senhor nos exorta, pois fomos chamados, em Cristo, para ser seus filhos. O Pai nos repreende e aponta o caminho certo a seguir. E quando preferimos seguir longe dele, a culpa não é do Pai. Ele faz todo o necessário para nos ter perto de si:
Ele no deu a vida e sustenta. Enviou Jesus Cristo, que morreu para nos dar perdão dos pecados. Enviou o Espírito Santo, que nos dá a fé e conserva na fé. Nos orienta por meio de sua Santa Palavra e nos alimenta e preserva diariamente.
Queridos irmãos em Cristo.
Ninguém gosta de ser corrigido, mas a correção é necessária. Outro dia li a seguinte frase: “o pai que leva seu filho à Igreja, não terá que busca-lo na cadeia.” Embora não se possa concordar com a totalidade desta afirmação, ela traz algo de verdade: se educando no caminho de Deus, as pessoas ainda podem escolher o lado mau, imaginem se elas nunca tiverem a orientação certa!
Diz a palavra do Senhor (Hb 12.8): “Se vocês não são corrigidos como acontece com todos os filhos de Deus, então não são filhos de verdade, mas filhos ilegítimos.”

Julgamento de salomão - dividir a criança ao meioLembram das duas mulheres que brigavam pela mesma criança, diante de Salomão? Quando Salomão mandou cortar a criança no meio a ladra disse: “Podem cortá-lo em dois pedaços! Assim ele não será nem meu nem seu.” (1Rs 3.26).
O verdadeiro pai jamais fica tranquilo com a ruína de seus filhos. Por isso Salomão entregou a criança para a verdadeira mãe. E precisamos lembrar que ser pai e mãe é algo maior do que os laços consanguíneos.
Com amor maior do que qualquer laço de sangue, o nosso Pai do céu olha para nós e lembra: “Se me chamarem no dia da aflição, eu os livrarei, e vocês me louvarão.” (Sl 50.15).
O filho, com a bênção do Senhor, vai crescer. O filho de Deus também precisa crescer. O filho vai estudar, casar, sair de casa e viver sua própria vida, constituindo nova família. O filho de Deus, alimentado pela Palavra e pelos sacramentos, também vai crescer na fé. Mas pode ser que enfrente problemas. Pode ser que venham as provações. Pode ser que venham as angústias...

Nesse momento, quando parece que Deus nos abandonou, precisamos ter diante de nossos olhos as palavras do Senhor (Hb 12.10-11: “Os nossos pais humanos nos corrigiam durante pouco tempo, pois achavam que isso era certo; mas Deus nos corrige para o nosso próprio bem, para que participemos da sua santidade. Quando somos corrigidos, isso no momento nos parece motivo de tristeza e não de alegria. Porém, mais tarde, os que foram corrigidos recebem como recompensa uma vida correta e de paz.”

E logo a em seguida a Palavra dá conselhos práticos que também são para nós:

(14) “Procurem ter paz com todos”. (14) “Se esforcem para viver uma vida dedicada ao Senhor”. (15) “Cuidado para não abandonar a graça de Deus”. (16) “Cuidado para não perderem o respeito pelas coisas sagradas”.

É o Pai chamando os filhos para o bom caminho. São orientações que servem muito bem para nós. Pois o Senhor, como um pai, está nos chamando de volta. Para entrar enquanto é tempo.

Depois que for fechada a porta, não adianta ficar batendo do lado de fora (Lc 13.25-26): “Senhor, nos deixe entrar!” ... Pois “Nós comemos e bebemos com o senhor. O senhor ensinou na nossa cidade.”

Na hora que a porta for fechada, o tempo da salvação terá passado. Mas enquanto estamos neste mundo, ainda há tempo para ouvir o Senhor que nos orienta; nos chama; nos exorta e repreende para não ficarmos no erro.

Mesmo que por vezes a orientação pareça dura. É a orientação daquele que nos ama, como um pai que corrige seus filhos. É a orientação que nos trará de volta, como o Filho Pródigo que, arrependido, voltou e foi recebido por um pai amoroso.

