sábado, 27 de março de 2010

O Rei que vem

Lc 19.28-40
Domingo de Ramos

Que a graça do Senhor Jesus Cristo, o amor de Deus e a presença do Espírito Santo estejam com todos vocês! (2Co 13.13).


Ramos 01Queridos irmãos em Cristo, a Paz do Senhor esteja com vocês.
Imaginem a cena: Um homem, de mais ou menos 33 anos está sentado num jumento e vem entrando em Jerusalém. Jerusalém era a grande cidade da região. Passar pelo portão da cidade seria o mesmo que, hoje em dia, subir a rampa do Palácio do Planalto, em Brasília com o presidente e seus ministros esperando lá no alto.
Nesse tempo, as notícias a respeito de Jesus se fortaleciam cada vez mais. Todos esperavam que aquele fosse o momento do Messias reclamar o poder para Israel.
Isso mesmo: as pessoas esperavam que Jesus se tornasse o seu rei, que viesse libertar Jerusalém e os judeus do poder de outros povos. As pessoas, inclusive os discípulos, pensavam que Jesus seria um mestre guerreiro, que lideraria o povo numa revolta contra os césares e o imperador. Esperavam que Jesus se tornasse rei, mas um rei apenas neste mundo.
Por isso, não é de se estranhar que tanta gente tenha acorrido para o momento em que Jesus entra na cidade de Jerusalém. O que estava acontecendo tinha sido profetizado por Zacarias (9.9-10): “Alegre-se muito, povo de Sião! Moradores de Jerusalém, cantem de alegria, pois o seu rei está chegando. Ele vem triunfante e vitorioso; mas é humilde, e está montado num jumento, num jumentinho, filho de jumenta. Ele acabará com os carros de guerra de Israel e com a cavalaria de Jerusalém; os arcos e as flechas serão destruídos. Ele fará com que as nações vivam em paz; o seu reino irá de um mar a outro, e desde o rio Eufrates até os fins da terra.”
Aquele povo esperava o Messias errado... Ou melhor: esperavam errado o Messias verdadeiro. Jesus não viera para destruir exércitos formando outro. Ele não viera para destruir reis terrenos, se tornando ele mesmo um novo rei aqui. Ele não viera para governar por uns poucos anos, mas veio para reinar eternamente. O reino de Jesus vai, de fato, de mar a mar, mas segue na vida daqueles que o seguem. Onde estão os fiéis, ali está o Reino do Senhor. Ali Jesus é vitorioso.
Diz o nosso texto que: “alguns fariseus que estavam no meio da mul-tidão disseram a Jesus: – Mestre, mande que os seus seguidores calem a boca!” (v. 39).
Aqueles homens estavam num impasse: achavam que Jesus era apenas mais um dos muitos “messias” que já tinham aparecido, mas e se ele fosse o verdadeiro messias que veio derrotar o imperador? Por isso eles apenas pedem que Jesus mande seus seguidores se calarem. O césar poderia ouvir o barulho da maldição e os fariseus eram subordinados aos césares. Pra eles era uma faca de dois gu-mes: por um lado, querem que Jesus seja o messias guerreiro, que vai derrotar o Imperador, por outro lado, se Jesus não for o tal messias, eles não poderiam aparecer junto dele.
