sexta-feira, 12 de agosto de 2011

Uma mancha de destruição

O petróleo que vaza desde o último dia 22, depois da explosão da plataforma da British Petroleum (BP), e que afundou no Golfo do México, vem provocando um dos maiores desastres ecológicos da história. A mancha que parece não ter fim é muito maior que anteriormente estimada, lançando 800 mil litros diários do espesso e escuro óleo no mar, ameaça todo ecossistema da costa americana.
mancha de óleo A perigosa mancha sobre as águas do Oceano Atlântico é mortífera, pois impede que a luz passe pela água, sem luz não há vida! A luz é fator decisivo para que aconteça a fotossíntese, sem ela as plantas morrem, afetando a teia trófica (cadeia alimentar), consequentemente os animais e peixes morrem por falta de alimento. O desequilíbrio contamina água e solo, o óleo impregnado impede que aves voem e peixes respirem, pois têm suas brânquias afetadas.
O presidente Barack Obama ordenou o uso de "todos os recursos disponíveis" para combater o desastre. Enquanto se vê o estrago do problema superficial, a fonte está bem mais profunda, a mais de 1500 metros de profundidade, ali sem controle jorra e traz a morte.
A relação Luz e trevas sempre lembram vida e morte. A Palavra de Deus fala de trevas com referencia ao pecado e suas consequências, que igualmente trazem desgraças e mortes em todos os tempos; assim como o vazamento de petróleo, precisa ser contido em sua fonte, na causa inicial – no coração das pessoas. É nele que brotam tantas manchas e resultam nesta sociedade marcada pela imoralidade, roubos, crimes, mentira, avareza e orgulho humano (Marcos 7.21-23), que quando se dá conta, é como patinho cheio de óleo pegajoso, impedido de qualquer voo. Sem luz, morto. Para este problemão, para estancar a maldade que corre nas veias de todos e que resultam — na espessa mancha — amor excessivo ao dinheiro, raiz de todos os males e responsável pelas maiores tragédias (1ª Timóteo 6.10) Deus oferece luz, enviando o único recurso, para combater este desastre. Conforme anunciado pelo Profeta Isaías: “O povo que andava em trevas viu grande luz, e aos que viviam na região da sombra da morte, resplandeceu-lhes a luz” (9.2).
Enquanto nos atemos no que os olhos podem ver, ou só no que queremos ver e acreditar, a mancha de destruição do pecado provoca muitos vazamentos, entre eles o de lágrimas. Só em Cristo este pode ser controlado. O rei Davi depois da escuridão valorizou como nunca a luz: “Tu, Senhor, és a minha lâmpada; o Senhor derrama luz nas minhas trevas” 2º Samuel 22.29. Que por meio de Jesus, o céu se abra para ti também, trazendo-lhe nova vida!
Márlon Hüther Antunes
Teólogo e Pastor da Igreja Luterana
Maceió-AL