domingo, 28 de fevereiro de 2010

Jerusalém, Jerusalém…

Jeremias 26.8-15
2º Domingo na Quaresma

Que a graça do Senhor Jesus Cristo, o amor de Deus e a presença do Espírito Santo estejam com todos vocês! (2Co 13.13).

Queridos irmãos em Cristo.

A paz do Senhor seja com todos vocês.

Nosso Salvador Jesus, no texto do Evangelho, começa a ser perseguido por pessoas que não gostavam de seu trabalho. No caso, aparecem, alguns fariseus e mandam dizem que Herodes estava procurando matar Jesus.

Logo em seguida Jesus reflete sobre o que Jerusalém faz com seus profetas.

Diz o Senhor, no versículo 34: “Jerusalém, Jerusalém, que mata os profetas e apedreja os mensageiros que Deus lhe manda! Quantas vezes eu quis abraçar todo o seu povo, assim como a galinha ajunta os seus pintinhos debaixo das suas asas, mas vocês não quiseram!”

Que coisa triste!

Que pensamento mais desesperador!

Deus envia os profetas, mas o povo não ouve. O povo não volta de seu mau caminho.

Certamente Jesus estava pensando, entre os profetas perseguidos, também em Jeremias. Nosso texto base de hoje. Mas para entender a reação do povo à mensagem de Jeremias, que nós lemos há pouco, precisamos conhecer o que Jeremias anunciava.

Está ali, no capítulo 25, versículos 30 e 31:

“O Senhor vai trovejar lá do céu e falar lá do lugar santo onde mora. Ele trovejará contra o seu povo, gritará como aqueles que pisam uvas para fazer vinho. E todos na terra o ouvirão. O estrondo será ouvido no mundo inteiro, pois Deus tem uma acusação para fazer contra as nações. Ele julgará todas as pessoas e matará os maus. O Senhor Deus está falando.”

Continua, versículo 33: “Naquele dia, os corpos daqueles que o Senhor matou serão espalhados pelo mundo inteiro. Ninguém chorará por eles. Os corpos deles não serão recolhidos, nem sepultados: ficarão largados no chão, como esterco.”

É um cenário de guerra. Cenário que ficou quando Israel foi tomada por Nabucodonosor. E era essa a mensagem contra a idolatria de Israel.

Mas em vez de darem mostras de arrependimento, eles resolvem agredir o profeta. E o próprio Jeremias nos contou (26.8): “Logo que acabei de falar tudo o que o Senhor tinha mandado, os sacerdotes, os profetas e o povo me agarraram e gritaram: —Você vai morrer por causa disso!”

É uma reação errada. Mas uma reação comum ao ser humano.

Quando Adão e Eva pecaram, fugiram de Deus, se escondendo entre as árvores do Jardim.

Quando Caim matou Abel, ficou bravo porque o Senhor lhe perguntou: “onde está seu irmão?”

Quando o Jovem Rico encontrou-se com Jesus, disse que cumpria todas as leis de Deus, mas ao ser contestado, preferiu ficar com suas riquezas e afastar-se do Senhor.

Nós queremos fugir. Queremos calar a boca que nos mostra nosso erro. E esta é a reação típica do ser humano. Mas não está correta.

É uma atitude ignorante.

Vejamos o que diz Salomão, inspirado por Deus:

“Nunca repreenda uma pessoa vaidosa; ela o odiará por isso. Mas, se você corrigir uma pessoa sábia, ela o respeitará.” (Pv 9.8)

“Quem tem juízo aceita os bons conselhos; quem não tem cuidado com o que diz acaba na desgraça.” (Pv 10.8)

“O tolo pensa que sempre está certo, mas os sábios aceitam conselhos.” (Pv 12.15)

“Quem é sábio procura aprender, mas os tolos estão satisfeitos com a sua própria ignorância.” (Pv 15.14)

E: “Para ser sábio, é preciso primeiro temer a Deus, o Senhor. Se você conhece o Deus Santo, então você tem compreensão das coisas.” (Pv 9.10)

Sabedoria é um dom do Espírito Santo. E o Senhor nos dará sabedoria para reconhecer nossos pecados. Para agir serenamente na hora de pedir perdão e perdoar aos que pecam contra nós.

