Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de 2017

Noite Feliz

Este Noite Feliz com arranjo de Adriano Igor Patrocíno (e pequenas adaptações minhas) ficou fantástico.

Partitura está neste próprio Blog e os vídeos de ensaio estão no meu canal do YouTube.

Eu creio

PowerPoint - modo apresentador

Estando nós a vigiar - 4 vozes ensaio

Norma Normans: a prioridade da Escritura – Heber Campos – Fiel Pastores ...

Palestra excelente para comparar teologias como a Luterana e a Reformada.

Oh vinde fiéis - para 4 vozes

As outras vozes para ensaio também estão no youtube, na mesma playlist.



Entrevista à TV Notícia, de Nova Venécia, sobre a Reforma

Entevista concedida à Rede A Notiícia, de Nova Venécia, sobre a Reforma Luterana.



Entrevista com Dr. Rudi Zimmer na TV Notícia, de Nova Venécia

História de Lutero - 7 - Últimos dias

Os últimos dias de Lutero No dia 23 de janeiro de 1546, a pedido insistente dos príncipes de Mansfeld, Lutero viajou para Eisleben. Como não se sentisse bem de saúde para empreender sozinho a viagem, levou consigo seus filhos Martinho e Paulo, pois o tempo estava mau e as estradas quase intransitáveis. Foram necessários cinco dias para vencer a distância de 120 quilômetros. Lutero decidiu-se a fazer esta viagem, somente por se tratar de uma missão de amor. Havia sido convidado para restabelecer a paz em uma família desunida por uma grande briga. Depois de vinte dias de pacientes admoestações, Lutero conseguiu reconciliar a família. Mas estava completamente exausto. Tinha sido esforço demasiado para sua saúde precária. Na noite do dia 17 de fevereiro, foi levado para seu quarto, a fim de descansar. Junto a sua cama permaneceram seus dois filhos e três amigos íntimos. Lutero sabia que seu fim se aproximava. Em fervorosa oração encomendou sua alma ao Pai celestial. Um dos amigos pergu…

Não vou desligar a globo

Você leu direitinho. Eu não posso parar de assistir à globo, porque já faz anos que não assisto. Até ano passado ainda assistia a jornais e, esporadicamente, quando na casa de alguém, via também o que “estava passando”. Normalmente eram programas de música, tipo BBB de música, em que a pessoa que ganha, só faz sucesso ali, depois costuma sumir. Mas quando colocaram a ideologia de gênero e a pornografia (diluída) em tudo...

Bem, por que eu parei de ver o dito canal de tv (e outros todos, diga-se de passagem)?

Porque não precisamos mais (se é que alguma vez foi necessário) para ter entretenimento. Pode-se buscar no YouTube ou outras formas, vídeos mais engraçados ou mais “edificantes”, que não visem um único objetivo, que é, “a desconstrução” da ideia de certo e errado. E é isso que a maior parte da TV brasileira e a mídia de uma forma em geral, está tentando. Querem que a gente “entenda” que TODOS somos imbecis que não sabem criar os seus próprios filhos, por isso, quem precisa dizer c…

História de Lutero - 6 - No lar e escritos importantes

Lutero no Lar A 13 de junho de 1525, Lutero casou com Catarina de Bora, uma antiga freira que abandonara o convento por reconhecer o erro da vida enclausurada. A cerimonia de casamento realizou-se no Mosteiro Negro de Wittenberg, há pouco transformado em residência para Lutero.
Deus abençoou este matrimônio com três meninos e três meninas. Lutero amava o lar, e sempre encontrava tempo para brincar com os filhos, tocar música e cantar com eles, e para lhes escrever bonitas cartas quando estava viajando. Interessava-se também pelo jardim e pelos demais problemas do lar.
Lutero recebia muitas visitas. Mesmo não sendo rico, era muito generoso. Sua bondade e liberalidade para com os outros, muitas vezes preocupava sua mulher, especialmente porque Lutero era extremamente hospitaleiro, dando, de bom grado, casa, comida, e até dinheiro aos necessitados.

Lutero escreve o Catecismo Menor e o Hinário Reconhecendo que a fé cristã se baseia no conhecimento cristão, Lutero fundou e organizou es…

História de Lutero - 5 - Em Worms e no Cstelo de Wartburg

Lutero em Worms Quando o papa Leão X, em Roma, ouviu falar do que acontecia na Alemanha, ficou furioso e ameaçou Lutero com a excomunhão, caso ele não se retratasse dentro de 60 dias. Lutero, porém, ficou firme em seu ponto de vista, pois tinha a certeza de que havia agido certo, para a glória de Deus. Em 1521 Lutero recebeu a comunicação de que devia comparecer à Dieta (assembleia) de Worms, para ser julgado. Estavam presentes à reunião as mais altas autoridades da Igreja e do país. Novamente Lutero foi intimado a se retratar. Lutero pediu que lhe provassem da Bíblia que ele estava errado. Ninguém pôde provar. Por isso Lutero se recusou a desmentir qualquer cousa do que havia dito ou escrito.