A resposta de Jesus é um dos versículos mais importantes de toda a Bíblia, quanto ao testemunho: “Eu afirmo a vocês que, se
eles se calarem, as pedras gritarão!” (v. 40). Não era apenas uma resposta aos fariseus, mas também um alerta a todos os cristãos. Se nós nos calarmos, as pedras vão gritar. E as pedras têm gritado muito por aí.
A tarefa de testemunhar é nossa. Não abra mão dela. Isso pode te custar muito caro. Se você não falar de Jesus, um filho seu pode se perder eterna-mente. Ou pode ser seu pai.
Se você falar, pode ser que ninguém te dê ouvidos, porém, se te ouvirem, você terá ganho mais uma pessoa para Cristo e a pessoa terá sido salva.
Não faça como os fariseus, que acreditavam desconfiando de Je-sus Cristo. Creia de fato. Viva para Jesus Cristo. Deixe o resto em segundo plano.
Muitas vezes nossas atitudes demonstram que nós somos como os fariseus: queremos estar perto de Jesus, mas não tão perto assim. Falamos que confiamos no Senhor, mas e se essa história de vida eterna for mentira? Falamos que queremos seguir ao Senhor, mas o que meus amigos vão pensar de mim?
domingo de ramos2Além dos fariseus, as outras pessoas que estavam ali também viraram as costas para Jesus, e na sexta-feira já estavam pedindo a morte do Senhor. Elas tinham pensado apenas em interesses próprios, como ser donas do seu próprio reino. E como Jesus não era o messias guerreiro, preferiram que ele fosse morto.
Tem muita gente fazendo a mesma coisa. Busca-se um messias que me ajude nas tarefas do dia-a-dia. Um messias mecânico, que vá resolver os problemas do carro. Um messias consultoria, que me ajude a ir bem nos negócios. Um messias psicólogo, que resolva meus problemas de auto-estima. Um messias casamenteiro, que re-solva os problemas conjugais. E por aí vai.
Busca-se tranquilidade e salvação, mas não para a vida eterna. Busca-se isto para o aqui e agora. Por isso tanta gente tem virado as costas para Jesus e, antes da sexta, já o esqueceram. Porque afinal, que maravilhoso fim de semana prolongado...
Não vire as costas pro Senhor Jesus. Ele não te abandonou na hora da angústia. Ele, mesmo abandonado por todos, salvou você, morrendo na cruz e te garantiu a vida eterna, ressuscitando no domingo de Páscoa.
É ele que nos orienta a falarmos dele às outras pessoas. Se não as pedras vão gritar.
Viva em Cristo... Fale de Cristo... Testemunhe Jesus Cristo.
Jesus já te salvou e ele quer salvar a todos. E esta tarefa maravi-lhosa de mostrar a salvação a todos é nossa.
Então, ao se encontrar com alguém perdido diga: creia no Senhor Jesus e você será salvo.
Ao se sentir perdido, lembre que Jesus vai à sua frente e creia no Senhor Jesus. Assim, você também será salvo. Amém.

