quarta-feira, 31 de outubro de 2018

O Núcleo da Reforma Luterana


      Esta é a verdade que liberta. É Jesus, o salvador que proclama a salvação pela fé e pela graça de Deus. Aí está o núcleo da Reforma Luterana. A Palavra de Deus. Ela é a verdade. Ela é a autoridade sobre nossas vidas. Ela é a fonte de ensinamento cristão. É nela que conhecemos um Deus que salva por graça e fé em Cristo.

      O que é ser um cristão luterano? Esta reflexão é apropriada nestes 501 anos da Reforma Luterana. Martinho Lutero, em 31 de outubro de 1517, fixa 95 teses que propõem um debate sobre práticas e éticas que estariam longe da verdade. Não de uma verdade subjetiva, definida de acordo com os propósitos e objetivos de cada um, mas da verdade que molda e define nossas vidas.
“E conhecerão a verdade, e a verdade os libertará” (João 8.32).
      Então, o que é ser um cristão luterano? O núcleo desta resposta é o mesmo núcleo da Reforma Luterana: o reconhecimento de que a Palavra de Deus é a verdade. E, por consequência, crer no que ela fala ao coração. Crer que o universo é criação de Deus. Crer que Jesus morreu e ressuscitou para perdão e salvação. Crer que o Espírito Santo é Deus que transforma vidas. Ser cristão luterano é erguer a bandeira da Bíblia como verdade viva de Deus, principalmente em uma sociedade repleta de verdades subjetivas.
      Então #ficaadica: ser cristão luterano é crer na Palavra e colocá-la como autoridade máxima sobre nossas vidas! É nela que conhecemos um Deus que ama o pecador, o perdoa e o transforma. É tempo de celebrar o aniversário da Reforma Luterana e exaltar a Palavra de nosso Deus. Como o próprio Martinho Lutero disse:
“Qualquer ensinamento que não se enquadre nas Escrituras deve ser rejeitado, mesmo que faça chover milagres todos os dias”.
      Este Deus de amor quer falar ao seu coração. Leia a sua Bíblia, vá à sua igreja cristã!

Pastor Bruno A. K. Serves
Congregação Evangélica Luterana Cristo
Candelária-RS

terça-feira, 30 de outubro de 2018

Todos no mesmo barco

      Após as eleições, surgem entusiasmos, sobraram frustrações. Mas, a realidade permanece para “vencedores” e “perdedores”. Num barco cravado de furos, todos vão ao fundo se não houver união. Situação que só piora com motins. É preciso seguir as regras da embarcação – pela tripulação e passageiros – para que o cruzeiro siga em frente. Afinal, terríveis tempestades se armam no horizonte.
      Além dos buracos no casco, o Brasil está repleto de tralhas. É necessário jogar fora os supérfluos. Se o Ratinho estiver certo, podemos ser o próximo Titanic. O apresentador comparou a crise financeira de um jeito bem simples. Com um salário de 100 reais, o País gasta 40 para as dívidas, 40 para o funcionalismo público, 18 para a Previdência, sobram apenas 2 reais para educação, segurança, saúde, estradas... A conta também não fecha na Previdência, um saco de privilégios para uma minoria que não deseja mudanças. São exemplos de um provável naufrágio caso as “reformas” não forem realizadas.
      Ao comparar a igreja de Cristo com um corpo, a Bíblia diz algo parecido:
“Pois o corpo não é feito de uma só parte, mas de muitas. Se o pé disser: ‘Já que não sou mão, não sou do corpo’, nem por isso deixa de ser do corpo. Se o ouvido disser: ‘Já que não sou olho, não sou do corpo’, nem por isso deixa de ser do corpo” (1Coríntios 12.14-16).
      A igreja de Corinto estava dividida em discórdias, orgulho, interesses. Uma congregação repleta de dons, mas sem o essencial: o amor de Cristo. Logo não seria mais uma igreja, mas um corpo desmembrado e morto. 
      O Brasil é uma nação com diferentes religiões, crenças, culturas e opiniões. Cristãos e não-cristãos, diferenciados em doutrinas, ideologias e pensamentos. Todos no mesmo barco. Com suas imperfeições, a democracia é o jeito menos turbulento para se chegar ao porto seguro. Que o Senhor de todas as nações conceda inteligência aos governantes e ao povo.

Rev. Marcos Schmidt
pastor luterano

Culto "da Hora Luterana" e também culto da Reforma

      No último domingo, dia 28, aconteceu o primeiro culto da "Hora Luterana" na Congregação Castelo Forte, de Nova Venécia.
      A Hora Luterana é uma entidade missionária que existe desde 1917 e hoje alcança 50 países com suas mensagens cristãs para diversos temas, como depressão, solidão e muitos outros. Além do devocionário "5 Minutos com Jesus" que traz mensagens cristãs diárias. Estas mensagens também são transmitidas por internet e pelo rádio para muitas localidades do Brasil e do mundo.
      Além da Hora Luterana, há também o site vivenciar.net, para ajudar você a superar dificuldades como ansiedade, pornografia, medo, estresse e outros temas. Oferece também o curso "Quem é Jesus?", que te orientará e dará mais conhecimento sobre a pessoa do Filho de Deus, que veio para Salvar a humanidade e voltará para levar os salvos consigo, para a vida eterna.
      A Hora Luterana está comemorando 71 anos no Brasil e todas as congregações são convidadas a fazer os cultos da Hora Luterana e, na medida do possível, são incentivadas a enviar a oferta desse culto para o trabalho missionário encampado pela entidade. Foi o caso da Congregação Castelo Forte, que enviou integralmente os valores ofertados, para esta missão. Incentiva-se que todas as congregações façam pelo menos um desses cultos por ano. E, se possível, que enviem a oferta... Se não der, que façam igualmente o culto, orando por este trabalho tão importante que alcança hospitais e muitas outras entidades, auxiliando idosos, jovens, saudáveis ou enfermos, a estarem mais próximos do Conforto da Palavra de Jesus Cristo.
      Você quer também fazer parte deste grupo de pessoas que levam Jesus às pessoas, faça sua doação (clique aqui) da forma como for melhor. Você também pode se tornar um parceiro na evangelização, contribuindo mensalmente para esta obra. E ainda recebe por sua oferta, um conjunto de livros para que você também faça missão aí onde vive. Isso não é muito legal?
      Também neste domingo se comemorou os 501 anos da Reforma Luterana, agradecendo a Deus porque todas as vezes que tentaram ocultar a Palavra, o Senhor despertou servos fiéis e dedicados somente à verdade Bíblica, como foi Martinho Lutero.
      Foi a primeira vez que o culto foi transmitido ao vivo e foi um culto em que houve muita música, inserida diretamente nas partes da liturgia. Como foi a primeira vez, ainda tem muita coisa para melhorar, mas dá pra ter uma ideia de como foi o culto.


      Confira abaixo algumas fotos deste dia maravilhoso, que teve também um almoço comunitário após o culto. Outras fotos estão no instagram da fotógrafa Sara Hoffimann (@sara.h.fotos).

Pastor Jarbas Hoffimann

Grupo "Herdeiros do Trono", que embeleza todos os cultos da Castelo Forte com sua capacidade musical abençoada por Deus e a dedicação aos ensaios.

