sábado, 25 de abril de 2009

confiem em Deus

Texto Bíblico

Lucas 24.36-49


36Enquanto estavam contando isso, Jesus apareceu de repente no meio deles e disse:

– Que a paz esteja com vocês!

37Eles ficaram assustados e com muito medo e pensaram que estavam vendo um fantasma. 38Mas ele disse:

– Por que vocês estão assustados? Por que há tantas dúvidas na cabeça de vocês? 39Olhem para as minhas mãos e para os meus pés e vejam que sou eu mesmo. Toquem em mim e vocês vão crer, pois um fantasma não tem carne nem ossos, como vocês estão vendo que eu tenho.

40Jesus disse isso e mostrou as suas mãos e os seus pés. 41Eles ainda não acreditavam, pois estavam muito alegres e admirados. Então ele perguntou:

– Vocês têm aqui alguma coisa para comer?

42Eles lhe deram um pedaço de peixe assado, 43que ele pegou e comeu diante deles. 44Depois disse:

– Enquanto ainda estava com vocês, eu disse que tinha de acontecer tudo o que estava escrito a meu respeito na Lei de Moisés, nos livros dos Profetas e nos Salmos.

45Então Jesus abriu a mente deles para que eles entendessem as Escrituras Sagradas 46e disse:

– O que está escrito é que o Messias tinha de sofrer e no terceiro dia ressuscitar. 47E que, em nome dele, a mensagem sobre o arrependimento e o perdão dos pecados seria anunciada a todas as nações, começando em Jerusalém. 48Vocês são testemunhas dessas coisas. 49E eu lhes mandarei o que o meu Pai prometeu. Mas esperem aqui em Jerusalém, até que o poder de cima venha sobre vocês.


Mensagem:


Que a graça do Senhor Jesus Cristo, o amor de Deus e a presença do Espírito Santo estejam com todos vocês! (2Co 13.13).


Confiem em Deus


Que a Paz do Senhor Jesus esteja com todos vocês.


Por que vocês estão assustados? Por que há tantas dúvidas na cabeça de vocês? (Lc 24.38)

Esta foi a pergunta feita por Jesus aos seus 11 discípulos. Certamente os homens que mais conheciam o Mestre, mas que estavam assustados e confusos.

O texto paralelo a este, de Mateus 28, ainda revela que os discípulos estavam cheios de dúvidas: "E, quando viram Jesus, o adoraram; mas alguns tiveram suas dúvidas." (Mt 28.17).


Dúvidas são comuns na vida do ser humano.

Você nasce e seus pais se enchem de dúvidas:

Como vai ser daqui em diante? Como vai ser nossa vida? Como vamos pagar tanta fralda?

Na primeira febre seus pais se assustam:

O que é que está acontecendo? Será que é grave?

O tempo vai passando e as dúvidas permanecem:

Como será o futuro do meu filho? Vai ser uma boa pessoa? Terá uma boa família? Ensinei tudo que ele precisava saber?

O tempo corre:

Qual escola estudar? Que faculdade escolher? É tempo de namorar ou estudar? Devo beber ou não? Devo usar drogas ou não? Devo casar ou não? É hora de ter filhos ou não? Que emprego buscar?

E estas são apenas algumas poucas dúvidas que passam pela cabeça do ser humano durante a vida.

Fora estas, existem ainda as dúvidas existenciais:

De onde eu vim? Pra onde vou? Existe vida em outros planetas? Existe uma vida eterna? Será que essas histórias de Jesus são verdadeiras? Nesse momento de sofrimento, será que Deus me abandonou? Será que Deus existe? E, se existe, se importa comigo?


Jesus pergunta:

Por que vocês estão assustados? Por que há tantas dúvidas na cabeça de vocês? (Lc 24.38)

Confiem em Deus.

É a resposta mais simples e mais fácil. E também é a resposta verdadeira: confiem em Deus sempre.

É fácil confiar em Deus quando tudo vai bem. Mas e quando tudo parece desandar?

É neste momento que o inimigo aproveita para encher nossa cabeça de dúvidas. Dúvidas que nos afastam de Deus e da comunhão com os irmãos. E no momento da dúvida é preciso fazer o caminho inverso ao que quer o inimigo. É hora de buscar resposta em Deus. É hora de mergulhar mais e mais na leitura bíblica, na participação dos cultos, na oração, para que Deus, a seu tempo, nos console e nos tire todas as dúvidas.


Por que vocês estão assustados? Por que há tantas dúvidas na cabeça de vocês? (Lc 24.38)

Você confia em Deus? Então testemunhe Jesus.


Você crê em Jesus? Ou tem dúvida? Se você crê... Se você confia nele como o seu Salvador... Se você sabe que ele quer salvar a todas as pessoas, então por que não falar dele a todos. Lembre do que ele disse: "Vocês são testemunhas dessas coisas." (Lc 24.38).

Somos os embaixadores da boa nova da Salvação.

Salvação que Deus começa em nós e em nós quer permanecer. Por isso o Senhor, em sua misericórdia, nos deixou Batismo, Santa Ceia e a sua Palavra. Nestes meios o Senhor nos fortalece a fé, nos perdoa pecados. Nos torna fortes, para resistir aos ataques do inimigo.

Na companhia dos irmãos, o Senhor nos capacita ao testemunho fiel e dedicado. Levando Cristo para Todos.


Por que vocês estão assustados? Por que há tantas dúvidas na cabeça de vocês? (Lc 24.38)

Confiem em Deus e testemunhem a fé que vocês têm.

A confiança em Deus nos traz paz.

Mas o que é confiar em Deus?

É seguir como Abraão. Saindo de sua terra, porque Deus assim o tinha mandado. É acreditar que seria uma grande nação, mesmo que aos 100 anos ainda não tinha nenhum filho. É ver este filho crescendo e ouvir Deus pedindo: "me ofereça seu filho em sacrifício", e sair para cumprir a ordem de Deus. É ter que olhar pro filho, que perguntava: "onde está o carneirinho", e responder com o coração angustiado, mas confiante: "Deus vai providenciar".

