terça-feira, 26 de abril de 2011

Reféns Libertados


Quarta-feira aconteceu a final da Copa Libertadores da América entre o Fluminense e a LDU. Um grande evento no mundo esportivo! Mas, a notícia que causou mais impacto, foi a ação dos “libertadores” de Íngrid Betancourt e demais 14 reféns, que estiveram sob o poder das Farc (Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia).
Ingrid disse: “Achávamos que estavam nos levando para outro cativeiro, a fim de nos fazer de palhaços novamente! Mas quando ouvimos que estávamos 'livres', gritamos, choramos e pulamos tanto que o helicóptero quase caiu! Não podíamos acreditar! É um milagre, um 'milagre' de Deus!”
Liberdade é um dos maiores dons que recebemos! Liberdade é, de fato, um milagre divino! Deus nos fez livres, por isso nenhum ser humano consegue acostumar-se com a escravidão! Com a queda em pecado, porém, nos tornamos escravos do próprio pecado! Tal qual o viciado, tal qual o dependente químico não tem domínio sobre si mesmo, assim somos todos nós! Iremos pecar e voltar a pecar! Não há saída, somos escravos do pecado. Essa realidade está escrita na Bíblia. É por isso que caímos nos mesmos erros! Condenamos a fofoca, mas agimos como fofoqueiros, condenamos as injustiças, mas vez por outra somos injustos.
Por causa da escravidão do pecado a liberdade é transformada em libertinagem e cada vez nos encrencamos e nos escravizamos mais e mais! A Verdade suprema do Universo, oculta e ao mesmo tempo revelada em Jesus, é a única capaz de gerar plena libertação! Essa liberdade é proclamada e anunciada a todos, pois com a morte a ressurreição de Jesus, os grilhões da escravidão foram arrebentados. Mas nem todos desfrutam dessa liberdade! Leiam a história abaixo e reflitam sobre essa realidade.
Um bondoso rei viajou pelo seu país e notou que a escravidão atormentava e entristecia muitas pessoas, por isso fez uma declaração: Declarou que daquele dia em diante, todos em seu país eram cidadãos livres. “Sebastião” ouviu falar da abolição, mas não acreditou nela. Achou que era conversa do povo. Sebastião, que era escravo, escravo continuou! Anastácio também ficou sabendo, mas não sabia como iria agir com a liberdade. Além disso, ele tinha medo do seu patrão. Por isso, Anastácio, até ali escravo, escravo continuou! Sandro, outro escravo, ficou sabendo da abolição! Acreditou nela! Lutou por ela! Alegrou-se com a liberdade, mas decidiu, mesmo em liberdade, servir o rei que o havia libertado!
A Bíblia nos diz assim em Gálatas 5.1: “Cristo nos libertou para que nós sejamos realmente livres. Por isso, continuem firmes como pessoas livres e não se tornem escravos novamente!” “Então Jesus disse para os que creram nele: - Se vocês continuarem a obedecer os meus ensinamentos serão, de fato, meus discípulos, e conhecerão a verdade, e a verdade vos libertará". (Jo 8.31-32).
Efetivamente, mediante a fé em Jesus, somos pessoas livres! Mas, pelo amor gerado por esta fé, agimos como servos das pessoas, isto é, usamos a nossa liberdade para servir. E é justamente quando presos e enlaçados pelo amor, que nos sentimos como pássaros livres no ar, em completa liberdade. O amor de Deus liberta não somente a mim, não somente a América, mas o mundo inteiro!

Pastor Ismar Lambrecht Pinz
Candelária-RS.