sexta-feira, 23 de abril de 2010

Iremos...

A primeira folga da convenção indica que ela está acabando.
Para descansar dos muitos trabalhos desde quarta-feira, hoje foi trabalho até meio-dia. Depois passeios turísticos. Mas isso indica que a convenção já está se encaminhando para o seu final.
Agora os conselheiros e líderes leigos estão reunidos no Conselho Diretor, o que é outro indicativo de que nosso tempo em Foz está terminando.
Em dois dias iremos todos.
E os desafios aqui propostos e aceitos, irão conosco para todos os cantos deste imenso e amado país.
Será o caminho inverso. Indo a todos os cantos do país. Alguns pastores, porém irão para voltar em breve. Não para Foz, mas para assumir sua posição frente à direção nacional da Igreja Evangélica Luterana do Brasil. Um virá de Rondônia, o mais distante. Os demais virão de mais próximo, mas também virão. Para um novo desafio. Que eles aceitaram de bom grado, confiando no Senhor que os escolheu e, por meio da igreja, os elegeu e confirmou no cargo.
Nossa oração como igreja é que façam o melhor humanamente possível e que, onde o humano for pouco, o Senhor os contemple com as bênçãos celestes.
Mas voltando ao assunto de ir...
Domingo iremos...
Uns logo chegarão à suas casa. Outros demorarão um pouco mais, afinal de contas vivemos num país gigantesco e que pela graça do Senhor dispõe de Igrejas Luteranas em todo o seu território.
O certo é que sairemos convencidos de que mais uma vez valeu a pena deslocar-nos tão longe (ou tão perto) para a reunião mais importante da IELB. Que o Senhor faça as decisões aqui tomadas e as palestras ministradas, chegem a cada canto do país, lembrando à IELB que não importa sermos de longe ou de perto, somos uma IELB, multicultural por causa de nosso amado país, mas unida num só Salvador e numa só doutrina.

A ovelha perdida


O "pastor precisa carregar o fardo da ovelha perdida", mas "esta tarefa o pastor faz com alegria" disse o professor Gerson, em sua palestra sobre a busca aos afastados.
Lembrou ainda o apóstolo Paulo, no trato amoroso para com aqueles que estão afastados.

Diretoria Nacional - Eleita

Ontem à noite (22/04) se completou a eleição para a diretoria nacional da IELB.
Presidente: Rev. Egon Kopereck (Congregação São Paulo de Canoas-RS)
1º vice: Arnildo Schneider (Congregação Concórdia de Porto Alegre-RS) - Reeleito
2º vice: Geraldo Walmir Schüller (Congregação Concórdia de Cacoal-RO)
Secretário: Rubens José Ogg (Congregação Da Cruz de São Lourenço do Sul-RS)
Tesoureiro: Renato Bauermann (Congregação Cristo Redentor de Canela-RS)

Estamos também elegendo todas as comissões.
A comissão de Apelação já está eleita. E quando estiverem todos eleitos publicaremos.
Continuem orando pela diretria eleita, pela que deixará os cargos e para que todos os pastores e líderes voltem em segurança para suas casas.

quinta-feira, 22 de abril de 2010

Diretoria nacional

Até agora foram eleitos os seguintes cargos da diretoria nacional da IELB:
- presidente: Egon Kopereck
- primeiro vice-presidente: Arnildo Schneider (educação)
- segundo vice-presidente: Geraldo W. Schüller (área de missão e assistência social)
Agora estamos esperando o resultado da primeira etapa da eleição para secretário.
Mas a votação já foi feita. Caso nenhum dos candidatos alcance a maioria neste escrutínio teremos segundo turno.