E a paz de Deus, que ninguém consegue entender, guardará o coração e a mente de vocês, pois vocês estão unidos com Cristo Jesus. Amém. (Fp 4.7)

Soli Deo Glória

Jarbas Hoffimann  
pastor evangélico luterano
Igreja Evangélica Luterana do Brasil (IELB)

sábado, 20 de março de 2010

Amanhã será incrível!

Isaías 43.16-21
5º Domingo na Quaresma

Que a graça do Senhor Jesus Cristo, o amor de Deus e a presença do Espírito Santo estejam com todos vocês! (2Co 13.13).


Queridos irmãos em Cristo.
A paz do Senhor seja com todos vocês.
É costume dos cristãos lembrar tudo aquilo que Deus fez na sua vida. A cada aniversário nós lembramos da proteção e das bênçãos de Deus.
Até mesmo quem não acredita em Deus se lembra do dia do aniversário e comemora de alguma forma. Nós comemoramos aniversários de nascimento, de casamento e muitos outros. Comemoramos o Dia da Formatura de um filho e muitas outras comemorações.
Em todas estas ocasiões nós nos lembramos de todo aquele período que já passou e do qual se está saindo. Agradecemos por todos que ajudaram. Agradecemos por todos os obstáculos superados. E por estar bem no fim do período.
É realmente costume do ser humano olhar pra trás e lembrar o que passou.
No texto de Isaías Deus trás este costume à tona. E ele diz “Não fiquem lembrando do que aconteceu no passado, não continuem pensando nas coisas que fiz há muito tempo.” (Is 43.18).
Lendo este versículo nós podemos até imaginar aquelas pessoas que vivem com saudades do passado. “Naquele tempo é que era bom”...
São pessoas que vivem no presente, mas com os pés no passado. Elas dizem mais ou menos assim: “antigamente era melhor... os filhos respeitavam os pais... as coisas eram mais fáceis... a gente tinha mais dinheiro. Pena que aquele tempo passou.” E assim os anos passam e essas pessoas continuam sempre achando que o melhor já passou. E na atualidade, pode ser que em muitos aspectos estejam certos.
mar abrindo Mas no caso da promessa de Deus não é assim. Ele diz: “Não fiquem lembrando do que aconteceu no passado, não continuem pensando nas coisas que fiz há muito tempo. 19Pois agora vou fazer uma coisa nova, que logo vai acontecer, e, de repente, vocês a verão.” (Is 43.18-19).
É isso mesmo! Não fiquem olhando para trás. Porque Deus já fez coisas grandiosas por nós, mas aquelas que ele ainda fará serão muito mais maravilhosas ainda. Ele nos protegeu na noite de ontem, na semana passada, no mês passado e em toda nossa vida. Mas agora ele diz que fará ainda muito mais. Coisas tão grandes que nos farão esquecer do passado.
Assim como um pai quer sempre o melhor para seu filho. Deus, nosso Pai quer o melhor para nós porque nós somos “o povo que criei para que fosse meu a fim de que desse louvores ao meu nome.” (Is 43.21).
Somos filhos de Deus e teremos todas as recompensas reservadas para aqueles que forem fiéis a Deus. Se nós vivermos uma vida de acordo com aquilo que Deus espera de nós, a recompensa será incomensurável.
Por isso é bom que nós demos uma olhada para trás hoje, para vermos se estamos sendo fiéis a Deus em nossa vida. Ao povo de Israel Deus disse: “Vocês se enojaram de mim e pararam de me adorar. 23Vocês não me ofereceram carneiros para serem queimados em sacrifício, nem me honraram com outros sacrifícios.” (Is 43.22-23).