Crianças antes de irem para a Escola Bíblica, fazem sua oferta e oram, pedindo proteção a Deus. Neste dia oraram pedindo a bênção de Deus à Hora Luterana.



Célia e Jonas, na leitura dos Textos Bíblicos para o dia.

Pastor Fernando Huf, representando a Hora Luterana, foi o pregador do culto.







Pastor Fernando destacou: "Quando você acordar, na hora que vai lavar o rosto, lave, lembrando que você foi batizado e está em Cristo. Que a água do seu lavar o rosto te lembre da água do seu batismo e te mova a ter um dia sob Cristo."




Servas em Ação, na sobremesa do almoço. Mas muitas outras pessoas ajudaram para que tudo acontecesse tão maravilhosamente como aconteceu.

Antonella que veio com seus pais e sua irmã, para deixar nossa festa mais bonita ainda.

Isaac e seu filho Samuel, aproveitando este "dia na igreja", como pai e filho cristãos.

Alceu e Ademar, firmes na organização também.

Hora do almoço... Pastor também come.

segunda-feira, 29 de outubro de 2018

Culto 3/nov/2018

      Leia os textos bíblicos indicados.
      Se não tem ainda, instale um app da Bíblia em seu celular.


sábado, 27 de outubro de 2018

Fake News em Bereia?

      Todos concordamos que a tecnologia transformou a forma de sermos sociedade. E, neste ano, estamos experimentando esta transformação também na esfera política. Foi-se o tempo em que campanha política se fazia quase que exclusivamente em comícios, TV, rádio e panfletagem. Agora, na era das redes sociais, a forma de se pensar, fazer e discutir política é outra. E isto vai desde as postagens oficiais dos candidatos no Twitter, passando pelos comentários dos eleitores no Facebook e invadindo até mesmo os tão celebrados e  (já)  tradicionais grupos de família no WhatsApp – aqueles cheios de imagens de bom dia, repleto de flores e xícaras de café.
      Como nem tudo são flores, esta nova forma de se discutir política abriu a porta para algo que não é novidade: a fake news. Sim, mentiras e notícias falsas sempre existiram. Porém, com a tecnologia da informação, fake news têm ganhado espaço e, infelizmente, credibilidade. São estas enxurradas de notícias falsas e, muitas vezes, bombásticas, que têm marcado estas eleições. De acordo com o professor americano de Psicologia Gordon Pennycook, responsável por uma ampla pesquisa a respeito do assunto, as fake news ganham credibilidade graças à preguiça de pensar, pesquisar e de ir atrás da fonte.
      Em uma sociedade totalmente desprovida das atuais tecnologias, um grupo de pessoas deu um belo exemplo de como se combater uma fake news. Em uma cidade chamada Bereia, lá nos tempos bíblicos, um grupo de pessoas ouvia atentamente mensagens trazidas por dois homens estranhos a eles. E, para combater possíveis fake news, aquele grupo de pessoas foi direto à fonte da informação. Acompanhe o relato sobre isto:
“As pessoas dali eram mais bem educadas do que as de Tessalônica e ouviram a mensagem com muito interesse. Todos os dias estudavam as Escrituras Sagradas para saber se o que Paulo dizia era mesmo verdade” (Atos 17.11).
      Diante da mensagem do apóstolo Paulo e de Silas, aquele grupo de Bereia pesquisou na Palavra de Deus e confirmou que não se tratava de uma fake news, mas sim de uma mensagem de salvação, bíblica e fiel. Resultado: muitas pessoas daquela cidade creram no Senhor Jesus.
      Se fake news ganham espaço graças à preguiça de pensar e pesquisar, aprendemos com os cristãos de Bereia. Precisamos ir direto à fonte. Precisamos beber diretamente da Palavra de Deus, a Bíblia! Convivemos em uma sociedade repleta de fake news espirituais, cheia de ensinamentos confusos sobre Jesus, de promessas vazias e de mentiras a respeito de uma vida que agrada a Deus. Cuidado com fake news espirituais que, mesmo que pareçam ser atraentes, podem minar a sua fé cristã.
      Então #ficaadica: em tempos onde a verdade é ainda mais preciosa, o Salvador Jesus nos lembra quem ele é:
“Eu sou o caminho, a verdade e a vida; ninguém pode chegar até o Pai a não ser por mim” (João 14.6).
      A verdade é que Jesus foi morto e ressuscitado para a nossa redenção. Esta é a verdade que traz salvação, exatamente como aconteceu em Bereia.

Pastor Bruno A. K. Serves
Candelária-RS

sexta-feira, 26 de outubro de 2018

Promessas, promessas


      “É melhor não prometer nada do que fazer uma promessa e não cumprir” (Eclesiastes 5.5), disse Salomão. Não deixa de ser um alerta num mundo onde, repete o Sábio, “É ilusão, é ilusão, tudo é ilusão”. Por isto o Cartório onde minha assinatura precisa de registro, caso contrário, não tem nenhum valor. Até mesmo o “prometo ser fiel até que a morte nos separe” é sacramentado diante do juiz e do sacerdote – porque minhas palavras carecem de amparo legal e divino.
      O que vale é aquilo que faço. E aí começam os meus desencantos. Não com os outros, mas comigo. “Se dizemos que não temos pecados, estamos nos enganando, e não há verdade em nós” (João 1.8), foi a confissão do discípulo que prometeu cuidar da mãe de Jesus. Só conseguiu porque fez o juramento debaixo da cruz, lugar que compromete e dá consistência às palavras. Não por nada. A cruz é a primeira promessa divina (Gênesis 3.15). É a coerência entre o falado e o realizado na força da “Palavra que se tornou um ser humano e morou entre nós, cheia de amor e de verdade” (João 1.14).
      Acreditar nas promessas de Deus reveladas na Bíblia é fundamental para a vida humana. Não acreditar em promessas que dizem ser palavras de Deus é fundamental para não cair em desilusões. “Dizem coisas que eles mesmos inventam e não aquilo que eu falei” (Jeremias 23.16), adverte o céu contra os falsos profetas. Igual aos candidatos que prometem mundos e fundos, e por isto, tanta descrença com a religião e com a política.
      Nossa confiança nas promessas de Deus seria diferente se não falássemos tantas mentiras e não acreditássemos em tantos embustes. Temos a mania de transportar a desilusão aqui debaixo para os acordos daquele que é a Verdade. Para que tudo não seja pura ilusão, vale o recado final de Eclesiastes: “Tema a Deus e obedeça aos seus mandamentos”. Sem esquecer que só obedece quem acredita na primeira promessa. 

Marcos Schmidt
pastor luterano
Novo Hamburgo, RS

quarta-feira, 24 de outubro de 2018

Calendário para 2019

      Uma tabela excel para agenda de 2019. Já com feriados e algumas outras datas do Brasil.
      Logo estarão também outros eventos. Mas esse aí já pode ser baixado para ajudar quem quer se organizar para 2019.

Link do arquivo:


domingo, 21 de outubro de 2018

Deixar tudo para trás - Marcos 10.23-31

      Que a graça do Senhor Jesus Cristo, o amor de Deus e a presença do Espírito Santo estejam com todos vocês! (2Co 13.13).