Confiar em Deus é, como Jó, resistir aos insultos dos amigos e da família e permanecer crendo no Senhor. É perder tudo e ainda assim não amaldiçoar aquele que "deu e tirou".

Confiar em Deus é, como Davi, sair do meio de seus parentes para ser o maior Rei de Israel, seguindo os ensinamentos do Senhor.

Confiar em Deus é como a menina Maria, que ainda solteira, ao saber que seria a mãe de Jesus responde: "Aqui estou, que se faça em mim a tua vontade".


Por que vocês estão assustados? Por que há tantas dúvidas na cabeça de vocês? (Lc 24.38)

Talvez não fiquemos assustados quanto ao nosso futuro eterno, pois cremos em Jesus e, pela fé, somos salvos.

Mas certamente temos dúvidas a respeito do futuro eterno de muitos de nossos amigos e parentes. O que será deles depois da morte? E eu, o que fiz para mostrar o caminho da salvação?

Nós temos a resposta certa para esta pergunta. Aquela que não deixa dúvidas: Confie em Jesus e você será salvo. Se esta notícia permanecer em nós e chegar aos outros, todos nós seremos salvos.

Esta é a maravilhosa notícia da Páscoa: Jesus ressuscitou e vive eternamente. Um dia, que só Deus sabe, o Salvador voltará para mandar os condenados à perdição e para levar consigo os fiéis.

Estes irão para o Reino eterno de Deus, que está preparado desde a fundação do mundo.


Por que vocês estão assustados? Por que há tantas dúvidas na cabeça de vocês? (Lc 24.38)

Confiem em Deus e testemunhem Jesus.

Por meio do nosso testemunho, o Senhor ainda chamará a muitos e eles serão salvos. Pois todo aquele que parar de duvidar e crer no Senhor Jesus será salvo.

Confiem em Deus, pois ele nos trouxe a salvação. Amém.


E a paz de Deus, que ninguém consegue entender, guardará o coração e a mente de vocês, pois vocês estão unidos com Cristo Jesus. Amém. (Fp 4.7)

Pastor Jarbas Hoffimann – Nova Iguaçu-RJ


Glórias Somente a Deus

segunda-feira, 20 de abril de 2009

Momentos finais do Concílio

Estamos nos aproximando dos últimos momentos do Concílio.
Alguns já vão viajar amanhã bem cedo. Assim o clima já é de despedida e saudades.
Enfim, o Concílio foi proveitoso e será muito mais, conforme aquilo que aqui foi trabalhado, possa ser amadurecido e usado em cada comunidade da IELB.
Agora vamos fazer o painel final com os preletores que dirigiram os temas durante estes últimos dias.
Fantasticamente o plenário continua lotado. Todos estamos aqui, alguns já cansados das horas de estudo, mas todos ainda aqui. Unidos numa mesma fé, num só Senhor Jesus Cristo.
Dispostos a testemunhar o Salvador em todos os lugares deste Brasil.

Lembranças de um Concílio

Este "post" eu começo a escrever pelo título que me pareceu bom. Talvez pudesse ter inúmeros outros títulos: momentos de amizade; momentos de estudo; revisitando a confissão luterana; e tantas outras opções que poderiam ser escolhidas.
Porém, sentado no saguão do hotel e acompanhando a movimentação para o jantar, que diga-se de passagem, exige muita paciência, me pareceu melhor falar das lembranças que já começam a trazer saudades.
Olhando em volta vejo, à minha frente, um restaurante lotado e uma fila interminável à minha direita. Porém ninguém está "estressado". Este sentimento não foi percebido em momento algum. Todos convrsam. Velhos amigos e novos conhecidos, trocam ideias, histórias e experiências, enquanto se preparam para uma refeição.
Se existe um momento em que podemos ver a beleza da igreja, este é quando ela está reunida. Não melhor, não pior, mas muito especial é quando os pastores desta igreja se reúnem para estudar. Pois estão se reunindo na busca de uma igreja que sirva melhor ao Senhor e que esteja cada vez mais próxima das pessoas.
Fato que percebe-se com muita facilidade é que parece que alguns pastores desapareceram. Mas isto não é porque não estão presentes. Isto deve-se ao fato de o encontro ser um dos mais representativos dos últimos anos. Pode-se passar dois dias sem "esbarrar" com o mesmo colega e, derrepente, casualmente o encontramos saindo do elevador.
Eu, particularmente, procurava um colega desde sexta-feira, e perguntava por ele, mas não o via. Aqueles a quem eu perguntava me diziam:
-Eu o vi há alguns minutos.
Enfim, nos perdemos nesta pequena multidão ielbiana.
Só pra lembrar: a fila do jantar ainda não terminou. E continua parecendo interminável.
E ainda ningém está reclamando. E nem vai. Estamos alegres em poder rever amigos pessoais, conhecer amigos virtuais. Compartilhar experiências e esperanças...
Mas acima de tudo, é bom estar aqui, celebrando a mesma fé, num só Senhor Jesus Cristo, que nos uniu como irmãos e nos chamou como pastores da sua igreja, para levar as boas novas a todos.
E a fila continua grande...

mais Concílio

Ainda algumas fotos do concílio de Pastores da IELB.
Nas fotos, aparecem o momento inicial de hoje pela manhã, plenário lotado para a palestra histórica do Prof. Paulo Wille Buss, sobre a relação da Igreja Luterana com Igrejas Reformadas e suas respecivas teologias.
Foto também dos pastores Walter Eidam (antigo estagiário da Comunidade Bom Pastor - em Nova Iguaçu) e o pastor Danilo Eberhardt.
Também os pastores, Aramis e Jarbas.

domingo, 19 de abril de 2009

Mais Concílio

Duas fotos do grande auditório, agora, às 21h30, ainda plenamente lotado.
Os estudos estão seguindo hoje e terminam na manhã do feriado de terça-feira, quando os pastores voltam para seus lares.