O povo de Israel, quando estava em segurança se afastou de Deus. Mesmo Deus tendo os procurado com seus profetas.
tristeza Deus tinha feito tudo por aquele povo. Em troca ele esperava que esse povo o adorasse livremente, mas não foi isso que aconteceu. Se Deus quisesse poderia tê-los obrigado a fazer o que ele queria, mas Deus disse: “Eu não os obriguei a me apresentarem ofertas de cereais, nem fiquei exigindo que me oferecessem incenso. 24Vocês não foram obrigados a comprar plantas cheirosas para apresentá-las a mim, nem tiveram de me oferecer a gordura dos animais para me agradar. Pelo contrário, vocês me cansaram com os seus pecados e me aborreceram com as suas maldades.” (Is 43.23-24). Quer dizer, além de não fazer o que Deus esperava, o povo de Israel ainda fazia o que Deus proíbe. Além de não adorar ao Deus verdadeiro nos cultos, com suas vidas e com suas ofertas, o povo ainda ofendia a Deus com toda espécie de pecados.
E a nossa vida, como anda?
Nós temos adorado a Deus com nossa vida e com nossas ofertas? Nós estamos fazendo o que Deus espera de nós ou não?
Ele espera que nós o adoremos com nossas vidas, com nossa adoração em sua casa e com nossos bens. Mas além de não fazer isso, nós ainda ofendemos a Deus e ao nosso próximo com nossos pecados. Nós mentimos, ofendemos, deixamos de perdoar... E fazendo isso nós estamos cada vez mais afastados de Deus.
Lembrem-se que Deus nunca nos obrigará a ofertar, nem a vir à igreja. Ele quer que nós o façamos livremente. E sempre que fizermos a vontade de Deus seremos recompensados. Talvez aqui mesmo. Talvez somente na vida eterna. O certo é que Deus perdoará todos os pecadores por causa da fé em Jesus Cristo e recompensará todos os que forem fiéis até o fim.
Como o próprio Deus diz em (Is 43.25) “Mas eu — eu mesmo — sou o seu Deus e por isso perdôo os seus pecados e os esqueço.”
Deus perdoa àqueles que se arrependem de seus pecados e procuram viver uma vida agradável a ele. E esse perdão não é por nada que nós façamos. Ele perdoa porque Jesus Cristo morreu por todos nós e levará consigo a quantos creem nele. No momento da nossa morte estaremos passando deste vale de lágrimas para os braços do Salvador na vida eterna.
felicidade1 Como Deus diz em (Is 35.4-5): 4Digam aos desanimados: “Não tenham medo; animem-se, pois o nosso Deus está aqui. Ele vem para nos salvar, ele vem para castigar os nossos inimigos.” 5...os cegos verão, e os surdos ouvirão; 6os aleijados pularão e dançarão, e os mudos cantarão de alegria. Pois fontes brotarão no deserto, e rios correrão pelas terras secas.”
Aquela novidade que Deus diz que está à nossa frente, na verdade, para o Cristão já está presente, pois “Quem está unido com Cristo é uma nova pessoa; acabou-se o que era velho, e já chegou o que é novo.” (2Co 5.17). Não precisamos esperar a vida eterna para sentir a presença de Deus, ele se faz presente diariamente em nossas vidas. Que ele continue a nos abençoar dia após dia. Pois dias melhores estão à nossa espera, junto com Cristo. Amém.
E a paz de Deus, que ninguém consegue entender, guardará o coração e a mente de vocês, pois vocês estão unidos com Cristo Jesus. Amém. (Fp 4.7)

