domingo, 29 de novembro de 2009

Não podemos calar

Lc 19.28-40
1º Domingo no Advento

Que a graça do Senhor Jesus Cristo, o amor de Deus e a presença do Espírito Santo estejam com todos vocês! (2Co 13.13).

Queridos irmãos em Cristo.
A Paz do Senhor esteja com todos vocês. Amém.
Há um hino antigo do Hinário Cantor Cristão que diz:
“Sabeis falar de tudo
que neste mundo há,
mas nem sequer Palavra,
de Deus que tudo dá.
        Irmãos, irmãos falemos
        de nosso Salvador.
        Oremos ou cantemos
        E demos-lhe louvor!
Este hino era cantado em minha congregação de infância e ficou na minha memória. E sempre que penso no que falamos no nosso dia-a-dia ela volta automaticamente.
cala-a-bocaTalvez por ser verdade!
Nós sabemos falar de tudo. O brasileiro, de uma forma geral e muito particularmente o carioca e nós da baixada também, sabe de tudo. Sempre tem uma opinião pra dar.
Às vezes você está de pé dentro de um supermercado, examinando um produto e passa uma pessoa que você nunca viu. Ela para e te diz, lá no outro supermercado tá mais barato. É legal aquela pessoa dizer isso, mas é estranho alguém vir opinar sobre aquilo que nós estamos comprando.
Assim, sabemos falar da chuva, do calor, da política e dos políticos, de futebol. Ah o futebol! Hoje tem jogo. Assim como todos os domingos e amanhã muitos vão falar de futebol. Alguns tristes com seus times, outros alegres. Alguns com raiva do juiz, mas vão falar.
A palavra do Senhor diz que a nossa boca fala daquilo que nosso coração está cheio. E é verdade. Se estamos tristes, nossos lábios emitem murmúrios. Se estamos alegres, nos pegamos cantando e nem sabemos porque. A gente tenta parar de cantar, se concentra, e é só descuidar pra começar a cantarolar novamente.
Notem bem. Não tem problema falar de todas as coisas. Não é necessariamente ruim falar e comentar tudo. Desde que não seja pecado, como falar da vida alheia. Isso obviamente é errado e é pecado, como outras coisas que não deveriam ser nem mesmo mencionadas entre os cristãos.
Mas prestem atenção quanto falamos de tudo e quanto falamos de Jesus. Falamos pouco.
E as justificativas são muitas: as pessoas não querem nos ouvir. Não tive oportunidade. Faltou tempo...
Pode ser tudo verdade. Mas também é arma do inimigo para nos calar.
No texto de Lucas, Jesus está sendo aclamado aos gritos, na entrada de Jerusalém. Todos cantam e cantam alto. Não estavam sussurrando... Gritavam glórias a Deus nas alturas.
Então os fariseus, incomodados com a presença do Salvador, pede que ele mande seus seguidores se calarem. Talvez assim causaria menos estardalhaço aquela entrada festiva de Jesus. E Jesus responde que se os seus discípulos se calarem, as pedras gritarão.
Onde Jesus chega não é possível calar.
Quantas foram as vezes que Jesus fez milagres e disse: não conte nada a ninguém! Alguma vez adiantou? Não! Porque aqueles que estiveram com Jesus ficaram tão felizes que não se aguentavam e tinham que contar pra todo mundo. Precisavam falar.
Assim também nós não podemos calar.
A notícia do Salvador Jesus precisa chegar a todos.
E todos começa dentro da minha casa. Com a esposa, o marido, os filhos, e todos que estão ao redor da minha mesa.
Por vezes se critica os pentecostais, mas eles insistem. São até chatos para levar alguém à sua igreja, mas nós somos tímidos. Antes de falar, parece que pensamos: “o que vão pensar de mim”.
Não precisamos ser chatos, mas, como disse nosso presidente da IELB ontem, aqui na Comunidade: “a igreja precisa ousar mais”. E precisamos mesmo. Porque a notícia do Salvador Jesus precisa chegar a todos. E Deus conta conosco para divulgar esta mensagem.
Não podemos calar.
E assim como a notícia precisa chegar a todos, esta mesma notícia de Jesus precisa permanecer em nós.
Jesus veio no primeiro Natal, cumprindo a maravilhosa promessa de Deus. E o Salvador nos resgatou com sua morte na cruz. Não há notícia mais feliz do que esta.
calar2 Basta olhar em volta e ver quantas pessoas andam desiludidas, vivendo no vazio. Sem um fio de esperança pro futuro.
Vemos pessoas gastando todas as suas forças para aproveitar ao máximo esta vida em prazeres que passam rápido, porque não têm esperança. E vidas assim são como as drogas: dão um prazer momentâneo, seguido de uma profunda depressão e vazio. Até que ela mesma acaba matando o seu consumidor.
Não podemos calar. Para que a notícia de Jesus permaneça em nos e fique cada vez mais forte. E isso acontece por meio da Palavra ouvida e meditada... Por meio da Santa Ceia.
Assim a o Salvador não só permanecerá em nós, como também chegará a outros, pois não conseguiremos ficar calados. Vamos precisar cantarolar diariamente o amor de Deus por todas as pessoas. Precisaremos lembrar a todos que existe uma esperança. A esperança da vida eterna com Jesus Cristo.
É impossível esta notícia ficar oculta. Porque esta é a maior notícia de todos os tempos: Jesus vem a nós e nos dá a vida eterna. Amém.

