domingo, 23 de janeiro de 2011

Jesus não divide a igreja

1Co 1.10-18
3º Domingo após Epifania – Desinstalação do Rev. Jarbas Hoffimann

 

Que a graça do Senhor Jesus Cristo, o amor de Deus e a presença do Espírito Santo estejam com todos vocês! (2Co 13.13).

Sl 27.1-14 / Is 9.1-4 / 1Co 1.10-18 / Mt 4.12-25

 

A Paz do Senhor esteja com vocês. Amém.

Queridos irmãos, hoje é meu último sermão deste púlpito, pelo menos nesta passagem por aqui. E, para mim, é uma honra falar em nome do meu Senhor Jesus Cristo, que nos tornou irmãos na fé.

Nas últimas duas semanas, deste púlpito, nós falamos da importância da união da Igreja de Jesus Cristo. Especialmente de nossas congregações Bom Pastor e Esperança.

Não foram textos escolhidos por mim, são os mesmos textos usados por toda a igreja neste período de Epifania, que neste ano, nos levaram a pensar sobre a união, neste período de transição. E repetimos com Davi: Como é bom e agradável que o povo de Deus viva unido como se todos fossem irmãos! (Sl 133.1).

O povo é um só, porque o Salvador é um só: Há um só Senhor, uma só fé e um só batismo. (Ef 4.5). Nós cremos em um só Senhor Jesus. E ainda usamos a figura do corpo para dar exemplo de unidade, porque existem muitas partes, mas um único corpo de Cristo.

O Senhor Jesus não divide a Igreja. Mas muitas vezes a sabedoria humana divide. Paulo está falando sobre isso no texto que lemos hoje e nos versículos que se seguem.

Em Corinto, algumas pessoas estavam começando a ensinar coisas diferentes da Palavra de Deus, como se fosse a verdadeira e pura Palavra. Se exaltava a sabedoria no uso das palavras. Alguns começavam a ter preferência pelo batismo de um, pela pregação do outro, o jeito dinâmico de um terceiro, por isso: alguns dizem ser de Paulo, outros de Apolo e outros ainda de Jesus.

Mas se Jesus não divide a igreja, quem é que faz? Nós.

Nós dividimos a igreja, caindo nas tentações do inimigo.

Muitas vezes não queremos ouvir o irmão. Muitas vezes queremos fazer a nossa e só a nossa vontade, e ainda queremos dar aparência de direito. Quanto a isso nos adverte Paulo, quando escreveu aos Romanos: Tenham por todos o mesmo cuidado. Não sejam orgulhosos, mas aceitem serviços humildes. Que nenhum de vocês fique pensando que é sábio! (Rm 12.16).

E a situação entre os cristãos de Corinto era a seguinte: vivem como se fossem pessoas deste mundo. Quando existem ciumeiras e brigas entre vocês, será que isso não prova que vocês são pessoas deste mundo e fazem o que todos fazem? (1Co 3.3). Eles queriam ser reconhecidos como cristãos, mas não estavam vivendo como tal.

Salomão, o sábio, guiado pela sabedoria de Deus disse: O orgulho só traz brigas; é mais sábio pedir conselhos. (Pv 13.10). O orgulho afasta. Mas quem confia no Senhor ouvirá o irmão. Só que dar conselhos também não é mandar no outro. É, de fato, aconselhar com amor.

Os cristãos precisam viver unidos, não só porque Jesus Cristo é um só, mas porque ele mesmo nos faz trabalhar juntos. Com o objetivo de levar sua Palavra até os confins da terra. Como era o propósito de Israel: Eu lhes darei este único propósito na vida: temer sempre a mim, para o próprio bem deles e dos seus descendentes. (Jr 32.39). Eles receberam este propósito como um povo único; unido...

Quando vê a unidade se perdendo o apóstolo precisa ser duro, como foi aos cristãos da Galácia: Mas, se vocês agem como animais selvagens, ferindo e prejudicando uns aos outros, então cuidado para não acabarem se matando! (Gl 5.15). Porque quando falta unidade, a igreja desmorona. Quando esquecemos a vontade de Cristo e queremos que outros façam a nossa vontade, o corpo de Cristo fica doente.

O Senhor Jesus não divide a Igreja, ele nos faz trabalhar unidos. Num mesmo corpo, numa mesma fé, num mesmo batismo e num mesmo propósito de levar Cristo para Todos e numa mesma esperança da vida eterna. Aos que crerem, o Senhor vai Acolher e Integrar ao número dos que estão sendo salvos. E a nós, como adultos na fé, cabe dar o bom exemplo de dedicação e união em Cristo, porque aquele que busca a divisão, não entendeu o que Jesus ensinou. Não crê de fato.

Irmãos no Senhor Jesus...

Depois de nos unir num mesmo corpo, o Senhor nos dá uma tarefa para fazermos juntos: levar a salvação àquele que está perdido.

E nesta tarefa é ainda mais importante a união em Cristo, pois o mundo pensa que Deus, se existe, não regula bem da cabeça: De fato, a mensagem da morte de Cristo na cruz é loucura para os que estão se perdendo; mas para nós, que estamos sendo salvos, é o poder de Deus. (1Co 1.18).

