terça-feira, 30 de agosto de 2011

Raio-X que mostra tudo

Um aeroporto britânico testou na semana passada uma máquina que permite ver os passageiros sem roupa. É um raio-x de segurança para procurar armas ou explosivos escondidos no corpo de terroristas suicidas. O aparelho mostra qualquer material dentro ou fora do corpo, além do contorno em preto e branco das partes íntimas do passageiro. Mas os responsáveis explicam que as imagens serão vistas apenas por um funcionário, não podem ser arquivadas e serão destruídas logo após o exame.
Esta máquina, que vai deixar muita gente ruborizada, me fez lembrar um texto bíblico: "Pois a Palavra de Deus (...) vai até o lugar mais fundo da alma e do espírito, vai até o íntimo das pessoas e julga os desejos e pensamentos do coração delas. Não há nada que se possa esconder de Deus." (Hebreus 4.12-13). É a checagem da lei divina que nos deixa "pelados" não do corpo, mas da alma. E que revela as bombas explosivas que todos carregam, descritas por Jesus (Marcos 7.21-23) e pelo apóstolo Paulo (Gálatas 5.19-21).

E na hora da vistoria não sobra um: "Não há ninguém que faça o bem" (Romanos 3.12). Mas sempre aparece um esperto que tenta um jeitinho, tipo o pretensioso jovem milionário com o seu "desde criança eu tenho obedecido a todos os mandamentos" (Marcos 10.20). Jesus não engoliu a santidade do rapaz e fez o último teste: - Bom, se você é santo igual a mim, então pode seguir o meu exemplo, eu que abandonei toda a minha riqueza no reino celestial. Larga todos os seus bens e me siga.

Isto foi um balde d'água fria. O santo do pau oco não conseguia obedecer nem o primeiro mandamento. Foi embora. E Jesus então disse uma coisa que deixa muita gente rica apavorada: – É mais difícil um rico entrar no Reino de Deus do que um camelo passar pelo fundo de uma agulha. O problema, na verdade, não é o dinheiro e sim esta ideia de querer subornar o guarda e tentar passar por fora, sem os olhos deste raio-x. O que é impossível.

– Então, quem é que pode se salvar? A pergunta foi feita pelos espantadíssimos discípulos a Jesus. – Para os seres humanos isso não é possível; mas para Deus é. Pois para Deus tudo é possível (Marcos 10.27), respondeu o Salvador. Pois esta é a fantástica notícia quando a Bíblia mostra o jeito de escapar: se vestir com as qualidades de Cristo (Gálatas 3.27). Jesus é a roupa que esconde as bombas explosivas da natureza humana e o meio para desativá-las. Foi ele mesmo quem disse: Eu sou o check-in do aeroporto para o céu (João 10.9).

Igreja Evangélica Luterana do Brasil
Comunidade São Paulo, Novo Hamburgo, RS
22 de outubro de 2009

segunda-feira, 29 de agosto de 2011

palavrinha difícil



A palavra mais longa vem da Suécia: Sparvagsaktiebolagsskewsmutssjutareckforeningspersonalbekladnadsmagasinsforradsforvaltaren. O que significa? "Cargo da pessoa que trabalha no depósito de fornecimento de uniformes ao pessoal do sindicato de limpadores de vias férreas". E a palavra mais difícil vem do coração: "obrigado". Não penso na pronuncia daqueles que soletram na frente do espelho e ali encontram a imagem de um deusinho. Refiro-me àqueles que têm a língua solta. Por isto, se o dia de Ação de Graças é para redimir-se daqueles outros quando se ficou com a língua presa, então tudo bem. Porque o perdão também existe para a ingratidão. E no lugar de dizer com o fariseu: "Senhor, eu te agradeço porque não sou igual às outras pessoas", seguir na trilha do cobrador de impostos: "Ó Deus, tem pena de mim, pois sou um pecador" (Lucas 18.13). Bem lembrou Davi: "O que tu queres é um coração sincero... Então terás prazer em receber os sacrifícios certos"
(Salmo 51.6,19).

Mas por que é difícil dizer "muito obrigado" àquele em quem vivemos, nos movemos e existimos (Atos 17.28)? Da boca para fora é a coisa mais fácil. A resposta é o nariz empinado. Ou como disse Moisés ao povo de Israel: "Tomem cuidado para não ficarem orgulhosos e esquecerem o Senhor, nosso Deus. Não pensem que foi com a sua própria força e com o seu trabalho que vocês conseguiram todas essas riquezas" (Deuteronômio 8.14,17). Jesus mesmo, ao ensinar pelo "pão nosso de cada dia", alertou contra este deus entre as orelhas, fruto de uma indesculpável amnésia que faz do pão o patrão. "Vocês não podem servir a Deus e também servir ao dinheiro" (Mateus 6.24), diz o Salvador ao coração cheio de cálculos – que sempre quer negociar com Deus.

Por isto a explicação de Lutero aos que oram o Pai Nosso: "Deus, em verdade, dá o pão de cada dia, mesmo sem a nossa prece, a todas as pessoas, também aos descrentes. Mas suplicamos nesta petição que nos faça reconhecê-lo e receber com agradecimento o pão de cada dia". Este é um lembrete que deveria ser fixado à porta da geladeira junto com a oração: "Dá-me somente o alimento que preciso para viver. Porque, se eu tiver mais do que o necessário, poderei dizer que não preciso de ti" (Provérbios 30.8,9). Uma oração bem diferente destas que andam por aí: Dá-me riquezas, Senhor, para nunca se esquecerem de mim.

Quem não depende de Deus não consegue dizer "obrigado". Por isto "o pão nosso de cada dia nos dá hoje". Porque se sobrar um pouco ou bastante, o pão nosso vira "meu", fica pão dormido, e desgraçadamente não chega à boca dos que têm fome. No final, quem não agradece também não reparte. O começo de tudo, então, é aprender esta palavrinha difícil. E o único jeito é soletrando a "Palavra que se tornou um ser humano e morou entre nós (...) Porque todos nós temos sido abençoados com as riquezas do seu amor, com bênçãos e mais bênçãos" (João 1.14,16).