Pastor Jarbas Hoffimann – Nova Iguaçu-RJ

Glórias Somente a Deus

sábado, 13 de março de 2010

Uma nova pessoa

2Co 5.16-21


4º Domingo na Quaresma


Que a graça do Senhor Jesus Cristo, o amor de Deus e a presença do Espírito Santo estejam com todos vocês! (2Co 13.13).


RecemNascido Queridos irmãos em Cristo.
A paz do Senhor seja com todos vocês.
Hoje vamos sair um pouco do foco do Antigo Testamento, que ví-nhamos tendo nas últimas semanas. E vamos meditar sobre o texto de 2º Coríntios 5.
O Antigo Testamento, porém, hoje é um salmo de louvor. Onde Isaías lembra que o Deus de Israel, o nosso Deus também, mora no meio do seu povo. Ou seja, não é um Deus que está longe, mas que ouve nossas orações. Não é uma força motora superior que nos criou e nos deixou à nossa própria sorte. Muito pelo contrário, o Senhor está entre nós. E neste momento também, o Senhor está entre nós, seus filhos.
Agora voltamos nossos olhos ao Novo Testamento. Olhamos para a epístola ou carta de Paulo aos Coríntios.
De todo o texto lido, vamos destacar o versículo 17, que nos diz: “Quem está unido com Cristo é uma nova pessoa; acabou-se o que era velho, e já chegou o que é novo.”
Mas vejamos primeiro a situação. Paulo diz: “Por isso, daqui em diante, não vamos mais usar regras humanas quando julgamos alguém.”
Não dá para não lembrar de textos como:
Mt 7.1-2: “Não julguem os outros para vocês não serem julgados por deus. Porque Deus julgará vocês do mesmo modo que vocês julgarem os outros e usará com vocês a mesma medida que vocês usarem para medir os outros.”
Lc 6.37: “Não julguem os outros, e Deus não julgará vocês. Não condenem os outros, e Deus não condenará vocês. Perdoem os outros, e Deus perdoará vocês.”
Ainda: Jo 7.24: “Parem de julgar pelas aparências e julguem com justiça.”
Parece que Paulo fala do costume ruim que as pessoas têm de julgar umas às outras, mas não é disso que ele está falando aqui.
Julgar os outros, como mostram estes outros três versículos da Pala-vra de Deus, é condenado. E não leva à lugar nenhum, se não à desa-vença e à desgraça.
Porém Paulo fala do julgar a Jesus Cristo. E julgar os mensageiros de Cristo. Assim como muitos ainda fazem hoje em dia.
Não me entendam mal. Os mensageiros de Cristo, chamem-se eles como se chamarem. Sejam eles pastores, bispos, padres, evangelistas, missionários, papa. Qualquer um que se diz mensageiro do Salvador...
Eles não estão acima de julgamento. E o julgamento aqui, nada mais é do que verificar, pela Palavra de Deus, se eles estão, de fato, dizendo a Palavra de Deus. Pois o próprio apóstolo, ao escrever para os Gálatas, alerta: “Mas, se alguém, mesmo que sejamos nós ou um anjo do céu, anunciar a vocês um evangelho diferente daquele que temos anunciado, que seja amaldiçoado.” (Gl 1.8). E o Evangelho que Paulo anunciava está todo na Sagrada Escritura. Por isso não precisamos de novas revelações. Nem de novos Cristos. Um só é o Cristo, um só é o Evangelho. E ele nos traz salvação.
planta-thumb Paulo anima a ouvirmos os verdadeiros mensageiros de Cristo. E procurar seguir aquilo que eles ensinam, pois se são verdadeiros, estão falando a Palavra de Deus.
Então vem o nosso versículo chave:
“Quem está unido com Cristo é uma nova pessoa; acabou-se o que era velho, e já chegou o que é novo.” (2Co 5.17)
Poderíamos ficar por dias falando sobre este texto. Pois ele é claro em si mesmo e todos nós o entendemos muito bem. O que acontece é que nossa velha pessoa quer nos afastar da nova pessoa que Cristo nos torna. E então aquilo que seria claro como um lindo dia de verão, se torna escuro como a mais profunda caverna.
A vontade do Senhor que é límpida e clara, fica turva aos olhos.
O apóstolo sentiu na pele essa luta para viver no Senhor e registrou em Romanos 7, para que nós soubéssemos:
“não faço o bem que quero, mas justamente o mal que não quero fazer é o que eu faço. ... Como sou infeliz! Quem me livrará deste corpo que me leva para a morte? Que Deus seja louvado, pois ele fará isso por meio do nosso Senhor Jesus Cristo!” (Rm 7.19,24-25)