Eles virão... Eles irão

Certamente muitos de vocês já viram o filme "O campo dos sonhos". Embora alguns não o conheçam.
É um filme bastante espírita, ou não. Pois sabemos que espiritismo não passa de ficção, assim como X-men ou HellBoy.
Enfim, no filme, o ator principal é instigado a construir um campo de "Basebol" e sempre ouve que "eles virão". Afirmando para construir, pois os jogadores e o público comparecerão, vindo de todas as partes.
Algo parecido aconteceu desde o início desta semana. De todas as partes, vieram muitos. A grande parte dos pastores da IELB. E muitos líderes leigos.
E é interessante que este encontro ocorra justamente numa região de três fronteiras. Brasil, Paraguai e Argentina.
Interessante também é que justamente nestes dias, o Mensageiro Luterano traz na capa uma referência à Babel, histórica torre da mistura das linguagens.
Aqui, porém, acontece a união de toda a igreja em torno de um único objetivo: manter-se unida e em comunhão com Cristo.
A imagem desta convenção poderia ser uma região onde todas as estradas chegam. E de todas as partes vieram pessoas. Líderes Leigos, Pastores e outros líderes da Igreja.
Com muito amor e dedicação vamos decidir o futuro da Igreja pelos próximos 4 anos. Mas tudo que aqui decidirmos, será posto em prática na congregação local, com o trabalho de toda a Igreja.
Se nesta semana tínhamos a convicção de que "eles viriam" pela graça de Deus todos irão de volta para seus lares. E ali, com a união de toda a congregação, a Igreja vai atuar, levando Cristo Para Todos.

Eleições

Ontem à noite tivemos eleição para nosso novo presidente. Foi eleito o Partor Egon Kopereck em segundo turno, e será instalado no fim desta convenção. Temos a representação de grande parte da Igreja Lutera de todo o Brasil, e é bonito ver tantos pastores e líderes juntos decidindo o futuro da igreja.
Agora estamos tendo palestra sobre a missão da igreja, começando por Lutero.
Para ver mais fotos e outras atividades, veja o site da IELB.
Altar onde foi celebrado o culto de abertura da Convenção de número 60.

Pastores dirigentes do culto.

Momentos de votações

Pastores Jarbas Hoffimann (Nova Iguaçu-RJ) e Fernando Eler (Ouro Preto do Oeste-RO)
Pastores Elieze Gude (Planalto-PR) e Jarbas Hoffimann

domingo, 18 de abril de 2010

Abra os olhos

3º Domingo de Páscoa - C


Que a graça do Senhor Jesus Cristo, o amor de Deus e a presença do Espírito Santo estejam com todos vocês! (2Co 13.13).

Sl 30 / At 9.1-22 / Ap 5.8-14 / Jo 21.1-14


A Paz do Senhor Jesus esteja com todos vocês. Amém!

O Texto de Atos, hoje nos conta a história da conversão de Paulo. Ou melhor, de Saulo.

olhos A primeira curiosidade é a própria maneira como Saulo foi convertido. Ele foi chamado para ser apóstolo, algum tempo depois que Jesus já tinha subido aos céus. E é o próprio Senhor Jesus que volta para convocar Saulo a segui-lo: “Saulo, Saulo, por que você me persegue?” (v. 4). Isso aconteceu uma única vez e foi com Saulo.
Saulo mais tarde fala disso, quando relata a Ressurreição de Jesus aos cristãos de Corinto: 8Por último, depois de todos, ele apareceu também a mim, como para alguém nascido fora de tempo. 9De fato, eu sou o menos importante dos apóstolos e até nem mereço ser chamado de apóstolo, pois persegui a Igreja de Deus. 10Mas pela graça de Deus sou o que sou, e a graça que ele me deu não ficou sem resultados. Pelo contrário, eu tenho trabalhado muito mais do que todos os outros apóstolos. No entanto não sou eu quem tem feito isso, e sim a graça de Deus que está comigo. 11Assim, não importa se a mensagem foi entregue por mim ou se foi entregue por eles; o importante é que foi isso que todos nós anunciamos, e foi nisso que vocês creram.” (1Co 15.8-11).

Houve uma grande transformação, pois, “Saulo não parava de ameaçar de morte os seguidores do Senhor Jesus” (v. 1). Mas isso mudou muito rápido. Depois de seu encontro com Jesus, na estrada para Damasco e da sua cura por Ananias, na casa de Judas, na rua Direita, em Damasco. Depois que “umas coisas parecidas com escamas caíram dos olhos de Saulo” ele não pôde só ver novamente. Mas os olhos da fé também lhe foram abertos. E ele pôde ver o mal que estava fazendo, ao perseguir os discípulos de Jesus. Então depois daquele dia, Saulo “começou imediatamente a anunciar Jesus nas sinagogas, dizendo: —Jesus é o Filho de Deus.” (v. 20). Isso espantou até aos cristãos, antes perseguidos.

Outra curiosidade é a mudança de nome de Saulo para Paulo.

Muito já se especulou sobre isso, mas o mais provável é que tenha sido uma mudança natural e de ordem prática.