Pastor luterano
Comunidade São Paulo, Novo Hamburgo-RS
27 de novembro de 2008

domingo, 28 de agosto de 2011

Desculpas para não ir à Igreja - 018

Muito calor para ir à igreja.

calor-mataVeja nos menus acima, onde encontrar uma igreja luterana no Brasil.
E ao lado, confira o horário do próximo culto na Castelo Forte de Nova Venécia-ES.

sexta-feira, 26 de agosto de 2011

Não selecionados

futebol Por que aquela meia dúzia de homens assassinados em São Paulo não foi escolhida para a seleção? Talvez seja porque já estavam mortos no dia da convocação. Porém a maior razão é que não jogavam em time algum! Aliás, se quer tinham um teto para morar.
Para muitos a tragédia da semana foi a ausência desse ou daquele craque na lista de Dunga. Poucos perdem saliva comentando a chacina ocorrida na zona norte da capital paulista. Afinal, para que lamentar e comentar? São pessoas que estavam fora da seleção social.
Em que posição cada um dos seis mortos atuava? Como eram os seus nomes? Eles não apenas deixaram de estar numa seleção de destaque nacional, a verdade é que para eles não havia espaço nem na várzea. No futebol da vida real essa gente não pode nem mesmo ser gandula!
O jeito é olhar para as alturas e reclamar do técnico! “Ó Senhor Deus, por que tudo isso? Por que tamanha violência? Por que essa gente jogada pelo chão em todas as cidades? Por que essa gurizada de rosto sujo e olhos marejados insiste em pedir esmola? Por que deixaste essa gente de fora? Por que não os convocaste?”
Ao ler a história da Ascensão, comemorada na última quinta-feira, verifico que após Jesus ter sumido entre as nuvens, surgem dois anjos dizendo: “Por que vocês estão olhando para os céus? (At 1.11)”. Concluo que também eu devo parar de olhar para as alturas, pois evidentemente a culpa não é do técnico celeste. Preciso olhar para os lados e preciso também olhar para mim mesmo. Afinal, o Senhor Deus concede riquezas naturais e colheitas que matariam a fome no mundo inteiro, mas a ganância contida no coração humano sempre resolve “selecionar” a melhor parte para si mesmo, de forma que muitos ficam sem nada!
Por que os sem-teto estão fora da seleção social? Culpa deles? Em parte sim! Culpa nossa? Também! A verdade é que estamos enredados por pecados e culpas de todos os lados. É por isso que o apóstolo Paulo escreve em Romanos 7.24-25: “Como sou infeliz! Quem me livrará desse corpo que me leva a morte? Que Deus seja louvado, pois ele fará isso por meio de nosso Senhor Jesus Cristo!”
Por Jesus, que venceu por nós, somos convocados a jogar com raça, para que injustiças sejam vencidas e a vitória seja comemorada por todos!
Pastor Ismar L. Pinz
Comunidade Cristo Redentor
Três Vendas, Pelotas-RS

terça-feira, 23 de agosto de 2011

Maximizar o cuidado


Após a consulta médica os familiares de João ficaram sabendo que ele estava com uma doença muito grave. A filha foi taxativa ao contar para sua vizinha. Ela disse: "A doença do pai não tem cura. Não há mais nada que possa ser feito!"

Talvez o leitor já tenha ouvido ou dito essa frase em alto e bom tom. No entanto, sempre há o que fazer, talvez pouco que seja "curativo", mas muito na área "paliativa".

O dia 10 de outubro é o dia mundial dos Cuidados Paliativos. Os cuidadores paliativos são as pessoas que cuidam dos doentes sem possibilidades de cura. São aqueles que realizam uma série de ações, mesmo quando alguns dizem que já não há nada que possa ser feito.

Sempre é possível ouvir, tocar, cantar, apoiar, chorar, enfim cuidar de um doente terminal, dando-lhe todo calor humano possível, num momento em que a frieza da morte vem trazer seus calafrios.

O senhor João soube que estava com uma doença terminal, mas pouco a pouco, em meio a dor e as fúrias, compreendeu que de certa forma, tudo nessa vida é paliativo, tudo é passageiro, tudo é rápido, e que todas as nossas vaidades são como correr atrás do vento.

Num mundo onde a única certeza é a morte, Jesus diz: "Eu sou a ressurreição e a vida, quem crê em mim, ainda que morra, viverá" (João 11.28)

Por isso, mesmo quando parece que não há nada mais a ser feito, lembremos que sempre é possível amar, pois mesmo terminando a fé, mesmo acabando a esperança, o amor ainda permanece, pois o amor é eterno (1º Coríntios 13).

Nesta vida onde tudo é paliativo e por vezes sofrido, choremos nos braços do Pai do Céu, permitindo que as lágrimas limpem os olhos da fé, para enxergarmos o que realmente vale a pena.

Que o amor de Deus seja a força de todos os doentes terminais, dos familiares que os acompanham e dos profissionais que os cuidam. Que nossas limitações físicas não limitem nossa solidariedade. Se já não podemos minimizar a dor, lembremos de maximizar o cuidado, na perspectiva de Jesus, que fez o máximo – deu sua vida por nós.

A morte já não tem poder! Ela já não pode fazer nada contra nós. Por isso, em fé, podemos dizer que o "nosso viver é Cristo e o morrer é lucro!" (Filipenses 1.21).

07/10/2009
Comunidade Luterana Cristo Redentor – Pelotas, RS

segunda-feira, 22 de agosto de 2011

Racismo

Além de ser chamado de “macaco” dentro do avião, o músico Dudu Nobre diz que sofreu agressão física e o caso foi parar na polícia. A acusação de discriminação racial pelos próprios comissários de um vôo dos Estados Unidos para o Brasil, nesta última segunda-feira, merece reflexão onde o preconceito racial é sutil e disfarçado, e por vezes grosseiro como neste episódio. Hoje é o Dia da Consciência Negra em nosso país, inspirado na morte do negro Zumbi em 20 de novembro de 1695. O tema tem importância na Bíblia, que descreve a discriminação como um pecado que bate em cheio contra o amor universal de Deus. O apóstolo Paulo lembra que não existe diferença entre as raças, porque Deus é o mesmo Senhor de todos e abençoa indistintamente os que lhe pedem ajuda (Romanos 10.12). No entanto, a própria Bíblia é usada erroneamente para se afirmar que a cor negra da pele é um castigo divino. Dizem que Cão, filho de Noé, ficou negro ao ser amaldiçoado (Gênesis 9.22). Ora, fico imaginando se um dia este tipo de religioso encontrar-se com um Jesus preto no Juízo Final. Se “maldição” é compreendida desta forma, então o que dizer da minha pele branquela, pré-disposta ao câncer e ao envelhecimento precoce sob os efeitos do sol? Em todo o caso, estas heresias andam soltas por aí, a exemplo de Satanás que inverteu o sentido das palavras de Deus na tentação contra Jesus (Mateus 4.1-11).
Racismo é um escândalo (escândalo vem do grego e significa “separação”) que diabolicamente (diabo significa “aquele que separa”) traz divisão na própria igreja cristã. Um péssimo exemplo vem dos Estados Unidos onde existem igrejas de brancos e igrejas de negros. E agora o grande desafio para este país da “Ku klux klan” — organização que tem a própria cruz como símbolo para defender a “supremacia da raça branca” — será proteger Barak Obama contra racistas fundamentalistas, os mesmos que mataram Martin Luther King. Mas isto é um mal globalizado, que provoca divisões e injustiças pelo mundo afora nesta Babel de arrogância.
Não podemos e nem queremos mudar a cor da nossa pele, nem a raiz de costumes e culturas. Mas quando estas coisas criam diferenças presunçosas de tratamento com as pessoas, isto ofende o Criador que ama a todos indistintamente, e estraga a grande missão da igreja. A Bíblia diz com todas as letras:
“Meus irmãos, vocês que crêem no nosso Senhor Jesus Cristo, nunca tratem as pessoas de modo diferente por causa da aparência” (Tiago 2.1).
O teólogo luterano Gottfried Brakemeier escreve que Deus criou um mundo multiforme, em que cada “peça” tem sua característica inconfundível. Que o propósito de Deus nesta diversidade é a complementação de uns pelos outros e no serviço mútuo, usando cada qual o dom que recebeu. “Discriminação racial equivale a desprezo ao Deus Criador, que moldou a criação assim como a fez, e que por amor a ela deu o seu Filho Unigênito”.