Aquelas pessoas não mataram Jeremias. Mas não deram ouvidos à mensagem que ele trazia. Diziam que era mensagem de homens, mesmo que ele tenha provado o contrário.

O povo preferia continuar acreditando nos seus profetas.

Eles escolhiam para si, profetas e sacerdotes que diziam o que eles queriam ouvir. Quando o Senhor mandava anunciar guerra, os profetas do povo anunciavam paz e prosperidade.

Quando Hananias (um dos profetas do povo) promete vitórias, Jeremias diz: “Como seria bom que isso acontecesse! Espero que o Senhor Deus faça isso. Espero que ele faça tudo como você disse e traga de volta da Babilônia todos os tesouros do Templo e também todos os prisioneiros.” (28.6)

Nessa discussão, Hananias tirou uma canga que Jeremias usava (canga é um instrumento pesado, usado para colocar dois animais juntos para o trabalho). Hananias fez isso para mostrar que o Senhor libertaria o povo do jugo de Nabucodonosor. Hananias quebrou a canga que simbolizava Nabucodonosor e livrou Jeremias, o profeta, que representava o povo em seu sofrimento. O povo de Israel deve ter ido ao delírio naquele momento.

lobo em pele de ovelha Mas Jeremias tinha que dar a mensagem verdadeira e disse: “Você quebrou uma canga de madeira, mas eu vou colocar em lugar dela uma canga de ferro.” E assim anunciava que o castigo seria ainda pior. Porque além de não darem ouvidos ao Senhor, o povo ainda se afastava mais e mais, crendo nos falsos profetas.
Olhando hoje, talvez nunca na história da humanidade tenha se falado tanto no nome de Jesus. Uma busca rápida, na internet, pelo nome de Jesus, aparecem aproximadamente 168 milhões de resultados. Talvez nunca tenham existido tantos se apresentando como profetas do Senhor e prometendo aquilo que o povo quer ouvir.
Mas Jeremias respondeu a Hananias e responde a todos os profetas da felicidade fácil: “o profeta que profetiza a paz só pode ser aceito como profeta mandado por Deus quando as palavras dele se cumprem.” (28.9).

Queridos irmãos, vamos olhar com toda a seriedade para esta atitude do povo de Israel. Eles querem permanecer no seu pecado e por isso recusam escutar as palavras de Deus, por meio de Jeremias.

O fim desta história é triste.

O povo não voltou para Deus e, por fim, Nabucodonosor veio sobre eles e destruiu suas casas, seu templo e toda a vida deles. Jeremias pregou e foi perseguido por cerca de 40 anos, até que Jerusalém foi destruída. Junto com Jeremias vieram ainda outros profetas: Sofonias, Habacuque, Ezequiel... E o povo não ouviu a nenhum deles.

Preferiu continuar em seus pecados.

O chamado do Senhor é para nós também:

Voltem dos seus pecados e creiam em Jesus Cristo.

Jesus que continua olhando por sobre nossas vidas e quer nos ajuntar como a galinha ajunta os seus pintinhos. Para nos dar segurança. Para nos proteger. Para nos perdoar e salvar.

Que a mensagem da Quaresma nos lembre que o Senhor ainda não desistiu de nós. Ele nos adverte por meio de sua palavra. Ele nos chama à fé e nos dará a vida eterna. Se o Senhor nos mostra o pecado, não é para nos deixar pra baixo ou para nos jogar na cara. Ele mostra o pecado e diz, vem que eu te perdoo. Volte para mim e você será meu.

Pois todos aqueles que creem em Jesus Cristo têm a Salvação.

Amém.

