domingo, 8 de agosto de 2010

Fé em quê?

Hb 11.1-16
11º Domingo após Pentecostes

Que a graça do Senhor Jesus Cristo, o amor de Deus e a presença do Espírito Santo estejam com todos vocês! (2Co 13.13).

Sl 33.12-22; Gn 15.1-6; Hb 11.1-16; Lc 12.22-34

A Paz do Senhor esteja com todos vocês. Amém.

Queridos irmãos em Cristo, hoje quero começar com uma frase dita pelo jornalista Joelmir Beting, no programa Canal Livre, da Rede Bandeirantes de Televisão.

O Programa passa no fim de domingo e não costuma ser muito assistido, porque as pessoas normalmente não querem discutir assuntos no domingo à noite, preferem o Fantástico, o Gugu e o Sílvio Santos, ou mesmo dormir para acordar cedo na segunda.

Pois bem, num destes programas, no qual se falava sobre fé, o jornalista, lembrando as paixões que o tema fé desperta, antes de chamar o intervalo, disse:

“Para quem não tem fé, prova nenhuma é suficiente e para quem tem fé, prova nenhuma é necessária.”

Muito bem. Falemos então de fé.

“A fé é a certeza de que vamos receber as coisas que esperamos e a prova de que existem coisas que não podemos ver.” (Hb 11.1).

Mas a fé tem sido alvo também de muitos ensinos errados:

Coloque sua fé para trabalhar. Exercite sua fé. Faça sua fé crescer. Tenha uma fé poderosa.

Estas são algumas das exortações que ouvimos atualmente.

Notem como a fé vem sendo distorcida. Porque tudo passa para a capacidade humana, como se a fé fosse algo em nós, que nos tornaria capazes de fazer algo, por nós mesmos.

Coloque sua fé para trabalhar. Exercite sua fé. Faça sua fé crescer. E a última: “Tenha uma fé poderosa” é ainda mais estranha.

E quase tudo que se ouve falar de fé, está falando errado.

Fora isso, as pessoas parecem ter hoje uma fé sem objetivo.

Alguns dizem: “tenho fé que vou vencer!” – mas fé em que ou em quem?

Outros apenas dizem ter fé. Mas em que, ou em quem?

A fé que salva... Aquela que Deus nos dá... Aquela fé que salva e poderia mover montanha, caso fosse do tamanho de um grão de mostarda (Mt 17.20)... Esta fé é objetiva. Não é algo que fica pairando no ar, como uma nuvem.

A fé que salva é gerada pelo Espírito Santo, por meio da Palavra e do Batismo. A fé que salva, é sustentada pelo viver na Palavra, no Batismo e pelo participar da Santa Ceia. A fé que salva aponta para Jesus Cristo é diz: “creia em Jesus e você será Salvo” (At 16.31 e mais 23 passagens do Novo Testamento que afirmam a mesma coisa).

É a fé no Senhor Jesus que nos torna justos diante de Deus (v. 2). É pela fé, sem maiores explicações, que compreendemos que tudo que existe (v. 3), existe porque Deus disse: “haja” (Gn 1.3).

Hoje fala-se também de colocar a fé para trabalhar. E isso nada mais é do que os exemplos que nos são dados em Hebreus:

Abel ofereceu um sacrifício melhor (v. 4), pois pela fé, procurou oferecer com sinceridade o melhor que tinha.

Um descendente da sexta geração de Adão, Enoque (v. 5) serviu fielmente a Deus e foi poupado da morte, levado aos céus pelo Senhor, por volta do ano 1000 depois da saída do Jardim.

Foi também por fé que Noé, acreditou que ia chover muito e, mesmo sendo ridicularizado pelos seus contemporâneos, construiu um barco enorme no deserto. E por fé, ele e sua família foram poupados na maior catástrofe natural da história da humanidade.

O que é colocar a fé para trabalhar?

Resposta de Hebreus: “cheguemos perto de Deus com um coração sincero e uma fé firme, com a consciência limpa das nossas culpas e com o corpo lavado com água pura. Guardemos firmemente a esperança da fé que professamos, pois podemos confiar que Deus cumprirá as suas promessas. Pensemos uns nos outros a fim de ajudarmos todos a terem mais amor e a fazerem o bem. Não abandonemos, como alguns estão fazendo, o costume de assistir às nossas reuniões. Pelo contrário, animemos uns aos outros...” (Hb 10.22-25).