Com um amor ainda maior, o nosso Pai do céu nos quer receber hoje e sempre. Para que nós estejamos seguros nessa família da fé. E a Santa Palavra nos diz: creia em Jesus e você será salvo. Creia no filho e seja tornado filho também. Amém.

E a paz de Deus, que ninguém consegue entender, guardará o coração e a mente de vocês, pois vocês estão unidos com Cristo Jesus.” (Fp 4.7)

Pastor Jarbas Hoffimann – Nova Iguaçu-RJ

Soli Deo Gloria

domingo, 15 de agosto de 2010

Fé em quem?

Hb 11.17-31, 12.1-3
12º Domingo após Pentecostes

 

Que a graça do Senhor Jesus Cristo, o amor de Deus e a presença do Espírito Santo estejam com todos vocês! (2Co 13.13).

Sl 119.81-88; Jr 23.16-29; Hb 11.17-31, 12.1-3; Lc 12.49-56

 

A Paz do Senhor esteja com todos vocês. Amém.

Queridos irmãos em Cristo, semana passada, eu comecei a mensagem com uma frase dita pelo jornalista Joelmir Beting, que afirmava:

“Para quem não tem fé, prova nenhuma é suficiente e para quem tem fé, prova nenhuma é necessária.”

Semana passada, também tratamos do tema fé, da perspectiva atual. Em que muitas vezes se tem uma fé sem objetivo. A pessoa diz que tem fé, mas não sabe em quê. Falamos de uma fé desorientada ou mal orientada por pessoas inescrupulosas. E lembramos que muitos têm fé em pessoas e seus poderes e não em Deus.

Mas a pergunta que sempre de novo aparece é: afinal, o que é fé? E a resposta está no início do texto de Hb 11:

“A fé é a certeza de que vamos receber as coisas que esperamos e a prova de que existem coisas que não podemos ver.” (Hb 11.1).

Semana passada perguntamos “Fé em que?” E concluímos que a fé só pode ser em Deus e não nos seus discípulos.

E os exemplos disso, são claros, como o acontecido a Paulo e Barnabé, em sua viagem a Listra e Derbe. Eles tinham realizado muitas coisas boas para as pessoas daquelas cidades, então, as pessoas daquele lugar, que adoravam a outros deuses, acharam que seus deuses tinham descido até eles e começaram a festejar Paulo e Barnabé, como deuses.

Os discípulos poderiam ter aproveitado a festa, mas em vez disso disseram: “Amigos, por que vocês estão fazendo isso? Nós somos apenas seres humanos, como vocês. Estamos aqui anunciando o evangelho a vocês para que abandonem essas coisas que não servem para nada. Convertam-se ao Deus vivo, que fez o céu, a terra, o mar e tudo o que existe neles.” (At 14.15).

Os verdadeiros discípulos do Senhor, sempre vão apontar apenas para Deus e jamais vão ficar se vangloriando de ter feito milagres. Assim como aconteceu com Paulo e Barnabé.

A fé verdadeira é apenas no Deus verdadeiro, que se revelou na Bíblia.

Foi pela fé em Deus que Abraão saiu de sua terra e confiou que seria pai de muitas pessoas, mesmo não tendo filhos perto dos 100 anos.

Ele foi pai de Isaque e foi provado por Deus em sua fé. Pois logo depois do nascimento de Isaque, com o menino já bonito e crescendo, o Senhor pede que Abraão lhe ofereça o próprio filho em sacrifício. E ele vai!

Mas o Senhor lhe diz que não queria o filho, queria provar a sua fé. E Abraão hoje é reconhecido como um dos pais da fé, por confiar que Deus sempre lhe faria o melhor. Como nos diz Rm 8.28: “todas as coisas trabalham juntas para o bem daqueles que amam a Deus.”

É fácil ter fé nestas palavras quando tudo vai bem, mas quando o senhor prova nossa fé, quantas vezes vacilamos!

Fé é algo que também se aprende, com os exemplos que outros nos dão. Assim como Isaque seguiu os passos de seu pai e continuou confiando em Deus.

