quarta-feira, 18 de janeiro de 2012

O que perdemos ou ganhamos por espiar

Ganhar ou perder por espiar depende da motivação, do propósito e do alvo da espiadela. Existem momentos (ou razões) que justificam o observar secreto da vida de alguém e outros não. Os pais, por exemplo, precisam saber o que os filhos fazem e que lugares frequentam. Espionar a vida dos outros para ter o que falar, não é recomendável.

Está de volta o “reality show mais amado-odiado do país”. Trata-se do BBB – 2012. Os organizadores precisam de pessoas que liguem o televisor ou outros meios de comunicação. A audiência fará com que o programa continue ou não. Como ele está de volta e continua no ar é porque milhões de pessoas estão “espiando”.

Espiar significa “observar secretamente”, lançar um olhar sem maiores intenções. Mas, havendo interesse, o passo seguinte é não mais tirar a atenção. É aí que está o perigo. O que acontece com o reality show é uma chamada coletiva para prender a atenção por muito tempo. Os patrocinadores é que agradecem e faturam. Por outro lado, crianças, adolescentes e jovens são induzidos à prática de atitudes que ferem os bons princípios. É neste sentido que temos muito a perder olhando uma programação como esta.

Existem alternativas melhores para uma boa espiada. Um bom livro, o exemplo de alguém que é justo, honesto e sincero. Temos muito a ganhar espiando as Sagradas Escrituras. Deus quer ser conhecido, especialmente quando nos convida a contemplarmos o seu amor revelado em Cristo.

Uma boa sugestão para desviar o foco da “casa mais vigiada do país” é exercitar o poder de desligar o aparelho que transmite o programa. Outra dica é pedir o que o salmista pede: “Uma coisa peço ao Senhor, e a buscarei: que eu possa morar na Casa do Senhor todos os dias da minha vida, para contemplar a beleza do Senhor e meditar no seu templo.” (Salmo 27.4). Ganhamos muito contemplando (espiando) a beleza do amor de Deus por nós.

Pastor Fernando E. Graffunder

Três Vendas – Pelotas, RS.