Concílio Nacional de Pastores

Acontecem nestes dias o Concílio Nacional da Igreja Evangélica Luterana do Brasil (IELB).
Acontece no Balneário Camboriú-SC, de 18 a 21 de abril. E tem como tema a Confessionalidade Luterana
Já tivemos várias palestras e os estudos estão muito interessantes.
Nas fotos acima, eu Pastor Jarbas e meu irmão Pastor Wesley Hoffimann.

quarta-feira, 15 de abril de 2009

jesus ressuscitou

Texto Bíblico

Marcos 16.1-8

1Depois que terminou o sábado, Maria Madalena, Salomé e Maria, a mãe de Tiago, compraram perfumes para perfumar o corpo de Jesus. 2No domingo, bem cedo, ao nascer do sol, elas foram ao túmulo. 3No caminho perguntavam umas às outras:

– Quem vai tirar para nós a pedra que fecha a entrada do túmulo?

4Elas diziam isso porque a pedra era muito grande. Mas, quando olharam, viram que ela já havia sido tirada. 5Então elas entraram no túmulo e viram um moço vestido de branco sentado no lado direito. Elas ficaram muito assustadas, 6mas ele disse:

– Não se assustem! Sei que vocês estão procurando Jesus de Nazaré, que foi crucificado; mas ele não está aqui, pois já foi ressuscitado. Vejam o lugar onde ele foi posto. 7Agora vão e dêem este recado a Pedro e aos outros discípulos: "Ele vai adiante de vocês para a Galiléia. Lá vocês vão vê-lo, como ele mesmo disse."

8Então elas saíram e fugiram do túmulo, apavoradas e tremendo. E não contaram nada a ninguém porque estavam com muito medo.


Mensagem


Que a graça do Senhor Jesus Cristo, o amor de Deus e a presença do Espírito Santo estejam com todos vocês! (2Co 13.13).


Jesus ressuscitou


Que a Paz do Senhor Jesus esteja com todos vocês.


Jesus ressuscitou

Esta notícia é sempre surpreendente.

Jesus ressuscitou.

Ele não desapareceu. Os discípulos não roubaram seu corpo para dizer que ele ressuscitou.

Ele não teve catalepsia. Catalepsia é uma enfermidade que deixa a pessoa como morta, mas ela não morre e depois de algum tempo desperta. Jesus morreu mesmo. Isso foi provado pela mistura de água e sangue que saiu do seu lado furado pela lança.

Jesus também não reencarnou. Isso nem existe.

Ele ressuscitou. Não como aquelas pessoas que entraram em Jerusalém depois da crucificação. Também não ressuscitou como Lázaro. Estas pessoas ressuscitaram, mas morreram novamente.

Jesus ressuscitou e vive para sempre.

E a pergunta mais importante que temos a fazer é:

O que isso tem a ver comigo?

O apóstolo Paulo responde (1Co 15.12-20)

12Se a nossa mensagem é que Cristo foi ressuscitado, como é que alguns de vocês dizem que os mortos não vão ressuscitar? 13Se não existe a ressurreição de mortos, então quer dizer que Cristo não foi ressuscitado. 14E, se Cristo não foi ressuscitado, nós não temos nada para anunciar, e vocês não têm nada para crer. 15E mais ainda: nesse caso estaríamos mentindo contra Deus, porque afirmamos que ele ressuscitou Cristo. Mas, se é verdade que os mortos não são ressuscitados, então Deus não ressuscitou Cristo. 16Porque, se os mortos não são ressuscitados, Cristo também não foi ressuscitado. 17E, se Cristo não foi ressuscitado, a fé que vocês têm é uma ilusão, e vocês continuam perdidos nos seus pecados. 18Se Cristo não ressuscitou, os que morreram crendo nele estão perdidos. 19Se a nossa esperança em Cristo só vale para esta vida, nós somos as pessoas mais infelizes deste mundo.

20Mas a verdade é que Cristo foi ressuscitado, e isso é a garantia de que os que estão mortos também serão ressuscitados.

Todos os mortos ressuscitarão.

Você e eu e cada pessoa deste mundo.

Todos seremos ressuscitados e num instante levados à presença de Deus para julgamento. Assim lembra também o apóstolo Paulo, ao escrever aos Tessalonicenses (1Ts 4.13-18):

13Irmãos, queremos que vocês saibam a verdade a respeito dos que já morreram, para que não fiquem tristes como ficam aqueles que não têm esperança. 14Nós cremos que Jesus morreu e ressuscitou; e assim cremos também que, depois que Jesus vier, Deus o levará de volta e, junto com ele, levará os que morreram crendo nele.

15De acordo com o ensinamento do Senhor, afirmamos a vocês o seguinte: nós, os que estivermos vivos no dia da vinda do Senhor, não iremos antes daqueles que já morreram. 16Porque haverá o grito de comando, e a voz do arcanjo, e o som da trombeta de Deus, e então o próprio Senhor descerá do céu. Aqueles que morreram crendo em Cristo ressuscitarão primeiro. 17Então nós, os que estivermos vivos, seremos levados nas nuvens, junto com eles, para nos encontrarmos com o Senhor no ar. E assim ficaremos para sempre com o Senhor. 18Portanto, animem uns aos outros com essas palavras.

E naquele momento todos seremos julgados.

Não importa o status social. Não importa a quantidade de dinheiro e poder. Não importa a idade ou a aparência. Todos compareceremos diante de Deus e seremos avaliados por um único critério: a fé em Jesus Cristo.

Porque (Jo 3.18-21): 18– Aquele que crê no Filho não é julgado; mas quem não crê já está julgado porque não crê no Filho único de Deus. 19E é assim que o julgamento é feito: Deus mandou a luz ao mundo, mas as pessoas preferiram a escuridão porque fazem o que é mau. 20Pois todos os que fazem o mal odeiam a luz e fogem dela, para que ninguém veja as coisas más que eles fazem. 21Mas os que vivem de acordo com a verdade procuram a luz, a fim de que possa ser visto claramente que as suas ações são feitas de acordo com a vontade de Deus.

Jesus morreu e foi por todos nós.

Ele pagou por todos os nossos pecados e nos convida a segui-lo hoje e sempre.

O nosso Senhor vem a nós na sua Palavra, que precisa estar presente em nossos lares e ensinada a nossos filhos.

O Senhor vem a nós no batismo, que precisa ser vivido diariamente, afogando os maus desejos e pecados e renascendo com Cristo uma nova criatura. Agradável a Deus.