Fé se aprende ao ler a Bíblia, ou ao vir ao culto. Fé se aprende ao ouvir os cristãos mais velhos e às vezes às crianças, com sua fé sem questionamentos.

fe-e-compromisso2Ainda esta semana, uma serva que completava aniversário, fez uma oração na qual dizia: “Deus não prometeu dias sem dor; risos sem sofrimentos; sol sem chuva. Ele prometeu força para o dia; conforto nas lágrimas e luz para o caminho.” E estas palavras tão bonitas, de um autor desconhecido, ganham um sentido profundo nas palavras de um crente experiente. Porque este pode afirmar com toda a confiança, que o Senhor fez mesmo o que prometeu e nunca deixou faltar a força nos dias de fraqueza, o conforto no sofrer e a luz do caminho. Isto é fé.

Isto é fé em Deus que é a única fé que realmente importa.

Vocês já notaram como as pessoas gostam de falar em fé!?

Há muitas músicas populares sobre fé:

“Andar com fé eu vou, a fé não costuma faiá.” Canta Gilberto Gil. E afirma que “Mesmo a quem não tem fé a fé costuma acompanhar. Pelo sim... Pelo não.”

A lógica desta música é a mesma lógica que muita têm. Muitas pessoas se agarram a tudo, pensando poder crer em Buda, Maomé e Jesus Cristo. Buscar ajuda na cartomante, no horóscopo e jogar uns presentinhos pra Iemanjá. Carregam a cruz, ou crucifixo e uma figa para dar sorte.

Quer dizer, se seguram em tudo que aparece, pois ainda não estão seguras na Rocha firme que é Jesus Cristo. Então, “pelo sim, pelo não” colocam sua fé em tudo.

Outra música popular dos anos 90 “Alagados” do Paralamas do Sucesso, também dizia que as pessoas sabem “A arte de viver da fé, só não se sabe fé em quê”.

Ou melhor: fé em quem?

Em quem você crê? Esta é uma pergunta que você precisa se fazer. A fé do seu pai ou da sua mãe não vai salvar você. A fé dos seus filhos também não te salvará. Cada um é responsável pela fé que o Senhor lhe deu.

Abraão creu nas promessas de Deus e foi salvo. Isaque também. Assim como Jacó, pai das 12 tribos de Israel.

E os outros exemplos do livro de Hebreus lembram que Moisés não quis permanecer como príncipe do Egito, mas pela fé, aceitou a tarefa que Deus tinha dado a ele. Pela fé, todo o povo de Israel atravessou o Mar Vermelho. E depois de caminhar pelo deserto, chegou à terra prometida.

É verdade que aquele povo vacilou em sua fé, mas o Senhor sempre o acolheu, quando estava arrependido.

Assim também o Senhor faz conosco, mesmo que tenhamos andado longe dele. Ele nos procura e nos chama de volta. E assim podemos voltar.

Voltar àquele que é o Caminho, a verdade e a vida e permanecer nele. E hoje é o dia da nossa salvação, pois o amanhã pode não existir...

Hebreus simplesmente lembra os nomes de muitos heróis da fé. Mas nós poderíamos colocar muitos outros. Certamente muitos de nossos conhecidos demonstraram ou demonstram uma fé verdadeira em Deus.

E Hebreus termina dizendo: 1Assim nós temos essa grande multidão de testemunhas ao nosso redor. Portanto, deixemos de lado tudo o que nos atrapalha e o pecado que se agarra firmemente em nós e continuemos a correr, sem desanimar, a corrida marcada para nós. 2Conservemos os nossos olhos fixos em Jesus, pois é por meio dele que a nossa fé começa, e é ele quem a aperfeiçoa. Ele não deixou que a cruz fizesse com que ele desistisse. Pelo contrário, por causa da alegria que lhe foi prometida, ele não se importou com a humilhação de morrer na cruz e agora está sentado do lado direito do trono de Deus. 3Pensem no sofrimento dele e como suportou com paciência o ódio dos pecadores. Assim, vocês, não desanimem, nem desistam.”

Nós temos ainda uma multidão muito maior. Mas o nosso grande exemplo e nosso  Salvador é Jesus Cristo. É nele que precisamos crer, para nossa Salvação. É por causa dele que todos os heróis da fé foram salvos.