Marcos Schmidt
Pastor luterano
Igreja Evangélica Luterana do Brasil
Comunidade São Paulo, Novo Hamburgo, RS
20 de novembro de 2008

domingo, 21 de agosto de 2011

Desculpas para não ir à Igreja - 017

Muito frio para ir à igreja.

frioVeja nos menus acima, onde encontrar uma igreja luterana no Brasil.
E ao lado, confira o horário do próximo culto na Castelo Forte de Nova Venécia-ES.

sexta-feira, 19 de agosto de 2011

Dunga e Jesus

logo_cbf_novo400 Nesta quinta-feira a igreja lembra a Ascensão de Jesus. Mas as atenções estão mesmo em Dunga e nos 23 convocados que foram levados às alturas. Sem misturar nuvens com fumaça, dá para dizer que Jesus teve uma missão parecida – reuniu e preparou um grupo de pessoas e colocou-os em campo. A própria Bíblia diz que o cristão é um atleta que deve se esforçar nos treinos para conquistar a taça (1º Coríntios 9.25). E se alguns acham que futebol é “coisa do mundo”, ainda não entenderam o recado: “Por que vocês estão aí olhando para o céu?” (Atos 1.11). Se tudo fosse falta com cartão vermelho, Jesus levaria todo o time consigo para a concentração. Mas deixou a sua equipe com a bola rolando porque a copa da salvação é mundial e qualquer um pode ser escalado. E o campo não precisa ter o aval da Fifa. Gramado perfeito só lá em cima onde não nasce espinho nem capim. Assim, o gol do Evangelho pode acontecer também na várzea.
E se o Dunga não convocou aqueles que estavam na nossa lista, Jesus também tem critérios: “Não foram vocês que me escolheram; pelo contrário, fui eu que os escolhi” (João 15.16). Onde Jesus estava com a cabeça quando chamou os doze? Pois é, nesta hora todos são técnicos – querem ser Jesus. Eu mesmo já pensei que Deus foi incoerente em me convocar. Nunca me achei com cara de pastor. Mas, o cristão tem cara de cristão? Qual é o uniforme que ele usa? Qual a marca que carrega? Penso que nestes dois tempos antes do apito final, há muito simulação para enganar o juiz. Coisa que a torcida logo percebe e vaia, porque jogo limpo é o que interessa.
E quando o técnico brasileiro é criticado por montar um time sem estrelas, outro fato para dizer que cristianismo não é espetáculo, mas resultado. Pode não agradar na hora, mas no final aparece a diferença. Aqui a comparação é duvidosa, mas o texto sagrado lembra que no jogo da fé em Cristo a vitória é certa (1º João 5.4). Algo que precisa ser dito quando o nome “Jesus” virou sinônimo de glória terrena e instantânea. Por isto o apóstolo passa a bola e avisa: “Nós não prestamos atenção nas coisas que se veem” (2º Coríntios 4.18). Até porque aquele que despareceu do estádio, prometeu: Eu estou com vocês todos os dias até o fim dos 90 minutos (Mateus 28.20).
Marcos Schmidt
pastor luterano
Igreja Evangélica Luterana do Brasil
Comunidade São Paulo, Novo Hamburgo-RS
13 de maio de 2010

terça-feira, 16 de agosto de 2011

Recall das crianças


O problema é que a gente esquece que os filhos são um presente de Deus, que são uma verdadeira bênção (Salmo 127) e entope os coitadinhos com presentes, coisas que eles também logo esquecem e jogam fora. E daí, no lugar de bênção viram maldição. Por tudo o que vem acontecendo nas famílias, o Dia das Crianças deveria ser uma ocasião para a reflexão e o arrependimento e não para o comércio e os presentes. Ou então vamos continuar brincando de casinha, ou simplesmente ameaçá-los com "vou te mandar para o conselho tutelar".

Mas se a gente considerar o Salmo 127, o texto sublinha antes de lembrar que os filhos são uma bênção: "Se o Senhor Deus não edificar a casa não adianta nada trabalhar para construí-la". Convenhamos, se cremos que a criança não é mero produto de um óvulo fecundado, um acaso da mãe natureza, um macaquinho evoluído, mas obra de Deus que tem alma, então está na cara – é ele, o Criador que pode nos oferecer os detalhes sobre o funcionamento destas criaturinhas. Mas daí vem o cara que sabe tudo – aquele que diz "pode deixar comigo". E a burrada está feita! O que explica em grande parte os problemas com estes anjinhos – que podem ser bons ou maus dependendo deste "edificar a casa", deste "leia o manual com atenção".

E agora quando tanto se fala na importância do "não", quer dizer que a Bíblia estava certa? Ou como ela sempre disse: "É bom corrigir e disciplinar a criança. Quando todas as suas vontades são feitas, ela acaba fazendo a sua mãe passar vergonha" (Provérbios 29.15). "Não deixe de corrigir a criança. Umas palmadas não a matarão. Para dizer a verdade, poderão até livrá-la da morte" (Provérbios 23.13,14).

Em todo o caso, quando as Sagradas Escrituras afirmam que "é natural que as crianças façam tolices, mas a correção as ensinará a se comportarem" (Provérbios 22.15), elas apontam para aquele que veio consertar as tolices do mundo – começando com as crianças. Por isto o pedido do único técnico autorizado: "Deixem que as crianças venham a mim e não proíbam que elas façam isto" (Marcos 10.14).

Esta é a salvação para adultos e crianças – gente que já vem com defeito e precisa de recall (do inglês "chamar de volta"). Solução do próprio Criador que se tornou criança, quando o anjo disse: "Estou aqui para trazer uma boa notícia: nasceu o Salvador de vocês" (Lucas 2.10-11). Pensando assim, o maior presente que um pai e uma mãe podem dar aos seus filhos é eles aceitarem a solicitação de devolução e fazer o recall – isto é, levá-los de volta para o conserto. Um gesto para o qual tem promessa: "Eduque a criança no caminho em que deve andar, e até o fim da vida não se desviará dele" (Provérbios 22.6).

