segunda-feira, 28 de janeiro de 2019

domingo, 27 de janeiro de 2019

Testemunhar na própria família

Lc 4.16-30
3º Domingo após a Epifania

[Em áudio]

Que a graça do Senhor Jesus Cristo, o amor de Deus e a presença do Espírito Santo estejam com todos vocês! (2Co 13.13).

     Queridos irmãos e irmãs em Jesus Cristo.
     Imaginem a cena:
     Jesus vai à igreja dele, uma Sinagoga. Lá ele escolhe um texto e lê:
     “O Senhor me deu o seu Espírito. Ele me escolheu para levar boas notícias aos pobres e me enviou para anunciar a liberdade aos presos, dar vista aos cegos, libertar os que estão sendo oprimidos e anunciar que chegou o tempo em que o Senhor salvará o seu povo.”
     Jesus estava na igreja dele e se levantou para fazer a leitura do texto do profeta Isaías. Este texto que acabamos de ler. Ele sabia que todos os judeus esperavam o Messias. Então ele dá a notícia que deve-ria trazer grande alegria àqueles que estavam na Sinagoga:
“— Hoje se cumpriu o trecho das Escrituras Sagradas que vocês acabam de ouvir.”
     Os judeus da sinagoga tentaram desviar as palavras de Jesus, lembrando que ele era apenas o filho de José, mas Jesus continuou dando mostras de que era o Filho de Deus. E de que conhecia muito bem a Palavra de Deus. Isso deixou aqueles homens com tanta raiva, que o texto bíblico nos conta que tentaram matar Jesus, atirando-o do alto de um monte. Mas Jesus passou pelo meio da multidão e foi embora.
     No meio deste texto Jesus lembra: ‘nenhum profeta é bem recebido na sua própria terra” (Lc 4.24). Mas mesmo sabendo disto Jesus disse quem ele era e o que ele viera fazer.
     Jesus veio para salvar as pessoas de seus peca-dos. Veio para dar a vida eterna. Enquanto ele esteve na terra, ele mesmo anunciou isto aberta e clara-mente. Quando ele subiu aos céus esta missão ficou para cada um de seus seguidores: você e eu.
     Se nós não falarmos, as pedras vão falar... Porque a mensagem de Jesus Cristo será levada adiante.
     Você quer salvar a si mesmo? Creia no Senhor Jesus...
     Você quer salvar sua mãe? Fale de Jesus a ela...
     E seu pai, seu tio e outros parentes? Fale de Jesus a eles...
     Os amigos do trabalho vão pro céu? Talvez estejam precisando que você lhes fale a respeito de J-sus Cristo e de como é bom poder não ter medo da morte eterna.
     A missão é de Deus, mas nós a colocamos em prática como fiéis discípulos. Muitas vezes nossos próprios parentes não vão querer nos dar ouvidos... Tal-vez pensem: “Quem é você pra me dizer qualquer coisa?” Outras vezes nos dirão: “Não vem me falar desse negócio de igreja...” Porém se não falarmos, pode ser que tais pessoas jamais tenham a oportunidade de ouvir falar de Jesus.
     Alguns preguiçosos poderão dizer: “Eles sabem ler e também sabem onde é a igreja, quando quiserem que venham...”
     Isto pode até ser verdade, mas muitas vezes as pessoas precisam de alguém que os leve pela mão. Com carinho e amor. Assim como faz o pai ou a mãe no primeiro dia de escola do filho... Ficam ali, juntos, talvez até na própria sala, até o momento em que o filho começa a se habituar ao ambiente...
     Assim deveríamos fazer com os que estão afasta-dos de Deus. Se eles são nossos amigos, porque não passar na casa deles antes do culto e os trazer pra igreja? Por que não? Isto demonstra preocupação e amor e, mais tarde, essas pessoas saberão re-conhecer isso, mesmo que no momento não gostem muito. Lembrem que elas estarão lutando contra Satanás que as quer fora da igreja e esta é uma luta árdua e diária.
     Faça a sua parte na missão... Faça tudo que puder pra trazer as pessoas pra Jesus, pois isso vai deter-minar o futuro eterno delas: céu ou inferno.
     Ore pelas pessoas que quer trazer pra Jesus...
     Peça que Deus lhe dê oportunidades para testemunhar...
     Convide para a Igreja porque em algum momento a pessoa vem e ouve a Palavra de Deus aqui também, aí o Espírito Santo está trabalhando para mantê-la na verdadeira fé .
     O Sacrifício de Jesus foi para dar a vida eterna a todos. Esta notícia é maravilhosa... Compartilhe com todos... Assim, mais e mais pessoas poderão ser salvas.
     Isso é Epifania, é o amor de Jesus chegando a to-dos...
     Que Jesus nos dê forças para testemunhar. Amém.