Como Paulo era o missionário entre as pessoas que falavam grego, passou a usar o nome grego (Paulo) que era mais facilmente pronunciado por seus ouvintes. Já o nome judeu (Saulo) era mais complicado aos ouvidos gregos. É como se um “Heinrich” viesse para o Brasil e mudasse seu nome par Henrique. É o mesmo nome, mas um é em alemão e outro em português.

Fora as curiosidades do chamado de Saulo e de sua troca de nome, a vida de Paulo é cheia de testemunho. Se ele não foi o maior dos apóstolos, foi um deles, pois quase todo novo testamento foi escrito por Paulo. Várias igrejas foram fundadas por causa de seu testemunho e de sua dedicação à Palavra do Senhor.

A conversão de Paulo aconteceu cerca de 5 anos depois que Jesus subiu aos céus. Quando Paulo já perseguia os cristãos há bastante tempo. Por isso era tão conhecido e tão temido entre os cristãos.

Vejam como Ananias reage!

olhos de coração O Senhor diz a Ananias: Apronte-se, e vá até a casa de Judas, na rua Direita, e procure um homem chamado Saulo, da cidade de Tarso. Ele está orando e teve uma visão. Nela apareceu um homem chamado Ananias, que entrou e pôs as mãos sobre ele a fim de que ele pudesse ver de novo. (vv. 11-12)
E Ananias, mesmo diante de uma ordem do Senhor, diz: – Senhor, muita gente tem me falado a respeito desse homem e de todas as maldades que ele fez em Jerusalém com os que crêem no Senhor. E agora ele veio aqui a Damasco com autorização dos chefes dos sacerdotes para prender todos os que te adoram. (vv. 13-14).

Ananias estava com medo. Talvez duvidando da conversão de Paulo. Mas o Senhor insistiu e Ananias foi. E curou Paulo.

A partir daí Paulo vive para o Senhor. E procura salvar as pessoas, levando a mensagem do Senhor Jesus a todos os cantos.

Por causa de Cristo, Paulo foi perseguido, preso, maltratado, ignorado e humilhado. Mas não parou de testemunhar nunca. Nem mesmo diante do sofrimento e ameaças de morte.

Nós também fomos convertidos pelo Senhor. Não na estrada de Damasco, mas fomos convertidos. O Senhor não veio pessoalmente a nós, mas veio por sua Palavra. Nós não vimos o Senhor ressuscitado. Mas felizes os que não viram, mas creram, como Jesus nos lembra em João 19.29. Éramos cegos por causa de nosso pecado, mas o Senhor abriu nossos olhos para vermos seus atos maravilhosos para salvar o pecador.

Podemos ver o nascer do sol a cada dia para iluminar nosso caminho. E, mesmo que o sol apague, o Senhor sempre será nossa luz.

Podemos sentir a mão protetora do Senhor nos amparando nas maiores angústias, mas mesmo que tenhamos que sofrer a morte, o Senhor será a nossa vida. Pois o cristão passa desse vale de lágrimas para a vida eterna.

Abram os olhos!

Vejam tudo que o Senhor tem feito em suas vidas. Pois ele está conosco todos os dias. Não fiquem se lamentando aquilo que não tem, celebrem aquilo que o Senhor fez de vocês.

Isso não significa não sofrer. Não significa que tudo sempre estará ótimo, mas mesmo que tudo vá mal, sempre há uma esperança. Somos de Cristo e temos a vida eterna. Mesmo se perdermos esta vida, ganhamos a eternidade.

O próprio apóstolo passou por muitos sofrimentos, mas nunca duvidou de seu chamado e de que Deus estivesse ao seu lado.

Hoje em dia parece que se passamos por problemas é porque Deus nos abandonou. Isso não podia ser uma mentira maior, pois “Como um pai trata com bondade os seus filhos, assim o Senhor é bondoso para aqueles que o temem. Pois ele sabe como somos feitos; lembra que somos pó.” (Sl 103.13-14).

E apesar de sermos apenas pó, o Senhor enviou seu Filho Jesus Cristo para nos dar a Salvação e todos que creem nele serão salvos. Mas lembremos de Romanos 10: “’Todos os que pedirem a ajuda do Senhor serão salvos.’ Mas como é que as pessoas irão pedir, se não crerem nele? E como poderão crer, se não ouvirem a mensagem? E como poderão ouvir, se a mensagem não for anunciada? E como é que a mensagem será anunciada, se não forem enviados mensageiros? As Escrituras Sagradas dizem: ‘Como é bonito ver os mensageiros trazendo boas notícias!’” (Rm 10.13-15).