Igreja Evangélica Luterana do Brasil
Comunidade São Paulo, Novo Hamburgo, RS
8 de outubro de 2009

segunda-feira, 15 de agosto de 2011

Dia de Santa Maria

A Igreja Luterana conservou a Liturgia Antiga e a adaptou ao longo dos séculos. Algo que foi preservado, foram as datas especiais, dedicadas àqueles que foram heróis da fé. Exemplo de vida para o povo cristão. E que, pela fé no Salvador, são lembrados pelas igrejas cristãs que têm tradição litúrgica.
São pessoas comuns, pecadoras como todos os seres humanos, mas que confiaram em Jesus e foram perdoadas de seus pecados. Hoje estão na glória eterna.
Não intercedem por nós, mas são exemplos e, como alcançaram a vitória em Cristo, a Igreja os chama de Santos.
Abaixo o Calendário Litúrgico Anual (Somente as datas que são chamadas de Festas Menores, pois são comemoradas paralelamente aos Domingos da Igreja, que são as Festas Maiores).
Abaixo preferimos colocar as datas começando por hoje, dia de Santa Maria, Mãe de Jesus, mas o calendário começa dia 30 de Novembro, data que marca também o Início dos 4 domingos de Advento.

As letras ao lado, são as cores usadas para cada dia, nos paramentos da Igreja.
B=Branco; V=Vermelho.

Confira logo depois os textos bíblicos sugeridos para ser lidos no dia 15 de Agosto, caso seja celebrado um culto. Assim que possível divulgaremos todos os textos previstos, para todos os outros dias.

Agosto
15 - Santa Maria, Mãe de Jesus [B]
24 - São Bartolomeu, Apóstolo [V]

Setembro
14 - Dia da Santa Cruz [V]
21 - São Mateus, Apóstolo Evangelista [V]
29 - São Miguel e todos os Anjos [B]

Outubro
18 - São lucas, Evangelista [V]
28 - São Simão e São Judas, Apóstolos [V]
31 - Reforma Luterana [V]

Novembro
1 - Dia de todos os Santos [B]
2 - Dia dos que dormem no Senhor [B]
30 - Santo André, Apóstolo [V] - Início do Calendário

Dezembro
21 - São Tomé, Apóstolo [V]
26 - Santo Estêvão, 1º Mártir [V]
27 - São João, Apóstolo e Evangelista [B]
28 - Crianças Inocentes, Mártires [V]
31 - Véspera de Ano Novo - Véspera do Nome de Jesus [V]

Janeiro
1º - Dia de Ano Novo - Circuncisão e Nome de Jesus [B]
18 - Confissão de São Pedro [B]
24 - São Timóteo, Pastor e Confessor [B]
25 - Conversão de São Paulo [B]
26 - São Tito, Pastor e Confessor [B]

Fevereiro
2 - Apresentação de Nosso Senhor - Purificação de Santa Maria [B]
18 - Martinho Lutero, Doutor e Confessor [B]
24 - São Matias, Apóstolo [V]

Março
25 - Anunciação de Nosso Senhor [B]

Abril
25 - São Marcos, Evangelista [V]

Maio
1º - São Filipe e São Tiago, Apóstolos [V]
7 - C. F. W. Walther, Doutor [B]
31 - A Visitação [B]

Junho
11 - São Barnabé, Apóstolo [V]
24 - Nascimento de São João Batista [B]
25 - Apresentação da Confissão de Augsburgo [B]
29 - São Pedro e São Paulo, Apóstolos [V]

Julho
22 - Santa Maria Madalena [B]
25 - São Tiago Maior, Apóstolo [V]

Agosto
10 - São Lourenço, Mártir [B]

Textos para comemoração do dia 15 de agosto:
Salmo 45.10-15
Isaías 61.7-11
Gálatas 4.4-7
Lucas 1.46-55

Ou ainda:
Salmo 34.1-9
Isaías 61.10-11
Gálatas 4.4-7
Lucas 1.46-55

domingo, 14 de agosto de 2011

Pai peixe, pai cobra

— Qual é o pai capaz de dar uma cobra ao seu filho quando ele pede um peixe?

Esta pergunta de Jesus (Lucas 11.11) é oportuna quando não sabemos mais o que é cobra e o que é peixe. Por exemplo, dias atrás meu filho de oito anos pediu o videogame GTA. Depois de descobrir do que se tratava, expliquei para ele que tem violência e pornografia, e ele teria que escolher outro. Resmungou, insistiu, afinal, muitos amiguinhos dele já tinham o jogo. Mas a resposta permaneceu com o “não”. Pois agora leio uma notícia que me deixa abismado: Adolescente mata taxista ao imitar videogame GTA. Um tailandês de 18 anos confessou à polícia que queria saber se roubar e matar era tão fácil como no jogo. Que coisa absurda! É duro dizer isto, mas nós estamos transformando nossas crianças em “monstros assassinos”.
Jesus usa os símbolos “cobra e peixe” para dizer que neste mundo cheio de porcaria e também de coisa boa, cabe aos pais saber a diferença. Diz isto depois de ensinar a oração do Pai Nosso com petições que englobam tudo aquilo que é necessário para o espírito e para o corpo. Por isto insiste:
Vocês, mesmo sendo maus, sabem dar coisas boas aos seus filhos. Quanto mais o Pai, que está no céu, dará o Espírito Santo aos que lhe pedirem (Lucas 11.13).

Jesus insiste, porque este é o único caminho para distinguir cobra e peixe, o Espírito de Deus que atua por meio das Escrituras Sagradas.
Creio que o problema começa por aí, com esta juventude descompromissada com os valores da vida, refugiada nas drogas, viciada em videogame e internet, metida na violência, consumista em relacionamentos descartáveis. Um problema que está no coração de uma sociedade que não sabe dizer “Pai nosso que está nos céus”, e por isto sem peixe para dar aos filhos. A palavra “peixe” em grego é ichthys, um acróstico de “Iesous Christós Theoú Hyiós Soter”, cuja tradução é “Jesus Cristo Filho de Deus Salvador”. Peixe é um símbolo que os primeiros cristãos usavam para confirmar a sua fé. Enquanto isto, a cobra simboliza o Diabo, que expeliu o pecado no próprio Cristo — uma permissão de Deus a fim de transformar o veneno em antídoto, assim como acontece nos cavalos que fabricam a vacina contra a picada de uma serpente. Uma história de salvação que começa em Gênesis 3.15, e que me faz lembrar aquele bebê que mordeu e matou uma cobra venenosa. Foi em Minas Gerais dias atrás, quando uma criança de nove meses, com três dentinhos, conseguiu esmagar a cabeça de uma serpente e sobreviver. Um fato curioso, mas que também simboliza o esforço dos filhos desamparados e sobreviventes nesta selva de pais omissos.
Filho de peixe, peixinho é. Ou, filho de cobra, cobrinha é. Por isto a Bíblia diz:
No caminho dos maus existem armadilhas e dificuldades; quem dá valor à vida se afasta deles. Eduque a criança no caminho em que deve andar e até o fim da vida não se desviará dele (Provérbios 22.5,6).
Marcos Schmidt
Pastor luterano
Igreja Evangélica Luterana do Brasil
Comunidade São Paulo, Novo Hamburgo-RS
07 de agosto de 2008

