quarta-feira, 22 de junho de 2011

Creio na Ressurreição da Carne - 007

paciente terminal3.3 - Como a morte foi vencida? - O pecado separou os homens de Deus. O santo e justo Deus cumpriu sua lei: “Por que no dia em que dela comeres, certamente morrerás” (Gn 2.17; Rm 5.18; Is 66.24; Mc 16.16). “Maldito todo aquele que não permanecer em todas as cousas escritas no livro da lei, para praticá-la” (Gl 3.10). Pelo pecado, o homem tornou-se escravo de Satanás. “Aquele que pratica o pecado procede do diabo, porque o diabo vive pecando desde o princípio” (1Jo 3.8). O pecado tornou o homem réu de morte. “O salário do pecado é a morte” (Rm 6.23). O homem por si, por seus esforços, sua penitência, seus sacrifícios não pode salvar-se. “Nenhum irmão pode salvar outro irmão, seus recursos se esgotariam antes” (Sl 49.7-8).
Mas Cristo, o eterno Filho de Deus se dispôs salvar a humanidade. Para isto Jesus, o eterno filho de Deus, gerado do Pai desde a eternidade, adotou nossa natureza humana, e veio a nascer da virgem Maria. Como nosso irmão na carne, tomou o nosso lugar. E como substituto de toda a humanidade, ele cumpriu a lei de Deus, pagou pelos pecados de toda a humanidade, venceu o pecado, a morte e Satanás e trouxe o perdão e a vida. A Bíblia afirma: “Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo o que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna” (Jo 3.16). “Deus estava em Cristo, reconciliando consigo o mundo, não imputando aos homens as suas transgressões, e nos confiou a palavra da reconciliação. De sorte que somos embaixadores em nome de Cristo, como se Deus exortasse por nosso intermédio. Em nome de Cristo, pois, rogamos que vos deixeis reconciliar com Deus” (2Co 5.19-20). “Porque, como pela desobediência de um só homem muitos (os muitos, todos) se tornaram pecadores, assim também por meio da obediência de um só muitos se tornaram justos” (Rm 5.19). Deus mandou proclamar a salvação à toda humanidade (Mt 2.19-20). Toda a pessoa que der ouvidos à palavra de Deus, se arrepender de seus pecados e confiar na graça de Cristo, tem o que Deus lhe oferece, dá e sela em sua palavra, a saber, perdão, vida e eterna salvação. Pela fé na graça de Cristo a pessoa volta à comunhão com Deus, ao estado de filho de Deus e herdeiro da vida eterna. Como tal aguarda a ressurreição da carne, conforme a promessa de Jesus: “Eu sou a ressurreição e a vida. Quem crê em mim, ainda que morra, viverá; e todo o que vive e crê em mim, não morrerá eternamente” (Jo 11.25-26). Cremos no fato histórico de que Jesus Cristo verdadeiramente ressuscitou da morte. Por isso confessamos no Credo Apostólico: “Desceu ao inferno (para mostrar sua vitória, 1Pe 3.19), no terceiro dia ressuscitou dos mortos, subiu ao céu e está sentado à direita de Deus Pai todo-poderoso, donde há de vir a julgar os vivos e os mortos.” Esta ressurreição de Cristo é tão importante e consoladora, porque ela prova incontestavelmente: 1) que Cristo é Filho de Deus e verdadeira a sua doutrina; 2) que Deus Pai aceitou o sacrifício de seu Filho para a reconciliação do mundo; 3) que todos os fiéis ressuscitarão para a vida eterna (Rm 1.4; Jo 2.19; 1Co 15.17; Rm 4.25; Jo 14.19; Jo 11.25-26).
Continua…
Horst R. Kuchenbecker