      Queridos irmãos em Cristo.
      A Paz do Senhor esteja com todos vocês.
      Vocês conhecem o jovem rico. Ele é aquele rapaz que preferiu as riquezas a seguir o Salvador Jesus.
      É muito fácil atirar pedras no jovem rico, mas quem seria capaz de fazer o que Jesus pediu? Eu faria! — Responde alguém entusiasmado. E daí alguém outro diz: eu também...
      Então chega a hora da prática:

  • Deixar família (não pra arrumar outra), mas para seguir o Mestre.
  • Desfazer-se de todos os bens e dar o dinheiro aos pobres.
  • Esquecer emprego e sustento.
  • Esquecer roupas e luxo e sair andando pelos desertos atrás de Jesus, junto com outros discípulos.

      Poucos fariam isso. Aliás, poucos fizeram. Temos 12 apóstolos que deixaram tudo: suas famílias, suas redes e tudo mais, para seguir Jesus. Há também outros que deixaram tudo para trás. E estes logo entenderam que o ponto crucial não está em ficar pobre, ou deixar o emprego. E nem mesmo o fato de dar tudo aos necessitados.
      O deixar tudo para trás é colocar Jesus em primeiro lugar.
      Alguns apóstolos, Pedro, por exemplo, tendo deixado tudo para trás, vez por outra voltava à sua casa, para estar com sua família. Nu-ma dessas voltas, Jesus estava com ele e curou sua sogra. Como registrado em Mateus 8.14-15: “Jesus foi à casa de Pedro e viu a sogra dele de cama, com febre. Jesus tocou na mão dela, e a febre saiu dela. Então ela se levantou e começou a cuidar dele.”
      E Pedro já tinha deixado tudo para seguir Jesus, como ele mesmo afirma: “Veja! Nós deixamos tudo e seguimos o senhor.” (v. 28) Será que Pedro deixou ou não deixou tudo para trás?
      Novamente aqui é preciso estar seguro do que Jesus quer ressaltar no texto do evangelho de hoje. E o que ele quer apontar é a importância do Reino. Que é mais importante do que tudo.
      Deixar algo para trás não é desprezar aquilo que se deixa. Mas é saber que por mais importante que algo possa ser, Jesus é o principal.
      Por mais importante que seja a nossa vida, é melhor morrer testemunhando do que negar o Senhor e queimar no inferno. Por mais i-portante que seja o dinheiro, é melhor passar fome, do que usar o dinheiro para afastar-se de Deus. É por isso que um camelo passa fácil pelo buraco de uma agulha enquanto o rico ficará preso.
      Porque muitos (se não quase todos) que têm dinheiro, se deixam controlar pelo dinheiro. Vivem para e pelo dinheiro, para ganhar e para gastar. Não têm tempo para nada. E o pior, não têm tempo para Deus.
      Têm tempo para suas viagens. Têm tempo para negócios e estudos, mas nunca têm tempo para a oração.
      Um exemplo rápido. O tempo para as orações em nossas vidas. Se você orar por 10 minutos, todos os dias, terá orado 70 minutos por semana. Totalizando 60 horas por ano.
      Quanto tempo você gasta com a TV? E lendo jornais? E ouvindo rádio? Em filas de banco e tantas outras filas? Passeando? 60 horas são apenas 2 dias e meio em um ano. E muitas vezes achamos muito difícil, em 365 dias, tirar 3 dias de tempo pra falar com Deus.
      E quantos rejeitam o culto, quando vir ao culto é a maior oportunidade da semana. Deveríamos esperar pelo culto, como uma criança espera pelos presentes de Natal.
      O culto é nosso momento máximo de comunhão, adoração, ensino, compromisso e muito mais.
      Este é só um exemplo de que às vezes deixamos para trás aquilo que deveria estar em primeiro plano. Assim, se sobrar tempo, vamos ao culto, vamos orar, vamos ofertar...
      Aqui outro ponto:
      O apego aos bens materiais atrapalha a obra de Deus. Muitos não ofertam porque não confiam no Senhor. Ou porque acham que os outros têm mais dinheiro e deveriam ofertar mais.
      Quem é infiel na oferta, está sendo um bom e útil instrumento de Satanás, para atrapalhar a obra do Senhor. Porque sem oferta, não se abre igrejas. Sem oferta, não se compra material evangelístico. Sem oferta, muitas igrejas ficam sem pastor. Sem oferta, muitas pessoas passam fome, porque não temos como comprar mantimentos para levar a elas. E muito mais deixa de ser feito.
      Nenhuma obra que fazemos no serviço do Senhor é em vão. Deus multiplica o trabalho de nossas mãos às centenas e aos milhares. As-sim, a minha oferta, por menor que eu ache, fará toda a diferença na obra do Senhor.
      E a Palavra de Deus lembra que o apegar-se ao dinheiro é a raiz de todos os males. Notem bem, não é o dinheiro que é ruim. Mas é o não conseguir deixar para trás. Isso sim é ruim. E isso não é só pra quem tem muito dinheiro, é também para quem vive em função de ganhar a qualquer custo. E às custas de quem quer que seja.
      É claro que Deus quer sustentar dignamente aos seus filhos e se um passarinho não cai sem Deus permitir, também é impossível que algum filho de Deus passe fome. Parafraseando Lutero: “antes que um filho de Deus passe fome, os próprios anjos desceriam dos céus com comida”.
      E se alguém ainda tem alguma dúvida sobre o que é importante e o que deve ser deixado para trás, o versículo escolhido para hoje é: “Para os seres humanos isso não é possível; mas, para Deus, é. Pois, para Deus, tudo é possível.” (v. 27).
      O que é impossível para os seres humanos?
      É impossível conseguir a Salvação.
      Não adianta deixar nada para trás, pois a salvação não é por obras. A Salvação é por graça de Deus que nos dá seu Espírito Santo e nos faz crer em Jesus Cristo. A estes o Senhor capacita a deixar tudo para trás. A estes o Senhor fortalecerá dia após dia. Por meio da sua Santa Palavra e dos Santos Sacramentos. E uma pergunta que não poderia faltar hoje: para que servem as bênçãos materiais?
      Elas servem basicamente para duas coisas:
      Para sustentar a obra de Deus (oferta).
      Para sustentar ao próximo necessitado (diaconia).
      É claro que Deus quer que sejamos responsáveis com os bens que ele nos dá. Que não esbanjemos, que usemos para nosso bem também, mas se nossos bens não estão servindo para a obra do Senhor e o socorro ao próximo, eles não estão no serviço do Senhor. E estamos fazendo como o jovem rico, que preferiu seus bens a seguir ao Senhor.
      Mas se deixamos tudo para trás, para estar com Jesus, nunca nada nos faltará, pois ele é o nosso Bom Pastor. É ele que garante que nós não podemos conseguir a salvação sozinhos. Que nós não conseguimos deixar as coisas para trás para segui-lo, apesar disso, ele nos chamou, nos deu a fé e diariamente fortalece a fé, à medida que nos aproxima de sua Palavra.
      Deixar o mundo para trás e estar de frente para Deus. E de frente para Deus seremos recebidos naquele glorioso e eterno dia, quando o Senhor dirá: entrem na vida eterna, pois tudo que é ruim já ficou para trás. As coisas velhas já passaram, agora tudo é novo. Amém.

