terça-feira, 31 de maio de 2011

Crise gananciosa

A crise nos EUA é compreendida quando percebemos a ganância que existe nos nossos corações. A ganância está lá, no íntimo de todos! Uma cobiça que facilmente torna-se um deus!
(Colossenses 3.5: “Portanto, matem os desejos deste mundo que agem em vocês, isto é, a imoralidade sexual, a indecência, as paixões más, os maus desejos e a cobiça, porque a cobiça é um tipo de idolatria.”)
Um desejo que, quando alimentado, torna-se a razão de ser, a razão de existir. Quando este monstro é alimentado, não há mais nada que traga contentamento. De forma que alguns, mesmo mergulhados no dinheiro, se consideram coitados e injustiçados, se consideram pobres e não param de chorar.
Basta olhar ao redor para notar que muitas vezes aqueles que mais dinheiro têm, são aqueles que mais choram! Reclamam de barriga cheia! Estas reclamações causam náuseas nos justos e provocam a mais intensa ira de Deus. Por vezes, na sua divina sabedoria, o Senhor permite que estes “berrões” cresçam e cresçam sem parar! Por vezes, na sua divina sabedoria, Deus permite que impérios cresçam e cresçam sem parar, como já aconteceu com o Egito Antigo, com a Assíria, com a Pérsia, com a Babilônia e mesmo com o Império Romano. Assim Deus também permite que aconteça com algumas pessoas. Ali, neste crescimento, está a maior tentação. Pois, quanto maior, maior o tombo!
Chega um momento que tais impérios e pessoas se consideram acima de Deus, acima dos outros! Chega um momento em que eles, tontos pela ganância, bêbados de si mesmos, cegos pelo orgulho, tropeçam e caem!
Por isso o Senhor Jesus diz que é extremamente difícil um rico entrar no reino do Céu. Diz-nos que é mais fácil um camelo passar pelo fundo de uma agulha do que um rico entrar no reino do Céu! (Mateus 19.24). Jesus nos aconselha a não acumularmos tesouros sobre a face da terra, pois aqui a ferrugem e a traça tomam conta, aqui os mercados são instáveis, a bolsa de valores é relativa e inconstante. Jesus aconselha-nos a juntarmos tesouros nos céus, onde a traça, nem ferrugem, nem ladrões, nem as bolsas de valores, nem o mercado globalizado, nada, nada pode afetar! (Mateus 6.19-20) Ele pede que invistamos no seu amor! Nem os sofrimentos, nem as dificuldades, nem a perseguição, nem a pobreza e a fome, nenhuma crise financeira, enfim, nada pode nos separar do amor de Deus! (Romanos 8.31-39)
Portanto, se os investidores estão temerosos com a situação dos EUA, se as bolsas de valores estão caindo, saibamos que nós podemos investir e entregar tudo nas mãos de Deus. Podemos depositar e entregar a nossa vida ao Senhor (Salmo 37.5), confiando que ele cuidará de nós, pois o seu amor, e o valor que nos atribui em Cristo, jamais muda. O valor do sangue de Cristo, derramado na Cruz, não muda, nem mesmo nos momentos de crise. Por isso nele podemos confiar!

Pastor Ismar Pinz
Congregação Cristo Redentor - Pelotas-RS
artigo para: Jornal: Diário Popular, Diário da Manhã e Folha de Candelária