E a paz de Deus, que ninguém consegue entender, guardará o coração e a mente de vocês, pois vocês estão unidos com Cristo Jesus. Amém. (Fp 4.7)

Rev. Jarbas Hoffimann

Congregação Castelo Forte
Nova Venécia, ES
Igreja Evangélica Luterana do Brasil

sábado, 26 de janeiro de 2019

Minha tia voltou pra casa

     A Paz de Cristo esteja com todos vocês.

     Domingo (20/jan/2019), 14h55 recebíamos a notícia de um acidente envolvendo meus tios "Lorival" e Onéria... E sabíamos que a Dany e o Iego estavam junto. Acredito que eu tenha sido o primeiro sobrinho que a tinha pegou no colo. Ela ainda com 14 anos e eu bebê...
     No domingo, Irene e eu fomos ao local do acidente. Levamos uns 20 minutos pra chegar, mas nem de longe imaginávamos a gravidade. Aliás, vendo os carros e o Senhor que ali estava morto, fica difícil imaginar que haveria sobreviventes. Mas há. E estes sobreviventes misturam a alegria da dádiva da vida e a tristeza da despedida.
     Naquele domingo, à beira da estrada, começava uma correria que não terminou ainda. Quer dizer, terminou para uma pessoa: Tia Onéria. Ela não corre mais. Não precisa. Com Paulo ela diz:
“Fiz o melhor que pude na corrida, cheguei até o fim, conservei a fé.” (2Tm 4.7).
     E quem vai dizer que não era hora? Eu não me arisco. Sei que minha tia, como nós aqui, confiamos em Deus e por isso, confiamos que o “fim da corrida chegou”. E chegará para todos. Muitos de nós não veremos o alvorecer do dia 1º de janeiro de 2020. Por isso é tão importante estar SEMPRE preparados para a “hora não sabida”.
    Lembro outra palavra de Jesus:
“No mundo vocês vão sofrer; mas tenham coragem. Eu venci o mundo.” (Jo 16.33).
     Este versículo começa da forma que daqui a pouco quero terminar esta mensagem:
“Eu digo isso para que, por estarem unidos comigo, vocês tenham paz.”
     Mas vamos nos concentrar na primeira parte:
“No mundo vocês vão sofrer; mas tenham coragem. Eu venci o mundo.”
     Há tanta bobagem espalhadas por nossos rádios e televisões. Há tantos falsos profetas pregando vitórias sobre coisas mundanas, como dinheiro, carro, empresa, saúde, relacionamentos... Que parece que as promessas do Senhor se restringem a este mundo.
     Esse povo precisa ter a mesma convicção que eu tenho. Mas que aprendi do apóstolo Paulo:
“Se a nossa esperança em Cristo só vale para esta vida, nós somos as pessoas mais infelizes deste mundo.” (1Co 15.19).
     E você irmão, tem esta convicção? De que nossa esperança vai muito além deste mundo?
     Se você quer a Cristo pra resolver seus problemas aqui, você acabará sendo enganados por charlatões e curandeiros usando Deus no sobrenome...
     Se você tem problema financeiro, fale com amigos, com o banco... Trabalhe ainda mais. Estamos vivendo uma geração de preguiçosos que querem ganhar muito sem fazer nada. Já vai longe a geração que esperava um ano para ver o resultado de sua safra e se alegrar com ela.
     Se você tem problema de saúde, vá ao médico, faça um tratamento...
     Se você tem problema de relacionamento com seu pai ou mãe, com sua esposa ou marido, “larga” de ser orgulhoso e converse.
     E em tudo isso, entregue tudo sempre nas mãos do Senhor. Porque ele que continua conduzindo nossa vida até o último dia. Ele é o senhor de vivos e de mortos (aliás, dos vivos na vida eterna).
     Jesus diz e eu repito: “No mundo vocês vão sofrer; mas tenham coragem. Eu venci o mundo.”
     Vocês (nós) vamos ter aflições.
     Mas tenham coragem. Eu (Jesus) venci o mundo. E o mundo, neste texto, é a representação de todo o pecado que pode nos afastar de Deus...