Quanto à missão, Paulo é muito claro: “Assim eu me torno tudo para todos a fim de poder, de qualquer maneira possível, salvar alguns.” (1Co 9.22).

Nosso objetivo é permanecer em Cristo, como o apóstolo permaneceu, depois de ter seus olhos abertos. E para isso ele permaneceu na Palavra todos os dias.

Além disso, temos também a tarefa de trazer as pessoas para Jesus e levar Jesus para as pessoas. O Senhor estará conosco todos os dias, pois ele quer que as pessoas o conheçam e sejam salvas.

Não deixe seus olhos se fecharem pelo preconceito, pela aparência do outro, pelo seu julgamento precipitado.

Julgando precipitadamente, Ananias não quis ir ver Saulo. Mas depois pôde ver como a conversão daquele homem era verdadeira, pois ele saiu imediatamente anunciando Jesus Cristo.

Para a sua salvação, creia em Cristo.

Para a salvação do próximo, fale de Cristo.

O Espírito Santo vai se encarregar de gerar a fé no coração das pessoas e acrescentá-las na congregação dos que verão a Deus.

Que o Senhor nos permita ficar de olhos bem abertos e abrir os olhos de muitas pessoas, para que vejamos a Salvação. Amém.

E a paz de Deus, que ninguém consegue entender, guardará o coração e a mente de vocês, pois vocês estão unidos com Cristo Jesus. Amém. (Fp 4.7)

Pastor Jarbas Hoffimann – Nova Iguaçu-RJ

Soli Deo Glória

domingo, 11 de abril de 2010

Servir com alegria!

Ap 1.4-18
2º Domingo de Páscoa

Que a graça do Senhor Jesus Cristo, o amor de Deus e a presença do Espírito Santo estejam com todos vocês! (2Co 13.13).

Salmo 148; Atos 5.12-20; Apocalipse 1.4-18; João 20.19-31


felicidade

A Paz do Senhor Jesus esteja com todos vocês. Amém!

Vocês sabem o que fazia o sacerdote, na época do Antigo Testamento. Ele era responsável por tudo que dizia respeito ao culto.

Era ele que providenciava tudo para que o culto acontecesse sempre, conforme deveria acontecer. Para que as ofertas fossem preparadas e entregues ao Senhor, conforme deveria ser.

O Sacerdote também era um intermediário, que levava a oferta ao Senhor. Que levava a oração do povo a Deus.

Quero destacar, de nosso texto de Apocalipse, parte dos versículos 5 e 6 que dizem: “Ele nos ama, e pela sua morte na cruz nos livrou dos nossos pecados, e fez de nós um reino de sacerdotes a fim de servirmos ao seu Deus e Pai.”

Ele (Jesus) nos ama.

Com a sua morte na cruz ele nos livrou dos nossos pecados.

E fez de nós um reino de sacerdotes.

Para quê?

A fim de servirmos ao seu Deus e Pai.

Versículos similares a este são:

1Pe 2.9: “Mas vocês são a raça escolhida, os sacerdotes do Rei, a nação completamente dedicada a Deus, o povo que pertence a ele. Vocês foram escolhidos para anunciar os atos poderosos de Deus, que os chamou da escuridão para a sua maravilhosa luz.”

Reflexo de Êx 19.6: “Vocês são um povo separado somente para mim e me servirão como sacerdotes.” E de Is 61.6: “E vocês serão conhecidos como sacerdotes do Senhor, como servos do nosso Deus.” Entre tantas outras vezes que esta promessa foi feita ao povo de Israel e repetida ao novo Israel, composto daqueles que creem em Jesus Cristo.

Mas ao falarmos de sacerdócio, é preciso fazer uma diferença: um é o sacerdócio ministerial. Quando alguém é chamado e vocacionado ao Santo Ministério da Pregação. Estes são chamados pela igreja e a eles se delega a tarefa que Jesus uma vez delegou a Pedro: “Tome conta das minhas ovelhas!” (Jo 21.15,17).