E a paz de Deus, que ninguém consegue entender, guardará o coração e a mente de vocês, pois vocês estão unidos com Cristo Jesus. Amém. (Fp 4.7)

| Pastor Jarbas Hoffimann |

sábado, 20 de outubro de 2018

Homenagem, narração

      Texto da narração do vídeo que estará no youtube.

      Sara... Meu anjo...
      Sua mãe já falou, sua irmã mostrou o quanto também te ama... Seu Padrinho nos trouxe a Palavra de Deus... Outros também falaram e expressaram seu amor e carinho por você.
      Agora é minha vez... Desta vez preferi em vídeo, até para ficar registrado pra sempre...
      Quando você nasceu, esperada para o dia 20, resolveu vir num domingo chuvoso, um dia antes... Sua mãe, calma, ainda fez o almoço pra sua avó, antes de irmos para a maternidade do Hospital Santo Ângelo.
      Quando você nasceu, abençoada por um parto onde tudo correu bem para você e sua mãe, te trouxeram à porta da maternidade, onde eu esperava...
      Trouxeram aquele trocinho, enrolado... Apenas a cabeça à mostra... Olhos arregalados, bochechas rosadas e protuberantes, delicadamente rosadas... Lábios que pareciam fazer um biquinho... Cabelos... Muitos cabelos, ainda úmidos pelo parto e por isso mais negros do que são hoje.
      Ali continuava nossa história... Porque já tinha começado quando sua mãe e eu pensávamos em você, anos antes... Você foi planejada, preparada, amada desde antes de nascer... Eu conversava com você, ainda na barriga da mamãe... Sua mãe sempre foi uma grávida linda. Esplendorosa... Chegava a ser radiante...
      Então você nasceu... Um mundo novo se abria para nós. Pais de primeira viagem. Mas muito bem treinados por nossos próprios pais, para sermos bons pais. E bons pais dizem não... Pais ruins só dizem sim...
      Com o passar dos anos foram muitos “nãos”... Mas foram muito mais vezes “sim”. O “não” educativo. O “sim”, compreensivo, premiador...
      Você cresce nos orgulhando...
      Como foi bom tantas vezes ouvir: que menina educada, comportada. Parabéns... Sempre que eu ouvia isso pensava: a Irene está fazendo um bom trabalho e Deus tem abençoado... Porque não deve ser trabalho meu... Assim somos nós pais... Quando os filhos erram, nos culpamos e nos perguntamos: “onde errei”? Mesmo que tenhamos feito o melhor.
      E quando os filhos acertam e vencem, costumamos dizer: “Parabéns filha, você venceu”.
      Acho que não é nem tanto um, nem tanto outro: se você errar, posso te ajudar a acertar... E quando você acertar, acredito que parte é porque tem ouvido seus pais, avós e outros que te amam.
      Chega de falar...
      Deixe outros falarem...

      (Seguiram os vídeos)

Jarbas Hoffimann, pai, pastor

Aniversário da Sara, texto de Ísis Hoffimann

      A Ísis, irmão de 11 anos da Sara, quis também prestar uma homenagem e escreveu o seguinte texto:

      Meu poema para você!
      Oi, Sara.
      Eu estou aqui só por causa de você, pois estou morrendo de vergonha!
      Mas né é a vida!
      Eu te amo muito! Mesmo que a gente brigue muito!
      Mas olha você aqui, linda como sempre!
      15 anos.
      Sara, 15 anos... Você é a pessoa mais linda que eu já vi! E a melhor irmã do mundo e não é porque só tenho você de irmã, tá?!
      Se eu tivesse 1000 irmãs, de 1000 você seria a melhor!
      Você é minha raridade e também é uma raridade para estas pessoas que estão presentes aqui!
      Sara, mas o mais importante é que Deus te abençoe e ilumine sempre como ilumina nesses 15 anos!
      Te amo!
      Beijos.
      Sua irmã mais linda!

15 anos da Sara

      Pode ser que alguém precise de ideias para conduzir uma cerimônia de gratidão por passagem dos 15 anos de uma menina...
      Aqui o que foi feito (com pesquisa na internet também) para nossa filha, Sara. O texto abaixo foi compilado e também escrito por Irene.

      Boa noite!
      Peço a atenção de todos, para o início deste momento tão especial, da comemoração dos 15 anos da nossa Sara.
      Agradecemos pela presença de cada um, desejando que este momento seja tão marcante e especial para vocês, como tem sido para nossa família.

Celebrar a vida...

  • É sonhar na esperança de realizar…
  • É chorar na certeza que vai sorrir…
  • É encarar os desafios para vencer…
  • É sentir-se gigante, mesmo antes de crescer…

Celebrar a vida...

  • É muito mais que um momento… em cada segundo, em cada dia e em todo tempo.
  • É viver uma linda e longa história, cujo autor é o próprio Pai do Céu, o divino escritor.
  • É saber que, na vida, ele é quem escreve a nossa glória…
  • Celebrar a vida...
  • É superar tudo aquilo que nos deixou pra baixo e valorizar tudo aquilo que nos eleva…
  • É somar amigos, experiências e conquistas...
  • É dizer às pessoas que elas fazem parte de nossa vida, estejam perto ou distantes... Sejam novos ou antigos companheiros nesta viagem chamada “VIVER”.

      Por isso queremos celebrar juntos, não só estes 15 anos de vida da Sara, mas queremos celebrar, com esperança no Senhor, todos os anos que ainda virão.

      Convidamos para este momento especial, o Dindo Wesley, que nos trará a Palavra de Deus. Palavra que esteve presente na vida da Sara desde antes de nascer. Não poderia faltar hoje e não pode faltar nunca. Tio Wesley, a palavra é sua...

(O tio e padrinho, que é pastor, fez uma pregação, lembrando as bênçãos colhidas nesses primeiros quinze anos)

      Obrigado Dindo Wesley... Estas palavras são muito importantes para cada um de nós, mas muito mais especialmente para a Sara. Desejo também que a Lara e o bb que está a caminho deem a vocês muita alegria.