     Tem gente que só lembra de Deus no dia de velório dos outros. Até pensa em voltar depois, mas antes de uma semana, já se esqueceu do que realmente importa no final. Acha que vai viver para sempre. Não vai. Só vai andar com Deus na eternidade, quem andou com ele aqui.
     No final não importa se você venceu NO mundo. Importará se você tinha fé naquele que venceu O mundo.
     E Tia Onéria venceu.
     Quem bom ter crescido neste templo, construído por seus antepassados. Que bom, em seu último dia, ter seu corpo honrado neste mesmo templo. Que bom ver parentes e amigos seguirem nesta mesma fé.
     E a mim, seu primeiro sobrinho, foi dada a honra de proferir estas palavras.
     Ela venceu com Cristo.
     Não sofre mais a dor de ter perdido um de seus filhos tão cedo também. Não sofre as dores físicas. Não sofre nunca mais.
     Está, de fato, em paz, pois está em Cristo.
     Assim:
“Eu digo para que, por estarem unidos comigo, vocês tenham paz.”
     Ela está em paz.
     Eu estou em paz com sua vitória e partida.
     Fiquem vocês também em paz. A paz dos que seguirão rumo à vida eterna.

     Amém.

Mensagem proferida na cerimônia de despedida da minha tia Onéria Flegler Kalk. Seu falecimento foi resultante de um gravíssimo acidente de trânsito na tarde do domingo, dia 20 de janeiro de 2019.

Rev. Jarbas Hoffimann

Congregação Castelo Forte
Nova Venécia, ES
Igreja Evangélica Luterana do Brasil

Reféns da própria mente

      Vivemos em tempos de pessoas aprisionadas em suas próprias mentes. São pessoas que têm total liberdade, mas ao mesmo tempo, esta liberdade está condicionada ao estado de sua mente. Os pensamentos, geralmente aterrorizantes e ansiosos, tomam as rédeas da liberdade e do gosto pela vida. Até parece que escravizam! Basta repararmos nos índices alarmantes de depressão, ansiedade, síndrome do pânico e até mesmo de suicídios.
      Há um belo versículo bíblico que traz paz e consolo para aqueles que são reféns de sua própria mente. Assim está registrado na Palavra de Deus, em Filipenses 4.7:
“E a paz de Deus, que ninguém consegue entender, guardará o coração e a mente de vocês, pois vocês estão unidos com Cristo Jesus”.
      Quando a fé cristã habita em nosso viver, iniciando pelo Batismo e sendo fortalecida pelo meditar na Palavra e no receber a Ceia, a paz de Deus é quem guarda nossa mente, seja ela sã ou atormentada por distúrbios e traumas.
      Mentes atormentadas por culpas do passado precisam ser tranquilizadas e consoladas pelo perdão conquistado por Jesus em sua cruz. Mentes aterrorizadas por seus maus pensamentos precisam desta paz que dá a certeza de que nada, em todo o universo, pode nos afastar do amor de Deus. Mentes que sofrem com traumas precisam da presença daquele que é refúgio e fortaleza, socorro bem presente nos tempos de tribulação.
      Jesus morreu e ressuscitou para ser Senhor sobre todo o universo e também sobre nosso coração e nossa mente. Leia a Palavra, abra a sua Bíblia, vá à sua igreja cristã. Continue unido com Cristo. Ore pedindo que a paz de Deus guarde a mente e o coração, seja em dias de tranquilidade ou em dias de crises e tormentos.
      Então fica a dica: Jesus ama vidas que sofrem com distúrbios, traumas, depressões e ansiedades. E a sua promessa é de dar paz a estas mentes. 