E a paz de Deus, que ninguém consegue entender, guardará o coração e a mente de vocês, pois vocês estão unidos com Cristo Jesus. Amém. (Fp 4.7)

Pastor Jarbas Hoffimann – Nova Iguaçu-RJ

Glórias Somente a Deus

sábado, 20 de fevereiro de 2010

Rasguem o coração

Joel 2.12-19
1º Domingo na Quaresma

Que a graça do Senhor Jesus Cristo, o amor de Deus e a presença do Espírito Santo estejam com todos vocês! (2Co 13.13).

Queridos irmãos em Cristo.

A paz do Senhor seja com todos vocês.

Há duas semanas lemos o texto de Isaías, capítulo 6, versículos 1 a 13. Era o texto do chamado a Isaías. Deus o convocava para ser seu profeta. E também, junto com isso, lhe dava a mensagem para pregar.

Se vocês bem lembram, a mensagem era dura: “‘Vocês podem escutar o quanto quiserem, mas não enxergarão nada.’ Isaías, faça com que esse povo fique com a mente fechada, com os ouvidos surdos e com os olhos cegos, a fim de que não possam ver, nem ouvir, nem entender.” (Is 6.9-10).

A função de Isaías era ser o profeta anunciando o castigo. Não um castigo do qual ainda houvesse escapatória, mas o castigo iminente.

Essa mensagem foi dada, cerca de 750 anos a.C. E depois dessa mensagem, Israel caiu. O país foi destruído.

Primeiro o Reino do Norte, caiu diante dos Assírios, em 721 a.C. E Isaías viu a queda.

130 anos depois, caiu também o reino do sul. Judá foi conquistada pela Babilônia.

Cumpriam-se assim as profecias de que o povo perderia sua terra. Pois este povo tinha quebrado a aliança com Deus. E mesmo Deus enviando profeta após profeta, o povo resistiu e não voltou para Deus.

Mas hoje, queremos estudar o texto de Joel, capítulo 2, versículos 12 a 19. Um texto que se passa em outro período. Cerca de 400 anos a.C. Mais ou menos 300 anos depois de Isaías.

Judá voltava do exílio e muitos trabalhavam na reconstrução to Templo, e de tudo mais que tinha sido destruído. Pouco a pouco as pessoas voltaram. Reconstruíram o país e suas vidas.

A mensagem de Joel vem quando o povo já estava há um bom tempo de volta. E pelas palavras do profeta se pode perceber que o povo já estava se afastando de Deus novamente. Tinha esquecido o tempo de exílio. O tempo em que tinham saudades do templo e de andar pela sua própria terra. Agora, de volta, pelo poder de Deus, o povo esquece o passado e, em meio à alegria de estar em casa, se afasta do Senhor novamente.

A missão de Joel é anunciar que o povo se arrependa. Pois se eles voltarem para o Senhor, o castigo, que já começou, será terminado.

Notem a diferença entre Joel e Isaías.

Isaías anunciou um castigo iminente, enquanto Joel diz que ainda há salvação. Pois se o povo voltar à aliança com o Senhor, o Senhor o abençoará novamente.

E Joel traz uma mensagem de chamado ao arrependimento e ao compromisso com Deus: “voltem para mim com todo o coração” (v. 12).

E o profeta ainda lembra: “Voltem para o Senhor, nosso Deus, pois ele é bondoso e misericordioso; é paciente e muito amoroso e está sempre pronto a mudar de ideia e não castigar.” (v. 13).

É muito importante meditarmos com este texto. Uma vez que acabamos de passar pelo Carnaval e agora estamos no período de Quaresma.

tirar a máscara Para muitos o Carnaval é a oportunidade de colocar máscaras e se esconder na multidão. Não é aquele Carnaval do sambódromo, onde as pessoas fazem de tudo para aparecer e conseguir alguma fama.
Para muitos o Carnaval é oportunidade de colocar uma máscara e se entregar ao pecado. Mesmo que a máscara seja apenas uma viagem para onde ninguém nos conhece.
A máscara tem o intuito de esconder a pessoa. Bandidos usam máscaras. Ou agem no escuro, para não serem vistos. Muitos cristãos, mascaram o coração, pensando poder se esconder de Jesus. Assim como fez Jonas, que para fugir da tarefa de Deus, escondeu-se num navio que ia justamente para o lado contrário, de onde Deus o mandou ir pregar arrependimento.
Quantas vezes queremos fugir de Deus para não ouvir que somos pecadores! Quantas vezes queremos mascarar nossos corações! Quantas vezes, em silêncio, deixamos o pecado nos dominar!...

