quinta-feira, 21 de janeiro de 2016

Chuva, será bênção, agora?

Algum tempo atrás escrevi um texto sobre a falta de chuvas... E naquela vez perguntei se seria castigo. A conclusão bíblica obvia é que “pode ser, mas pode não ser”. (Se desejar ler, veja em meu blog: http://www.pastorjarbas.blogspot.com.br/2015/11/seca.html).
Deus faz chover sobre maus e bons. Por amor aos bons: “ele faz com que o sol brilhe sobre os bons e sobre os maus e dá chuvas tanto para os que fazem o bem como para os que fazem o mal.” (Mateus 5.45).
Antes de mais nada é preciso dizer que chuva é bênção sim, especialmente em uma região que depende consideravelmente da lavoura de café e outras culturas menores, ou ainda do leite, da produção de carnes, e muito mais que nos chega pelo árduo trabalho de nossos “homens do campo”. Eles muito bem sabem que sem chuva, nada produz. Temos visto com tristezas rios secando por todo o interior do município e em outros. O famoso Rio Preto, quase em Guriri, ponto de banhistas, estava seco. Não quase seco. Absolutamente seco ali naquele ponto onde o povo se refrescava do calor. Faz dias que não passo mais lá, não sei como está hoje, mas oro que esteja se recuperando. Assim como os córregos indo para Cristalino, quase todos estavam secos... Uma lástima.
Chuva é bênção, mas não é resultado de nosso esforço. Não é porque nós agradamos a Deus que tem chuva de novo. Deus não é assim. Deus age antes de nós pensarmos em pedir. Antes que os problemas venham, Deus já está cuidando de nós. Aliás, ele nunca deixou de cuidar.
Assim como a seca não é castigo por algo específico, embora deva nos levar à reflexão sobre o que temos feito com nossa responsabilidade de cuidar do mundo... Também a chuva não é bênção por algo bom e específico que fizemos. No mundo há crentes e descrentes. No mundo há diversas religiões... Mas nós cristãos cremos que há um único Deus verdadeiro que comanda tudo e todos. E este Deus faz chover sobre todos, por amor aos seus filhos. Por amor àqueles que creem em Jesus Cristo.
Então, assim como nos juntamos (em diversas denominações cristãs) para pedir chuvas, nos juntemos novamente para agradecer. Agradeçamos pelas chuvas que caem e lembremos daqueles que tanto carecem dela ainda.
Que o Senhor continue a nos abençoar com suas chuvas.

Jarbas Hoffimann é teólogo e pastor da Igreja Evangélica Luterana do Brasil, trabalhando na congregação Castelo Forte, de Nova Venécia: http://facebook.com/pastorjarbas e @pastorjarbas no twitter.


Este e outros artigos são publicados no Jornal Correio 9, de Nova Venécia.