sábado, 3 de novembro de 2018

O que nos aproxima de Deus?

Textos do dia:
Salmo 119.1-8
Deuteronômio 6.1-9
Hebreus 9.11-22
Marcos 12.28-37 (texto da pregação)


     Que a graça do Senhor Jesus Cristo, o amor de Deus e a presença do Espírito Santo estejam com todos vocês! (2Co 13.13).

     Queridos irmãos em Cristo.
     A Paz do Senhor esteja com todos vocês.
Estamos no último mês do Ano Eclesiástico. Faltam — contando hoje — 4 domingos para terminar o ano da Igreja, então será novamente Advento. Que já é o Início do Ano da Igreja e já estaremos no período de Natal.
     Vamos ter mudadas as cores dos paramentos, o cartaz vai mudar, pois é a época em que a Igreja começa com seu novo lema e sua ênfase, que no ano que vem será: Firmados em Cristo (de Atos 2.42). E a palavra que vocês mais vão ouvir nos próximos 4 anos, na IELB, será “compartilhamos”.
     19: Seguimos e compartilhamos os ensinamentos dos apóstolos.
     20: Vivemos e compartilhamos o amor cristão.
     21: Recebemos e compartilhamos perdão, vida e salvação.
     22: Oramos e compartilhamos Cristo para todos.

     E hoje vemos também outro ciclo se fechando nos textos bíblicos lidos nos últimos domingos. Nos últimos domingos nós vimos Jesus caminhando por toda região da Galileia, Decápolis, Tiro, Sidom, Jericó e agora ele está em Jerusalém. Já estamos vendo os últimos momentos da vida do nosso Salvador neste mundo. E, à medida que Jesus se aproximava do seu sacrifício, mais e mais mestres judeus tentaram afastar o povo do caminho mostrado pelo Salvador.
     Nos capítulos 11 e 12 do Evangelho de Marcos vários mestres judeus vêm conversar com Jesus, mas não queriam aprender, queriam pegar Jesus no contrapé e colocar o povo contra ele.
     Vieram os fariseus com sua pergunta sobre o divórcio.
     O Jovem rico que não queria deixar suas riquezas, mas ganhar o céu com suas obras.
     Os principais sacerdotes, escribas e anciãos do templo que que-riam saber que autoridade Jesus tinha, pois tinha acabado de expulsar os vendedores do templo.
     Os fariseus voltam com a pergunta sobre os impostos.
     E, por fim, os saduceus querendo pegar Jesus na questão da ressurreição, pois não acreditavam que os mortos ressuscitarão.
     Jesus responde magnificamente a todos eles. E ninguém mais tinha coragem de perguntar nada a Jesus.
     Então, um dos escribas tenta uma última pergunta: “– Qual é o mais importante de todos os mandamentos da Lei?” (28).
     Jesus também não se nega a responder a este mandamento e, como sempre, responde de maneira perfeita e muito além da resposta esperada. O Senhor diz:
“Ame o Senhor, seu Deus, com todo o coração, com toda a alma, com toda a mente e com todas as forças.” E o segundo mais importante é este: “Ame os outros como você ama a você mesmo.” Não existe outro mandamento mais importante do que esses dois.” (30-31).
     Então não resta mais nada ao escriba, se não concordar com Jesus. Ele afirma que o que Jesus tinha dito é a verdade.
     Certamente aquele escriba pregava fielmente a Palavra de Deus e a conhecia melhor que a maioria de seus contemporâneos.
     Quando aquele homem afirma que existe apenas um Deus e que estes são os mandamentos mais importantes, Jesus lhe diz: “– Você não está longe do Reino de Deus.”.
     A semente da fé estava plantada, mas faltava germinar. Aquele homem tinha a teoria, mas lhe faltava a prática da fé no Messias que estava à sua frente.
     Nós poderíamos, pensando em nossas vidas, nos perguntar:
     O que nos aproxima do Reino de Deus?
     O amor a Deus nos aproxima.
     Amor que provém do próprio Pai, que nos amou primeiro. Que, enviando Jesus, cumpriu a promessa da nossa salvação. Que cumprirá também a promessa do segundo envio do Salvador, quando ele não virá mais para salvar, mas para levar os salvos à vida eterna. Ele já veio como Salvador, agora virá como juiz.
     O que nos aproxima do Reino de Deus?
     O amor ao próximo.
     Quem ama a Deus, amará o próximo, pois este é o desejo de Deus. Isto fez Jesus. Isto ele nos ensina a fazer também.
     É impossível amar a Deus sem amar o próximo. E é impossível, verdadeiramente amar ao próximo, sem amar a Deus. Pois seria um amor “meia-boca”, “mais ou menos”...
     Por isso os dois mandamentos são citados juntos e são citados como resumo dos demais mandamentos. Assim podemos resumir todos os mandamentos nestes dois e podemos resumir estes dois mandamentos numa só palavra: amor. O cristão tem o dever do amor. Como lembra Mt 7.12: “Façam aos outros o que querem que eles façam a vocês; pois isso é o que querem dizer a Lei de Moisés e os ensinamentos dos Profetas.”.
     Para ficar mais claro poderíamos lembrar a história do Bom Samaritano. Os samaritanos eram rejeitados pelos judeus, mesmo assim, foi o único que parou para ajudar a um judeu que estava feri-do na estrada.
     Nosso Deus é um só: Pai, Filho e Espírito Santo, assim como Jesus falou e como aquele escriba confirmou. E o mais importante é amar a este Deus.
     Nosso próximo é todo aquele que precisa do nosso amor. E o segundo mandamento mais importante manda amar o próximo.
     O apóstolo Paulo, escrevendo aos Romanos disse: “Não fiquem devendo nada a ninguém. A única dívida que vocês devem ter é a de amar uns aos outros. Quem ama os outros está obedecendo à lei. Os seguintes mandamentos: “Não cometa adultério, não mate, não roube, não cobice” – esses e ainda outros mais são resumidos num mandamento só: “Ame os outros como você ama a você mesmo.” Quem ama os outros não faz mal a eles. Portanto, amar é obedecer a toda a lei.” (Rm 13.8-10).
     Viver este amor a Deus e ao próximo nos aproxima do Reino de Deus. O amor a Deus e ao próximo nos torna aptos a fazer par-te da família da fé, mas este amor não vem de nós, vem do Senhor que nos chamou das trevas para sua maravilhosa luz.
     Chamou para salvação. Sim! Salvação por graça, pela fé em Jesus Cristo.
     Mas aos salvos, o Senhor chamou para trabalhar, em amor, por Deus e pelo próximo enquanto estamos no mundo. Pois um dia deixaremos este mundo. E queira Deus que nos encontremos com o nosso Salvador naquele dia. E que ele nos receba ao paraíso, co-mo ele mesmo prometeu!
     O que nos aproxima do Reino de Deus?
     Amar a Deus e amar ao próximo. O que nos coloca dentro do Reino de Deus? A fé no Salvador Jesus. É ele quem nos guia à vida eterna. Amém.

E a paz de Deus, que ninguém consegue entender, guardará o coração e a mente de vocês, pois vocês estão unidos com Cristo Jesus. Amém. (Fp 4.7)

Pastor Jarbas Hoffimann
Congregação Castelo Forte
Igreja Evangélica Luterana do Brasil
Nova Venécia, ES