Desculpas para não ir à Igreja - 016

Muito longe para ir à igreja.

caminharVeja nos menus acima, onde encontrar uma igreja luterana no Brasil.
E ao lado, confira o horário do próximo culto na Castelo Forte de Nova Venécia-ES.

sábado, 13 de agosto de 2011

Pai meu que está na terra

Está virando rotina histórias como a desse pai que assassinou o filho por causa de um prêmio da Mega-Sena em Cuiabá, da mãe francesa que matou 8 filhos recém-nascidos. Isto não choca mais. Nem a matéria no Fantástico, domingo passado, onde revelou que uma em cada cinco mulheres aos 40 anos já fez aborto no Brasil, ou seja, 5 milhões e 300 mil mulheres. Aliás, qual a diferença em matar uma criança pré-nascida de uma criança recém-nascida?
Apesar de tudo, o normal ainda é uma mãe e um pai proteger o filho, no ventre ou fora dele. Uma tarefa que sempre foi mais do pai, o provedor da família, aquele com o braço mais forte, que vai à frente e defende dos predadores. Mas também uma realidade que já não é tão comum – ou pela ausência física do pai (o censo do IBGE mostrará os números exatos), ou pela presença agressora e nociva do pai (o pai está entre o principal agressor contra crianças segundo constatação dos Conselhos Tutelares).
bebe no colo do paiPor isto, como fica a pergunta de Jesus: “Por acaso algum de vocês, que é pai, será capaz de dar uma pedra ao seu filho, quando ele pede pão?” (Mateus 7.9) Diz isto, para tranquilizar sobre os cuidados paternais de Deus: “Vocês, mesmo sendo maus, sabem dar coisas boas aos seus filhos. Quanto mais o Pai, que está no céu, dará coisas boas aos que lhe pedirem” (7.11). Um pouco antes Jesus já tinha ensinado a oração do “Pai Nosso” – que segundo explicação de Lutero, “Deus quer atrair-nos carinhosamente com essas palavras, para cremos que ele é o nosso verdadeiro Pai e nós, os seus verdadeiros filhos”. Mas, como fica esta imagem de Deus, nesse referencial “pai”? Obviamente, prejudicada. Por isto o primeiro pedido nessa oração: “Santificado seja o teu nome”. Isto é: “Ó Deus, me ajude a ser um bom pai para que os meus filhos possam crer que tu és um bom Pai”.
E sendo sincero, nem precisa ser um agressor ou assassino para ser um mau pai. Basta ser um “pai que está na terra”, com a imagem de Adão. Eis a razão do quinto pedido: “E perdoa as nossas ofensas”. Felizmente aquele que ensinou essa oração, também mostrou o caminho para ser pai: “Quem ouve e pratica os meus ensinos é como um homem sábio que construiu a sua casa na rocha” (Mateus 7.24).
Marcos Schmidt
pastor luterano
Igreja Evangélica Luterana do Brasil (IELB)
Comunidade São Paulo, Novo Hamburgo-RS
5 de agosto de 2010

sexta-feira, 12 de agosto de 2011

Uma mancha de destruição

O petróleo que vaza desde o último dia 22, depois da explosão da plataforma da British Petroleum (BP), e que afundou no Golfo do México, vem provocando um dos maiores desastres ecológicos da história. A mancha que parece não ter fim é muito maior que anteriormente estimada, lançando 800 mil litros diários do espesso e escuro óleo no mar, ameaça todo ecossistema da costa americana.
mancha de óleo A perigosa mancha sobre as águas do Oceano Atlântico é mortífera, pois impede que a luz passe pela água, sem luz não há vida! A luz é fator decisivo para que aconteça a fotossíntese, sem ela as plantas morrem, afetando a teia trófica (cadeia alimentar), consequentemente os animais e peixes morrem por falta de alimento. O desequilíbrio contamina água e solo, o óleo impregnado impede que aves voem e peixes respirem, pois têm suas brânquias afetadas.
O presidente Barack Obama ordenou o uso de "todos os recursos disponíveis" para combater o desastre. Enquanto se vê o estrago do problema superficial, a fonte está bem mais profunda, a mais de 1500 metros de profundidade, ali sem controle jorra e traz a morte.
A relação Luz e trevas sempre lembram vida e morte. A Palavra de Deus fala de trevas com referencia ao pecado e suas consequências, que igualmente trazem desgraças e mortes em todos os tempos; assim como o vazamento de petróleo, precisa ser contido em sua fonte, na causa inicial – no coração das pessoas. É nele que brotam tantas manchas e resultam nesta sociedade marcada pela imoralidade, roubos, crimes, mentira, avareza e orgulho humano (Marcos 7.21-23), que quando se dá conta, é como patinho cheio de óleo pegajoso, impedido de qualquer voo. Sem luz, morto. Para este problemão, para estancar a maldade que corre nas veias de todos e que resultam — na espessa mancha — amor excessivo ao dinheiro, raiz de todos os males e responsável pelas maiores tragédias (1ª Timóteo 6.10) Deus oferece luz, enviando o único recurso, para combater este desastre. Conforme anunciado pelo Profeta Isaías: “O povo que andava em trevas viu grande luz, e aos que viviam na região da sombra da morte, resplandeceu-lhes a luz” (9.2).
Enquanto nos atemos no que os olhos podem ver, ou só no que queremos ver e acreditar, a mancha de destruição do pecado provoca muitos vazamentos, entre eles o de lágrimas. Só em Cristo este pode ser controlado. O rei Davi depois da escuridão valorizou como nunca a luz: “Tu, Senhor, és a minha lâmpada; o Senhor derrama luz nas minhas trevas” 2º Samuel 22.29. Que por meio de Jesus, o céu se abra para ti também, trazendo-lhe nova vida!
Márlon Hüther Antunes
Teólogo e Pastor da Igreja Luterana
Maceió-AL