Pastor Bruno A. K. Serves
Igreja Evangélica Luterana do Brasil
Congregação Cristo, Candelária,RS

segunda-feira, 21 de janeiro de 2019

segunda-feira, 14 de janeiro de 2019

domingo, 13 de janeiro de 2019

Livre das modinhas "gospel"

      O luteranismo te livra das modinhas "gospel".
      De tempos em tempos, no meio evangélico, surgem tendências e movimentos diversos; novas unções, novos moveres, novas maneiras de se vivenciar a fé, novas visões, novos encontros. Existem igrejas que mudam seu modo de ser para se encaixar na tendência dominante, alteram estruturas, liturgias, hinários; e também existem pessoas que "trocam de igreja" como quem troca de roupa. Tudo em nome de um suposto "aprofundamento espiritual" que acaba logo que surge um outro movimento/visão, e o ciclo se repete ad infinitum.
      Isso acontece porque a vida cristã de muitas pessoas baseada em uma única coisa: a emoção.
      Eu baseio a minha comunhão com Deus pelo quão emotivo fico na hora do louvor. Eu julgo a minha fé por quantas vezes eu "senti Deus" durante a semana. A veracidade da minha vida cristã é atestada por uma série de experiências que eu tive durante os cultos/encontros/congressos/retiros.
      Isso (o emocionalismo) é extremamente danoso para a mente do cristão. Primeiro porque nós tendemos a reinterpretar nossas experiências com o passar do tempo: nos apaixonamos e juramos que é amor eterno e verdadeiro, mas com o passar do tempo vemos que estávamos empolgados de mais, não era tudo aquilo; experimentamos adrenalina e euforia a primeira vez que pilotamos uma moto na rodovia, mas depois de meses vira algo banal e vemos que exageramos. Segundo porque a Palavra de Deus nos adverte que o coração é enganoso, e que todos os inclinamentos dele são maus. Terceiro porque experiências não provam se algo é certo ou errado. A tua experiência não é mais válida pra provar sua fé do que a experiência de um candomblecista é pra provar a dele, não há nada que prove objetivamente que sua fé é correta e a dele não. Se você tiver uma experiência forte com bruxaria, você vai deixar de ser cristão pra virar bruxo? Parece absurdo não!? Então porque há nas igrejas evangélicas uma constante busca por novas experiências? E se essas experiências não são encontradas vem a angustia e o desespero de não se achar "crente o suficiente". O cristão passa todo o tempo duvidando de sua salvação por não "sentir Deus" da maneira que sentia antes, ou da maneira que outro irmão sente, ignorando a fato que Cristo nos deu meios objetivos para assegurar nossa salvação.
      Nossa salvação não está na subjetividade de nossos sentimentos, e nem na instabilidade e inconstância de nossas emoções. Nossa salvação está firmada em Cristo, nos Sacramentos que Ele nos deu e nos revelou pela Sua Palavra. Não importa se eu estou tendo um dia bom ou ruim, se estou eufórico ou se estou melancólico; eu vou à igreja, ouço a Palavra de Deus e participo dos Santos Sacramentos, e o Espírito Santo por meio desse alimento me dá forças para continuar minha jornada nessa terra sabendo que minha salvação está firmada em Cristo, não no que eu sinto ou no que eu experimento.