Eu não posso crer por ninguém e ninguém pode crer por mim. A fé é pessoal e intransferível. Mas ela é compartilhável. Compartilhamos a fé, quando testemunhamos o Salvador Jesus às pessoas ao nosso redor. Assim, a fé que é intransferível, cresce no outro, por meio da ação do Espírito Santo, enquanto crescemos na Palavra do Senhor.

Que o Bondoso Deus, por meio da Palavra, nos aumente dia após dia a fé. E que as dificuldades da vida sejam todas superadas, porque o Senhor anda com os seus. É nele que nossa fé começa e é ele quem nos mantém na fé. É nele que cremos e todo aquele que crê, mesmo que morra, viverá para sempre com Deus. Amém.

E a paz de Deus, que ninguém consegue entender, guardará o coração e a mente de vocês, pois vocês estão unidos com Cristo Jesus.” (Fp 4.7)

Pastor Jarbas Hoffimann – Nova Iguaçu-RJ

Soli Deo Gloria

domingo, 8 de agosto de 2010

Fé em quê?

Hb 11.1-16
11º Domingo após Pentecostes

Que a graça do Senhor Jesus Cristo, o amor de Deus e a presença do Espírito Santo estejam com todos vocês! (2Co 13.13).

Sl 33.12-22; Gn 15.1-6; Hb 11.1-16; Lc 12.22-34

A Paz do Senhor esteja com todos vocês. Amém.

Queridos irmãos em Cristo, hoje quero começar com uma frase dita pelo jornalista Joelmir Beting, no programa Canal Livre, da Rede Bandeirantes de Televisão.

O Programa passa no fim de domingo e não costuma ser muito assistido, porque as pessoas normalmente não querem discutir assuntos no domingo à noite, preferem o Fantástico, o Gugu e o Sílvio Santos, ou mesmo dormir para acordar cedo na segunda.

Pois bem, num destes programas, no qual se falava sobre fé, o jornalista, lembrando as paixões que o tema fé desperta, antes de chamar o intervalo, disse:

“Para quem não tem fé, prova nenhuma é suficiente e para quem tem fé, prova nenhuma é necessária.”

Muito bem. Falemos então de fé.

“A fé é a certeza de que vamos receber as coisas que esperamos e a prova de que existem coisas que não podemos ver.” (Hb 11.1).

Mas a fé tem sido alvo também de muitos ensinos errados:

Coloque sua fé para trabalhar. Exercite sua fé. Faça sua fé crescer. Tenha uma fé poderosa.

Estas são algumas das exortações que ouvimos atualmente.

Notem como a fé vem sendo distorcida. Porque tudo passa para a capacidade humana, como se a fé fosse algo em nós, que nos tornaria capazes de fazer algo, por nós mesmos.

Coloque sua fé para trabalhar. Exercite sua fé. Faça sua fé crescer. E a última: “Tenha uma fé poderosa” é ainda mais estranha.

E quase tudo que se ouve falar de fé, está falando errado.

Fora isso, as pessoas parecem ter hoje uma fé sem objetivo.

Alguns dizem: “tenho fé que vou vencer!” – mas fé em que ou em quem?

Outros apenas dizem ter fé. Mas em que, ou em quem?

A fé que salva... Aquela que Deus nos dá... Aquela fé que salva e poderia mover montanha, caso fosse do tamanho de um grão de mostarda (Mt 17.20)... Esta fé é objetiva. Não é algo que fica pairando no ar, como uma nuvem.

A fé que salva é gerada pelo Espírito Santo, por meio da Palavra e do Batismo. A fé que salva, é sustentada pelo viver na Palavra, no Batismo e pelo participar da Santa Ceia. A fé que salva aponta para Jesus Cristo é diz: “creia em Jesus e você será Salvo” (At 16.31 e mais 23 passagens do Novo Testamento que afirmam a mesma coisa).

É a fé no Senhor Jesus que nos torna justos diante de Deus (v. 2). É pela fé, sem maiores explicações, que compreendemos que tudo que existe (v. 3), existe porque Deus disse: “haja” (Gn 1.3).

