quinta-feira, 21 de janeiro de 2016

O nosso próprio fariseu

Das recentes declarações de nosso ex-presidente, lembrei de uma passagem bíblica, que está abaixo.
A frase é de uma arrogância e prepotência digna de poucos como fidéis, chaves, maduros...
Resolvi escrever especialmente pela continuação da frase: "nem na igreja católica, nem na evangélica"... Citando religiões... Fora as outras autoridades citadas e o cidadão como um todo. Pois se levassem esse messias de pés de barro a sério, precisaríamos concordar que todos, absolutamente todos... Você, eu, nossos filhos, familiares, amigos... Nossos padres, freiras, monges, pastores, ministros... Ninguém tem a honestidade daquele hipócrita.
Quando a pessoa perecido gritar que é honesta, é porque ninguém mais acredita.
Eis o texto do Evangelho de Lucas.18.10-14:
— Dois homens foram ao Templo para orar. Um era fariseu, e o outro, cobrador de impostos. O fariseu ficou de pé e orou sozinho, assim: “Ó Deus, eu te agradeço porque não sou avarento, nem desonesto, nem imoral como as outras pessoas. Agradeço-te também porque não sou como este cobrador de impostos. Jejuo duas vezes por semana e te dou a décima parte de tudo o que ganho.” — Mas o cobrador de impostos ficou de longe e nem levantava o rosto para o céu. Batia no peito e dizia: “Ó Deus, tem pena de mim, pois sou pecador!” E Jesus terminou, dizendo: — Eu afirmo a vocês que foi este homem, e não o outro, que voltou para casa em paz com Deus. Porque quem se engrandece será humilhado, e quem se humilha será engrandecido.