É muito fácil dizer: “eu sou de Cristo, agora vou fazer a vontade do Senhor”. O difícil é fazer a tal vontade do Senhor.
Queremos dizer que é com outro.
Queremos apontar o dedo aos pecados do outro.
Enxergamos o graveto no olho do outro, mas não vemos o galho que atrapalha nossa vista.
E assim vamos vivendo. Sendo de Cristo, mas lutando contra o pecado. Assim é a nova pessoa. Aquela para qual as coisas velhas já passaram.
A nova pessoa em Cristo não é alguém que não cometa pecados. Is-so não existe neste mundo.
Mas a nova pessoa não se conforma com o pecado. Ou melhor: “Não vivam como vivem as pessoas deste mundo, mas deixem que Deus os transforme por meio de uma completa mudança da mente de vocês. Assim vocês conhecerão a vontade de Deus, isto é, aquilo que é bom, perfeito e agradável a ele.” (Rm 12.2).
Somos pecadores, mas por causa da fé em Cristo não queremos pecar.
Oramos no Pai-Nosso “E não nos deixes cair em tentação”. E procuramos fugir da tentação, pois confiamos que o senhor nos livrará de todas as tentações. E por isso mesmo, não nos lançamos novamente nos braços do pecado.
Como vivem as pessoas do mundo?
A resposta mais fácil é: em pecado.
Como vivemos nós?
Aí a resposta começa a ficar mais difícil. Pois sabemos que Deus nos chamou para a luz. Sabemos que Deus nos salva em Jesus Cristo. Sabemos tudo que Deus espera de nós. Mas muitas vezes que é com os outros. Esta é a atitude da pessoa velha que habitava em nós.
Ouvi dizer que “não se ensina truques novos para cachorro velho”. Alguns dizem que o animal seria cavalo ou macaco, mas pouco importa. Importa a verdade por trás deste provérbio.
Quer dizer: se você fez isso ou aquilo a vida inteira, não tem como mudar. Mentira!
E o provérbio está errado, pelo menos quanto à fé, porque não se ensinará truque novo a um cão velho. Ou melhor, não se ensinará algo novo a uma pessoa velha, mas Deus transforma o velho em novo e em Cristo somos novas pessoas. Pessoas renascidas pelo batismo. Pessoas renascidas pelo sangue de Jesus.
Somos pessoas completamente renovadas e, por isso, não é possível aceitar que o pecado habite pacificamente a nossa vida. Precisamos lutar contra o pecado com as armas do Senhor: a sua santa Palavra e os santos Sacramentos. Precisamos recorrer ao Senhor em oração e ele nos ouvirá sempre.
Porque “Quem está unido com Cristo é uma nova pessoa; acabou-se o que era velho, e já chegou o que é novo.”
A nossa velha vida, que estava condenada, agora espera pela vida e-terna. A nossa velha natureza, que se afastava de Deus, agora, renovada, busca o Senhor.
Se alguém não sabe a diferença entre a velha e a nova pessoa, vejam o que diz a Palavra do Senhor:
“Em Cristo não havia pecado. Mas Deus colocou sobre Cristo a culpa dos nossos pecados para que nós, em união com ele, vivamos de acordo com a vontade de Deus.” (2Co 5.21).
“Ó Deus, cria em mim um coração puro e dá-me uma vontade nova e firme!” (Sl 51.10)
“Eu lhes darei um coração novo e uma nova mente. Tirarei deles o coração de pedra, desobediente, e lhes darei um coração humano, obediente.” (Ez 11.19)
“Vocês só poderão ter frutas boas se tiverem uma árvore boa. Mas, se tiverem uma árvore que não presta, vocês terão frutas que não prestam. Porque é pela qualidade das frutas que sabemos se uma árvore é boa ou não presta.” (Mt 12.33)
O Senhor nos tornou de inimigos em amigos de Deus.
Os pecados que eram nossos, foram pagos com a morte de Jesus.
Pela fé no Salvador, fomos transformados em novas pessoas.
Pessoas que creem em Jesus e que, por causa da fé, têm a Salvação eterna.
Que Deus nos faça sempre sermos novas pessoas. Até o dia da sua gloriosa vitória final. Amém. E a paz de Deus, que ninguém consegue entender, guardará o coração e a mente de vocês, pois vocês estão unidos com Cristo Jesus. Amém. (Fp 4.7)uma_nova_vida