E tão importante quanto o Santo Ministério é o sacerdócio universal de todos os crentes. Porque pela fé em Jesus, todos fomos tornados sacerdotes. Mas não somos tirados de nossa vida cotidiana. Enquanto o pastor exerce o ministério “em volta da igreja”, cada um dos sacerdotes do rei, chamados por Cristo, exercem seu sacerdócio onde estão: em casa, no trabalho, no estudo e no lazer. Ao levar o conforto àquele que chora e ao se alegrar com aquele que ri.

E ainda podemos e precisamos exercer nosso sacerdócio também na igreja. Participando de tudo que for possível e, como o Senhor, procurando servir e não mandar.

O sacerdote nunca é chefe. Este exemplo foi dado pelo próprio Bom Pastor Jesus. O sacerdote é aquele que serve. Que trabalha em humildade, para que tudo transcorra bem e com ordem e decência dentro da Casa de Deus. O sacerdote não é aquele que levanta a voz, mas é aquele que não se cala diante da injustiça cometida ao irmão.

Somos sacerdotes do Rei Jesus.

E o Senhor nos dá uma função: “Vocês foram escolhidos para anunciar os atos poderosos de Deus”

Mas como fazer isso?

Com palavras e com obras.

ECRAS001 Já citei várias oportunidades para sermos sacerdotes, mas a vida está cheia delas. Algumas vezes seremos sacerdotes falando. Outras vezes seremos sacerdotes, calando, para não alimentar a discussão. Pois o que importa é reinar a paz entre irmãos.

Reclamar e criticar tudo é muito fácil. O difícil é apontar soluções. Estamos vendo aí todos colocando a culpa no outro por causa da desgraça ocorrida esta semana, devido às chuvas.

A culpa é de quem fez o lixão. É do governo que não olhou pelas pessoas que estavam lá. É das pessoas que invadiram o local. É de Deus que mandou a chuva fora do normal...

O que pouco se falou é que havia um plano pra que esta desgraça não acontecesse e, mesmo que acontecesse, não tirasse vida de pessoas. Mas o governo de Niteroi não estava disposto a gastar 19 milhões para tais mudanças, como afirmaram jornalistas durante esta semana.

Na vida da igreja também há problemas. Também há dificuldades. E é aí que entra cada sacerdote. Não pra criticar ou mandar o outro fazer. Mas para servir em humildade. Trabalhando para o bem de todos. Testemunhando com palavras e com ações. E não trabalhamos para depois dizer: Ah! Eu fiz tudo sozinho e reclamar da vida! Mas para dizer: graças a Deus o Senhor me deu força e eu pude ajudar. Espero sempre poder me dispor ao Serviço do Senhor.

O sacerdote não é um bobo que trabalha pelos outros. Mas ele trabalha para o Senhor, na obra do Senhor. Nas grandes e nas pequenas coisas. Limpando o chão ou alimentando uma multidão. E com seu exemplo dedicado ele atrairá outros a trabalhar também.

Mas se gastamos nosso tempo para criticar apenas, quem ficará perto de nós? Se eu só vejo coisas ruins, como fazer para que os outros vejam coisas boas?

Certa vez um professor e grande amigo me disse o seguinte:

—Procure ver as pessoas e fazer um elogio, mas não elogie falsamente. A pessoa percebe quando o elogio é falso. Olhe para a pessoa e destaque algo realmente positivo. E mesmo que não tenha mais nada para dizer, sempre há pelo menos uma coisa; diga: Que legal que você tá aqui e eu pude te encontrar. Fico feliz em te ver! E seja sincero.

Lembro com muito carinho deste professor do Seminário. E lembro que todas as pessoas que o conhecem gostam dele, pois ele sempre procura ver o lado bom de tudo. E em Cristo, é possível ver as coisas boas. Pois em cada irmão vemos o rosto de Cristo. E vemos uma oportunidade para servir como sacerdote do Rei Jesus.

O que você pode fazer pelo seu irmão na fé?

Se todos nós nos dedicarmos a servir, sem esperar nada em troca, ao irmão na fé, todos sairemos ganhando, pois sempre haverá quem nos ajude no momento difícil e sempre poderemos ajudar ao irmão sofredor.

Aí sim sentiremos a real satisfação de poder dizer: eu sou sacerdote do Rei. Fui chamado para proclamar as maravilhas do Senhor que me chamou da escuridão para a sua maravilhosa luz.

Que cada um de nós tenha a alegria no servir, com palavras e obras, pois não servimos a seres humanos simplesmente. No nosso serviço aos irmãos é ao senhor que servimos.