E a paz de Deus, que ninguém consegue entender, guardará o coração e a mente de vocês, pois vocês estão unidos com Cristo Jesus. Amém. (Fp 4.7)
Pastor Jarbas Hoffimann – Nova Iguaçu-RJ
Glórias Somente a Deus

sexta-feira, 27 de novembro de 2009

Exegese da semana

Caso queira ver direto no site onde está hospedado o estudo, clique no link abaixo. Mas o mesmo pode ser lido aqui.

Lucas 19.28-40 - Exegese - Jarbas Hoffimann

domingo, 22 de novembro de 2009

É preciso vigiar

Mc 13.24-37

Último Domingo do ano Eclesiástico

Que a graça do Senhor Jesus Cristo, o amor de Deus e a presença do Espírito Santo estejam com todos vocês! (2Co 13.13).

fim do mundo - maiasQueridos irmãos em Cristo.
21 de dezembro de 2012. Não estou bem certo da hora, mas isso tanto faz. É neste dia que o mundo vai terminar. Pelo menos é nisso que muitas pessoas acreditam e é sobre isso que fala o filme chamado 2012.
Várias pessoas que já puderam assistir disseram que o filme é muito bom, por causa dos efeitos especiais. Aos brasileiros chama atenção, especialmente o momento em que o Cristo Redentor se desmancha.
Mas esta não é a primeira vez que alguém tenta prever o fim dos tempos. Muitos já previram e erraram.
Talvez os erros mais famosos estejam associados a algumas seitas, como os Adventistas que já erraram muitas vezes esta mesma data. Que sempre era remarcada e sempre esteve errada. Prova do erro é que continuamos aqui. Agora, parece que pararam de prever.
Mas o mundo gosta de fazer contas para o fim do mundo. Os próprios cientistas afirmam que o nosso sol se apagará um dia e, nesse dia, o nosso mundo se desfará, pela explosão que o alcançará, assim como aos outros planetas mais próximos. Mas isso daqui a uns 5 bilhões de anos. Se o mundo durar até aquele dia.
De vez em quando o assunto retorna e faz muito sucesso. Normalmente é no fim do ano, quando naturalmente já estamos falando de finais. É fim de escola. Fim de faculdade. Fim de muitas coisas. Contudo é também um novo começo na vida das pessoas: novos empregos, novas escolas, novos amigos...
Assim, aquele último dia será, de certo modo, é também um novo começo. Porque todos os crentes em Cristo entrarão para sempre no Reino prometido por Jesus.
O texto bíblico de hoje fala de fim do mundo. E a palavra de Deus é muito clara em alertar que um dia tudo será destruído. Não será renovado, como afirmam algumas religiões. Será destruído.
Nesse dia não é mais momento de se arrepender dos pecados. Quando virmos Jesus descendo do céu, o tempo da Graça terá acabado e será a hora do julgamento. — O tempo da graça é o tempo que Deus dá a este mundo, esperando que mais e mais pessoas sejam alcançadas pelo Espírito Santo e creiam no Senhor Jesus. E se o mundo ainda não terminou, isso é mais uma mostra da misericórdia de nosso Pai.
Naquele último dia, certamente todos os descrentes vão gritar por socorro, mas não vai adiantar mais. Porque eles tive-ram toda a sua vida para crer no Senhor Jesus e o rejeitaram. Porque ignoraram alertas de Jesus, como registrados em Lucas 21.34-36: “Fiquem alertas! Não deixem que as festas, ou as bebedeiras, ou os problemas desta vida façam vocês ficarem tão ocupados, que aquele dia pegue vocês de surpresa, como se fosse uma armadilha. Pois ele cairá sobre todos no mundo inteiro. Portanto, fiquem vigiando e orem sempre, a fim de poderem escapar de tudo o que vai acontecer e poderem estar de pé na presença do Filho do Homem, quando ele vier.”.
E este texto reflete o que Jesus nos fala no Evangelho de Marcos: “O que eu lhes digo digo a todos: fiquem vigiando.”.
