quarta-feira, 13 de julho de 2011

Creio na Ressurreição da Carne - 010

JesusPerdao 4.2 - Como ressuscitarão os mortos e com que corpos? - O apóstolo Paulo escreve: “Carne e sangue não podem herdar o reino de Deus, nem a corrupção herdar a incorrupção” (1Co 15.50). O que significam estas palavras? Não há aqui uma contradição? Afirmamos que na ressurreição se levantará o nosso corpo, o mesmo corpo. E o apóstolo afirma que “carne e sangue não podem herdar a vida” (1Co 15.50). Como? Ele explica: “A corrupção não pode herdar a incorrupção.” A palavra corrupção aparece nos seguintes textos bíblicos: Rm 8.21; 2Pe 2.12; 1Co 15.42; Cl 2.22; Gl 6.8; 2Pe 1.4; 2.19) e significa, sem dúvida alguma, o pecado original. O pecado original é o pecado que herdamos de Adão e Eva. Também a expressão: “As obras da carne” (Gl 5.19), tem este sentido, como frutos do pecado original. Por isso Jesus afirma: “Do coração procedem os maus pensamentos” (Mt 15.19). Portanto, o corpo, assim corrompido pelo pecado, não pode herdar o céu. Como fiéis em Cristo temos, na verdade, o perdão, mas o pecado ainda está nós. Somos simultaneamente santos e pecadores. Quando morremos, completa-se em nós a ação do batismo, nosso “velho homem” é definitivamente afogado e morto. E, quando ressuscitamos, ressuscitaremos sem o pecado. E tudo o que o pecado estragou nos fiéis, será afastado. O apóstolo Paulo fala disto em 1Co 15.35-50. No versículo 35, onde levanta a  pergunta: “Como ressuscitarão os mortos? e com que corpos?” Em primeiro lugar o apóstolo responde a pergunta: Como é possível? E responde: “Insensatos! o que semeias não nasce, se primeiro não morrer?” (v. 37). Pelo exemplo da semente, o apóstolo mostra que é preciso morrer primeiro, para então reviver. Se isto acontece com a semente, seria impossível para Deus fazer isto com nosso corpo? “Para Deus não haverá impossíveis em todas as suas obras” (Lc 1.37). Ele o determinou assim. O seu poder o realizará.
Lirio Mas, com que corpos ressuscitarão? E responde: “Quando semeias, não semeias o corpo que há de ser, mas o simples grão” (v. 37). Semeia-se o grão. Este grão germina e dele nasce uma planta que é a mesma matéria, mas suas qualidades são bem diferentes. Deus deu àquela planta, àquela matéria um corpo novo, com novas qualidades. Isto é uma comparação. Algo semelhante acontece na ressurreição. Em resumo: na ressurreição teremos o nosso próprio e mesmo corpo, o corpo que tivemos aqui em vida. Agora purificado do pecado original e de todos os pecados, e adornado com novas qualidades. Você se reconhecerá como sendo você mesmo. Que beleza. Toda corrupção, todo o pecado, tudo o que o pecado estragou será afastado e seremos revestidos com glória e esplendor, e novas qualidades para a vida no “novo céu e nova terra” (Ap 21.1).
O apóstolo Paulo entra em maiores detalhes: “Nem toda carne é a mesma” (v. 39). Há exemplo disto na natureza. A mesma carne, da mesma matéria, mas diferente. Assim será na ressurreição.
Outro exemplo: “Corpos celestes com glória diferente” (v. 40). Então o apóstolo passa para a aplicação da verdade: “Assim também é a ressurreição” (v. 42). Veja, assim como Deus faz da mesma matéria criaturas diferentes em sua forma, aparência e glória; assim o fará no dia da ressurreição com o nosso corpo. Semeia-se. Você será sepultado. O que vai à terra é o corpo corruptível, corrompido pelo pecado, desonrado. Mas ressuscitará na incorrupção. Quão diferente será o corpo.
E mais: “Semeia-se corpo natural, ressuscitará espiritual” (v. 44). O apóstolo Paulo fala aqui de dois corpos, um natural e outro espiritual. O que significa isto? Quando Deus criou Adão e Eva, deu-lhes uma alma vivente e os colocou no jardim do Édem. Ali deveriam viver. Multiplicar-se e cultivar o jardim. Estavam sujeitos às leis terrenas. Tinham um corpo natural. Isto é, uma natureza apropriada para a vida nesta terra, sujeita às leis desta terra. A queda em pecado corrompeu o homem e trouxe aflições e morte.