quinta-feira, 11 de agosto de 2011

Omissão paterna

No Domingo passado programas de televisão falaram sobre o aborto. Dias antes veículos de comunicação do mundo inteiro anunciavam a bárbara notícia de uma mulher que havia assassinado oito filhos recém nascidos e enterrado nos fundos de casa.
Ao comemorarmos mais um Dia dos Pais pergunto sobre onde estão os pais das crianças abortadas? E perguntei-me sobre o posicionamento do pai daquelas crianças assassinadas na França. Porém a própria reportagem que assisti trouxe a resposta – a repórter anunciou: “O marido da francesa alega que não sabia dos assassinatos.
É ironia demais! O marido não sabia das oito vezes em que a mulher esteve grávida? Não sabia onde haviam parado as crianças após o nascimento? Algumas mulheres que estavam ao redor observando e ouvindo a mesma notícia logo disseram: “Ah! É sempre assim! O Pai nunca sabe de nada!”
pais-e-filhos Ali estava um desabafo não apenas de “algumas” mulheres, mas, creio eu, de uma sociedade inteira que sofre de omissão paterna e clama: “O pai nunca sabe de nada!”
Sei que as grandes vítimas dessa omissão são os filhos, mas também entendo que os pais omissos igualmente acabam perdendo. Afinal, perdem de presenciar muitos milagres, perdem de participar e acompanhar uma vidinha crescendo, sorrindo, nos abraçando! Perdem muita coisa! Nesse mundo todos somos culpados e ao mesmo tempo todos somos vítimas, porém de uma coisa todos podem ter certeza – há uma Pai perfeito que sabe de tudo, que nos conhece por inteiro (Sl 139) e nos ama de maneira integral. Esse alguém é nosso Deus! Jesus nos ensinou a chamá-lo de Pai Nosso. A pessoa que conhece esse Deus pode repetir as palavras bíblicas que dizem: “Ainda que o meu pai e a minha mãe me abandonem, o Senhor cuidará de mim. (Sl 27.10).
Somente esse amor poderá cobrir e vencer as atrocidades desse mundo. Como diz a Escritura: “Nós amamos porque Deus nos amou primeiro. (1Jo 4.19).
O conselho para pais e filhos é que conheçam um pouco mais desse amor celeste. Pois é apenas nesse amor que deixaremos a “Omissão” e assumiremos nossa verdadeira “Missão”, como pais responsáveis ou como filhos obedientes. Que Deus nos abençoe!
Pastor Ismar Lambrecht Pinz 
Comunidade Cristo Redentor
04/08/2010
Pelotas-RS.

terça-feira, 9 de agosto de 2011

Não se esqueça do principal


Lembram daquele alpinista que cortou fora uma das mãos? Aron Ralston é o nome dele. Em 2003 ele caiu de uma montanha nos Estados Unidos e ficou com a mão direita presa entre as rochas. Depois de cinco dias agonizando, sozinho naquele deserto, precisou tomar a decisão mais radical da sua vida. "Eu consegui primeiro quebrar o rádio e minutos depois quebrei o cúbito na área do pulso", referindo-se aos dois ossos do antebraço. Para concluir o serviço, usou o seu canivete e finalmente ficou livre, livre para a vida.

Em outras situações não é a mão, mas coisas que persistem nas mãos e prendem o corpo à morte. Tais como a bebida, o cigarro, as drogas, o jogo, o volante perigoso do carro, o cartão de crédito, ou até mesmo a mão de outra pessoa. Às vezes é o próprio trabalho, a exemplo da operadora francesa France Telecom, onde nesta última segunda-feira ocorreu o 24º suicídio nos últimos 18 meses. Por isto, dependendo do caso, a decisão precisa ser tomada logo, antes que não haja mais tempo para a escolha. Foi o que fez o meu amigo Teno Luguesi, 69 anos. Devido à diabete, precisou amputar as duas pernas. Hoje ele está feliz da vida, igual ao alpinista. Afinal, quando existe chance para escolher entre a vida e a morte, a gente não pensa duas vezes.

"O que adianta alguém ganhar o mundo inteiro, mas perder a vida verdadeira?" (Marcos 8.36), pergunta Jesus. Por isto ele radicaliza: "Se uma das suas mãos faz com que você peque, corte-a fora! Pois é melhor você entrar na vida eterna com uma só mão do que ter duas e ir para o inferno" (Marcos 9.43). O problema não é o "mundo inteiro", mas a "vida verdadeira pela metade". Na verdade, tudo nesta vida terrena é presente do Criador. Mas quando este "mundo" prende a mão, o único jeito é cortar fora para ficar com o que interessa. E se o alpinista mais tarde confessou que não sabia de onde veio a coragem para livrar-se da mão, o seguidor do "Caminho, da Verdade e da Vida" sabe. Vem de cima.

A história da mulher com uma criança no colo bem que poderia ser uma parábola de Jesus. Ao passar diante de uma caverna, ouviu uma voz misteriosa: "Entre e pegue tudo o que você desejar, mas não se esqueça do principal. Lembre-se, porém que depois de sair, a porta se fechará para sempre". A mulher entrou e encontrou muitas riquezas. Fascinada, ajuntou tudo o que podia no seu avental. E a voz misteriosa advertia: "Não se esqueça do principal". Carregada com ouro e pedras preciosas, correu para fora da caverna e a porta se fechou. Foi então que ela lembrou-se do principal: o filho que carregava no colo tinha ficado lá dentro.

Igreja Evangélica Luterana do Brasil
Comunidade São Paulo, Novo Hamburgo, RS
1º de outubro de 2009

segunda-feira, 8 de agosto de 2011

Um grande zero

Trinta e três trilhões de dólares – em algarismos, 33.000.000.000.000. São vários zeros para descrever o prejuízo das ações nas bolsas de valores pelo mundo nos últimos dias. A quantia de dinheiro é tão grande, que só mesmo comparando com alguma coisa. Por exemplo, com o Produto Interno Bruto brasileiro (PIB) que no ano passado
totalizou 2,558 trilhões de reais. Isto quer dizer que as perdas nas bolsas engoliram 30 anos das riquezas de um Brasil. Não entendo nada de economia, tanto que faço um esforço danado para cuidar das minhas contas. Mas entendo o que Paulinho da Viola canta: “Dinheiro na mão é vendaval, é vendaval. Na vida de um sonhador, de um
sonhador, quanta gente aí se engana e cai da cama com toda ilusão que sonhou. E a grandeza se desfaz quando a solidão é mais – alguém já falou.”
Por falar em dinheiro, quanto vale o corpo humano? Um bioquímico separou os “ingredientes” essenciais do corpo de uma pessoa de 70 quilos e fez o seguinte cálculo conforme os preços no mercado: 13,2 quilos de DNA placentário = 9,7 milhões de reais; 14 quilos de ácido esteárico = 400 reais; 11 quilos de albumina de soro bovino = 38 mil reais; 3,9 quilos de fosfatos de cálcio, magnésio, zinco, cloretos de sódio e potássio = 1.050 reais; 1,1 quilo de amido = 410 reais; 40 litros de água mineral = 15 reais; total = 9 milhões e 740 mil reais. É uma conta que pode
ajudar pessoas que pensam que não valem nada. Mas isto também é vendaval. Ou pior, é o que se faz por aí na medicina, no comércio de órgãos humanos e na prostituição.
Mas quanto vale mesmo um ser humano? Jesus, que deu a vida para pagar o preço (1 Coríntios 7.23), e foi vendido por trinta moedas de prata – uns mil reais –
responde que o ser humano vale mais do que todas as riquezas do mundo inteiro.
“Não há nada que poderá pagar para ter de volta essa vida”,
complementa o Senhor (Mateus 16.26). E se o assunto é dinheiro e valor, o Salvador faz uma comparação interessante:
“Por acaso não é verdade que cinco passarinhos são vendidos por algumas moedinhas? No entanto Deus não esquece nenhum deles. Até os fios dos cabelos de vocês estão todos contados. Não tenham medo, pois vocês valem mais do que muitos passarinhos!” (Lucas 12.6,7).
Enquanto isto o salmista pergunta:
“Ó Senhor, que é um simples ser humano para que penses nele? Que é um ser mortal para que te preocupes com ele? No entanto, fizestes o ser humano inferior somente a ti mesmo e lhe deste a glória e a honra de um rei” (Salmo 8).
Pois é bom às vezes deixar a calculadora de lado, as preocupações econômicas – e definitivamente a ganância, e refletir no real valor da vida, minha e dos outros. Deixar de olhar para aquilo que as pessoas têm, e ver aquilo que elas são. E assim descobrir que um pé de chinelo pode valer muito mais que um “dono do mundo” que não sabe onde meter a sua fortuna. Porque, no final das contas, tudo vai virar um grande zero.