Irmãos e irmãs em Cristo, é preciso vigiar.
Mas como? Crendo em Cristo.
Vigiamos permanecendo na fé e naquilo que nos aproxima do Salvador. Vigiamos enquanto vimos aos cultos e fazemos nossas orações. Vigiamos amando o próximo e buscando o entendimento entre todas as pessoas. Vigiamos participando da Santa Ceia. Enfim, vigiamos enquanto estamos perto de Jesus Cristo e de sua Casa. E vigiamos levando o Senhor Jesus para dentro de nossas casas, com momentos de devoção e de leitura bíblica. Ensinando do Salvador aos nossos filhos. Vigiamos crendo em Cristo.
É preciso vigiar.
Também Observando os sinais.
E os sinais estão aí. Só não vê quem não quer, pois a própria natureza anuncia os atos poderosos do Senhor.
Seria um absurdo dizer que os sinais da natureza hoje estão mais do que ontem, pois os sinais vêm e vão, mas estão presentes hoje. Como um claro testemunho de que o Senhor vem.
Há guerras e barulho de guerras. Famílias estão se destruindo. Terremotos se espalham pelo mundo e o tempo parece que enlouqueceu. Alguns dizem: “Ah a natureza está se vingando daquilo que o homem fez”. Bobagem. A natureza não se vinga. Ela não tem personalidade. Colhemos sim o mal que plantamos. Mas não é vingança da natureza. O que fizemos com a natureza pode ser comparado a jogar um bumerangue: ele é lançado e volta com mais força do que foi. Mas não é vingança da natureza. É consequência de nosso descuido com tudo que Deus nos deu para cuidar. E também revelam que a natureza confirma as palavras de Jesus.
Os sinais da natureza estavam previstos e também são um testemunho fiel de que o Senhor falou sério quando mandou vigiar.
Outro sinal: muitos ainda passam fome neste mundo. Como Jesus previu. Muitos cristãos são perseguidos e a perseguição está crescendo mundo afora.
Observem a força dos sinais. Porque, se por um lado os sinais estavam e estão presentes, eles estão cada vez mais claros.
Irmãos e irmãs, É preciso vigiar.
Crendo em Cristo, observando os sinais e Fugindo das tentações.
O tentador nos ronda dia e noite e só precisa de uma oportunidade para conseguir entrar. Ele nos oferece todo tipo de pecado. O inimigo quer nos destruir. Por isso é tão importante vigiar sempre. E vigiar é fugir das tentações. Não por força própria, mas porque somos templo do Espírito Santo e, com o Espírito Santo em nós somos capazes de fugir das ten-tações, ficando em Cristo.
O Senhor nos atende quando clamamos: “E não nos deixes cair em tentação, mas livra-nos do mal”. E o Pai nosso não podia terminar de uma forma mais sublime. Pedimos para escapar de toda e qualquer tentação e ainda pedimos para o Senhor nos livrar de todo o mal. Inclusive aquele último mal, que é a destruição eterna.
Filmes sobre o fim do mundo sempre vão existir, porque eles são bons filmes e atraem muitas pessoas. Assim foi na virada deste nosso novo século.
Mas ninguém pode prever nem o dia, nem a hora em que o fim do mundo vai acontecer.
O importante para nós cristãos é vigiar sempre. Para estarmos preparados para aquele dia. E, se o fim de nossa vida vier primeiro, também estaremos preparados para isso. Pois quem crê em Cristo não será julgado, mas passará para a vida eterna. E naquele último dia ouvirá do Senhor Jesus: “Venham, vocês que são abençoados pelo meu Pai! Venham e recebam o Reino que o meu Pai preparou para vocês desde a criação do mundo.”
Que assim seja para todos nós. Amém.

E a paz de Deus, que ninguém consegue entender, guardará o coração e a mente de vocês, pois vocês estão unidos com Cristo Jesus. Amém. (Fp 4.7)