Foco Luterano

segunda-feira, 7 de janeiro de 2019

quarta-feira, 2 de janeiro de 2019

Réveillon no coração

  

      No embalo do “adeus ano velho, feliz ano novo”, onde está o poder para que “tudo se realize”? Onde está a força para a mudança? E o quê precisa ser conquistado? Muito dinheiro no bolso? Saúde pra dar e vender? É isto? Com certeza, não! É só olhar para o lado e para dentro, e descobrir que as esperanças de um ano próspero e feliz são iguais ao borbulho gaseificado do espumante. No tempo em que apenas o vinho inebriava, o rico e saudável Salomão já resmungou que “tudo é correr atrás do vento” (Eclesiastes 2.17).
      Réveillon significa “reanimar”. Deveríamos levar a sério esta palavra francesa, e fazer a revolução que o champanhe deles não tem poder de estourar. Quando Paulo sugere que "também nós vivamos uma vida nova" (Romanos 6.4), sinaliza a fonte da transformação: “Quando fomos batizados, fomos sepultados com Jesus por termos morrido junto com ele. E isso para que, assim como Cristo foi ressuscitado pelo poder glorioso do Pai, assim também nós vivamos uma vida nova”.
      É preciso motivação para uma vida nova. Igual a história da mulher catarinense que emagreceu 40 quilos. Várias vezes tentou um regime alimentar, mas nunca obteve êxito. Certo dia, encontrou uma força especial. Para doar parte de seu fígado a uma criança com câncer, precisava perder peso. E conseguiu. O gesto dela ofereceu nova vida à criança e à ela. É sempre assim, quando os outros estão em primeiro lugar, o meu “sacrifício” traz bons resultados também para mim.
      A doação de Cristo na cruz não apenas renova a vida daquele que crê, mas renova a vida das pessoas ao lado daquele que crê. Porque o cristão não vive para si mesmo, vive para os outros. Por isto a indagação do Salvador: “O que adianta alguém ganhar o mundo inteiro e perder a vida verdadeira?” (Marcos 8.36). E promete: “Quem esquece a si mesmo por minha causa terá a vida verdadeira”. É isto que faz o ano ser novo e feliz!

Pastor Marcos Schmidt
Igreja Evangélica Luterana do Brasil
Novo Hamburgo, RS

terça-feira, 1 de janeiro de 2019

Aliança de 2019

      Em 2019 estão previstos acontecer 60 cultos. 27 nos sábados, 25 aos domingos, 1 numa terça-feira (o programa de Natal) e 7 nas quartas-feiras, durante a quaresma.
      Considerando que cada culto dura em torno de 2 horas, o que é muito pouco para estar na presença do Senhor... São 120 horas de culto.
      Quantas destas horas você vai reservar para estar na presença do Senhor? Porque é preciso se programar para estar na igreja. Não é “se der eu vou”. E se não programar, certamente não virá. Satanás sempre te apresentará um programa “mais legal”.
      Mas lembre-se que você terá um ano com 8.760 horas, se Deus assim o permitir, porque sempre pode ser nosso último ano nesta terra. Ou seja, 1,4% do tempo de todo um ano, é programado para que tenhamos momentos com Deus. Se você não acha isso pouco, ainda não entendeu a importância de estar na presença do Senhor, no culto.
      Pois é...
      Mesmo assim, algumas pessoas conseguem vir ao culto apenas uma vez por mês. Ou nem isso. É como se eu tivesse hora marcada com a maior autoridade do mundo, que pode me escutar E RESOLVER tudo que acontece na minha vida. Mas eu resolvo não ir.
       Aproveite 2019 para isso:
      Se você já vem sempre, se oferta sinceramente, continue e melhore. Deus está conduzindo você no melhor caminho que pode existir para um cristão neste mundo, enquanto caminha para a vida eterna.
      Se você tem vindo pouco, mude. Se não tem ofertado, oferte. Hoje ainda é possível mudar. O Senhor te espera no culto. Para te abençoar sempre e mais com a sua Palavra, Perdão, Santa Ceia.
      Deus quer abençoar seus planos. Mas ele quer participar desses planos. Quer estar nos seus planos. Então, planeje um 2019 na presença do Senhor. Que Deus te abençoe. Amém.
      Ore: Senhor, sei que tu queres estar conosco, sempre, mas nós te ignoramos. Esteja comigo em 2019, para que eu sempre esteja contigo em casa, na igreja e aonde eu for neste mundo. Em nome de Jesus, meu Salvador. Amém.

Rev. Jarbas Hoffimann

Congregação Castelo Forte
Nova Venécia, ES
Igreja Evangélica Luterana do Brasil