Para nós, que estamos sendo salvos, pode ser muito simples acreditar que numa cruz, dois mil anos atrás, um galileu meio rebelde, morreu inocente e, com sua morte, salva a todos que têm fé nele. Mas para os que estão no caminho da perdição isso é muito difícil de acreditar. E, se não fosse o poder do Espírito Santo, ninguém seria convertido. Aliás, nem eu e nem vocês. Afinal: quem não tem o Espírito de Deus não pode receber os dons que vêm do Espírito e, de fato, nem mesmo pode entendê-los. Essas verdades são loucura para essa pessoa porque o sentido delas só pode ser entendido de modo espiritual. (1Co 2.14).

Na missão tem muita coisa pra gente fazer juntos. Como se fôssemos um único organismo. Mas tem muita gente que prefere ficar “segurando as suas ideias para quando tiver oportunidade de mostrar serviço”. Ou fica se queixando de tudo que os outros fazem, porque, certamente, sabem fazer melhor, mas preferem criticar o outro.

Quanta reclamação ouvimos na igreja! Mas o que deveríamos é olhar no olho do irmão que fez o máximo e dizer: “Parabéns! Da próxima vez, conta comigo, que a gente vai fazer ainda melhor.”

Nós todos precisamos ouvir mais o texto de Paulo aos Filipenses: Façam tudo sem queixas nem discussões (Fp 2.14), se nós agirmos assim: não existe divisão no corpo, mas todas as suas partes têm o mesmo interesse umas pelas outras. (1Co 12.25).

Qual a tarefa? Paulo responde: Mas nós anunciamos o Cristo crucificado — uma mensagem que para os judeus é ofensa e para os não judeus é loucura. (1Co 1.23). E aquilo que parece ser a loucura de Deus é mais sábio do que a sabedoria humana, e aquilo que parece ser a fraqueza de Deus é mais forte do que a força humana. (1Co 1.25).

Nesse tempo de prazeres hedonistas, onde cada um só se interessa por si mesmo, parece uma utopia a busca da união em Cristo. Nós até elogiamos a capacidade que temos de ajudar, como tem acontecido para ajudar as vítimas das chuvas.

Fico realmente feliz, pela quantidade de gente ajudando com sinceridade. Mas me pergunto quantos estão ajudando apenas para desencargo de consciência? Eu vi pelo menos duas entrevistas em que as pessoas disseram (talvez por infelicidade das palavras), a gente precisa ajudar, porque “amanhã pode ser um de nós”.

Então não se ajuda por amor, mas por medo de ficar sem socorro no futuro? Que pensamento horrível! É a lei do “toma-lá-da-cá”. Esse é o tempo que vivemos... É um tempo que divide.

Mas nós, unidos, anunciamos Cristo e sua morte na cruz, para salvar a todas as pessoas. Isso será loucura para muitos, mas não importa Pois aquilo que este mundo acha que é sabedoria Deus acha que é loucura. Como dizem as Escrituras Sagradas: “Deus pega os sábios nas suas espertezas.” (1Co 3.19). E a palavra de Deus é viva e poderosa e corta mais do que qualquer espada afiada dos dois lados. Ela vai até o lugar mais fundo da alma e do espírito, vai até o íntimo das pessoas e julga os desejos e pensamentos do coração delas. (Hb 4.12).

Queridos irmãos, neste último sermão entre vocês, gostaria que ficassem essas palavras de incentivo à união. Ao amor mútuo. Ao respeito pelo pensamento e agir do irmão, que muitas vezes fraqueja, assim como cada um de nós fraqueja também. Lembremos que nossa força vem de Jesus, que nos perdoou e deu a salvação.

Eu vou continuar pregando a Palavra. Ainda não sei onde, mas creio no que diz o lema da minha formatura: E Deus me escolheu para ser servo da Igreja e me deu uma missão que devo cumprir em favor de vocês. Essa missão é anunciar, de modo completo, a mensagem dele. (Cl 1.25).

Anunciar que o Senhor Jesus não divide a igreja e a faz trabalhar unida, para testemunhar, Acolher e Integrar ao perdido.

Me despeço dizendo: Agora, o mais importante é que vocês vivam de acordo com o evangelho de Cristo. Desse modo, tanto se eu puder ir visitar vocês como se não puder, eu saberei que vocês continuam firmes e unidos. E saberei também que vocês, por meio da fé que se baseia no evangelho, estão lutando juntos, com um só desejo. (Fp 1.27).

Que o único Senhor Jesus esteja hoje e sempre com vocês. E se a gente não se vir mais na terra, no céu nos encontramos. Amém.

E a paz de Deus, que ninguém consegue entender, guardará o coração e a mente de vocês, pois vocês estão unidos com Cristo Jesus. Amém. (Fp 4.7)

Pastor Jarbas Hoffimann
Igreja Evangélica Luterana do Brasil (IELB)
Nova Iguaçu-RJ

Soli Deo Gloria