Isso é colocar a fé para trabalhar. Isto é exercitar a fé.

Descoberta Espiritual É viver em Cristo e com Cristo diariamente. Crescendo na comunhão e no estudo da Palavra. Como Tiago também sempre é lembrado: “... alguém pode dizer: ‘Você tem fé, e eu tenho ações.’ E eu respondo: ‘Então me mostre como é possível ter fé sem que ela seja acompanhada de ações. Eu vou lhe mostrar a minha fé por meio das minhas ações.” (Tg 2.17-18).
Há uma parábola que fala de fé e que conta:
Um alpinista sempre buscava superar seus desafios.
Depois de muito preparo, resolveu escalar o Aconcágua. E como queria a fama apenas para si, resolveu fazer a escalada sozinho.
Então ele foi subindo. Porém o dia foi passando sem ele perceber e foi ficando escuro. E ele não achou que fosse demorar tanto, por isso nem se preocupou em local pra acampar. E nos apetrechos.
Por isso segui subindo.
Escureceu e não era possível enxergar um palmo à frente do nariz.

Não via absolutamente nada, não havia lua, tempo nublado, sem estrelas. Toda civilização e suas luzes muito distantes para iluminar.

Então, de repente, ele escorregou e caiu vertiginosamente. A sua corda de segurança ia se soltando grampo após grampo e parecia que não ia mais parar.

Nesses momentos angustiantes, passaram por sua mente todos os momentos felizes e tristes que ele havia vivido em sua vida. De repente, ele sentiu um puxão forte que quase o partiu pela metade. Finalmente a corda de segurança, tinha ficado fixa.

Naquele silêncio, suspenso pelos ares e na escuridão completa, não sobrou nada a fazer, se não gritar. E clamou por Deus:

— Ó meu DEUS, ajude-me!!!

De repente uma voz grave e profunda vindo do céu respondeu:

— O que você quer de mim, meu filho?

– Me salve meu DEUS, por favor!!

E DEUS respondeu:

— Você realmente acredita que possa te salvar?

E o alpinista respondeu:

— Eu tenho certeza meu DEUS!

E DEUS respondeu:

Vida — Então corte a corda que te mantém pendurado...
Houve um momento de silêncio e reflexão. O homem se agarrou mais ainda à corda e refletiu que se fizesse isso morreria...
O pessoal de resgate conta que no outro dia encontrou o alpinista congelado, morto, agarrado com força, com as duas mãos a uma corda... tão somente, a dois metros do chão...

Queridos irmãos.
Alguns dizem que esse seria o “salto da fé”. Alguns de nós concordaríamos que isso sim é fé. É largar a corda e saltar no escuro.

Mas notem que se fosse assim, a atitude estaria novamente na ação da pessoa.

Apesar dessa estorinha refletir alguma verdade sobre a fé. Ela mostra um Deus que não reflete nosso Deus de amor. Ela não mostra o Deus no qual cremos.

Nosso Deus não teria mandado cortar a corda. Ele teria pego pela mão e colocado no chão. Não ficaria testando na hora de maior desespero, mas teria dito: “Venham a mim, todos vocês que estão cansados de carregar as suas pesadas cargas, e eu lhes darei descanso.” (Mt 11.28)

A fé verdadeira, é aquela que se apega a Jesus Cristo. Ela é gerada em nós pelo poder do Espírito Santo. Ela é mantida e aumentada, pela ação do Espírito Santo, enquanto estudamos a Palavra do Senhor, seja nos cultos, nos estudos bíblicos, ou particularmente.

Lembrem-se: “Pela graça de Deus vocês são salvos por meio da fé. Isso não vem de vocês, mas é um presente dado por Deus.” (Ef 2.8).

Sem fé é impossível agradar a Deus. (v. 6) Porém todo aquele que, com fé chegar diante de Deus, será recebido pelo Pai. Pois o Senhor Jesus afirma: “Todos aqueles que o Pai me dá virão a mim; e de modo nenhum jogarei fora aqueles que vierem a mim.”. Amém.

E a paz de Deus, que ninguém consegue entender, guardará o coração e a mente de vocês, pois vocês estão unidos com Cristo Jesus.” (Fp 4.7)

Pastor Jarbas Hoffimann – Nova Iguaçu-RJ

Soli Deo Gloria