Lutero no Castelo de Wartburg Lutero foi, então, declarado pessoa fora da lei. Quem o encontrasse, o podia matar, sem medo de sofrer castigo. Embora sua vida corresse grande perigo, Lutero não se intimidou e iniciou sua viagem de volta para Wittenberg. Ao atravessar uma floresta, um bando de h…

História de Lutero - 4 - Do nascimento à Universidade e as 95 teses

As 95 teses Naqueles dias a igreja entregou-se ao nefasto comércio das indulgências (recibos de perdão dos pecados, comprados com dinheiro). João Tetzel, vendedor dessas indulgências na Alemanha, chegou a Wittenberg. Ali insistia junto ao povo que comprasse perdão para todos os pecados, passados, presentes e futuros. Alguns membros da igreja de Lutero compraram-nas e não se importaram mais em se arrepender dos pecados. Lutero, em consequência disso, lhes negou a Santa Ceia. Disse-lhes que, se não se arrependessem, Deus não lhes perdoaria os pecados, pois as indulgências não tinham nenhum valor diante de Deus.
Muito entristecido com o que estava acontecendo, Lutero pregou nos domingos seguintes com veemência, chamando o povo ao arrependimento. Por fim escreveu 95 teses (proposições) para serem discutidas em público, em que condenava a venda de indulgência.
No dia 31 de outubro de 1517, pregou essas teses na porta da catedral, para que todos as pudessem ler. Numa delas ele afirmava:
Ca…

História de Lutero - 3 - Sacerdote, professor e pregador

Lutero se torna sacerdote, professor e pregador Na primavera de 1507, Lutero, com 23 anos de idade, tornou-se sacerdote. Era tão bem visto por seus superiores que o enviaram como professor para a Universidade de Erfurt e depois para a nova Universidade de Wittenberg. Dentro em pouco tornou-se famoso mestre da Bíblia. Os estudantes não perdiam suas aulas de religião.
Contudo teve de interromper suas preleções porque o seu superior, Dr. Staupitz, lhe pediu que fosse a Roma, onde vivia o papa. Lutero ficou muito contente. Partiu com um companheiro, viajando a pé. Foi uma longa e perigosa viagem. Quando finalmente avistaram Roma, Lutero se ajoelhou e exclamou:
Salve, santa cidade de Roma! Ficou, porém, muito desapontado quando viu que o povo de Roma levava uma vida pecaminosa, incluindo também os padres.
Depois de cinco meses Lutero estava de volta, continuando a lecionar na Universidade de Wittenberg. Em 1512 recebeu o titulo de Doutor em Teologia, passando também a pregar na bonita cat…

História de Lutero - 2 - Lutero no Convento

Lutero no Convento Certa ocasião um grande amigo de Lutero morreu subitamente. Lutero ficou tão abalado que disse a si mesmo:
Que será de mim na eternidade, quando eu morrer? Noutra ocasião, ao voltar para Erfurt, de uma visita à casa paterna, foi colhido no caminho por uma tempestade. Atemorizado, fez uma promessa a Santa Ana, de que se saísse dali vivo, se tornaria um monge, e foi o que aconteceu. Retornando à Universidade, vendeu seus livros, despediu-se dos amigos e, não dando ouvidos a seus pedidos insistentes, entrou para o convento Agostiniano de Erfurt.
Então dizia:
Agora poderei viver de maneira mais agradável a Deus. Seu quarto era uma cela pequena de dois ou três metros, em que havia uma mesa, uma cadeira, um colchão de palha e uma janela. Lutero continuou a estudar a Bíblia. Vestindo uma batina preta, cumpria todas as penitências religiosas que lhe eram impostas. Andava também pelas ruas da cidade com um saco às costas, como era costume na época, mendigando pão, mante…

História de Lutero - 1 - Do nascimento à Universidade

Nesta semana que se comemora os 500 anos da Reforma Luterana, veja algumas informações históricas sobre o Reformador que reconduziu a Igreja à verdade bíblica de que a "salvação é somente pela fé em Cristo Jesus".