O Senhor vem a nós na Santa Ceia, perdoando os pecados e fortalecendo a fé.

O Senhor nos une num mesmo corpo. Numa mesma comunhão com os irmãos na fé. Aqui nos fortalecemos na certeza da ressurreição.

Se os problemas da vida, por vezes querem te afogar, a mão do Senhor sempre vem socorrer e te colocar novamente no barco, em segurança.

Lembrando o que Jesus disse pouco antes de morrer: Tudo está completado. Agora é definitivo. Nossos inimigos, inclusive a morte foram destruídos. E aguardam a última vinda do Senhor, para serem aniquilados eternamente. Pois todo aquele que crê no Senhor Jesus, tem a vida eterna. Amém.

E a paz de Deus, que ninguém consegue entender, guardará o coração e a mente de vocês, pois vocês estão unidos com Cristo Jesus. Amém. (Fp 4.7)

Pastor Jarbas Hoffimann – Nova Iguaçu-RJ


Glórias Somente a Deus

quinta-feira, 9 de abril de 2009

morreu o salvador

Texto Bíblico

João 18.1 até 19.42:

18

1Depois de fazer essa oração, Jesus saiu com os discípulos e foi para o outro lado do riacho de Cedrom. Havia ali um jardim, onde Jesus entrou com eles. 2Judas, o traidor, conhecia aquele lugar porque Jesus tinha se reunido muitas vezes ali com os discípulos. 3Então Judas foi ao jardim com um grupo de soldados e alguns guardas do Templo mandados pelos chefes dos sacerdotes e pelos fariseus. Eles estavam armados e levavam lanternas e tochas. 4Jesus sabia de tudo o que lhe ia acontecer. Por isso caminhou na direção deles e perguntou:

– Quem é que vocês estão procurando?

5– Jesus de Nazaré! – responderam.

– Sou eu! – disse Jesus.

Judas, o traidor, estava com eles. 6Quando Jesus disse: "Sou eu", eles recuaram e caíram no chão. 7Jesus perguntou outra vez:

– Quem é que vocês estão procurando?

– Jesus de Nazaré! – tornaram a responder.

8Jesus disse:

– Já afirmei que sou eu. Se é a mim que vocês procuram, então deixem que estes outros vão embora!

9Jesus disse isso para que se cumprisse o que ele tinha dito antes: "Pai, de todos aqueles que me deste, nenhum se perdeu."

10Aí Simão Pedro tirou a espada, atacou um empregado do Grande Sacerdote e cortou a orelha direita dele. O nome do empregado era Malco. 11Mas Jesus disse a Pedro:

– Guarde a sua espada! Por acaso você pensa que eu não vou beber o cálice de sofrimento que o Pai me deu?

12Em seguida os soldados, o comandante e os guardas do Templo prenderam Jesus e o amarraram. 13Então o levaram primeiro até a casa de Anás. Anás era o sogro de Caifás, que naquele ano era o Grande Sacerdote. 14Caifás era quem tinha dito aos líderes judeus que era melhor para eles que morresse apenas um homem pelo povo.

15Simão Pedro foi seguindo Jesus, junto com outro discípulo. Esse discípulo era conhecido do Grande Sacerdote e por isso conseguiu entrar no pátio da casa dele junto com Jesus. 16Mas Pedro ficou do lado de fora, perto da porta. O outro discípulo, que era conhecido do Grande Sacerdote, saiu e falou com a empregada que tomava conta da porta. Então ela deixou Pedro entrar 17e lhe perguntou:

– Você não é um dos seguidores daquele homem?

– Eu, não! – respondeu ele.

18Por causa do frio, os empregados e os guardas tinham feito uma fogueira e estavam se aquecendo de pé, em volta dela. Pedro estava de pé, no meio deles, aquecendo-se também.

19O Grande Sacerdote fez algumas perguntas a Jesus a respeito dos seus seguidores e dos seus ensinamentos. 20E Jesus respondeu:

– Eu sempre falei a todos publicamente. Ensinava nas sinagogas e no pátio do Templo, onde o povo se reúne, e nunca disse nada em segredo. 21Então, por que o senhor está me fazendo essas perguntas? Pergunte aos que me ouviram, pois eles sabem muito bem o que eu disse a eles.

22Quando Jesus disse isso, um dos guardas do Templo que estavam ali deu-lhe uma bofetada e disse:

– Isso é maneira de falar com o Grande Sacerdote?

23– Se eu disse alguma mentira, prove que menti! – respondeu Jesus. – Mas, se eu falei a verdade, por que é que você está me batendo?

24Depois Anás mandou Jesus, ainda amarrado, para Caifás, o Grande Sacerdote.

25Pedro ainda estava lá, de pé, aquecendo-se perto do fogo. Então lhe perguntaram:

– Você não é um dos seguidores daquele homem?

– Não, eu não sou! – respondeu ele.

26Um dos empregados do Grande Sacerdote, parente do homem de quem Pedro tinha cortado a orelha, perguntou:

– Será que eu não vi você com ele no jardim?

27E outra vez Pedro disse que não.

E no mesmo instante o galo cantou.

28Depois levaram Jesus da casa de Caifás para o palácio do Governador romano. Já era de manhã cedo. Os líderes judeus não entraram no palácio porque queriam continuar puros, conforme a religião deles; pois só assim poderiam comer o jantar da Páscoa. 29Então o governador Pilatos saiu, foi encontrar-se com eles e perguntou:

– Que acusação vocês têm contra este homem?

30Eles responderam:

– O senhor acha que nós lhe entregaríamos este homem se ele não tivesse cometido algum crime?

31Pilatos disse:

– Levem este homem e o julguem vocês mesmos, de acordo com a lei de vocês.

Então eles responderam:

– Nós não temos o direito de matar ninguém.

32Isso aconteceu assim para que se cumprisse o que Jesus tinha dito quando falou a respeito de como ia morrer.

33Pilatos tornou a entrar no palácio, chamou Jesus e perguntou:

– Você é o rei dos judeus?

34Jesus respondeu:

– Esta pergunta é do senhor mesmo ou foram outras pessoas que lhe disseram isso a meu respeito?