Marcos Schmidt
Pastor luterano
Igreja Evangélica Luterana do Brasil
Comunidade São Paulo, Novo Hamburgo-RS
13 de novembro de 2008

domingo, 7 de agosto de 2011

Desculpas para não ir à Igreja - 015

Muito “sem roupa” para ir à igreja.

19095406_1Veja nos menus acima, onde encontrar uma igreja luterana no Brasil.
E ao lado, confira o horário do próximo culto na Castelo Forte de Nova Venécia-ES..

sexta-feira, 5 de agosto de 2011

Teologia do Chamado - opinião minoritária 2

Como o artigo publicado ontem, o presente texto é uma tradução de documentos da LCMS (Lutheran Church Missouri Synod). Enquanto, porém, o primeiro era menor, este aqui é muito extenso. Mas como houve e há muita procura pelo assunto, resolvi publicar a tradução enquanto a estou concluindo.
Conforme for traduzindo novas páginas, vou atualizando este documento. Não precisa procurar em outro lugar, esta postagem sempre trará a versão mais atual do documento.
Até o presente momento traduzi 9 das 29 páginas e, quando terminar estas duas opiniões minoritárias, pretendo também concluir a tradução do Parecer Oficial.

Morto absolve acusado de seu próprio assassinato

espirita1 O filme “Chico Xavier” esteve por mais de três semanas consecutivas no topo das bilheterias nacionais. Em 20 de abril, O Globo já havia registrado mais de dois milhões de ingressos vendidos. Um “sucesso nacional” segundo um espectador.
O espiritismo é, sem sombra de dúvidas, um sucesso nacional brasileiro. Nem na França, onde Alan Kardec escreveu o Livro dos Espíritos, existem tantos adeptos e simpatizantes quantos no Brasil hoje, que chega a quase 2,3 milhões.
O filme, apesar de transbordante de amor, me lembrou dos velhos filmes de bang-bang. Existe um vilão e um mocinho. Quem assistiu ao filme, pôde perceber quem é quem. O padre intolerante e ignorante e um órfão dotado de poderes os quais ele não pode esconder ou guardar para si. Até o nome de seu guia espiritual sugere a proximidade com o divino: Emanuel – Deus conosco. E o melhor de tudo é que não precisamos deixar o cristianismo de lado para seguirmos o espiritismo. Pra falar a verdade, quem necessita de um salvador, já que podemos reencarnar quantas vezes forem necessárias?
espiritoTudo isto pode soar muito atrativo, mas a coisa muda quando verificamos com cautela o “verdadeiro” vilão da história (se é que podemos usar esse termo e não sermos tachados de “intolerantes ou ignorantes”). O Espírito de Deus diz claramente que, nos últimos tempos, alguns abandonarão a fé. Eles darão atenção a espíritos enganadores e a ensinamentos que vêm de demônios (1 Tm 4.1).
Mas como é que um demônio pode ditar uma carta com tantos detalhes sobre a vida dos vivos? Por que estas cartas servem de consolo, mesmo que um consolo passageiro? Como pode um demônio ter poder de, através de uma simples carta do além, inocentar um criminoso que, acidentalmente, atirou no seu melhor amigo? Paulo diz: isso não é de admirar, pois até Satanás pode se disfarçar e ficar parecendo um anjo de luz (2 Co 11.4).
espiritismo888É difícil ser cristão e espírita ao mesmo tempo. Um é oposto ao outro. Para que um possa ser o mocinho o outro tem que, necessariamente, ser o vilão. Nesse filme, um morto inocentou um vivo, mas no nosso filme, um ressurreto inocentou multidões de mortos.
Chico Xavier disse: Embora ninguém possa voltar atrás e fazer um novo começo, qualquer um pode começar agora e fazer um novo fim. Nós cremos que só Cristo, por graça e por amor, nos deu um novo começo e nos assegurou um fim que nos dá um propósito para vivermos esta vida. Não é um fim falso ou apenas outra chance, mas um começo para o eterno. Eu sou a ressurreição e a vida. Quem crê em mim, ainda que morra, viverá; e todo o que vive e crê em mim não morrerá, eternamente. Crês isto? (Jo 11.25,26).
Otto Neitzel, pastor
Igreja Evangélica Luterana do Brasil
Comunidade Luterana da Cruz

quinta-feira, 4 de agosto de 2011

Teologia do Chamado - opinião minoritária 1

Como o título diz, esta é uma opinião minoritária, assinada por apenas uma pessoa. Ainda há o documento oficial da LC-MS e outra opinião minoritária, que estou traduzindo e, quando pronta, será postada aqui.

Teologia do Chamado

Muita coisa está em transição na Igreja, e uma delas é a questão do Chamado Pastoral.
Começo hoje a publicar material que traduzi (com ajuda de colegas) para servir de apoio a estudo do assunto.
O documento aqui é da Lutheran Church Missouri Synod (LCMS).

Abaixo a "biblioteca" onde serão publicados os outros documentos referentes ao tema.
Na próxima postagem publicarei apenas o documento pronto. A biblioteca fica como referência para todas as publicações deste conteúdo.

