segunda-feira, 3 de outubro de 2011

Se as águas do mar da vida...


O avião que caiu em alto mar era um dos mais sofisticados do mundo. Por incrível que pareça, a moderna tecnologia pode ter sido a causa do acidente. Estes aviões da Air France têm um sistema para impedir que falhas humanas coloquem em risco a segurança do voo. Mas o computador pode errar. E nestes casos, a máquina tem o comando e os pilotos não conseguem desligar o sistema e corrigir as manobras equivocadas. Isto já tinha acontecido em duas situações com este tipo de aeronave, mas os pilotos conseguiram evitar um desastre.
Até parece aqueles filmes de ficção dos robôs contra os humanos. Se a gente pensar mais a fundo, a coisa é real, pois a máquina tem o domínio. E se alguns acreditam que a salvação está na tecnologia, o contrário pode ser a verdade. Afinal, existe a possibilidade de nosso planeta ser destruído em segundos pela bomba atômica, ou em alguns anos pela fumaça das indústrias e dos carros que provoca o efeito estufa. Mas fazer o quê? Não viajar de avião? Jogar fora o computador? Voltar aos tempos de nossos avós? Ou fugir como fez Santos Dumont, que em profunda depressão suicidou-se ao ver seu invento nos céus da Primeira Guerra Mundial?

"Estamos sempre em perigo de morte" (2 Coríntios 4.11), escreveu o apóstolo numa época quando as máquinas eram de paus e pedras. Creio que a penosa lição nestas inevitáveis tragédias, e que tentamos deletar dos pensamentos, é bem direta: a vida passa logo. Se para as 228 pessoas deste voo trágico a vida desintegrou-se em um minuto, qual a diferença para uma pessoa que caminha naturalmente para o fim desta jornada terrena? É só perguntar para alguém enrugado e de cabelos brancos, e ele vai responder que tudo passou rapidamente. Moisés já tinha experimentado: "Mil anos são como um dia, como o dia de ontem, que já passou; são como uma hora noturna que passa depressa (...) A vida passa logo e nós desaparecemos" (Salmo 90.4,10).

No entanto, é nesta hora de perplexidade em meio aos destroços da vida em alto mar que aparece no horizonte o Sol da esperança. Pois neste mundo onde uma "falha elétrica" mudou a trajetória da vida, o Criador resolveu assumir o comando do voo. O próprio Salvador testifica: "Ninguém subiu ao céu a não ser o Filho do Homem que desceu do céu (...) Pois Deus mandou o seu Filho para salvar o mundo e não para julgá-lo" (João 3.13,17).

São várias causas possíveis para este acidente com o voo 447 da Air France, inclusive um atentado terrorista. E difíceis as chances para localizar a caixa preta e ter as respostas. Mas a ausência destas questões e de tantas outras não tem o poder de encobrir o que já foi revelado. Como diz a Bíblia: "Pois o salário do pecado é a morte, mas o presente gratuito de Deus é a vida eterna, que temos em união com Cristo Jesus, o nosso Salvador". Por isto os cristãos entoam: "Se as águas do mar da vida quiserem te afogar, segura na mão de Deus e vai (...) Não temas, segue adiante e não olhes para trás. Segura na mão de Deus e vai".



Marcos Scmidt
Pastor luterano
Igreja Evangélica Luterana do Brasil
Comunidade São Paulo, Novo Hamburgo-RS
4 de junho de 20009.