Muitas.

E se persistimos no pecado, estamos quebrando a aliança com Deus. Não a Antiga Aliança, firmada na promessa do Messias, mas a Nova Aliança, firmada no Sangue do Messias.

O chamado de Joel não é apenas para os Judeus. É especialmente para nós. E nada é mais importante que o chamado a Deus.

Vejam quanta ênfase o Senhor apresenta a Joel, para que ele diga ao povo:

rasgar coração “rasguem o coração”, não apenas as roupas. É uma mudança interna, não apenas externa, como fazem muitos, fingindo arrepender-se.
“Toquem as trombetas no monte Sião” ... “convoquem o povo para se reunir no Templo!” (v. 15) É pra todo mundo saber e todo mundo está convocado, não simplesmente convidado. Não é hora de falso arrependimento. Aliás, aquele onde habita o Espírito Santo, não pode ter falso arrependimento.
O chamado é tão importante, que todos devem vir:
“Reúnam todo o povo... Que venham todos, velhos e crianças e até criancinhas de peito! Que os recém-casados saiam de casa.” (v. 16) Ninguém deve ficar de fora, nem mesmo quem tenha alguma dificuldade, seja ela velhice, casamento, ou pouca idade. Todos devem se apresentar.
E o chamado mais duro é aos sacerdotes. Eles intercederão em favor de todo o povo. Assim, o Senhor, “talvez” (v. 14) mude de ideia e não mande mais o castigo.

Num primeiro momento a palavra “talvez” pode causar estranheza. Afinal pra que Deus pede arrependimento se ele, só “talvez” vai mudar de ideia?

E que o povo estava tão contaminado, que esta pode ser a última mensagem antes do castigo pior. Pois já havia castigo nas colheitas e na vida cotidiana. Se o povo se arrepender e voltar ao Senhor, “talvez” ele desista do castigo.

Se pode parecer duro este “talvez”, por outro lado, vemos quão grande é a misericórdia do Senhor. Pois o povo tinha voltado do Exílio. Tinha reconstruído o país, e, em vez de fidelidade, eles dá as costas para Deus, indo atrás de outros deuses. O que esse povo merece? Castigo.

Mas não...

Deus ainda manda os profetas e diz o que fazer para que o castigo pare. E, ouvindo o chamado de Joel, o povo volta ao Senhor.

Então entendemos a grande misericórdia do Senhor, pois nosso texto, lido hoje, termina assim: “Então o Senhor mostrou o seu grande amor para com a sua terra e teve pena do seu povo. E respondeu: ‘Agora, vou lhes dar cereais, vinho e azeite; assim vocês comerão e ficarão satisfeitos. Nunca mais deixarei que os outros povos caçoem de vocês.” (vv. 18-19)

E quanto a nós!

O que é preciso acontecer para que andemos sempre com o Senhor?

Ele está chamando: voltem do seu pecado, corrijam a vida e andem no meu caminho.

Creiam em Jesus Cristo, que se sacrificou para que vocês tenham a salvação e ressuscitou para que tenham a vida eterna.

E para isso ele enviou o Espírito Santo, como prometido pelo próprio profeta Joel:

“eu derramarei o meu Espírito sobre todas as pessoas: os filhos e as filhas de vocês anunciarão a minha mensagem; os velhos sonharão, e os moços terão visões. Até sobre os escravos e as escravas eu derramarei o meu Espírito naqueles dias.” (vv. 28-29).

E isso tudo se cumpriu quando o Senhor Jesus veio ao mundo.

Portanto, queridos irmãos, não se afastem do Senhor, pois todos que creem em Cristo receberam o Espírito Santo. E as obras de arrependimento que o Senhor espera de nós, são guiadas pelo Espírito.