Pastor Jarbas Hoffimann – Nova Iguaçu-RJ

Glórias Somente a Deus

sábado, 21 de novembro de 2009

terça-feira, 17 de novembro de 2009

Deus se revela

“O céu anuncia a glória de Deus e nos mostra aquilo que as suas mãos fizeram.” (Salmo 19.1)
eclipse O céu fala de Deus... Cada dia fala de Deus... Só não vê quem não quer ou quem está cego pelo seu pecado. A consciência, mesmo pecadora, reconhece a existência de Deus, mas não sabendo a revelação verdadeira, fala de: “um ser maior”, “uma força superior”, o “primeiro motor”, o “cara lá de cima”, “a causa fundamental”, “a natureza”, “o espírito evoluído”... Assim o ser humano vai passando seus dias, sabendo que há algo acima dele, mas não conseguindo identificar quem é o Deus verdadeiro.
Na verdade não se pode conhecer a Deus sem que ele mesmo se dê a conhecer. Por isso, sem a Bíblia, é impossível alguém ser salvo. E não há desculpas para não conhecer Deus, porque ele se mostra na sua própria criação e na sua Palavra.
As ondas do mar mostram Deus. O sorriso de um recém-nascido também. O apóstolo Paulo alerta: “Os seres humanos podem ver tudo isso nas coisas que Deus tem feito e, portanto, eles não têm desculpa nenhuma.” (Romanos 1.20). Ninguém terá desculpas no dia do julgamento final. Ninguém poderá dizer “eu não sabia”. Porque Deus se revela, em Jesus Cristo, para salvar a humanidade caída.
Estamos vivendo mais uma Advento. Aguardamos a vinda do menino Jesus, o Filho de Deus. Mas nosso verdadeiro Advento é vivido diariamente, esperando a segunda vinda do Filho do Homem para levar os Salvos à vida eterna. Deus quer preparar seu coração, não impeça que ele se revele a você e leve você à vida eterna. Amém.
Senhor, meus olhos se desviam de ti porque na tua presença o meu pecado é revelado... Sei que sem ti não há salvação, por isso peço que me encha com o Espírito Santo, para que eu te conheça cada dia mais. Para que eu possa trilhar os teus caminhos. Por Jesus Cristo, amém.

Que segurança…

tempestade “Guarda-me, ó Deus, pois em ti eu tenho segurança!” (Salmo 16.1)
As primeiras palavras do Salmo 16 me trazem à memória a imagem de uma criança nos braços da mãe ou do pai. Ela repousa em segurança, mesmo no meio das maiores tempestades à sua volta, porque confia naquele que a está protegendo. Sabe que seu pai ou sua mãe não lhe deixará acontecer mal algum.
Como um pai, nosso Deus nos leva em segurança em nossos caminhos. Se confiamos em outras coisas ou pessoas, que não em Deus, estes podem nos deixar nos momentos em que mais precisamos. Com Deus isto não acontece. Ele está sempre do lado daqueles que lhe obedecem. E jamais os abandonará. Muito ao contrário: já fez tudo para ter consigo a todos os seres humanos. Enviou Jesus que veio no primeiro Natal. Cresceu. Viveu. Ensinou. Sofreu. Morreu por todos os seres humanos. Ressuscitou. Subiu aos céus. E voltará de lá para levar os salvos com ele para a vida eterna.
Deus fez tudo para nossa segurança. Para sabermos que ele se importa sim! Importa-se se você está abandonado ou abatido. Importa-se se você tem o que comer ou não. Importa-se se você tem saúde ou não. Importa-se se você anda de um lado para outro, procurando ajuda e não encontra. E é exatamente isto que o Pai oferece: ajuda em todos os momentos e situações de aflição. Receba Jesus em sua vida... Ele vem novamente neste Natal e vem para mudar sua vida pra melhor. Deus prometeu e cumprirá todas as suas promessas, porque ele não mente. Ele ama e protege os seus filhos em todos os momentos. Amém.

Como é grande o teu amor por mim Senhor. Muitas vezes nem o compreendo. Mas creio neste amor. Creio que tu estás comigo e me conduzirás em segurança à vida eterna. Fique comigo hoje e sempre e me envia o Espírito Santo que me guarda na fé em Jesus Cristo a te o fim... Amém.

sábado, 14 de novembro de 2009

agradecidos voltamos a Deus

Lc 17.11-19

Dia de Ação de Graças

Que a graça do Senhor Jesus Cristo, o amor de Deus e a presença do Espírito Santo estejam com todos vocês! (2Co 13.13).

COTKQ006Queridos irmãos em Cristo.

A Paz do Senhor esteja com todos vocês.

A história dos dez leprosos aconteceu enquanto Jesus viajava entre a Galileia e Samaria. Jesus não tinha um itinerário e viaja conforme lhe parecia melhor.

Quando Jesus estava para entrar na região da Galileia e Samaria, dez leprosos vieram se encontrar com ele.

Então, observando as leis sobre a lepra, aqueles homens não chegaram perto de Jesus, mas gritaram de longe. Não tão longe que não se pudesse ouvi-los. E juntos começam a gritar pela misericórdia do Senhor. E juntos a voz era mais forte.

Certamente foi uma oração de fé....

Aqueles leprosos conheciam Jesus por meio das histórias que tinham ouvido. E creram no Senhor Jesus Cristo, mesmo sem ainda conhecê-lo.