Hoje fala-se também de colocar a fé para trabalhar. E isso nada mais é do que os exemplos que nos são dados em Hebreus:

Abel ofereceu um sacrifício melhor (v. 4), pois pela fé, procurou oferecer com sinceridade o melhor que tinha.

Um descendente da sexta geração de Adão, Enoque (v. 5) serviu fielmente a Deus e foi poupado da morte, levado aos céus pelo Senhor, por volta do ano 1000 depois da saída do Jardim.

Foi também por fé que Noé, acreditou que ia chover muito e, mesmo sendo ridicularizado pelos seus contemporâneos, construiu um barco enorme no deserto. E por fé, ele e sua família foram poupados na maior catástrofe natural da história da humanidade.

O que é colocar a fé para trabalhar?

Resposta de Hebreus: “cheguemos perto de Deus com um coração sincero e uma fé firme, com a consciência limpa das nossas culpas e com o corpo lavado com água pura. Guardemos firmemente a esperança da fé que professamos, pois podemos confiar que Deus cumprirá as suas promessas. Pensemos uns nos outros a fim de ajudarmos todos a terem mais amor e a fazerem o bem. Não abandonemos, como alguns estão fazendo, o costume de assistir às nossas reuniões. Pelo contrário, animemos uns aos outros...” (Hb 10.22-25).

Isso é colocar a fé para trabalhar. Isto é exercitar a fé.

Descoberta Espiritual É viver em Cristo e com Cristo diariamente. Crescendo na comunhão e no estudo da Palavra. Como Tiago também sempre é lembrado: “... alguém pode dizer: ‘Você tem fé, e eu tenho ações.’ E eu respondo: ‘Então me mostre como é possível ter fé sem que ela seja acompanhada de ações. Eu vou lhe mostrar a minha fé por meio das minhas ações.” (Tg 2.17-18).
Há uma parábola que fala de fé e que conta:
Um alpinista sempre buscava superar seus desafios.
Depois de muito preparo, resolveu escalar o Aconcágua. E como queria a fama apenas para si, resolveu fazer a escalada sozinho.
Então ele foi subindo. Porém o dia foi passando sem ele perceber e foi ficando escuro. E ele não achou que fosse demorar tanto, por isso nem se preocupou em local pra acampar. E nos apetrechos.
Por isso segui subindo.
Escureceu e não era possível enxergar um palmo à frente do nariz.

Não via absolutamente nada, não havia lua, tempo nublado, sem estrelas. Toda civilização e suas luzes muito distantes para iluminar.

Então, de repente, ele escorregou e caiu vertiginosamente. A sua corda de segurança ia se soltando grampo após grampo e parecia que não ia mais parar.

Nesses momentos angustiantes, passaram por sua mente todos os momentos felizes e tristes que ele havia vivido em sua vida. De repente, ele sentiu um puxão forte que quase o partiu pela metade. Finalmente a corda de segurança, tinha ficado fixa.

Naquele silêncio, suspenso pelos ares e na escuridão completa, não sobrou nada a fazer, se não gritar. E clamou por Deus:

— Ó meu DEUS, ajude-me!!!

De repente uma voz grave e profunda vindo do céu respondeu:

— O que você quer de mim, meu filho?

– Me salve meu DEUS, por favor!!

E DEUS respondeu:

— Você realmente acredita que possa te salvar?

E o alpinista respondeu:

— Eu tenho certeza meu DEUS!

E DEUS respondeu:

Vida — Então corte a corda que te mantém pendurado...
Houve um momento de silêncio e reflexão. O homem se agarrou mais ainda à corda e refletiu que se fizesse isso morreria...
O pessoal de resgate conta que no outro dia encontrou o alpinista congelado, morto, agarrado com força, com as duas mãos a uma corda... tão somente, a dois metros do chão...

Queridos irmãos.
Alguns dizem que esse seria o “salto da fé”. Alguns de nós concordaríamos que isso sim é fé. É largar a corda e saltar no escuro.

Mas notem que se fosse assim, a atitude estaria novamente na ação da pessoa.

Apesar dessa estorinha refletir alguma verdade sobre a fé. Ela mostra um Deus que não reflete nosso Deus de amor. Ela não mostra o Deus no qual cremos.