Rasguem o coração e voltem para Deus.

Pois assim o Senhor, não apenas “talvez” lhe dará a salvação, mas a salvação já é de todo aquele que crê em Jesus Cristo, nosso salvador. Amém.

E a paz de Deus, que ninguém consegue entender, guardará o coração e a mente de vocês, pois vocês estão unidos com Cristo Jesus. Amém. (Fp 4.7)

Pastor Jarbas Hoffimann – Nova Iguaçu-RJ

Glórias Somente a Deus

domingo, 14 de fevereiro de 2010

A desobediência de Moisés

Dt 34.1-12

Último Domingo após a Epifania

Transfiguração de Nosso Senhor

Que a graça do Senhor Jesus Cristo, o amor de Deus e a presença do Espírito Santo estejam com todos vocês! (2Co 13.13).

Queridos irmãos em Cristo.

A paz do Senhor seja com todos vocês.

Você sabia que Moisés foi sepultado por Deus?

moises e os dez mandamentos Pois esta é só uma das curiosidades da vida deste grande homem do Senhor. E está registrada no último capítulo do livro de Deuteronômio. Texto que nós ouvimos hoje.
O texto do Antigo Testamento, na forma que foi escolhido para hoje, quer apontar, entre outras coisas, que Moisés morreu. E que, no dia da Transfiguração de Jesus, ele voltou do seu descanso eterno, para confirmar, junto com Elias, que Jesus é mesmo o Messias.
Nós já estudamos várias vezes o texto da Transfiguração de Jesus, registrado em Lc 9. Por isso, hoje, vamos olhar mais de perto o texto da Morte de Moisés. E vamos fazer isso, olhando versículo a versículo, por isso, caso queiram, sugiro que abram suas bíblias em Deuteronômio 34.
O texto começa assim:
1Moisés foi das planícies de Moabe até o monte Nebo e subiu ao alto do monte Pisga, na altura de Jericó, que ficava no outro lado do rio. Dali o Senhor Deus lhe mostrou toda a terra de Canaã, isto é, o território de Gileade até a cidade de Dã, no Norte; 2o território das tribos de Naftali, Efraim e Manassés do Oeste; o território de Judá até o mar Mediterrâneo, no Oeste; 3a região sul e a planície que vai de Zoar até Jericó, a cidade das palmeiras.”

Deus leva Moisés a um monte e mostra a Terra Prometida a Abraão, Isaque e Jacó. Terra que fez os Judeus saírem do Egito e caminharem por 40 anos no deserto.

Agora era a hora de entrar na Terra. E o Senhor chama Moisés ao alto do monte e mostra toda a terra a ele. Toda a terra de Canaã.

Nosso texto segue:

4E Deus disse a Moisés:

– Eu jurei a Abraão, a Isaque e a Jacó que daria esta terra aos descendentes deles. Estou deixando que você a veja com os seus próprios olhos, mas você não vai entrar nela.”

Que coisa! Moisés vê a terra, mas não poderá entrar nela. Logo ele, que foi o heroi do povo. Por que Deus não o deixou entrar?

Vejamos as últimas ordens do Senhor a Moisés:

49– Vá até a serra de Abarim, aqui na terra de Moabe, e suba o monte Nebo, na altura de Jericó, que fica do outro lado do rio. Lá de cima você verá a terra de Canaã, que estou dando ao povo de Israel. 50Você vai morrer ali no monte, como Arão, o seu irmão, morreu no monte Hor. 51Vocês dois foram infiéis a mim diante do povo de Israel. Quando estavam perto das fontes de Meribá, não longe da cidade de Cades, no deserto de Zim, vocês dois me desrespeitaram. 52Por isso você verá de longe a terra que eu estou dando aos israelitas, porém não entrará nela.”

Moisés não podia entrar em Canaã. Quando ele foi ao monte já sabia disso. Porque ele tinha desobedecido a Deus.