Aqueles homens tiveram fé. Todos eles. Por isso todos buscam a misericórdia do Senhor. E no senhor colocaram sua fé.

Quando Jesus os vê, manda que vão se mostrar aos sacerdotes. Porque assim era o costume ordenado por Moisés. Era o sacerdote que poderia atestar a cura da pessoa. E se eles estivessem realmente curados, deveriam oferecer sacrifícios, como lembra Lv 13.2: "Se uma pessoa tiver na pele uma inchação, tumor ou mancha que vai virando uma doença contagiosa, essa pessoa será levada a Arão, o sacerdote, ou a um dos sacerdotes, que são filhos de Arão." e Lv 14.2-4: "as seguintes leis a respeito da cerimônia de purificação das pessoas que sararam de doenças contagiosas da pele: A pessoa será levada ao sacerdote, e este sairá com ela do acampamento e a examinará. Se a pessoa tiver sarado, o sacerdote mandará trazer duas aves puras, um pedaço de madeira de cedro, lã tingida de vermelho e um galho de hissopo.". Essas eram algumas das leis quanto às doenças de pele.

Jesus poderia ter curado aqueles homens ali mesmo, mas isso poderia provocar a oposição dos sacerdotes, e eles poderiam declarar que aqueles homens ainda estavam impuros, mesmo que já estivessem curados. Só para não admitir que Jesus os tinha curado.

Notem que Jesus manda os homens irem aos sacerdotes e eles vão. O ato de ir, também é um ato de fé. Porque sem ver o milagre eles creram e receberam sua cura já no caminho.

Aí a nossa história se divide: dez homens foram curados, mas de todos estes, apenas um sentiu a obrigação da gratidão. Só o samaritano sentiu necessidade de dar graças a Jesus.

Já no caminho, agora com voz forte, livre da doença, grita em alta voz glória a Deus. E quando se encontra com Jesus, se joga ao chão, aos pés do mestre. Este gesto do ex-leproso nos revela a sua disposição para ser um servo do Senhor.

Com essa atitude, aquele homem acabou por envergonhar seus companheiros de doença. Ele era um samaritano, membro de uma raça desprezada pelos judeus e galileus, mas soube agradecer a quem lhe tinha livrado da terrível doença.

Aquele homem voltou agradecido.

Este é o verdadeiro culto a Deus, voltar e agradecer a Deus. Deus se agrada de ser amado e louvado por nós.

Aquele samaritano voltou, mas Jesus perguntou pelos outros nove.

Todos nós também fomos limpos por Deus, de toda mancha e de todo medo da morte eterna. No batismo juramos fidelidade. Juramos seguir Jesus Cristo e seus ensinamentos. Ninguém jurou seguir ensinamentos de outros seres humanos. Juramos fidelidade a Deus.

Aquilo que recebemos de Deus, durante toda a nossa vida, é muito mais do que a limpeza da lepra. Temos recebido continuamente as riquezas do amor e da graça de Deus. Que não merecemos... Ainda recebemos toda sorte de bênçãos materiais. Mas somos muito vagarosos quanto à gratidão que devemos a Deus em pensamentos, palavras e ações.

O Senhor recompensará todo ato de gratidão de nossa parte, assim como fez ao samaritano.

Jesus olha para aquele homem e diz: vai, porque a sua fé te curou.

Jesus não fica lamentando a falta de fé dos outros nove, que tinha sido extinta no meio da felicidade da cura. Jesus louva a fé daquele homem que permaneceu fiel. Aos que se esqueceram dele... A estes Jesus também esqueceu. Assim como fará no último dia a todos os que aqui se esqueceram dele.

Muita gente já chegou à fé, aprendeu a orar em momentos de aflição e confiar em Deus. Então o tempo passa, e a mesma pessoa, por ingratidão, sufoca a plantinha da fé que estava crescendo. Creu por algum tempo, depois desistiu do Senhor.

Fé momentânea, seguida de abandono ao Senhor, resulta também na perda da misericórdia de Deus. Porque somente a fé que persistir até o final salvará o corpo e a alma da pessoa. Porque é pela fé que se recebe o Salvador Jesus.

Jesus nos salva de toda dor e todo o pecado.

Agradecidos, voltamos a Deus.

E o Senhor faz todo o necessário para nos manter bem neste mundo e na vida eterna.

Ao nos encontrar o Senhor nos dá a fé e preserva esta fé sempre que convivemos com sua palavra e com os santos sacramentos.

E também o Senhor nos dá todo o necessário para viver neste mundo: vida, saúde, alimento, amigos, bom governo, bom tempo e tudo mais que precisamos. Se por um momento o Senhor nos permite passar por dificuldades, logo ele nos coloca de novo em segurança, sob suas mãos amorosas.