Servimos aquele que morreu por nós e que nos dá a vida eterna. Amém.

E a paz de Deus, que ninguém consegue entender, guardará o coração e a mente de vocês, pois vocês estão unidos com Cristo Jesus. Amém. (Fp 4.7)

Pastor Jarbas Hoffimann – Nova Iguaçu-RJ

Soli Deo Glória

sábado, 3 de abril de 2010

Fé gravada na pedra

Jó 19.23-27
Ressurreição de nosso Senhor
Domingo de Páscoa


Que a graça do Senhor Jesus Cristo, o amor de Deus e a presença do Espírito Santo estejam com todos vocês! (2Co 13.13).


A paz do Cristo Ressuscitado esteja com todos vocês. Amém.

23“Como gostaria que as minhas palavras fossem escritas,
que fossem escritas num livro!

24Ou que com uma ponteira de ferro
elas fossem gravadas para sempre no chumbo ou na pedra!

25Pois eu sei que o meu defensor vive;
no fim, ele virá me defender aqui na terra.

26Mesmo que a minha pele seja toda comida pela doença,
ainda neste corpo eu verei a Deus.

27Eu o verei com os meus olhos; os meus olhos o verão,
e ele não será um estranho para mim. E desejo tanto que isso aconteça!

Queridos irmãos em Cristo, Como vocês fazem para registrar alguma coisa? Como fazem para comprovar a veracidade de um documento?

Uma regra geral é procurar um cartório de registro, chamar duas ou três testemunhas e estes, com suas assinaturas reconhecidas em cartório, confirmarão que aquele documento é realmente nosso. Que as palavras ali escritas foram ditas por nós mesmos.

É esse nosso costume.

gravando na pedraMas mesmo que vocês registrem em cartório, será que no futuro o registro será válido? São várias as histórias de cartórios que pegaram fogo e perderam todos os documentos. Embora isso tudo esteja cada vez mais seguro.
Outra forma de preservar para além da morte algumas palavras é mandar gravar na pedra. Assim como se costuma fazer em lápides de cemitério. Porque aquilo que está gravado na pedra dificilmente será apagado. Mesmo estando ao relendo e sofrendo todas as intempéries naturais.
Pois bem! Jó queria registrar suas palavras para que as gerações futuras a ouvissem o que ele tinha a dizer. E as palavras que ele quer propagar aparecem numa parte bastante interessante de seu livro. Quando ele estava sendo contestado por sua família e por seus amigos.
Naquele momento Jó testemunha a sua fé. E sua certeza é tamanha, que não tem dúvidas em desejar que suas palavras durem para sempre: “Como gostaria que as minhas palavras fossem escritas, que fossem escritas num livro! Ou que com uma ponteira de ferro elas fossem gravadas para sempre no chumbo ou na pedra!” (Jó 19.23-24).

E por obra do Senhor, as palavras de Jó duram até hoje, cerca de 4 mil anos depois que ele as pronunciou. Ficaram como um testemunho da presença de Deus na vida daquele homem que tanto sofreu. Assim como a própria vida de Jó ficou registrada toda num livro, para servir de exemplo a outros cristãos em seus sofrimentos.

Em Jó 19, vemos esse homem profundamente desiludido. Ele lembra que Deus está permitindo que sua vida esteja cheia de desgraças (vv. 6-12), lembra também que os seus parentes e amigos se afastaram (vv. 13-22). E os poucos que restaram ficam ao seu redor, só pra mostrar que Deus estaria contra ele.

Então, depois de dizer que está sofrendo e que foi abandonado, Jó mostra que sua esperança não acabou, pois sua fé se firma no Deus verdadeiro.

Jó estava magoado, mas não queria gravar sua mágoa na pedra. As mágoas a gente escreve na areia da praia, bem junto às ondas. Assim, logo o mar vem e as leva embora.

O que Jó queria escrever na pedra é sua esperança em Deus.

Ele queria gravar a certeza de que o Senhor o defenderá no momento certo. Mesmo que passe por muitas coisas ruins neste mundo, mesmo que todos lhe virem as costas: “Pois eu sei que o meu defensor vive; no fim, ele virá me defender aqui na terra. Mesmo que a minha pele seja toda comida pela doença, ainda neste corpo eu verei a Deus. Eu o verei com os meus olhos; os meus olhos o verão, e ele não será um estranho para mim. E desejo tanto que isso aconteça!” (Jó 19.25-27).