O apóstolo diz também que há corpo espiritual. Deus não criou o homem somente para a vida aqui na terra, mas para a vida eterna. Por isso havia no jardim do Édem também a árvore da Vida. Se o homem não tivesse pecado, após um período de vida, Deus lhes daria ordem para comer da árvore da Vida, a fim de ser transformado e passar para a vida eterna. Mas o pecado estragou tudo. Para nos redimir do pecado, Jesus veio ao mundo, o segundo Adão, o Filho de Deus. Ele nos reconquistou a vida espiritual. Agora temos corpo natural, depois virá o corpo espiritual. Isto é, Deus dará ao nosso corpo novas qualidades para vivermos diante da face de Deus que é espírito e dos anjos que são espíritos, no céu, onde há outras leis de existência. Agora temos um corpo apto para a vida nesta terra. Na ressurreição, Deus dará ao nosso corpo qualidades espirituais para a vida no céu junto com ele. Como serão estas qualidade? Ninguém consegue imaginar nem descrever. O apóstolo afirma: “Amados, agora somos filhos de Deus, e ainda não se manifestou o que havemos de ser. Sabemos que, quando ele se manifestar, seremos semelhantes a ele, porque havemos de vê-lo como ele é” (1Jo 3.2). Estaremos comendo e bebendo com Abraão, os apóstolo e Jesus. “Digo-vos que, desta hora em diante, não beberei deste fruto da videira, até aquele dia em que o hei de beber, novo, convosco no reino de meu Pai” (Mt 26.29). Com esta palavra Jesus nos mostra que o céu será maravilhoso. De nada adiantam especulações se precisaremos ou não comer e beber no céu.
Concluindo, vimos duas coisas: Nosso corpo será ressuscitado. Ao ressuscitar, os fiéis estarão livres da corrupção. Em segundo lugar, os fiéis serão revestidos de novas qualidades, qualidades para poderem viver no lar celestial, junto com Deus. Serão qualidades celestiais, espirituais. Confira ainda: Fp 3.20; Lc 24.34-37; Rm 8.23,29; Mt 13.43; 1Jo 3.2).
Juizo final - marten de vos Precisamos dizer ainda alguma coisa sobre aqueles que viverão até o dia do juízo final. Temos duas palavras que abordam o assunto. “Ora, ainda vos declaramos, por palavra do Senhor, isto: nós, os vivos, os que ficarmos até à vinda do Senhor, de modo algum precederemos os que dormem. Porquanto o Senhor mesmo, dada a sua palavra de ordem, ouvida a voz do arcanjo, e ressoada a trombeta de Deus, descerá dos céus, e os mortos em Cristo ressuscitarão primeiro, depois nós, os vivos, os que ficarmos, seremos arrebatados juntamente com eles, entre nuvens, para o encontro do Senhor nos ares, e assim estaremos para sempre com o Senhor” (1Ts 4.15-17).” Eis que vos digo um mistério. Nem todos dormiremos, mas transformados seremos todos, num momento, num abrir e fechar de olhos, ao ressoar da última trombeta” (1Co 15.51-53). O que diz esta palavra de Deus? Ela diz que os vivos estarão ao lado dos ressuscitados, diante do trono de Jesus. Mas com que corpos? Seus corpos serão imediatamente transformados e adornados. Assim estarão ao lado dos ressuscitados na mesma glória. Este é o arrebatamento, que muitos interpretam erradamente, colocando-o antes do juízo final. O que não concorda com as demais afirmações da Bíblia.
Mas, o que acontecerá aos que não creram? As pessoas que morreram sem fé, também serão ressuscitados (ou se colhidos pelo dia do juízo final sem fé, transformados) pelo poder de Deus, mas para juízo e condenação. Seus corpo não serão purificados. Serão “um horror para toda a carne” (Is 66.24), “ vergonha e horror eterno” (Dn 12.2). Confira ainda: At 4.11-12; Jo 3.36; Sl 49.15; 1Jo 3.14; Is 66.24; Mc 16.16; At 24.15; Jo 5.28-29; Dn 12.2).
Continua…
Horst R. Kuchenbecker