Que o Senhor nos abençoe hoje e sempre. Para que sempre de novo possamos voltar agradecidos a Deus. E um dia, entremos agradecidos na vida eterna. Amém.



E a paz de Deus, que ninguém consegue entender, guardará o coração e a mente de vocês, pois vocês estão unidos com Cristo Jesus. Amém. (Fp 4.7)

Pastor Jarbas Hoffimann – Nova Iguaçu-RJ

Glórias Somente a Deus

Lucas 17.11-19 - exegese


Mais uma exegese, para auxiliar no estudo bíblico, de Lucas 17, versículos 11 a 19.
Você pode ler neste Jo 8.31-36.
Note que não é um dos textos do fim de semana, mas é o texto do Dia Nacional de Ação de Graças.
É que este culto, em minhas comunidades, foi antecipado para este fim de semana, por não poder ser realizado no dia, durante a semana.

No fim de semana publicarei o Sermão.

domingo, 8 de novembro de 2009

cuidado com os falsos mestres

Mc 12.28-37

Que a graça do Senhor Jesus Cristo, o amor de Deus e a presença do Espírito Santo estejam com todos vocês! (2Co 13.13).

Queridos irmãos em Cristo.

A Paz do Senhor esteja com todos vocês.

O Senhor Jesus nos apresenta dois assuntos. O segundo, versículos 41 a 44 fala da viúva pobre, que ofertou com sinceridade e generosidade. E não pela quantia, mas pela forma como ofertou, foi elogiada pelo Senhor.

Este assunto, entre nós, é tranquilo: cada um deve ofertar com sinceridade e generosidade, jamais olhando a oferta do outro, mas conforme as próprias bênçãos materiais recebidas do Senhor. Pois estas bênçãos deveriam servir para nosso sustento digno, para o sustento da Casa do Senhor e seus serviços e para o auxílio às necessidades do próximo.

Não quero destacar este assunto hoje, mas estas coisas sempre é bom lembrar com respeito às ofertas. Especialmente nesta época de votos, promessas, propósitos, etc.

Oferta é uma resposta agradecida, de um coração grato.

Dito isto, vamos nos concentrar na primeira parte do Texto: Marcos 12.38-40. Aliás, este texto em Marcos está bastante resumido. Se quiserem ver outras recomendações de Jesus a este respeito, leiam também o texto paralelo em Mateus 23.1-36.

Mas por hoje fiquemos com o texto de Marcos.

Vamos ler novamente:

38Ele dizia ao povo:

– Cuidado com os mestres da Lei! Eles gostam de andar para lá e para cá, usando capas compridas, e gostam de ser cumprimentados com respeito nas praças; 39preferem os lugares de honra nas sinagogas e os melhores lugares nos banquetes. 40Exploram as viúvas e roubam os seus bens; e, para disfarçarem, fazem orações compridas. Portanto, o castigo que eles vão sofrer será pior ainda!

Depois de seus encontros com os mestres da Lei, Jesus alerta o povo sobre o que aqueles homens estavam fazendo. Eles deveriam ser o exemplo de fidelidade a Deus, mas estavam muito longe disso.

Eu gostaria de trazer o assunto para os nossos dias. Sem falsidade e sem acusar uma pessoa em particular. Mas gostaria também de usar o alerta de Jesus, para alertar a todos os líderes religiosos de hoje. Alertando especialmente aos cristãos, para que tomem cuidado com certos comportamentos de pessoas proeminentes no meio religioso cristão.

O Evangelista Marcos faz uma seção muito breve do lamento de Jesus sobre os escribas e fariseus. Os mestres da Lei. Mas é uma passagem que mostra muito bem o vazio, a zombaria e a hipocrisia daqueles homens.

O Salvador adverte às pessoas contra aqueles homens e suas maneiras hipócritas de se comportar. E para não deixar dúvidas o Senhor dá "nome aos bois". Ou melhor: diz claramente o que está errado, mostrando sua falsidade e engano.

Eles desejavam vestir-se com pompa, para chamar a atenção das pessoas. Chegavam a ser infantis no seu desejo de enfeitar-se. Gostavam de longas vestes talares, com bordas que se arrastavam pelo chão. Assim como era costume ser usado por grandes autoridades, como imperadores.

Vestidos assim eles gostavam de circular, assim atraíam a atenção da multidão. Também gostavam de ser reverenciados em praça pública. E gostavam de ser chamados de mestre.

Escolhiam assentos proeminentes nas sinagogas, ou seja, aqueles assentos reservados aos anciãos da congregação, pois naquele lugar eles certamente seriam notados.