Queridos irmãos em Cristo...

coração de pedra O que você gostaria de gravar na pedra? O que você quer deixar registrado para as suas futuras gerações?
Melhor do que isso, o que você quer gravado em seu coração e no coração dos seus queridos? Mágoas e rancores ou a esperança em Jesus?
Jó fez a melhor escolha. Escolheu a esperança em Deus.
Pedro, mesmo tendo negado o Senhor, também fez a melhor escolha: creu em Jesus e recebeu o perdão.
Judas Iscariotes escolheu o rancor e a morte.
Hoje é Domingo de Páscoa. Acordamos bem cedinho para celebrar o maior dia da cristandade.
Hoje é dia de gravar novamente em nossos corações a esperança em Cristo. Dia de reafirmar nossa fé no Salvador Jesus e lembrar que ele morreu, mas ressuscitou e vive.

Sofrimentos existirão sempre, mas eles passarão.

Ou como diz 1Co 13: “Existem mensagens espirituais, porém elas durarão pouco. Existe o dom de falar em línguas estranhas, mas acabará logo. Existe o conhecimento, mas também terminará. Pois os nossos dons de conhecimento e as nossas mensagens espirituais são imperfeitos. Mas, quando vier o que é perfeito, então o que é imperfeito desaparecerá.”

Tudo passará, por mais que pareça perene. Até mesmo as palavras de Jó, um dia passarão, pois não serão mais necessárias. Os salvos estarão na glória eterna e não mais precisarão da orientação de Jó.

O que jamais passará, é o amor de Deus por nós.

Isso é que precisa ficar gravado em nosso coração, como se estivesse gravado em pedra. Porque o amor de Deus nos deu Jesus Cristo e, em Cristo, temos a vida eterna.

Amém.

E a paz de Deus, que ninguém consegue entender, guardará o coração e a mente de vocês, pois vocês estão unidos com Cristo Jesus. Amém. (Fp 4.7)

Pastor Jarbas Hoffimann – Nova Iguaçu-RJ

Soli Deo Glória

Tudo está terminado

João 18.1-19.47
Sexta-Feira Santa

Que a graça do Senhor Jesus Cristo, o amor de Deus e a presença do Espírito Santo estejam com todos vocês! (2Co 13.13).

A Paz do Senhor esteja com vocês. Amém.

Queridos irmãos e irmãs em Cristo...

Abram suas Bíblias em João 19.17, vamos rever a história real da morte de Jesus Cristo e de toda a dor e sofrimento que teve que passar o nosso Salvador.

cruz_00917Je sus saiu carregando ele mesmo a cruz para o lugar chamado Calvário. (Em hebraico o nome desse lugar é “Gólgota”.) 18Ali os soldados pregaram Jesus na cruz. E crucificaram também outros dois homens, um de cada lado dele.”
Jesus carreou a sua e a minha cruz. Ele carregou os pecados do mundo inteiro para nos salvar. Todos podem ter salvação, mas só os que creem em Jesus serão salvos.

19-20Pilatos mandou escrever um letreiro e colocá-lo na parte de cima da cruz. Nesse letreiro estava escrito em hebraico, latim e grego: “Jesus de Nazaré, Rei dos Judeus”. Muitas pessoas leram o letreiro porque o lugar em que Jesus foi crucificado ficava perto da cidade. 21Então os chefes dos sacerdotes disseram a Pilatos: – Não escreva: “Rei dos Judeus”; escreva: “Este homem disse: Eu sou o Rei dos Judeus”. 22– O que escrevi escrevi! – respondeu Pilatos.

Aqui Pilatos, alguém que não acreditou em Jesus Cristo, serve aos propósitos de Deus. Ele anuncia quem é realmente Jesus: o Rei dos Judeus. Não aquele rei mundano que os judeus esperavam, mas o verdadeiro e único Rei eterno. Pilatos serve aos planos de Deus, assim como o Sumo Sacerdote Caifás, que querendo condenar Jesus, disse que: “era melhor para eles que morresse apenas um homem pelo povo.” (Jo 18.14). Eles estavam tramando a morte do Salvador, mas, sem perceber, cumpriram a vontade de Deus.