      Então...
      Há exatos 15 anos... Um choro... Sopro de vida... Anunciava a chegada de uma linda menina chamada SARA, nos enchendo de alegria. Jarbas e eu agradecemos a Deus por sua chegada para completar a felicidade do nosso lar.
      Hoje com uma espécie de adeus à sua infância e um sorriso à sua mocidade, ao amor uma esperança...
      Como uma saudade aos brinquedos uma saudade. Ela começa a entender que a vida se parece muito com o filme “Divertidamente”... Onde os sentimentos de criança, simples e diretos, dão lugar a sentimentos mais confusos e complicados... Ô vida difícil esta tal de adolescência, especialmente para o adolescente, que ainda sem entender os desafios da vida, precisa começar sua luta...
      Cada um de vocês que está aqui, de alguma forma, faz parte da história da Sara. Por isso estão aqui.
      Como cristãos, acreditamos que o melhor da vida está sempre à nossa frente. Ainda vem... Não só a vida eterna, mas mesmo as realizações de sonhos, conquista de amigos, o encontro de um amor... A conquista de uma carreira para fazer o bem ao próximo e para si mesma...
      Bem como muitos outros momentos felizes e abençoados que são esperados e que ao acontecerem, ficarão marcados em sua trajetória, como pegadas na lua... Para sempre.
      Nesta noite tão especial, não poderíamos deixar de falar de pessoas importantes na vida da Sara.
      Os avós paternos, vovô ATÍLIO e vovó NORMA, e os avós maternos, vovô PEDRINHO e vovó MARIA. Se esquecer os 10 tios e tias e 8 primos e primas (por enquanto, porque vem mais por aí)...
      E uma família que, mesmo não sendo de sangue, é contada entre nossa família, assim, a Sara ainda têm o vovô Ademar e a vovó Ieda e as tias Daiane e Grasi e os tios Clóvis e Vitor... E mais duas priminhas, lá no Rio Grande do Sul.
      E é claro, agradecemos também a todos vocês pela amizade e por se alegrarem conosco nesse dia especial.

      Para completar este momento de sonho, ansiedade, adrenalina, emoção e realização…. convido a estrela desta noite, a Sara, que venha receber o abraço daqueles que te amam…. Que entre a nossa debutante Sara (Jarbas leva sara até uma cadeira em destaque)
      Sara nesse momento algumas pessoas querem falar algumas palavras para vc...

ENTRADA DA IRMÃ
      Fez uma poesia (postagem deste blog) e cantou a música "Trem Bala" de Ana Vilela, acompanhada de seu pai ao violão.

ENTRADA DOS PRIMOS E PRIMAS
      Alguns primos estão mais perto e outros mais distantes, mas todos são muito importantes na vida da Sara. Convido a Isabela. que fará agora uso da palavra.

ENTRADA DAS AMIGAS
      As verdadeiras amizades são aquelas que guardamos do lado esquerdo do peito. Os “migos” e “migas”, são presentes que ganhamos ao longo de nossa vida. Convido as amigas da Sara nesse momento...

(Retornando)
      Sara,
      Toda menina leva um sorriso no rosto e mil segredos no coração. Espero que este sorriso possa permanecer ao longo da sua vida. Agora que você chega à mocidade, não tenha pressa, viva cada dia, sendo um de cada vez. Lembre-se sempre de Deus em primeiro lugar. Faça suas orações... O mundo precisa do silêncio da oração. Plante coisas boas para que os frutos ao redor estejam sempre tão bons quanto as sementes que semeou. Mantenha os bons amigos, obedeça aos seus pais, visite seus avós sempre que puder. Pense em ter uma profissão que te alegra a alma e te dê a hora de seu sustento.
      Leia bons livros. Estude, pois o conhecimento contribui para nos livrar da maldade alheia e da nossa própria. Especialmente, leia a Bíblia... Pode ser até no celular, mas leia.
      Seja feliz...
      Faça as pessoas ao seu redor felizes, assim sempre haverá felicidade perto de você. Respeite sempre as pessoas. Procure sempre olhar tudo com o melhor ponto de vista... com a melhor das intenções.
      Seja grata por tudo que conquistar. Lute por seus objetivos. Não se satisfaça com o 9 e meio se você pode ser 10. Olhe para frente, existem mil possibilidades para se viver... Viva da melhor maneira possível!

      Logo após esta parte, houve a participação (em vídeo, está meio ruidoso em alguns momentos mas se consegue entender bem).

      Algumas fotos deste momento que foi maravilhoso pelas presenças de amigos, mas muito mais maravilhoso porque Deus sempre esteve presente na vida de nossa Sara.


















quinta-feira, 18 de outubro de 2018

No coração e no celular

      O apóstolo já repetia que
“todos mentem e enganam sem parar” (Rm 3.13).
      Uma profecia sobre as fake news? “Dos dedos deles saem mentiras perversas, e dos seus celulares saem palavras de morte, como se fossem veneno de cobra. A troca de mensagens deles está cheia de terríveis maldições”. A contextualização da carta bíblica é fato, não é fake.
      O WhatsApp atingiu em julho a marca de 120 milhões de usuários ativos no Brasil e 1,5 bilhão em todo o mundo. Por isto, as recomendações para aqueles que prezam o mandamento “não dirás falso testemunho contra o próximo”: usar o bom senso, buscar informações, suspeitar, não compartilhar logo no calor da emoção. Mas, no aspecto religioso, quais os estragos das falsas notícias? Se a principal tarefa da igreja é espalhar a boa nova da salvação em Jesus, dependendo do envolvimento no mundo das mentiras, será que o cristão não estará comprometendo o poder transformador do Evangelho?
"Deus disse isso porque sabe que, quando vocês comerem a fruta da árvore, os seus olhos se abrirão, e vocês serão como Deus, conhecendo o bem e o mal" (Gn 3.5).
      Pronto, estava lançada a primeira falsidade pelo pai da mentira. E assim, as fake news seguem do Gênesis ao Apocalipse e em toda a história, revelando a natureza humana – a queda em acreditar naquilo que o coração deseja.
      Muito antes do advento da Internet, a lei já dizia:
“Não ande espalhando mentiras no meio do povo” (Lv 19.16).
      Assim, não basta encontrar mecanismos na tecnologia para combater as falsidades nas redes sociais. Existe uma ferramenta mais eficaz. Ao pedir para deixar a mentira de lado, a Bíblia lembra uma capa protetora que absorve qualquer impacto satânico:
“Vistam-se com a nova natureza, criada por Deus e que se mostra na vida verdadeira, a qual é correta e dedicada a ele” (Ef 4.24,25).
      Sem dúvida, um constante alerta quando a mentira está no coração e no celular.

Marcos Schmidt
pastor luterano
Novo Hamburgo, RS

Lendo de trás para a frente

      Quando você pega um jornal ou uma revista para ler, por onde você começa? Preciso confessar que muitas vezes começo lendo pelo final. É pegar o jornal ou a revista, virá-los e começar a folheá-los de trás para a frente. Não sei se é alguma síndrome, mas reparei que não sofro sozinho deste mal. Já vi muita gente fazendo isto. Será que é um transtorno ou será que é um hábito?
      Imagine se pudéssemos fazer isto com as páginas da nossa vida! Você gostaria de folheá-las ao contrário? Seria como assistir sua vida de trás para a frente. Acho que seria completamente sem graça. Tudo perderia o gosto: as emoções, as surpresas, as paixões, as conquistas e até as dores e tristezas. Já saberíamos o desfecho de todas as cenas da nossa vida: o futuro dos filhos, a vida profissional, o time campeão no futebol, nosso próprio fim. Acho que seria sem graça.
      O Senhor Deus nos dá um dia de cada vez para ser vivido. Sim, esta frase é como chover no molhado, é óbvia. Porém ela precisa ser ouvida, ainda mais em tempos onde sofremos com um punhado de dias que ainda nem chegaram.  A cada dia Deus nos permite escrever novas histórias, nos proporciona novas emoções, nos permite conviver com pessoas queridas e amadas. E, claro, muitas páginas não entendemos o porquê estarem no livro de nossa vida. Mas estão lá, presentes em nossa história.
      Se a última página de nosso livro ainda está por vir, e nem sabemos quando será, é preciso preparar um grand finale. E para isto Deus nos deu Jesus. Ele é Deus Ressuscitado, acolhedor, que perdoa, cura, cuida, ama, salva.
“Hoje você estará comigo no paraíso” (Lucas 23.43),
disse Jesus para um pobre ladrão arrependido e pregado na cruz ao seu lado. Era a última página do ladrão arrependido! Que grand finale! Com Jesus há vida. O Salvador garante vida em cada página de nossas histórias, do começo ao fim.
      Então fica a dica: ler o jornal ou a revista de trás para a frente pode até ser interessante! Mas na vida, se lê cada página de uma vez, do começo ao fim. Jesus quer cuidar da sua história, de cada página do seu viver! Isto é garantia que, pela morte e ressurreição de Jesus, os cristãos terão um grand finale, que, na verdade não é o fim, mas o início de um novo capítulo: “comigo no paraíso”, como disse Jesus!