Quando eram convidados para jantar, não esperavam ser colocados junto com a multidão, mas escolhiam o sofá do hóspede de honra. Assim eles usurpavam o lugar daqueles hóspedes mais honrados do que eles.

A toda esta vaidade ainda junta-se o egoísmo e a avareza.

Eles prometiam orar pelas viúvas, e mesmo estas orações eram mais para aparecer do que para falar com Deus e, desta forma, conseguiam favorecimento financeiro das viúvas. Porque estas orações longas e pomposas não passavam de uma venda, que ocultava o real objetivo que era ganhar dinheiro, devorando assim, as propriedades e casas das viúvas.

Infelizmente este comportamento não ficou nem no judaísmo, nem no passado. Ele atravessou os séculos e hoje, muitas pessoas que se dizem "homens de Deus", querem ser honrados e reconhecidos em lugares especiais. Exigem que se lhes respeite e que as pessoas os sigam cegamente. Pois alegam que Deus fala diretamente com eles e as pessoas devem obedecer.

Muitos querem mais e mais aparecer na TV e em todos os meios de comunicação. Outros querem usar a Igreja para galgar cargos políticos. Ostentam sua riqueza para que as pessoas saibam que são os preferidos de Deus.

Nas televisões pedem que você leve fotos ou outras coisas para que eles possam orar por você e por seus entes queridos. E nas orações, sobre um palco, se lançam de joelhos e se põe a orar de forma pomposa. Em orações que mais parecem instruções de como Deus deve agir.

Jesus está dizendo hoje novamente: cuidem para não cair nas garras desses líderes. Eles só pensam em si mesmos.

Mas diante da verdadeira Palavra de Deus tudo o que eles dizem e fazem se torna em nada. Pois Deus mostra a hipocrisia.

Cuidem para não se deixar levar pela pompa e ostentação e o desejo de aparecer.

O nosso Senhor Jesus é aquele que vêm a nós no evangelho e na Santa Ceia. Ele nos faz crescer na fé e é ele que chama servos fiéis e os envia ao ministério.

Estes servos refletem o amor de Jesus pelas pessoas. Refletem a humildade diante do irmão menor ou maior que ele. Estes são verdadeiramente os servos do Senhor.

A estes o senhor guia, protege e abençoa. Aos outros... Ai dos outros, pois sua hipocrisia será desmascarada.

Jesus diz: cuidado com os falsos mestres. Permaneçam na minha Palavra e vocês serão salvos. Amém.



E a paz de Deus, que ninguém consegue entender, guardará o coração e a mente de vocês, pois vocês estão unidos com Cristo Jesus. Amém. (Fp 4.7)

Pastor Jarbas Hoffimann – Nova Iguaçu-RJ

Glórias Somente a Deus

exegese da semana

Queridos em Cristo.

Infelizmente não foi possível concluir a exegese da semana por motivo de viagem.

Assim que concluída "posto" aqui para que, querendo, vocês leiam e arquivem.

De qualquer forma, o sermão para a semana será "postado" em seguida.

Fiquem com Deus.

domingo, 1 de novembro de 2009

o que nos aproxima do Reino de Deus?

Mc 12.28-37



22º Domingo após Pentecostes



Que a graça do Senhor Jesus Cristo, o amor de Deus e a presença do Espírito Santo estejam com todos vocês! (2Co 13.13).



Queridos irmãos em Cristo.

A Paz do Senhor esteja com todos vocês.

Estamos no último mês do Ano Eclesiástico. Faltam — contando hoje — 4 domingos para terminar o ano da Igreja, então será novamente Advento. Que já é o Início do Ano da Igreja e já estaremos no período de Natal.

E hoje vemos também outro ciclo se fechando nos textos bíblicos lidos nos últimos domingos. Já vimos Jesus caminhando por toda região da Galileia, Decápolis, Tiro, Sidom, Jericó e agora ele está em Jerusalém. Já estamos vendo os últimos momentos da vida do nosso Salvador neste mundo. E, à medida que Jesus se aproximava do seu sacrifício, mais e mais mestres judeus tentaram afastar o povo do caminho mostrado pelo Salvador.

Nos capítulos 11 e 12 do Evangelho de Marcos vários mestres judeus vêm conversar com Jesus, mas não queriam aprender, queriam pegar Jesus no contrapé e colocar o povo contra ele.

Vieram os fariseus com sua pergunta sobre o divórcio.

O Jovem rico que não queria deixar suas riquezas, mas ganhar o céu com suas obras.

Os principais sacerdotes, escribas e anciãos do templo que queriam saber que autoridade Jesus tinha, pois tinha acabado de expulsar os vendedores do templo.