A desobediência foi a uma ordem direta do Senhor, quando o povo passava sede. O Senhor disse a Moisés:

“Pegue o bastão que está em frente da arca da aliança, e depois vocêmoises e a pedra que verteu agua e Arão reúnam o povo. E na  frente de todos eles dêem ordem à rocha, e dela sairá água.” (Nm 20.8). Porém Moisés em vez de ordenar à pedra ele bateu nela com o seu bastão.
Pela misericórdia do Senhor, a pedra verteu água, mesmo assim, mas Moisés desobedeceu a Deus e, por causa disso, foi impedido de entrar na terra prometida.
Seguindo, nosso texto diz:
5Assim Moisés, servo do Senhor Deus, morreu na terra de Moabe, conforme o Senhor tinha dito. 6Deus o sepultou ali, num vale que fica em frente da cidade de Bete-Peor. Até hoje ninguém sabe onde ele foi sepultado. 7Moisés tinha cento e vinte anos quando morreu, mas ainda enxergava bem e tinha boa saúde. 8Ali nas planícies de Moabe os israelitas choraram a morte de Moisés trinta dias, até terminar o tempo de luto.”
Tinha morrido o grande líder.
Aquele que foi a mão de Deus para libertar o povo.
Aquele que, sob as ordens de Deus, abriu o mar, fez chover comida e aparecer animais para comer. Que sustentou o povo na guerra, sendo seu fiel defensor diante do Senhor, mesmo quando o povo caía em pecado.
Mas Deus não deixa o povo sozinho. Ele providenciou outros para guiarem o povo. Porque agora estava para começar a conquista da terra prometida.

Não seria simplesmente chegar e entrar, como em uma casa vazia. Havia moradores nos países, mas a terra foi prometida aos Israelitas. E para guiar o povo na campanha de conquista o Senhor mandou Moisés escolher Josué.

Nosso texto diz:

9Moisés havia escolhido Josué, filho de Num, para ficar no seu lugar. Ele pôs as mãos sobre a cabeça de Josué, que assim ficou cheio de sabedoria. Os israelitas obedeceram a Josué e cumpriram todas as leis que o Senhor Deus lhes tinha dado por meio de Moisés.”

Sob as ordens de Josué, guiado pelo Senhor, o povo de Israel conquistou a terra prometida a Abraão, Isaque e Jacó. Porém, nosso texto também afirma:

10Nunca mais apareceu em Israel um profeta como Moisés, com quem o Senhor falava face a face. 11Nunca houve ninguém que fizesse maravilhas e milagres como aqueles que Moisés, obedecendo à ordem do Senhor, fez no Egito contra o seu rei, os seus oficiais e todo o seu povo. 12Nunca houve outro profeta que fizesse os milagres e as coisas espantosas que Moisés fez com grande poder na presença do povo de Israel.”

Nunca mais... Até chegar Jesus, como o próprio Moisés profetizou a seu povo.

Vocês sabem como esta história continua: o povo entra na terra, constroi cidades. É regido por juízes e depois por reis. Há guerras entre eles. O reino se divide e, por fim, é destruído. Tudo, porque aquele povo chamado de “povo de Deus” afastou-se do Senhor. E seguiu falsos deuses. Desobedecendo ao Deus Eterno.

Moisés pôde ver a terra prometida, mas por causa de uma desobediência, não pôde entrar, nem viver nela. Mas isso não afetou sua vida eterna. Porque daquele pecado, estando arrependido, também foi perdoado e hoje Moisés vive para sempre com o Senhor.

Olhando para nossas vidas, precisamos aprender com o exemplo de Moisés. Nós também vislumbramos a terra prometida. Não uma terra neste mundo, mas a Jerusalém Celeste...

Não deixe que a teimosia faça você andar longe do Senhor. Pois se isto acontecer, não é só um pedaço de chão que você vai perder. Se você se afastar do Senhor, você vai perder a vida eterna.

Foi para nos dar esta esperança e certeza que o Senhor Jesus se sacrificou em nosso lugar, levando sobre si as nossas culpas.