Pastor Bruno A. Krüger Serves
Congregação Evangélica Luterana Cristo
Candelária-RS

terça-feira, 16 de outubro de 2018

Um Herói volta ao lar

      Acabo de saber que o Senhor chamou o pastor Benjamim Jandt para a vida eterna... Quero apenas relembrar um pouco dos breves contatos que tive com ele, aqui e ali, por esta imensa IELB... E o faço na breve carta que escrevi a seus filhos:

      Olá.

      Acabo de saber que o pastor Benjamim, finalmente está abraçando Jesus...
      Como eu tenho saudade de abraçar Jesus também...
      Imagino quando este dia chegar para mim e espero ansioso por ele.
      O Senhor nos dá as carreiras a correr e o pastor Benjamim, com sua voz suave e face rosada, recebe os raios de luz daquele que é a Luz... Que é a Verdade que o pastor Benjamim trouxe no peito, em seu coração que bateu até hoje, na certeza desse encontro.
      Quantos conheceram Jesus por este servo. Quantos o admiraram já na primeira vez que ouviram sua voz tranquila... Eu sou um deles.
Lembro do primeiro encontro: “Casilla Dos”, num congresso de Leigos, no Paraguai.
      Lá estava ele com suas metáforas que tocavam a emoção.
      Mais tarde, no Rio de Janeiro, num dos momentos ministeriais mais difíceis da minha vida, ainda ouço sua voz ecoando: “eles precisam, mas não têm pastor”, como seria doloroso — afirmava, convidando os jovens ao Seminário e incentivando suas famílias e congregações a enviá-los.
      Agora, ficamos “sem o pastor Benjamim”. Mas ele está para sempre, onde o Pastor o acolhe e diz: “vinde, bendito de meu Pai... A mesa tá posta, a cama tá pronta, vamos contar uns causos. E rir bastante.”
      Agora, fiquei com mais vontade ainda de ir pro céu. Porque está ainda mais feliz.

      Que Deus conforte sua família irmão.
      De longe, minha família e eu, que tivemos a honra e privilégio de jantar com o pastor Benjamim, desejamos que vocês continuem consolados à espera desse nosso encontro lá, “onde não falta mais pastor”.

      Jarbas,
      um pastor, que ainda é pastor, porque um dia o pastor Benjamim me visitou.

quarta-feira, 10 de outubro de 2018

Consciências Mortas Pela Corrupção

      Algo que chama a atenção nas eleições do primeiro turno é a população rejeitando diversos candidatos envolvidos em processos de corrupção. Quem sabe estes procuravam em um novo cargo a imunidade parlamentar. Porém parece-me que, na era pós Operação Lava-Jato, boa parte da população está tirando a venda dos olhos quando o quesito é corrupção. Corrupção é crime grave, que afeta a vida de todos os cidadãos, e que precisa ser punida. Não é mesmo?
      No inverno deste ano em Gramado, na serra gaúcha, aconteceu uma conferência sobre os mecanismos cerebrais da corrupção. E, nas palavras de um dos palestrantes, o psiquiatra Pedro Schmidt, o cérebro se adapta à desonestidade. Diante de um ato corrupto, o cérebro avisa que a ação não está correta. Porém, com a repetição da desonestidade, o cérebro acaba aceitando a conduta corrupta. Quem sabe aí esteja uma explicação para tantos candidatos corruptos que agem como se nada tivesse acontecido.
      A Palavra de Deus tem um termo interessante que expressa esta dormência cerebral: “pessoas cuja consciência está morta como se tivesse sido queimada com ferro em brasa”. O texto é de 1Timóteo 4.2, onde o contexto do versículo fala sobre pessoas que ensinavam coisas profundamente erradas, repletos de ensinamentos demoníacos.
      E aí eu lhe pergunto: o que tudo isto tem a ver com a nossa fé cristã? Consciências mortas pela corrupção precisam de arrependimento e perdão. E não falo apenas dos candidatos, mas de nós mesmos. Quantas e quantas vezes agimos contra a própria consciência cristã, até mesmo no atual cenário político, tão acalorado e tenso? O perdão de Jesus dá vida e sentido às consciências arrependidas de estarem adormecidas em suas imoralidades. Esta é a garantia da Palavra de Deus, conforme 1 João 1.9: “Se confessarmos os nossos pecados a Deus, ele cumprirá a sua promessa e fará o que é correto: ele perdoará os nossos pecados e nos limpará de toda a maldade”. Sim, consciências arrependidas de suas ações imorais têm perdão! Consciências mortas são vivificadas pela fé em Jesus!
      Então fica a dica: que o Espírito Santo nos abençoe com uma consciência viva, na qual ele nos acusa de nossas corrupções diárias e, arrependidos, nos torna sedentos do que Jesus tem a oferecer: perdão, vida e salvação! Em Jesus há vida para consciências mortas! Em Jesus, há vida para toda a eternidade!

Pastor Bruno A. K. Serves
Candelária-RS

Esperança em pessoas

      A maioria já decidiu quem é o seu Presidente, ou seja, 75% dos eleitores. Agora, seguindo a lógica dos votos já garantidos no primeiro turno, o futuro chefe do Brasil precisa correr atrás da outra fatia do bolo, pedaço que pode mudar para melhor ou para pior um País confrontado em direita e esquerda. Mas, o que é isto,“direita e esquerda”? Estamos aprendendo. Afinal, as coisas se ajeitam na prática. Entendemos a política na hora do desemprego, empresa falida, assalto, violência, buraco nas estradas, fila no hospital, escola sem professor, corrupção, lava-jato, enfim, naquilo que hoje se experimenta num Brasil sem terremotos, tsunamis e vulcões, mas em estado de calamidade. Isto é certo, o povo ergue bandeiras no ajuntamento dos fatos, não na multidão das promessas.
      E política sempre vai ser isto que estamos assistindo, um cenário cheio de surpresas. Algumas boas, a maioria ruins. Porque é feita por gente com defeitos. “Não ponham a sua confiança em pessoas importantes nem confiem em seres humanos”, alertou Davi, “pois eles são mortais e não podem ajudar ninguém” (Salmo 146). Disse isto porque ele mesmo, governante, precisou confessar graves erros nos seus projetos políticos e na vida pessoal. Ao lembrar que as pessoas voltam ao pó da terra, e que neste dia todos os planos deles se acabam, o salmista expõe o cruel resultado da urna funerária. Se não fosse o voto fiel de Deus na cruz, o famoso rei jamais teria ousadia em dizer: “Feliz aquele que põe a sua esperança no Senhor, seu Deus (...) O Senhor sempre cumpre as suas promessas”.
      Hoje o Brasil tenta expurgar erros, fracassos, mentiras, imoralidades, fraudes... Afinal, o voto é a esperança em pessoas empenhadas com a boa política. E, se números ajudam, é bom lembrar que 86% dos brasileiros se dizem “cristãos”. Então, outro voto para sermos uma nação comprometida com a Verdade, o Caminho e a Vida.