Pingos de Conhecimento Litúrgico 003 - O altar

O altar:
Em posição central como o crucifixo, normalmente em um plano elevado, é a mesa onde Jesus Cristo, com seu corpo e sangue, sob os elementos visíveis da Santa Ceia, se faz presente para nós. Toalhas limpas, paramentos trabalhados e nas cores litúrgicas, flores e velas querem destacar esse lugar onde Deus marca sua presença real no sacramento e de onde ele nos assegura o perdão dos pecados. Quando encontramos no altar também a Escritura Sagrada, somos lembrados da importância da Palavra de Deus para a fé da sua igreja.altar

quarta-feira, 3 de agosto de 2011

Pingos de Conhecimento Litúrgico 002 – O Crucifixo

cristo_crucificado O crucifixo ou a cruz:
em posição central, que atrai o olhar do participante do culto, é um testemunho claro sobre a fé e a doutrina que habitam na Casa do Senhor. Na igreja cristã e, por isso, na igreja luterana, está em evidência a palavra do apóstolo Paulo de 1Co 2.2: “Porque, quando estive com vocês, resolvi esquecer tudo, a não ser Jesus Cristo e principalmente a sua morte na cruz”

terça-feira, 2 de agosto de 2011

Mundo hospício


Qualquer coisa pode virar doença compulsiva. Por exemplo, este famoso médico de fertilização acusado de estupro. Teria abusado a primeira vez, depois a segunda e nunca mais parou com suas perversões. Algo parecido na política onde a tara é a mentira e os violentados são o povo. Mentem uma vez, depois outra e mais outra, e no final vira obsessão. Este tipo de doença a gente vê na política, nas profissões, na religião. E pensando bem, ninguém escapa, porque de louco todos têm um pouco. São as fraquezas de cada um que Freud não explica. Na verdade, a constante luta que qualquer ser humano enfrenta é manter este maníaco bem acorrentando dentro de si. Uma batalha cada vez mais difícil numa sociedade onde "tudo está liberado" e os valores morais viraram chacota. 
E se agora estamos tão preocupados com bactérias, vírus e outros bichinhos que andam por aí nas maçanetas, carrinhos de supermercados, nos recintos fechados, é preciso se dar conta que existe coisa mais letal e que álcool gel não resolve. Aliás, se a recomendação é lavar bem as mãos, o costume é dos tempos bíblicos e ajudou os judeus contra doenças da época. Só que virou obsessão compulsiva religiosa, e por isto duramente criticada por Jesus. Escreve o evangelista que os fariseus e os mestres da Lei ficaram de cabelo em pé quando viram os discípulos do Mestre comer com mãos impuras. O Salvador não deixou por menos: "Hipócritas (...) Tudo o que vem de fora e entra numa pessoa não faz com que ela fique impura, mas o que sai de dentro (...) Porque é de dentro, isto é, do coração que vêm os maus pensamentos, a imoralidade sexual, os roubos, os crimes de morte, os adultérios, a avareza, as maldades, as mentiras, as imoralidades, a inveja, a calúnia, o orgulho, e o falar e agir sem pensar nas consequências" (Marcos 7.1-21).

Ao perceber que muita gente não tinha controle de seus atos e vivia totalmente entregue aos vícios (Efésios 4.19), o apóstolo recomendou um remédio eficaz: "É preciso que o coração e a mente de vocês sejam completamente renovados. Vistam-se com a nova natureza criada por Deus" (Efésios 4.23,24). Paulo fala de experiência própria ao confessar: "Eu era tão fanático que persegui a igreja" (Filipenses 3.6). Ele havia transformado a religião numa obsessão e por isto precisou jogar tudo fora para "poder ganhar a Cristo" (Filipenses 3.8) e ter uma mente sadia.

Neste mundo hospício onde é fácil ficar louco, vale a recomendação: "Encham a mente de vocês com tudo o que é bom e merece elogios, isto é, tudo o que é verdadeiro, digno, correto, puro, agradável e decente". (Filipenses 4.8).


Marcos Scmidt
Pastor luterano
Igreja Evangélica Luterana do Brasil
Comunidade São Paulo, Novo Hamburgo-RS
27 de agosto de 2009.

segunda-feira, 1 de agosto de 2011

Felicidade

Semana passada aconteceu em São Paulo a I Conferência Nacional sobre Felicidade Interna Bruta – FIB. Vários especialistas do mundo e ONGs brasileiras debateram neste encontro sobre o que faz alguém ser feliz. Segundo a antropóloga norte-americana Susan Andrews que palestrou no encontro, pessoas felizes têm sistemas imunológicos mais fortes, vivem mais tempo, têm melhor desempenho no trabalho, são mais capazes de lidar com situações difíceis, têm melhores casamentos, se saem melhor nas entrevistas de emprego, têm maior capacidade de liderança, são mais sociáveis e despertam mais empatia nas outras pessoas. Apesar do dinheiro não tornar as pessoas mais felizes, ela explica que o conceito de felicidade não implica em negar o progresso material, mas ter uma vida equilibrada entre as coisas materiais com amorosos relacionamentos e paz interior.
A psicóloga Carla Lauffer, na palestra que assisti “Felicidade Autêntica” (baseada no livro do mesmo nome de Martin Seligman), explica que “ser feliz” tem grande relação com a maneira de se enfrentar os problemas. “Os pessimistas têm um modo pernicioso de explicar seus reveses e frustrações, enquanto os otimistas têm uma força que lhes permite interpretar os reveses como resultantes de circunstâncias temporárias”. Entendo que neste mundo onde todos indistintamente passam por situações ruins, o segredo da felicidade está na “esperança”. E aqui entra o meu campo, a religião. Porque segundo pesquisas sobre os efeitos psicológicos da fé, as pessoas religiosas são fisicamente mais saudáveis e vivem mais tempo. Isto quer dizer que pessoas religiosas são mais felizes, e se são mais felizes é porque têm esperança. No entanto, creio que dependendo da religião a pessoa pode ser extremamente infeliz.
A Bíblia fala bastante sobre a felicidade. Diz que quem confia em Deus é feliz (Provérbios 16.20). Jesus, depois de mencionar as famosas “bem-aventuranças” (ou “a verdadeira felicidade” na Bíblia da linguagem de hoje), lembra:
“Fiquem alegres e felizes, pois uma grande recompensa está guardada no céu para vocês” (Mateus 5.12).
Mas será que o cristão deve enxergar tudo na expectativa do céu? E as conquistas aqui neste mundo terreno? Na verdade, não é preciso se desligar das coisas materiais para ser feliz – ter uma vida contemplativa. Como explica a antropóloga, é preciso equilíbrio. Uma harmonia que tem um segredo: confiança em Deus. É nesta direção que Jesus explica, após falar das bem-aventuranças:
“Não fiquem preocupados com o dia de amanhã, pois o dia de amanhã trará as suas próprias preocupações” (Mateus 6.34).
Se alguém me perguntar: Marcos, tu és feliz? Responderei: Sim, eu sou feliz! Não só pela certeza daquilo que me está reservado lá do outro lado, mas por tantas coisas do lado de cá. Aliás, “contentamento” vem daquilo que disse o apóstolo:
Aprendi o segredo de me sentir contente em todo lugar e em qualquer situação (Filipenses 4.12).
Marcos Schmidt
Pastor luterano
Igreja Evangélica Luterana do Brasil
Comunidade São Paulo, Novo Hamburgo-RS
06 de novembro de 2008