Se cremos no Senhor Jesus, vamos guardar a sua palavra e a sua vontade. Se guardarmos a sua vontade, ele jamais nos privará daquilo que conquistou: perdão, vida eterna e salvação.

Jesus é nosso salvador e quer nos receber com carinho.

Todo aquele que crê em Jesus tem a vida eterna. Amém.

E a paz de Deus, que ninguém consegue entender, guardará o coração e a mente de vocês, pois vocês estão unidos com Cristo Jesus. Amém. (Fp 4.7)

Pastor Jarbas Hoffimann – Nova Iguaçu-RJ

Glórias Somente a Deus

domingo, 7 de fevereiro de 2010

Deus nos chama e dá a mensagem

Isaías 6.1-13

5º D após a Epifania

Que a graça do Senhor Jesus Cristo, o amor de Deus e a presença do Espírito Santo estejam com todos vocês! (2Co 13.13).

Queridos irmãos em Cristo.

A paz do Senhor seja com todos vocês.

Isaías viveu em Jerusalém, por volta do ano 750 a.C. Mais ou menos 800 anos antes do sacrifício de Jesus pela humanidade. E no texto que lemos hoje, vemos o chamado de Isaías para ser profeta do Senhor.

Ao perceber que à sua volta algo santo está acontecendo, Isaías fica com medo e diz: “Ai de mim! Estou perdido! Pois os meus lábios são impuros, e moro no meio de um povo que também tem lábios impuros. E com os meus próprios olhos vi o Rei, o Senhor Todopoderoso.” (6.5).

Vamos tentar entender este sentimento de Isaías.

Pensem por um momento em Isaías como sendo um bandido cometendo o pior dos crimes, e então é surpreendido por vários policiais.

Talvez não seja a melhor comparação, comparar Isaías a um bandido, mas o próprio Senhor Jesus já usou comparações dizendo que ele vem como um ladrão, inesperadamente. Por isso pensem no que Isaías deve ter sentido naquele momento...

Ele se flagrou diante de Deus Todopoderoso. E reconhece que é tão pecador que será destruído...

Então um dos anjos pega uma tenaz — que é uma espécie de pinça — e pegou uma das brasas do altar. Com a brasa ele toca os lábios de Isaías e diz: “Agora que esta brasa tocou os seus lábios, as suas culpas estão tiradas, e os seus pecados estão perdoados.” (6.7).

Esta parte da história de Isaías termina com o Senhor perguntando: “Quem é que vou enviar? Quem será o nosso mensageiro?” (6.8). E o profeta responde: “Aqui estou eu. Envia-me a mim.” (6.8).

Aquele que antes estava morrendo de medo de morrer, agora está cheio de coragem para anunciar a mensagem do Senhor. E olha que a mensagem seria muito dura: “Vocês podem escutar o quanto quiserem, mas não vão entender nada, podem olhar bem, mas não enxergarão nada”. (6.9).

A mensagem era de castigo. Então Isaías pergunta: “Até quando isso vai durar?” (6.11). E o Senhor respondeu que seria até não sobrar quase nada, mas que iriam restar alguns, como um toco de carvalho. E desse toco haveria um novo começo para Israel. Como uma plantinha que brota e renova a árvore.

Essa dinâmica é importante no livro de Isaías. A mensagem é dura, pois o povo estava na escuridão, e por isso o castigo virá. Mas ao mesmo tempo Deus renova suas promessas ao seu povo.

Foi por meio de Isaías que conhecemos a mensagem do “Deus-conosco”, o Emanuel: “o Senhor mesmo lhes dará um sinal: a jovem que está grávida dará à luz um filho e porá nele o nome de Emanuel.”

Há muito que falar sobre a mensagem de Deus, por meio de Isaías, mas hoje quero destacar o seguinte:

• O Senhor Deus buscou Isaías.

• O Senhor Deus purificou Isaías.

• O Senhor Deus deu a mensagem a Isaías.

A ação é toda de Deus. Ele viu seu povo se afastando. Viu seu povo sofrendo e levantou mais um profeta. Assim como tinha levantado Obadias e Jonas antes, agora o Senhor chama Isaías e o envia com sua mensagem.

