sexta-feira, 1 de julho de 2011

Carteira de motorista

Quando percebi, estava com a carteira de motorista vencida e tinha ainda uns dez dias com prazo de validade para dirigir. Isto foi agora, em janeiro. Corri logo atrás da renovação optando pela prova. Lá fui eu, sem me preparar. Das trinta questões respondi corretamente vinte e duas. Precisava acertar vinte e uma. Foram perguntas “pega ratão” (pegadinha), como tinham me avisado. Fiquei surpreso pelo grau de dificuldade nas questões. Depois soube que oitenta e cinco por cento das pessoas que não se preparam, rodam na prova. Passei por um triz.
cnh A gente passa por um triz todos os dias neste trânsito louco e assassino. Já estou com a nova carteira de motorista no bolso, mas recomendo não seguirem o meu exemplo. É preciso ficar de olho no vencimento da habilitação e preparar-se devidamente para a prova. Ou então fazer o curso de direção defensiva e primeiros socorros – que por informações que obtive, oferece dicas importantes e essenciais. O problema é que a gente se acha. Pensa que sabe tudo, e esquece que o volante é uma arma engatilhada. Uma estimativa diz que a cada ano os acidentes de trânsito no Brasil matam 40 mil pessoas, custam 30 bilhões de reais, deixam 100 mil vítimas com deficiências temporárias ou permanentes e 400 mil feridas. É um terremoto cruel e devastador. Precisamos nos dar conta disto, sobretudo quando a vida da nossa família está literalmente em nossas mãos.
Comparo a carteira de motorista com a fé cristã. Por isto as recomendações bíblicas: “Viva uma vida correta, de dedicação a Deus, de fé, de amor, de perseverança e de respeito pelos outros. Corra a boa corrida da fé e ganhe a vida eterna” (1º Timóteo 6.11-12). Jesus também disse que ele é o Caminho e que ninguém pode chegar ao Pai senão por ele (João 14.6). Seria um caminho tranquilo se não fossem as nossas falhas, desatenção,carro desobediência. Segundo uma pesquisa, noventa por cento dos acidentes nas rodovias são por falha humana. Na estrada espiritual é cem por cento. Pela justa lei divina, ninguém teria habilitação e direito de seguir rumo à cidade celestial. Existe, no entanto, uma boa notícia: “Por graça e sem exigir nada, Deus aceita a todos por meio de Cristo Jesus, que os salva” (Romanos 3.24). O que não permite desatenção, já que ainda estamos num trânsito repleto de perigos. Por isto a oportuna sinalização: “Prestem atenção na sua maneira de viver (...) Não ajam como pessoas sem juízo (...) Não se embriaguem (...) mas encham-se do Espírito de Deus” (Efésios 5.15-18).
Sem dúvida, dirigir um carro e viver a fé cristã têm muita coisa parecida. E, se não adianta apenas ter a carteira de motorista, mas é preciso também carregá-la junto, isto lembra que não basta ter a fé. Ao menos é isto que diz a Bíblia: “Que adianta alguém dizer que tem fé se ela não vier acompanhada de ações?” (Tiago 2.14).
Marcos Schmidt
pastor luterano
Igreja Evangélica Luterana do Brasil
Comunidade São Paulo – Novo Hamburgo-RS
11 de fevereiro de 2010