35– Por acaso eu sou judeu? – disse Pilatos. – A sua própria gente e os chefes dos sacerdotes é que o entregaram a mim. O que foi que você fez?

36Jesus respondeu:

– O meu Reino não é deste mundo! Se o meu Reino fosse deste mundo, os meus seguidores lutariam para não deixar que eu fosse entregue aos líderes judeus. Mas o fato é que o meu Reino não é deste mundo!

37– Então você é rei? – perguntou Pilatos.

– É o senhor que está dizendo que eu sou rei! – respondeu Jesus. – Foi para falar da verdade que eu nasci e vim ao mundo. Quem está do lado da verdade ouve a minha voz.

38– O que é a verdade? – perguntou Pilatos.

Depois de dizer isso, Pilatos saiu outra vez para falar com a multidão e disse:

– Não vejo nenhum motivo para condenar este homem. 39Mas, de acordo com o costume de vocês, eu sempre solto um prisioneiro na ocasião da Páscoa. Vocês querem que eu solte para vocês o rei dos judeus?

40Todos começaram a gritar:

– Não, ele não! Nós queremos que solte Barrabás!

Acontece que esse Barrabás era um criminoso.


19

1Aí Pilatos mandou chicotear Jesus. 2Depois os soldados fizeram uma coroa de ramos cheios de espinhos, e a puseram na cabeça dele, e o vestiram com uma capa vermelha. 3Chegavam perto dele e diziam:

– Viva o rei dos judeus!

E davam bofetadas nele. 4Aí Pilatos saiu outra vez e disse para a multidão:

– Escutem! Vou trazer o homem aqui para que vocês saibam que não encontro nenhum motivo para condená-lo!

5Então Jesus saiu com a coroa de espinhos na cabeça e vestido com a capa vermelha.

– Vejam! Aqui está o homem! – disse Pilatos.

6Quando os chefes dos sacerdotes e os guardas do Templo viram Jesus, começaram a gritar:

– Crucifica! Crucifica!

– Vocês que o levem e o crucifiquem! Eu não encontro nenhum motivo para condenar este homem! – repetiu Pilatos.

7A multidão respondeu:

– Nós temos uma Lei, e ela diz que este homem deve morrer porque afirma que é o Filho de Deus.

8Quando Pilatos ouviu isso, ficou com mais medo ainda. 9Entrou outra vez no palácio e perguntou a Jesus:

– De onde você é?

Mas Jesus não respondeu nada. 10Então Pilatos disse:

– Você não quer falar comigo? Lembre que eu tenho autoridade tanto para soltá-lo como para mandar crucificá-lo.

11Jesus respondeu:

– O senhor só tem autoridade sobre mim porque ela lhe foi dada por Deus. Por isso aquele que me entregou ao senhor é culpado de um pecado maior.

12Depois disso Pilatos quis soltar Jesus. Mas a multidão gritou:

– Se o senhor soltar esse homem, não é amigo do Imperador! Pois quem diz que é rei é inimigo do Imperador!

13Quando Pilatos ouviu isso, trouxe Jesus para fora e sentou-se no tribunal, no lugar chamado "Calçada de Pedra". (Em hebraico o nome desse lugar é "Gabatá".) 14Era quase meio-dia da véspera da Páscoa. Pilatos disse para a multidão:

– Aqui está o rei de vocês!

15Mas eles gritaram:

– Mata! Mata! Crucifica!

Então Pilatos perguntou:

– Querem que eu crucifique o rei de vocês?

Mas os chefes dos sacerdotes responderam:

– O nosso único rei é o Imperador!

16Então Pilatos entregou Jesus aos soldados para ser crucificado, e eles o levaram.

17Jesus saiu carregando ele mesmo a cruz para o lugar chamado Calvário. (Em hebraico o nome desse lugar é "Gólgota".)

18Ali os soldados pregaram Jesus na cruz. E crucificaram também outros dois homens, um de cada lado dele. 19-20Pilatos mandou escrever um letreiro e colocá-lo na parte de cima da cruz. Nesse letreiro estava escrito em hebraico, latim e grego: "Jesus de Nazaré, Rei dos Judeus". Muitas pessoas leram o letreiro porque o lugar em que Jesus foi crucificado ficava perto da cidade. 21Então os chefes dos sacerdotes disseram a Pilatos:

– Não escreva: "Rei dos Judeus"; escreva: "Este homem disse: Eu sou o Rei dos Judeus".

22– O que escrevi escrevi! – respondeu Pilatos.

23Depois que os soldados crucificaram Jesus, pegaram as roupas dele e dividiram em quatro partes, uma para cada um. Mas a túnica era sem costura, toda tecida numa só peça de alto a baixo. 24Por isso os soldados disseram uns aos outros:

– Não vamos rasgar a túnica. Vamos tirar a sorte para ver quem fica com ela.

Isso aconteceu para que se cumprisse o que as Escrituras Sagradas dizem:

"Repartiram entre si as minhas roupas

e fizeram sorteio da minha túnica."

E foi isso o que os soldados fizeram.

25Perto da cruz de Jesus estavam a sua mãe, e a irmã dela, e Maria, a esposa de Clopas, e também Maria Madalena. 26Quando Jesus viu a sua mãe e perto dela o discípulo que ele amava, disse a ela:

– Este é o seu filho.

27Em seguida disse a ele:

– Esta é a sua mãe.

E esse discípulo levou a mãe de Jesus para morar dali em diante na casa dele.

28Agora Jesus sabia que tudo estava completado. Então, para que se cumprisse o que dizem as Escrituras Sagradas, disse:

– Estou com sede!

29Havia ali uma vasilha cheia de vinho comum. Molharam no vinho uma esponja, puseram a esponja num bastão de hissopo e a encostaram na boca de Jesus. 30Quando ele tomou o vinho, disse:

– Tudo está completado!

Então baixou a cabeça e morreu.