Nascimento Martinho Lutero nasceu na cidade de Eisleben, na Alemanha, no dia 10 de novembro de 1483. E foi batizado no dia seguinte, que era o Dia de São Martinho, por isso recebeu seu nome em homenagem ao santo do dia. Seu pai era camponês e, mais tarde tornou-se mineiro. Trabalhava da manhã à noite nas sombrias minas de carvão. Chamava-se João Lutero. Sua mãe chamava-se Margarida Lutero. Os pais de Martinho oravam com todo fervor aos santos, ensinando a seus filhos a fazer o mesmo. Amavam muito a seus filhos, mas eram também muito severos quando estes lhes desobedeciam.

Lutero na Escola Com a idade de 5 anos, Martinho começou a frequentar a escola na cidade de Mansfeld, para onde seus pais se haviam mudado. Nessa escola Lutero aprendeu os Dez Mandamentos, o Credo…

Dicas Úteis - informática 001

Contatos no Celular


A primeira útil (muito pra mim) é:
- Faça o seu celular armazenar os contatos, app, e tudo mais na conta do gmail.
- Não sei como é iPhone, pq nunca gostei do “bixo”, sempre preferi com sistema android. Mas se tem conta gmail, tem conta google.
- Se vc sincroniza os contatos, toda vez que trocar de celular, basta colocar a conta do gmail que volta tudo para a memória do celular.
- Voltam também as senhas de wifi, os aplicativos, etc...

Essa foi a de hoje.

Culto Luterano - Absolvição

3. A Absolvição Novamente encontramos uma variedade de nomes para a Absolvição. Ela é chamada de Confissão, Santa Absolvição, Poder das Chaves, as Chaves, Sacramento da Penitência.[1] Ao usar qualquer dessas designações, as Confissões Luteranas ou Livros Simbólicos, referem-se à confissão e absolvição privada, e não a um grupo de pessoas muitas vezes não identificáveis como no culto público.[2] Nessa situação privativa, a efetiva confissão dos pecados perde a sua força legalista e a importância que ela tinha no período da pré-Reforma. A confissão pode ser breve, sem necessidade de distinguir pecados veniais e mortais. O penitente deveria confessar aqueles pecados que de forma especial oprimiam a sua consciência. Teologicamente, as Confissões Luteranas, ao enaltecerem os benefícios e a importância da confissão privada, focalizam especialmente a absolvição pronunciada pelo ministro: “eu perdôo os teus pecados...”.[3] Assim como no Batismo e na Santa Ceia, este é o perdão dos pecados aplic…

Culto Luterano - Santa Ceia

2. A Santa Ceia As Confissões chamam o Sacramento do Altar por uma variedade de nomes. Ela é conhecida como a Ceia, Ceia do Senhor, Santa Ceia, o Sacramento, o mui venerável Sacramento, o Santo Sacramento, o Sacramento do Altar, a Missa. Com menor frequência é também chamada de Comunhão, o Corpo do Senhor, Eucaristia,[1] Liturgia, Synaxis e Agape.[2] Surpreendentemente, a construção “Santa Comunhão”, o termo mais corrente e preferido nos EUA, nunca ocorre nesta forma nas Confissões. Quer parecer que tenha sido importado para dentro da Igreja da Confissão Augsburgo a partir da Igreja da Inglaterra. É com boa razão que o Lutheran Worship preferiu o nome Culto Divino (Gottestdienst) para o culto principal da igreja. Os elementos terrenos no Sacramento do Altar são pão e vinho.[3] As Confissões não especificam o tipo de pão ou vinho. Historicamente, todavia, os Luteranos desejaram depreciar a simbólica associação do pão e o vinho, a qual poderia dar a impressão que o corpo e sangue de Cris…

Culto Luterano - o batismo

1. O Batismo O Batismo é a combinação do uso de água e a ordem e promessa batismal. A ordem e a promessa batismal é a Palavra de Deus. É por virtude desta divina Palavra que a água do Batismo é apropriadamente descrita como uma água celeste, água divina, água santa, água abençoada, água fértil, água graciosa, e um lavar regenerador.[1] Quanto ao modo de batizar, as Confissões não estão tão preocupadas em defender imersão ou aspersão, mas sim a ordem divina.[2] O Batismo não é um mero sinal vazio. O Batismo de fato salva (1Pe 3.20-21). É devido à promessa que o Batismo transmite (comunica) poder. O Catecismo Maior afirma: “devemos ser batizados sob pena de não sermos salvos”[3]. Além disso, o Batismo é descrito como perdão dos pecados, oferecimento da graça de Deus, novo nascimento, oferecimento da vida e recepção na Igreja, sendo vitorioso sobre a morte, e como aquele que nos livra das garras da morte.[4] Porque o Batismo opera o perdão dos pecados, ele remove a culpa do pecado original…