E a paz de Deus, que ninguém consegue entender, guarará o coração e a mente de vocês, pois vocês estão unidos com Cristo Jesus. Amém. (Fp 4.7)

Pastor Jarbas Hoffimann – Nova Iguaçu-RJ

Glórias Somente a Deus

domingo, 7 de março de 2010

Deus busca o pecador

Ezequiel 33.7-20
3º Domingo na Quaresma

Que a graça do Senhor Jesus Cristo, o amor de Deus e a presença do Espírito Santo estejam com todos vocês! (2Co 13.13).


Queridos irmãos em Cristo.

A paz do Senhor seja com todos vocês.

Temos falado muito e com bastante veemência sobre o pecado e suas consequências. E se ainda não está claro, todo aquele que prefere viver em pecado, está, também dizendo que quer ficar afastado de Deus. E se a pessoa se afasta de Deus neste mundo, também estará afastada na vida eterna.

Os textos do Antigo Testamento mostram toda a ênfase do Senhor em buscar seu povo. Busca que tem seu ponto máximo, no sacrifício de Jesus pela humanidade.

Ao falarmos tanto de pecado, pode parecer que somos as priores criaturas. E é isso mesmo. Foi por nossa causa que o mundo caiu em pecado. E sem Deus, somos condenados ao inferno. Estaríamos completamente perdidos se Deus não tivesse nos salvo. Nos dando o Salvador e o Espírito Santo que nos dá a fé em Jesus.

E o texto de Ezequiel mostra novamente o Senhor em busca do pecador.

A primeira coisa que o Senhor faz é chamar Ezequiel e dar a ele a tarefa de zelar pela vida das pessoas. Notem bem, zelar pela vida dos outros e não ficar procurando coisas para implicar ou fazer fofoca.

O Senhor é bem claro ao dizer:

“Se eu disser que um a você que um homem mau vai morrer, mas você não o avisar para que ele mude o seu modo de agir e assim salve a sua vida, aí ele morrerá, sendo ainda pecador. Nesse caso, eu considerarei você como responsável pela morte dele. Porém, se você avisar o homem mau, e ele não parar de pecar, ele morrerá como pecador, mas você viverá.” (vv. 8-9).

Só com este texto poderíamos meditar muitas horas, mas brevemente vejam a tarefa de Ezequiel: Deus poderia mostrar a ele o pecado de outra pessoa e, se isso acontecesse, ele deveria falar com a pessoa. E o objetivo dele era salvar a pessoa. Trazer o pecador ao arrependimento.

Talvez a pessoa não se arrependesse, mas a tarefa de Ezequiel era avisar para que a pessoa voltasse para Deus.

Jesus ensina isso também em Mateus 18.15: “Se o seu irmão pecar contra você, vá e mostre-lhe o seu erro... Se essa pessoa ouvir o seu conselho, então você ganhou de volta o seu irmão.”

Se estas palavras de Jesus não forem o suficiente para nos lembrar que essa tarefa é de cada um, Pedro, inspirado pelo Espírito ainda afirma: “vocês são a raça escolhida, os sacerdotes do Rei, a nação completamente dedicada a Deus, o povo que pertence a ele. Vocês foram escolhidos para anunciar os atos poderosos de Deus, que os chamou da escuridão para a sua maravilhosa luz. Antes, vocês não eram o povo de Deus, mas agora são o seu povo; antes, não conheciam a misericórdia de Deus, mas agora já receberam a sua misericórdia.” (1Pe 2.9-10).

Como Ezequiel, nós também buscamos o pecador para Cristo. E muitas vezes nós precisamos ser buscados de nossos pecados, para não deixar de ser de Cristo.

Continuando, versículo 12 a 17, Ezequiel, nos lembra que todos os pecadores serão condenados por seus pecados e que todos os que são de Cristo, serão limpos de seus pecados e estão salvos.

Deus afirma categoricamente que não adianta nada alguém ter servido a Cristo durante toda a sua juventude e voltar-se contra Deus depois disso. Esta pessoa está condenada. Ao contrário, aquele que andou longe do Senhor, mas por graça, o Espírito Santo lhe converteu... Este agora é de Cristo e está salvo. Aguardando o dia da vitória final sobre a morte.

Poderíamos dizer que ninguém é salvo pela fé que teve ontem se está longe de Cristo hoje. Da mesma forma, ninguém é condenado pelo pecado de ontem, se este foi perdoado e a pessoa está em Cristo. Assim também, a fé que o pai tem, não salvará o filha e nem a filha, por mais que ame sua mãe poderá salvá-la. Cada um responderá si mesmo.