Um soldado fura o lado de Jesus

31Então os líderes judeus pediram a Pilatos que mandasse quebrar as pernas dos que tinham sido crucificados e mandasse tirá-los das cruzes. Pediram isso porque era sexta-feira e não queriam que, no sábado, os corpos ainda estivessem nas cruzes. E aquele sábado era especialmente santo. 32Os soldados foram e quebraram as pernas do primeiro homem que tinha sido crucificado com Jesus e depois quebraram as pernas do outro. 33Mas, quando chegaram perto de Jesus, viram que ele já estava morto e não quebraram as suas pernas. 34Porém um dos soldados furou o lado de Jesus com uma lança. No mesmo instante saiu sangue e água.

35Quem viu isso contou o que aconteceu para que vocês também creiam. O que ele disse é verdade, e ele sabe que fala a verdade. 36Isso aconteceu para que se cumprisse o que as Escrituras Sagradas dizem: "Nenhum dos seus ossos será quebrado." 37E em outro lugar as Escrituras Sagradas dizem: "Eles olharão para aquele a quem atravessaram com a lança."

38Depois disso, José, da cidade de Arimatéia, pediu licença a Pilatos para levar o corpo de Jesus. (José era seguidor de Jesus, mas em segredo porque tinha medo dos líderes judeus.) Pilatos deu licença, e José foi e retirou o corpo de Jesus. 39Nicodemos, aquele que tinha ido falar com Jesus à noite, foi com José, levando uns trinta e cinco quilos de uma mistura de aloés e mirra. 40Os dois homens pegaram o corpo de Jesus e o enrolaram em lençóis nos quais haviam espalhado essa mistura. Era assim que os judeus preparavam os corpos dos mortos para serem sepultados.

41No lugar onde Jesus tinha sido crucificado havia um jardim com um túmulo novo onde ninguém ainda tinha sido colocado. 42Puseram ali o corpo de Jesus porque o túmulo ficava perto e também porque o sábado dos judeus ia começar logo.


Mensagem


Que a graça do Senhor Jesus Cristo, o amor de Deus e a presença do Espírito Santo estejam com todos vocês! (2Co 13.13).


Morreu o Salvador


Que a Paz do Senhor Jesus esteja com todos vocês.


Morreu o Jesus Cristo.

Aqueles que seguiam Jesus pensaram: "Morreu aquele que se dizia o Salvador do povo de Israel. Aquele que diziam ser o Rei de Israel".

Os chefes dos judeus pensaram: "Acabaram nossos problemas. Morreu o arruaceiro. Morreu aquele que ameaçava nosso poder."

Satanás pensou: "Venci! Derrotei o Filho do Homem".

Estava todo mundo confuso. E ninguém ainda tinha entendido as palavras de Jesus:

— Tudo está completado!

As pessoas, mesmo os discípulos, não podiam entender o que tinha acabado de acontecer. Depois daquelas horas de angústia.

Mesmo com todos os sinais que descreve o Evangelista Mateus:

(Mt 27.45-53)

45Ao meio-dia começou a escurecer, e toda a terra ficou três horas na escuridão. 46Às três horas da tarde, Jesus gritou bem alto:

— "Eli, Eli, lema sabactani?" Essas palavras querem dizer: "Meu Deus, meu Deus, por que me abandonaste?"

47Algumas pessoas que estavam ali ouviram isso e disseram:

— Ele está chamando Elias.

48Uma dessas pessoas correu e molhou uma esponja em vinho comum, pôs na ponta de um bastão e deu para Jesus beber. 49Mas outros disseram:

— Espere. Vamos ver se Elias vem salva-lo!

50Aí Jesus deu outro grito forte e morreu.

51Então a cortina do Templo se rasgou em dois pedaços, de cima até embaixo. A terra tremeu, e as rochas se partiram. 52Os túmulos se abriram, e muitas pessoas do povo de Deus que haviam morrido foram ressuscitados 53e saíram dos túmulos. E, depois da ressurreição de Jesus, entraram em Jerusalém, a Cidade Santa, onde muitos viram essas pessoas.


Mesmo com todos estes sinais os discípulos e todas as pessoas "...ainda não tinham entendido as Escrituras Sagradas." As pessoas ainda não tinham entendido porque Jesus tinha que ter morrido.

Agora os discípulos estavam confusos. Um deles, Judas, tinha traído o Mestre. E se matou ainda na quinta-feira. Outro, Pedro, a rocha, o valente, tinha negado seu Mestre por três vezes.

Que confusão. Parecia que Deus os tinha abandonado. Mas o único a quem Deus abandonou foi seu próprio filho Jesus Cristo: "Eli, Eli, lema Sabactani? ... Meu Deus, meu Deus, por que me abandonaste?"


Essa confusão que aconteceu com os discípulos acontece também muitas vezes conosco.

Quando nós não entendemos o que acontece na nossa vida nós logo ficamos confusos. E aí nós perguntamos "Deus, por que o Senhor me abandonou?"

Parece que nunca estamos contentes com nada.

Eu sou muito alto. Baixo.

Eu sou muito gordo. Magro.

Eu sou muito velho. Novo.

Eu sou muito fraco.

Eu sou muito cansado.

Eu estou sempre doente.


Conta-se que:

Um carregador de água na Índia tinha duas grandes vasilhas que ele levava penduradas nas pontas de um bastão que ia encima de seus ombros.

Uma das vasilhas tinha uma rachadura, enquanto a outra era perfeita e levava toda a água até o fim do longo caminho que o homem fazia desde o riacho até a casa de seu patrão.

Quando chegava, a vasilha rachada só tinha metade da água.

Por dois anos inteiros isto foi assim diariamente.

Desde cedo a vasilha perfeita era muito orgulhosa do que fazia. Ela era perfeita para os fins para os quais fora criada. Mas a pobre vasilha rachada era muito envergonhada de sua própria imperfeição e se sentia miserável porque só podia trazer a metade daquilo que ela pensava que devia fazer.

Depois de dois anos a vasilha rachada falou com o aguador dizendo: "Estou envergonhada de mim mesma e quero te pedir desculpas"... Por quê? — Perguntou o aguador.

Porque devido às minhas rachaduras, só posso entregar a metade de minha carga. Devido a esse defeito, você só obtém metade do valor que deveria ganhar.