Nosso Deus não teria mandado cortar a corda. Ele teria pego pela mão e colocado no chão. Não ficaria testando na hora de maior desespero, mas teria dito: “Venham a mim, todos vocês que estão cansados de carregar as suas pesadas cargas, e eu lhes darei descanso.” (Mt 11.28)

A fé verdadeira, é aquela que se apega a Jesus Cristo. Ela é gerada em nós pelo poder do Espírito Santo. Ela é mantida e aumentada, pela ação do Espírito Santo, enquanto estudamos a Palavra do Senhor, seja nos cultos, nos estudos bíblicos, ou particularmente.

Lembrem-se: “Pela graça de Deus vocês são salvos por meio da fé. Isso não vem de vocês, mas é um presente dado por Deus.” (Ef 2.8).

Sem fé é impossível agradar a Deus. (v. 6) Porém todo aquele que, com fé chegar diante de Deus, será recebido pelo Pai. Pois o Senhor Jesus afirma: “Todos aqueles que o Pai me dá virão a mim; e de modo nenhum jogarei fora aqueles que vierem a mim.”. Amém.

E a paz de Deus, que ninguém consegue entender, guardará o coração e a mente de vocês, pois vocês estão unidos com Cristo Jesus.” (Fp 4.7)

Pastor Jarbas Hoffimann – Nova Iguaçu-RJ

Soli Deo Gloria

segunda-feira, 2 de agosto de 2010

“Pai, meu Pai”

O Espírito torna vocês filhos de Deus; e pelo poder do Espírito dizemos com fervor a Deus: “Pai, meu Pai!” (Rm 8.15)

Agosto nos recorda de olharmos um pouquinho para nossos pais. Nossos pais estão precisando de nossos olhos. Nossos pais estão envelhecendo. Estão ficando cansados. Nossos pais, ainda têm muito a aprender, mas muito a nos ensinar também. E felizes aqueles que ainda têm os seus pais bem juntinhos.

pai_e_filho Romanos 8.15 diz assim: Porque o Espírito que vocês receberam de Deus não torna vocês escravos e não faz com que tenham medo. Pelo contrário, o Espírito torna vocês filhos de Deus; e pelo poder do Espírito dizemos com fervor a Deus: “Pai, meu Pai!”

Nós, por causa de Jesus Cristo, fomos tornados filhos de Deus (Jo 1.12). Fomos perdoados dos pecados (1Jo 1.7) e somos contados entre os que herdarão a vida eterna (Tg 2.5). Esse mesmo Jesus nos alertou para amarmos uns aos outros (1Pe 1.22), como amamos a nós mesmos (Mt 22.39) e porque ele nos amou primeiro (1Jo 4.19).

Mas como poderemos amar a Deus, a quem não vemos (1Jo 4.20), se não conseguirmos amar nosso “velho” pai, que está do nosso lado cotidianamente?

Jesus nos ensinou o amor. E como filhos de Deus, acolhemos nosso pai terrestre que também precisa do Pai do céu. Muitas vezes precisaremos dar um “colinho” pro nosso pai. Mesmo que ele pareça não querer.

Imagine o que passa na cabeça de um pai que busca sustentar dignamente sua família, mas não está conseguindo trabalho. Quer levar seus filhos para Jesus, mas seus filhos o ignoram e se zangam com ele porque estavam na farra até de madrugada e agora querem dormir. ...

Como pai, posso dizer que não existe tarefa mais árdua e mais prazerosa na vida. Não há como explicar.

pai e filho de mãos dadas Como filho, preciso dizer que muitas vezes achei que meu pai soubesse e não lhe disse: “Pai, eu amo o senhor”... É claro que ele sabe. Mas certamente gostará de ouvir de novo. Assim como nós gostamos de ouvir sempre de novo: Deus amou vocês e quer levar vocês à vida eterna. Busquem o Senhor, como filhos buscando seu pai, “Pai, meu Pai”, amém.

Ore: Pai do céu. Ensina-nos a amar nossos pais, assim como o Senhor nos amou. Amém.

Rev. Jarbas Hoffimann – Nova Iguaçu-RJ