Assim é ainda hoje. É Deus que vem nos buscar e oferecer a salvação. É Deus que age nos procurando, nos perdoando e nos enviando cheios do Espírito Santo.

Aliás, a mensagem ainda é muito parecida com a que Isaías veio pregar: o pecado está reinando, o Senhor não está satisfeito, mas os que ficarem fiéis terão a salvação. E nós temos a vantagem de saber que Jesus já veio. Já cumpriu a tarefa salvadora em nosso favor.

Queridos irmãos em Cristo.

Se coloquem no lugar de Isaías. Nós somos pessoas de lábios impuros e vivemos no meio de pessoas de lábios impuros também. Somos todos pecadores. Como permaneceremos na presença do Senhor?

Não é por nossa própria causa que isso é possível. Fomos chamados por Deus. Como diz 1º Pedro 2.9-10: “vocês são a raça escolhida, os sacerdotes do Rei, a nação completamente dedicada a Deus, o povo que pertence a ele. Vocês foram escolhidos para anunciar os atos poderosos de Deus, que os chamou da escuridão para a sua maravilhosa luz. Antes, vocês não eram o povo de Deus, mas agora são o seu povo; antes, não conheciam a misericórdia de deus, mas agora já receberam a sua misericórdia.

Fomos purificados, não por uma brasa, mas pelo sacrifício de Jesus Cristo, como lembra Isaías: “ele estava sofrendo por causa dos nossos pecados, estava sendo castigado por causa das nossas maldades. Nós somos curados pelo castigo que ele sofreu, somos sarados pelos ferimentos que ele recebeu.” (Is 53.5).

E somos enviados para proclamar a Salvação: “Vão pelo mundo inteiro e anunciem o evangelho a todas as pessoas. Quem crer e for batizado será salvo.” (Mc 16.15-16)

A ação salvadora é do Senhor.

• O Senhor Deus buscou Isaías e buscou a cada um de nós.

• O Senhor Deus purificou Isaías e purifica a nós também.

• O Senhor Deus deu a mensagem a Isaías e também nos deu o que anunciar.

Especialmente neste ano em que nossa igreja lembra os idosos, lembramos também o compartilhar da experiência cristã. Não existe nada mais precioso para compartilhar com as pessoas.

Compartilhamos a salvação.

Podemos dizer àquele que está em pecado e sofrimento: o Senhor quer te salvar, arrependa-se e creia em Jesus e você será salvo.

Esta é a mensagem que precisa permanecer em nós também.

Querido irmão, querida irmã...

Você já percebeu como é importante para Deus? Ele levantou profetas para anunciar a Salvação. Ele deu seu Filho Jesus Cristo, para te salvar e ele te fez mensageiro da salvação.

Comece dentro de casa. Seja exemplo de vida cristã e de testemunho. Não perca oportunidades de falar de Jesus, pois assim você salvará às pessoas.

E eu quero terminar esta mensagem com parte de um poema que vocês talvez conheçam e que diz o seguinte:

Semeia a Palavra de Deus em todo o tempo,

com interesse, com amor,

como se estivesse semeando o próprio coração.

Sê, pois, um semeador!

Há de ser que um dia, cessado o árduo trabalho desta terra, o Pai do céu te abençoe com um presente especial:

o de conheceres, na mansão celestial, algum dos frutos que aqui estiveste a semear.

Fica, então, ainda mais feliz do que já és!

Não há prazer que se compare ao teu:

foste um bom e útil instrumento de Deus.

Queridos irmãos.

O Senhor nos chamou.

O Senhor nos purificou.

O Senhor nos dá a mensagem para a salvação.

Quem crer em Jesus e for batizado será salvo. Amém.

E a paz de Deus, que ninguém consegue entender, guardará o coração e a mente de vocês, pois vocês estão unidos com Cristo Jesus. Amém. (Fp 4.7)

Pastor Jarbas Hoffimann – Nova Iguaçu-RJ

Glórias Somente a Deus