Como afirma o Senhor em Mateus 16.27: “o Filho do Homem virá na glória do seu Pai com os seus anjos e então recompensará cada um de acordo com o fez.” Isto também está claro em Ezequiel 18.20: “Aquele que peca é que morre. O filho não sofrerá por causa dos pecados do pai, nem o pai, por causa dos pecados do filho. A pessoa boa será recompensada por fazer o bem, e a pessoa má sofrerá pelo mal que praticar.”

Então temos dois pontos até aqui, neste texto:

1º Ezequiel é chamado para ajudar as pessoas a reconhecerem seu pecado.

2º Aquele que pecar será condenado, aquele que se arrepende e crê no Senhor, será salvo.

Então, dos versículos 17 a 20 Deus fala de uma atitude comum aos seres humanos de hoje. E não só de hoje, mas de todas as épocas.

Diz o versículo 17: “No entanto, o seu povo diz que o que eu, o Senhor, faço não está certo!”. Ainda o versículo 20: “Mas você, povo de Israel, diz que o que eu faço não está certo. Eu os julgarei por aquilo que fazem”.

Assim agiam aquelas pessoas.

Assim agem os seres humanos.

Assim muitas vezes agimos nós. Queremos dizer que o Senhor é que está errado. Mas Deus nunca erra.

As pessoas querem continuar no pecado e, para não reconhecer o erro, dizem que a Lei de Deus é que está errada.

Pecado é sempre pecado. Não foi a Igreja que o inventou.

Pecado é toda e qualquer transgressão à Lei de Deus, seja por pensamentos, palavras, ações ou omissões. E tudo o que é pecado está muito claro nos 10 mandamentos. Se alguém se esqueceu deles, leia novamente e tente manter na memória.

Certamente vocês notaram que saltamos os versículos 10 e 11.

Foi de propósito, pois vamos falar deles agora. Aliás, eles são tão importantes que vamos ler novamente:

“O Senhor me disse o seguinte: — Homem mortal, repita aos israelitas o que eles andam dizendo: ‘Os nossos pecados e maldades são um peso para nós. Estamos nos acabando. Como podemos viver?’ Diga-lhes que juro pela minha vida que eu, o Senhor Deus, não me alegro com a morte de um pecador. Eu gostaria que ele parasse de fazer o mal e vivesse. Povo de Israel, pare de fazer o mal. Por que é que vocês estão querendo morrer?”

Ao contrário do que muitos talvez pensem, o Senhor não se agrada de um pecador ser condenado. Ele quer que todos sejam salvos.

Foi isso que o Senhor ensinou, quando falou da moeda perdida e da ovelha perdida, no evangelho de Lucas, capítulo 15.

O Senhor quer “que todos sejam salvos e venham a conhecer a verdade.” (1Tm 2.4).

Repetindo então, o que aprendemos hoje com Ezequiel:

1º Ezequiel é chamado para ajudar as pessoas a reconhecerem seu pecado.

2º Aquele que pecar será condenado, aquele que se arrepende e crê no Senhor, será salvo.

3º Pecado é sempre pecado. Pois Deus não muda, nem sua Lei.

4º O Senhor quer que todos sejam salvos.

Vemos aqui o tamanho da misericórdia de Deus, que ele nos concede por graça. Em sua graça e sem exigir nada, o Senhor enviou Jesus Cristo, que nos demonstrou tanta misericórdia, a ponto de se sacrificar para que nós tenhamos vida.

Esse é o nosso Deus. O Deus que chama o pecador. Que perdoa o arrependido e garante a vida eterna a todos quantos creem em Jesus Cristo.

Ezequiel disse: “Aquele que peca é que morre.” Mas o Senhor também disse que todo aquele que crer em Jesus não morrerá, mas terá a vida eterna (Jo 3.16).

Amém.

E a paz de Deus, que ninguém consegue entender, guardará o coração e a mente de vocês, pois vocês estão unidos com Cristo Jesus. Amém. (Fp 4.7)

Pastor Jarbas Hoffimann – Nova Iguaçu-RJ

Glórias Somente a Deus