Marcos Schmidt
pastor luterano

domingo, 7 de outubro de 2018

A família segundo a vontade de Deus - Salmo 128

Textos Bíblicos do domingo 7/out/2018
Sl 128 | Gn 2.18-25 | Hb 2.1-18 | Mc 10.2-16


Que a graça do Senhor Jesus Cristo, o amor de Deus e a presença do Espírito Santo estejam com todos vocês! (2Co 13.13).

Queridos irmãos em Cristo.
Os textos de hoje nos levam a pensar na família.
O Salmo fala do homem que teme ao Senhor e de como sua casa é abençoada.
Gênesis fala da criação do casamento.
O Evangelho mostra Jesus falando sobre casamento e sobre as crianças, que também fazem parte da família.
O único texto que parece destoar dos demais é Hebreus 2. Ele não fala diretamente sobre a família, mas aponta para Cristo que é a solução para todos os problemas que podem aparecer na família.
Vamos então ao Salmo 128:
1Feliz aquele que teme a Deus, o Senhor, e vive de acordo com a sua vontade!
Você sabe qual é a vontade de Deus? Qual é a vontade de Deus para a sua família? É preciso saber disso.
A vontade do Senhor é habitar na sua casa. Estar presente na hora em que todos levantam. Almoçar junto com vocês, ir às suas festas e churrascos. Mas Deus também quer estar presente nos momentos de doença, de dúvida, de desemprego...
O Senhor quer estar na sua casa todos os dias.
Diz o Sl 127.1: “Se o Senhor Deus não edificar a casa, não adianta nada trabalhar para construí-la. Se o Senhor não proteger a cidade, não adianta nada os guardas ficarem vigiando.”
Mas se o Senhor estiver presente na sua casa, isto será garantia de que você e sua família estarão sempre protegidos.
Segue o Salmo:
2Se você for assim, ganhará o suficiente para viver, será feliz, e tudo dará certo para você.
É promessa de Deus para as pessoas que forem fiéis. Mas muitas vezes nós falhamos na fidelidade e reclamamos que Deus não está sendo fiel.
Encontrei na internet a entrevista, de Anne Graham Lotz, filha de Billy Grahamm que foi o primeiro mega missionário televisivo.
A entrevista aconteceu no dia 13 de setembro de 2001, no Early Show’s, apresentado por Jane Clayson. Ou seja, 2 dias depois dos atentados de 11 de setembro.
Na internet tem uma entrevista ampliada, mas o que ela realmente respondeu é o que segue:
Pergunta a entrevistadora:
Eu já ouvi pessoas dizendo que são religiosas, aquelas que sabemos que não são, e essas pessoas perguntam: se Deus é bom, como poderia permitir que isto aconteça? O que você tem a dizer sobre isso?
Anne Graham: Eu digo que Deus também se irrita quando vê algo como isto. Eu diria também que há vários anos os americanos, de certa forma, cerraram seu punho para Deus e disseram: “Deus, nós queremos que você saia de nossas escolas, nosso governo, nossos negócios... Queremos você fora do nosso mercado. E Deus, que é um cavalheiro, se retirou em silêncio da nossa vida nacional e política... Nossa vida pública. Removendo a mão que nos abençoava e protegia. Nós precisamos voltar para Deus e, antes de tudo, dizer: Deus, estamos arrependidos por ter tratado o senhor desta maneira e queremos que o Senhor volte para nossa vida nacional. Em nosso dinheiro a gente diz que confia em Deus. Tá na hora de praticar isso.
Será que nós também não estamos expulsando Deus de nossas casas? Quem ainda ora? Quem lê a bíblia? Quem fala de Jesus aos seus filhos?
Muitos acham que não vale a pena falar de Jesus para crianças tão pequenas, mas se enganam.
A alguns anos, minha filha menor, assistindo TV comigo, percebeu que um dos personagens estava mentindo e me perguntou:
—Papai, o que ela tá contando é mentira, né?
—É sim, minha filha. — Respondi.
E ela concluiu: —Então ela vai pro inferno...

Nós adultos evitamos estas conversas diretas. A gente logo parte pro: “Não é bem assim”; “vamos ver isso melhor”. Mas o fato é que esta é a verdade: se alguém está em pecado e não se arrepende, irá pro Inferno por toda a eternidade.
Mas aquele que confia em Jesus tem a vida eterna.
Não devemos expulsar o Senhor de nossas vidas. Muito pelo contrário, precisamos permitir que ele esteja sempre presente.
O Salmo segue:
3Em casa, a sua mulher será como uma parreira que dá muita uva; e, em volta da mesa, os seus filhos serão como oliveiras novas.
Aqui o Salmo fala de casamento e família. E aí a gente pode dar uma olhada também no texto do evangelho, quando os fariseus querem pegar Jesus no contrapé: “De acordo com a nossa Lei, um homem pode mandar a sua esposa embora?” (Mc 10.2)
Eles queriam que Jesus respondesse errado, pois mesmo conhecendo a Lei do divórcio, sabiam que Deus ensinava diferente.
E é bom nós também sabermos:
A lei do divórcio foi feita para preservar o casamento. E era muito diferente da nossa atual lei do divórcio. Pois hoje, não tendo filhos, basta ir ao cartório e registrar o divórcio. Nunca foi tão fácil jogar a família no lixo.
Na época de Moisés, o que acontecia é que os homens queriam também jogar facilmente sua esposa fora e trocar por outra, talvez mais valiosa, mais prendada, mais bonita, mais nova...
Conhecendo a dureza do coração, Moisés instituiu a carta de divórcio, que deveria ser entregue ao sacerdote e este, como um juiz é que diria se o divórcio poderia acontecer ou não.
Ou seja, depois da carta de divórcio, não cabia mais ao marido, simplesmente, mandar sua mulher embora. Ele precisava justificar-se perante o sacerdote e dizer qual a causa do divórcio.
Hoje ainda acontecem divórcios. E muitos deles motivados por coisas banais. Outros motivados pelo pecado, que trouxe a infidelidade para dentro do lar. Um homem que trai sua mulher, não está traindo apenas ela. Trai seus filhos, trai a família da sua esposa, que o acolheu, trai sua própria família, que recebeu sua esposa.
Até a ciência já entendeu que traição aponta fraquezas de caráter. Segundo um estudo publicado na Social Psychology Quarterly, os homens mais inteligentes têm menor probabilidade de trair suas esposa. Estudo publicado em março de 2010.
Mas se aconteceu, o que fazer?
Tomemos o exemplo de Davi. Ele se aproveitou de sua posição real e relacionou-se com uma mulher casada. Então, quando ela ficou grávida, Davi deu um jeito de mandar matar o marido dela, e tudo isso, fazendo parecer coisa normal.
Não podia ser pior. Mas o rei andava todo serelepe, achando que ninguém descobriria. Mas Deus sabia. E mandou o profeta.
Na hora de acusar... O próprio Davi se acusou e caiu em prantos. Pediu pelo perdão do Senhor, que o perdoou.
Se a nossa família está indo mal, Deus tem solução para ela. Nunca desista da família. Todas as famílias têm problemas, até mesmo as famílias pastorais.
E o Salmo termina assim:
4Quem teme ao Senhor certamente será abençoado assim.
5Que, do monte Sião, o Senhor o abençoe! Que, em todos os dias da sua vida, você veja o progresso de Jerusalém!
6E que você viva para ver os seus netos! Que a paz esteja com o povo de Israel!
Toda essa felicidade vem quando não expulsamos Deus de nossa família. Deus valoriza a família e o casamento. Tanto que ele mesmo instituiu o casamento, ainda no jardim: “É por isso que o homem deixa o seu pai e a sua mãe para se unir com a sua mulher, e os dois se tornam uma só pessoa.” (Gn 18.24).
Se há pecado, lembre-se de Hebreus 2.11 “Jesus purifica as pessoas dos seus pecados; e todos, tanto ele como os que são purificados, têm o mesmo Pai.
Não se esqueça: “E agora Jesus pode ajudar os que são tentados, pois ele mesmo foi tentado e sofreu.” (Hb 2.18).
Amém.