Assim Deus ainda faz: ele usa governantes e autoridades que nem mesmo creem nele, para o bem do povo que serve a Deus. Porque todas as coisas cooperam para o bem daqueles que amam a Deus.

Segue o texto:

23Depois que os soldados crucificaram Jesus, pegaram as roupas dele e dividiram em quatro partes, uma para cada um. Mas a túnica era sem costura, toda tecida numa só peça de alto a baixo. 24Por isso os soldados disseram uns aos outros:

– Não vamos rasgar a túnica. Vamos tirar a sorte para ver quem fica com ela.

Isso aconteceu para que se cumprisse o que as Escrituras Sagradas dizem:

“Repartiram entre si as minhas roupas e fizeram sorteio da minha túnica.” E foi isso o que os soldados fizeram.” (Sl 22.18).

Aqui os soldados, sem perceber, estavam cumprindo as promessas de Deus, como está do Salmo 22.18. Eles repartiram entre si as roupas de Jesus e não tiveram coragem de rasgar a túnica que era um tecido caro. Era um sinal, que muitos não perceberam na hora, de que a vontade de Deus estava se cumprindo.

A partir do v. 28 temos o registro da morte do Salvador. Assim, o Senhor faz cumprir mais uma das profecias de Deus a seu respeito. Vejamos:

28Agora Jesus sabia que tudo estava completado. Então, para que se cumprisse o que dizem as Escrituras Sagradas, disse:

– Estou com sede!

29Havia ali uma vasilha cheia de vinho comum. Molharam no vinho uma esponja, puseram a esponja num bastão de hissopo e a encostaram na boca de Jesus. 30Quando ele tomou o vinho, disse:

– Tudo está completado!

Então baixou a cabeça e morreu.”

Esta profecia está registrada muito tempo antes no Salmo 69.21. E como todas as outras profecias a respeito de Jesus, foi cumprida perfeitamente.

E no versículo 30 aparece uma palavra maravilhosa neste texto da crucificação de Jesus Cristo. Ele diz: “Tudo está completado”. No original grego esta palavra significa algo que está definitivamente terminado. Não há mais nada a se fazer. Está pronto. Completamente.

paixao de cristo A obra da Salvação da humanidade estava terminada. Foram longos anos andando por esta terra... Nasce em Belém da Judeia... Foge para o Egito... Retorna e cresce em sabedoria dia após dia... Começa seu ministério e mostra todo o poder de Deus... Enfrenta as tentações de Satanás sem pestanejar e sofre muito com o desprezo da parte de seu próprio povo que o persegue e condena à morte... Carrega sua cruz... É crucificado... Zombado... Cuspido... E finalmente morto...

Está completado.

Que notícia maravilhosa: o Salvador fez tudo que era preciso fazer para nos dar a Salvação. Por isso, todo aquele que nele crer terá a vida eterna.

Você crê em Jesus Cristo?

Antes de responder saiba que crer em Jesus é mais do que simplesmente acreditar que ele existiu e que fez tudo para salvar as pessoas do pecado e do inferno. Crer em Jesus se demonstra no dia-a-dia. No modo de ofertar. Na participação nos cultos e na vida cristã.

Crer em Jesus é viver para Jesus. É amar ao próximo e amar a Deus acima de todas as coisas.

Tudo isso faz parte do crer em Jesus, mas não se enganem... Nada disso ajuda na salvação. Estas são obras que agradam a Deus e que os filhos de Deus vão fazer com toda a alegria.

Mas a obra da Salvação “está completada” e Jesus morreu por mim e por você. Não rejeite este presente inigualável. Não rejeite a morte do Salvador, porque ele quer você junto dele sempre.

E nenhum texto bíblico, hoje seria mais apropriado do que dizer que: “Deus amou o mundo tanto, que deu o seu único Filho, para que todo aquele que nele crer não morra, mas tenha a vida eterna.”

Todo aquele que crê no Salvador Jesus, tem a vida eterna.

Ele morreu, mas ressuscitou e vive e por fim se levantará sobre a terra e levará com ele todos os seus fiéis.

Que Deus nos permita estarmos todos juntos com ele naquele último dia. Amém.

E a paz de Deus, que ninguém consegue entender, guardará o coração e a mente de vocês, pois vocês estão unidos com Cristo Jesus. Amém. (Fp 4.7)

Pastor Jarbas Hoffimann – Nova Iguaçu-RJ

Soli Deo Glória