Os fariseus voltam com a pergunta sobre os impostos.

E, por fim, os saduceus querendo pegar Jesus na questão da ressurreição, pois não acreditavam que os mortos ressuscitarão.

Jesus responde magnificamente a todos eles. E ninguém mais tinha coragem de perguntar nada a Jesus.

Então, um dos escribas tenta uma última pergunta: "– Qual é o mais importante de todos os mandamentos da Lei?" (28).

Jesus também não se nega a responder a este mandamento e, como sempre, responde de maneira perfeita e muito além da resposta esperada. O Senhor diz: "30Ame o Senhor, seu Deus, com todo o coração, com toda a alma, com toda a mente e com todas as forças." 31E o segundo mais importante é este: "Ame os outros como você ama a você mesmo." Não existe outro mandamento mais importante do que esses dois." (30-31).

Então não resta mais nada ao escriba, se não concordar com Jesus. Ele afirma que o que Jesus dissera é a verdade. Certamente aquele escriba pregava fielmente a Palavra de Deus e a conhecia melhor que a maioria de seus contemporâneos.

Quando aquele homem afirma que existe apenas um Deus e que estes são os mandamentos mais importantes, Jesus lhe diz: "– Você não está longe do Reino de Deus.".

A semente da fé estava plantada, mas faltava germinar. Aquele homem tinha a teoria, mas lhe faltava a prática da fé no Messias que estava à sua frente.

Nós poderíamos, pensando em nossas vidas, nos perguntar:

O que nos aproxima do Reino de Deus?

O amor a Deus nos aproxima.

Amor que provém do próprio Pai, que nos amou primeiro. Que, enviando Jesus, cumpriu a promessa da nossa salvação. Que cumprirá também a promessa do segundo envio do Salvador, quando ele não virá mais para salvar, mas para levar os salvos à vida eterna. Ele já veio como Salvador, agora virá como juiz.

O que nos aproxima do Reino de Deus?

O amor ao próximo.

Quem ama a Deus, amará o próximo, pois este é o desejo de Deus. Isto fez Jesus. Isto ele nos ensina a fazer também.

É impossível amar a Deus sem amar o próximo. E é impossível, verdadeiramente amar ao próximo, sem amar a Deus. Pois seria um amor "meia-boca", "mais ou menos"...

Por isso os dois mandamentos são citados juntos e são citados como resumo dos demais mandamentos. Assim podemos resumir todos os mandamentos nestes dois e podemos resumir estes dois mandamentos numa só palavra: amor. O cristão tem o dever do amor. Como lembra Mt 7.12: "Façam aos outros o que querem que eles façam a vocês; pois isso é o que querem dizer a Lei de Moisés e os ensinamentos dos Profetas.".

Para ficar mais claro poderíamos lembrar a história do Bom Samaritano, que rejeitado pelos judeus, foi o único que parou para ajudar a um judeu que estava ferido na estrada.

Nosso Deus é um só: Pai, Filho e Espírito Santo, assim como Jesus falou e como aquele escriba confirmou.

Nosso próximo é todo aquele que precisa do nosso amor.

E o apóstolo Paulo, escrevendo aos Romanos disse: "Não fiquem devendo nada a ninguém. A única dívida que vocês devem ter é a de amar uns aos outros. Quem ama os outros está obedecendo à lei. Os seguintes mandamentos: "Não cometa adultério, não mate, não roube, não cobice" – esses e ainda outros mais são resumidos num mandamento só: "Ame os outros como você ama a você mesmo." Quem ama os outros não faz mal a eles. Portanto, amar é obedecer a toda a lei." (Rm 13.8-10).

Viver assim nos aproxima do Reino de Deus.

O amor a Deus e ao próximo nos torna aptos a fazer parte da família da fé, mas este amor não vem de nós, vem do Senhor que nos chamou das trevas para sua maravilhosa luz.

Chamou para salvação. Sim!

Mas chamou para trabalhar, em amor, por Deus e pelo próximo enquanto estamos no mundo. Pois um dia deixaremos este mundo. E queira Deus que nos encontremos com o nosso Salvador naquele dia. E que ele nos recebe ao paraíso, como ele mesmo prometeu!

O que nos aproxima do Reino de Deus?

Amar a Deus e amar ao próximo. O que nos coloca dentro do Reino de Deus? A fé no Salvador Jesus. É ele quem nos guia à vida eterna. Amém.



E a paz de Deus, que ninguém consegue entender, guardará o coração e a mente de vocês, pois vocês estão unidos com Cristo Jesus. Amém. (Fp 4.7)

Pastor Jarbas Hoffimann – Nova Iguaçu-RJ



Glórias Somente a Deus