E a paz de Deus, que ninguém consegue entender, guardará o coração e a mente de vocês, pois vocês estão unidos com Cristo Jesus. Amém. (Fp 4.7)
Pastor Jarbas Hoffimann – Nova Venécia-ES

quinta-feira, 4 de outubro de 2018

Cristãos, Eleições e Oração!

Resultado de imagem para eleições      Sabe, às vezes me questiono qual é o nosso papel como cristãos diante de mais uma eleição. Aliás, eleição esta que tem despertado os mais diversos sentimentos Brasil à fora e potencializados nas redes sociais. Qual é o papel do cristão neste cenário repleto de extremos de ideias, propostas e ideologias? Ou será que devemos nos silenciar, fazendo de conta que uma eleição em nada influenciará nossas vidas e, quem sabe, até mesmo nossa liberdade de fé?
      A Igreja Evangélica Luterana do Brasil posiciona-se oficialmente e corretamente a respeito do assunto dizendo que não é papel da Igreja fazer partidarismo político ou erguer a bandeia de um determinado candidato. Entretanto ela recomenda a orientação a respeito das qualificações de quem almeja assumir tamanha responsabilidade de cuidar de uma nação e de um estado. E, por conta disto, como pastor luterano, quero exercer esta função de orientação e reflexão, sem manifestar-me a respeito de partido ou candidato.
      Quero partir de um convite bíblico para orarmos pelos que têm autoridade:
“Orem pelos reis e por todos os outros que têm autoridade, para que possamos viver uma vida calma e pacífica, com dedicação a Deus e respeito aos outros” (1Timóteo 2.2).
      O objetivo da oração é pedir a Deus que, por meio de nossas autoridades, tenhamos uma vida tranquila. Ora, esta vida pacífica passa por assuntos como educação, saúde e economia. E, como notamos, o objetivo também é de que tenhamos condições plenas de se viver a fé cristã, dedicando-nos a Deus e ao próximo. Você já analisou as propostas dos seus candidatos sobre isto?
      A Palavra de Deus fala que a autoridade também tem a função de combater os diversos males na sociedade e promover o bem:
“Porque as autoridades estão a serviço de Deus para o bem de você. Mas, se você faz o mal, então tenha medo, pois as autoridades, de fato, têm poder para castigar. Elas estão a serviço de Deus e trazem o castigo dele sobre os que fazem o mal” (Romanos 13.4).
      Quais são as ideias dos seus candidatos a respeito deste assunto?

      Ainda lhe convido a apreciar o capítulo 29 de Provérbios, especialmente alguns trechos adequados ao momento de eleições:
“Quando os honestos governam, o povo se alegra; mas, quando os maus dominam, o povo reclama. Quando o governo é justo, o país tem segurança; mas, quando o governo cobra impostos de mais, a nação acaba na desgraça. Um país sem a orientação de Deus é um país sem ordem. Quem guarda a lei de Deus é feliz”.
      Então #ficaadica: reflita sobre a importância do seu voto. Vote de acordo com a sua consciência, orientada pelos diversos conselhos bíblicos a respeito do assunto. Viva o amor do Salvador Jesus com aqueles que pensam diferente de você. E, depois da eleição, ore. Ore pelo presidente, pelo governador, pelos senadores e deputados eleitos. Deus abençoe o seu voto!

Igreja Evangélica Luterana do Brasil
Congregação Cristo
Candelária-RS

terça-feira, 2 de outubro de 2018

Voto consciente

Imagem relacionada      O voto consciente é uma tarefa difícil. Encontrar os melhores candidatos exige grande esforço. Porque não basta escolher os honestos, verdadeiros, ficha limpa. Nem é suficiente optar pelos capacitados, inteligentes, preparados. É preciso, acima de tudo, eleger os que têm ideias adequadas para a vida dos brasileiros. E daí as opiniões divergem e as dificuldades aumentam. Afinal, certas propostas são bem diferentes. Não só em questões que mexem com o nosso bolso, saúde, segurança, educação, com coisas materiais. Também em assuntos morais e religiosos. Por exemplo, o presidente escolhe os ministros para o Supremo Tribunal Federal. São estes juízes que decidem sobre aborto, questão de gênero e outros assuntos polêmicos. Tem a Lava Jato que está julgando e condenando muita gente. Alguns concordam e outros discordam destas ações comandadas pelo juiz Sérgio Moro. Com meu voto, estarei optando para lá ou para cá, para frente ou para traz. Assim, o que é melhor, justo, coerente? É preciso refletir, calcular e ter convicção. A decisão é minha, ninguém pode me obrigar, coagir, forçar.
      Este jeito consciente e livre da democracia é parecido com a maneira do Deus bíblico se relacionar com as pessoas. Ele nos dá liberdade para seguir a vida. Claro, depois vem as consequências. A diferença é que na política quem entra em ação é o cérebro. Na religião quem trabalha é o espírito humano, a alma – coisa que a ciência não explica. Mesmo separados, política e religião estão juntos assim como corpo e alma. No pensamento de Lutero, política é o esforço constante e paciente para estabelecer e manter uma ordem social compatível com os valores do cristianismo. Neste propósito, a Bíblia lembra: “Vivam de acordo com o evangelho de Cristo” (Filipenses 1.27). “Vivam” é “politeuste” no original grego, termo que aponta para uma cidadania cristã responsável e consciente.

Marcos Schmidt
pastor luterano