O aguador sentiu muita pena da vasilha e com grande compaixão disse: "quando voltarmos pra casa do patrão eu quero que você note as belíssimas flores que nasceram por todo o caminho.

Assim a vasilha fez e viu que realmente havia muitas flores lindas por todo o caminho, mas assim mesmo se sentia triste porque no final só levava a metade de sua carga.

O aguador disse a ela: Você viu que as flores só crescem do seu lado do caminho?

Eu sempre soube das suas rachaduras e quis tirar vantagens disso, semeei flores por todo o caminho que você passa. E todos os dias você tem regado as flores.

Por dois anos eu pude recolher estas flores para decorar o altar do meu senhor.
Sem ser do jeito que você é, o altar não teria tido a beleza que teve.

Cada um de nós tem suas próprias rachaduras.


Muitas vezes nós não entendemos nossa vida. Não entendemos porque estamos neste mundo e reclamamos de qualquer coisa.

Nós nos esquecemos do nosso primeiro chamado. Nós fomos chamados primeiramente para Cristo e para ser suas testemunhar. Para falar de Jesus a todas as pessoas.

Nós nos concentramos nas nossas rachaduras e esquecemos a parte perfeita.

Os discípulos também ficaram confusos. E depois que entenderam as "Escrituras Sagradas", saíram proclamando que Jesus é o Salvador da humanidade.

Os discípulos pararam de olhar suas rachaduras e passaram a ver tudo o que Deus queria fazer por meio deles.

Agora eles entendiam o que Jesus tinha dito:

— Tudo está completado.

Tudo que precisava ser feito para a nossa salvação foi feito naquela Sexta e naquele Domingo. Jesus pagou nossos pecados e matou a morte.

É verdade que temos nossas dificuldades. Enquanto estamos no mundo sofremos as consequências do pecado. Mas ... Tudo está completado.

E Jesus diz:
"...lembrem disso: eu estou com vocês todos os dias, até o fim dos tempos."

Somos pecadores, mas pecadores arrependidos e que creem em Jesus Cristo. Jesus morreu pelos nossos pecados e ressuscitou garantindo a nossa ressurreição. Todo aquele que nele crê tem a vida eterna e não morrerá eternamente. Amém.


E a paz de Deus, que ninguém consegue entender, guardará o coração e a mente de vocês, pois vocês estão unidos com Cristo Jesus. Amém. (Fp 4.7)

Pastor Jarbas Hoffimann – Nova Iguaçu-RJ

Glórias Somente a Deus

domingo, 5 de abril de 2009

que diferença faz?

Domingo de Ramos - João 12.12-36a:

No dia seguinte, a grande multidão que tinha ido à Festa da Páscoa ouviu dizer que Jesus estava chegando a Jerusalém. Então eles pegaram ramos de palmeiras e saíram para se encontrar com ele, gritando:

– Hosana a Deus! Que Deus abençoe aquele que vem em nome do Senhor! Que Deus abençoe o Rei de Israel!

Jesus procurou um jumentinho e o montou, como dizem as Escrituras Sagradas:

"Povo de Jerusalém, não tenha medo! Veja! Aí vem o seu Rei, montado num jumentinho!"

Naquela ocasião os discípulos não entenderam isso. Mas, depois de Jesus ter voltado para a presença gloriosa de Deus, eles lembraram que isso estava escrito a respeito dele e também que era isso o que tinha acontecido.

A multidão que estava com Jesus quando ele havia chamado Lázaro para fora do túmulo e o tinha ressuscitado espalhou a notícia do que tinha acontecido. E o povo foi encontrar-se com Jesus, pois ficou sabendo que ele tinha feito esse milagre. Então os fariseus disseram uns aos outros:

– Não estamos conseguindo nada! Vejam! Todos estão indo com ele!

Entre o povo que tinha ido a Jerusalém para tomar parte na festa, estavam alguns não-judeus. Eles foram falar com Filipe, que era da cidade de Betsaida, na Galiléia, e pediram:

– Senhor, queremos ver Jesus.

Filipe foi dizer isso a André, e os dois foram falar com Jesus. Então ele respondeu:

– Chegou a hora de ser revelada a natureza divina do Filho do Homem. Eu afirmo a vocês que isto é verdade: se um grão de trigo não for jogado na terra e não morrer, ele continuará a ser apenas um grão. Mas, se morrer, dará muito trigo. Quem ama a sua vida não terá a vida verdadeira; mas quem não se apega à sua vida, neste mundo, ganhará para sempre a vida verdadeira. Quem quiser me servir siga-me; e, onde eu estiver, ali também estará esse meu servo. E o meu Pai honrará todos os que me servem.

Jesus continuou:

– Agora estou sentindo uma grande aflição. O que é que vou dizer? Será que vou dizer: Pai, livra-me desta hora de sofrimento? Não! Pois foi para passar por esta hora que eu vim. Pai, revela a tua presença gloriosa!

Então do céu veio uma voz, que dizia:

– Eu já a revelei e a revelarei de novo.

A multidão que estava ali ouviu a voz e dizia que era um trovão. Outros afirmavam que um anjo tinha falado com Jesus. Mas ele disse:

– Não foi por minha causa que veio esta voz, mas por causa de vocês. Chegou a hora de este mundo ser julgado, e aquele que manda nele será expulso. E, quando eu for levantado da terra, atrairei todas as pessoas para mim.

Ele dizia isso para indicar de que maneira ia morrer.

A multidão perguntou:

– A nossa Lei diz que o Messias vai viver para sempre. Como é que o senhor diz que o Filho do Homem precisa ser levantado da terra? Quem é esse Filho do Homem?

Jesus respondeu:

– A luz estará com vocês ainda um pouco mais. Vivam a sua vida enquanto vocês têm esta luz, para que a escuridão não caia de repente sobre vocês. Quem anda na escuridão não sabe para onde vai. Enquanto vocês têm a luz, creiam na luz para que possam viver na luz.


Que a graça do Senhor Jesus Cristo, o amor de Deus e a presença do Espírito Santo estejam com todos vocês! (2Co 13.13).

Que diferença faz?

O Brasil foi campeão mundial.

Esta é a notícia que queremos ter no final de uma Copa do Mundo. Então começam as festividades.

Ainda no estádio há uma festa. Eufóricos os jogadores não desgrudam da taça. No avião, várias horas depois, apesar de cansados, ninguém dorme. Há uma cantoria inigualável, é o canto de alegria.

Em solo nacional percebe-se que o avião está com uma das janelas aberta, onde, ao lado do piloto, tremula uma bandeira do Brasil.

Da pista os jogadores sobem num carro de bombeiros e por onde passam há festa, até que chegam ao presidente, que fez questão de cumprimentar um por um. Fazendo aquilo que cada um dos milhões de brasileiros gostaria de fazer: abraçar e agradecer pela alegria da vitória.

Agora transportando essa euforia para perto do ano 30, na cidade de Jerusalém, vamos ter uma noção de como foi a entrada de Jesus naquela cidade:

"eles pegaram ramos de palmeiras e saíram para se encontrar com ele, gritando: – Hosana a Deus! Que Deus abençoe aquele que vem em nome do Senhor! Que Deus abençoe o Rei de Israel!" (Jo 12.13).

Aquela gente estava vendo o que Zacarias prometeu:

"Alegre-se muito, povo de Sião! Moradores de Jerusalém, cantem de alegria, pois o seu rei está chegando. Ele vem triunfante e vitorioso; mas é humilde, e está montado num jumento, num jumentinho, filho de jumenta." (Zc 9.9).

Não vem de avião. Nem em carros de guerra, mas vem vitorioso. Pois aos olhos de muitos, tinha se mostrado vencedor sobre o maior temor humano: a morte.

Como descreve o mesmo capítulo de João, nos versículos 9 a 11: "Muitas pessoas ficaram sabendo que Jesus estava em Betânia. Então foram até lá não só por causa dele, mas também para ver Lázaro, o homem que Jesus tinha ressuscitado. Então os chefes dos sacerdotes resolveram matar Lázaro também; pois, por causa dele, muitos judeus estavam abandonando os seus líderes e crendo em Jesus."

O cortejo alegre daquele domingo, no fim daquela mesma semana, dá lugar ao cortejo fúnebre: "Uma grande multidão o seguia. Nela havia algumas mulheres que choravam e se lamentavam por causa dele." (Lc 23.27). Quando Jesus morreu, a Bíblia diz: "Todos os que estavam reunidos ali para assistir àquele espetáculo viram o que havia acontecido e voltaram para casa, batendo no peito em sinal de tristeza." (Lc 23.48).

Jesus morreu por mim, por você e por todas as pessoas. Para que em todos os momentos sejamos "acompanhados por Deus" e possamos superar tudo com a força que Cristo nos dá.

Mas que diferença faz isso?

Pergunta simples. Resposta complicada, pois as pessoas, e nós cristãos muitas vezes, parecem não ligar muito pro sacrifício salvador de Jesus.

Qual a diferença na sua vida?

Nenhuma?

Faz toda a diferença, pois enquanto o mundo anta no cortejo fúnebre, aquele que é de Cristo está no cortejo da vitória. Maior do que a entrada triunfal, temos a saída vitoriosa. Quando Jesus sai da sua cova mortuária e retoma sua vida.

Temos ainda a ida do Salvador aos céus, como ele mesmo disse, para preparar tudo para nós.

Ainda, muito maior será a comoção quando Jesus voltar pela última vez. Será muito mais triste para os condenados do que foi aquele cortejo de morte do Salvador. E será infinitamente mais alegre para os salvos, do que a notícia da ressurreição. Pois será o cortejo da vida eterna.

Isso faz sim diferença na vida da pessoa. E se não faz, tem alguma coisa errada com a fé.

A diferença é que em Cristo temos vida eterna.

Não tememos a morte eterna. E caminhamos rumo ao lar.

A diferença é uma vida consagrada ao Senhor, pois nossa vida é dele. Ele nos comprou para nos dar a vida eterna.

Isso sim é um motivo pra comemorar. Com Cristo vamos viver. Amém!


E a paz de Deus, que ninguém consegue entender, guardará o coração e a mente de vocês, pois vocês estão unidos com Cristo Jesus. Amém. (Fp 4.7)

Pastor Jarbas Hoffimann – Nova Iguaçu-RJ

Soli Deo Gloria

sábado, 4 de abril de 2009

Coroa de Espinhos e pregos - símbolos cristãos

COROA DE ESPINHOS E PREGOS

Talvez o símbolo mais conhecido da Paixão de nosso Senhor seja a coroa de espinhos. Ela é lembrada nas linhas do hino de Paul Gerdhardt Salve caput cruentatum: “Ó fronte ensanguentada, ferida pela dor, de espinhos coroada, marcada pelo horror!”.

A coroa de espinhos foi fincada e forçada verdadeiramente na cabeça de Cristo foi parte do escárnio que eles impuseram. Ante Pôncio Pilatos Jesus sustentou o testemunho sobre seu reino divino. Os soldados se valeram desta afirmação para o ridicularizar. Eles colocaram uma capa escarlate sobre ele, uma coroa de espinhos em sua cabeça, e um bastão (um cetro fictício) em sua mão direita. Então com o bastão eles bateram a coroa de espinhos em sua cabeça, afligindo não só dor ao corpo mas também dor na alma e na mente.

Os espinhos penetrantes foram logo seguidos por pregos penetrantes. Que foram aqueles que cruzaram as mãos e os pés de Jesus. Depois de ressuscitar Jesus aparece ante os discípulos, mostra suas credenciais ao incrédulo Tomé, convidando-o a colocar seu dedo nas marcas dos pregos em suas mãos. No salmo 22 o Messias é profetizado assim: “rasgam as minhas mãos e os meus pés”.

Na simbologia cristã apenas três pregos — outro símbolo da Trindade — são tradicionalmente mostrados, na suposição que apenas um prego foi usado para fixar os pés de Jesus, um sobre o outro, na cruz. Foi pela cruz, os pregos e espinhos que Cristo nos redimiu. Nossa dívida com Deus foi cancelada, Deus a colocou de lado, “pregando-a na cruz” (Colossenses 2.14).

Tradução e adaptação: Jarbas Hoffimann