domingo, 22 de janeiro de 2012

Sermão 22/01/2012

3º Domingo após Epifania - B
22 de Janeiro de 2012

Deus nos chama a pescar gente

Texto Base: Mc 1.14-20

Salmo do Dia:        Salmo 62
Antigo Testamento:    Jonas 3.1-5, 10
Epístola        1º Coríntios 7.29-31(32-35)
Evangelho do Dia    Marcos 1.14-20

Queridos
Estimados irmãos e irmãs no Salvador Jesus.
Neste mês de janeiro nossa presidente Dilma convidou várias pessoas para recompor seu ministério de governo. No fim deste ano teremos eleições municipais e muita gente será chamada para trabalhar nas campanhas, e os vencedores vão depois chamar e convidar pessoas a fazer parte de suas equipes de trabalho.
Nós também já fomos convidados ou chamados em vários momentos de nossa vida, às vezes para coisas boas, como um casamento, aniversário ou batizado, ou para um cargo ou função melhor em nosso trabalho, e às vezes para coisas não tão agradáveis, como um enterro, um trabalho na hora de folga, para um hospital ver alguém acidentado ou doente, etc.
A Bíblia também tem várias situações de convites e chamados. Não de políticos, mas de Deus, o Criador e Rei supremo. Deus chamou líderes como Abraão, Noé, Moisés, Samuel; chamou profetas como Isaías, Jeremias, Oséias e Jonas; chamou discípulos e apóstolos como Pedro, João, Mateus, Paulo e outros.
Deus chamou todos eles para uma missão, que ao final tinha sempre o mesmo objetivo, tanto no AT como no NT: pescar gente, isto é, salvar pessoas da condenação eterna. Hoje Deus ainda chama pessoas para pescar gente — Deus nos chama para pescar gente.
E qual a nossa resposta? Nos textos de hoje temos dois chamados de Deus que nos ajudam a avaliar como estamos respondendo ao chamado do Senhor em nossas vidas.
Na leitura do AT Deus chama Jonas para pregar sua Palavra em Nínive, uma cidade inimiga do povo de Deus. Jonas vai, prega e o povo se arrepende. Só que isso só aconteceu na 2ª vez que Deus chamou Jonas.
Na 1ª vez o profeta não apenas recusou o chamado de Deus, como ainda fugiu num navio que ia na direção oposta de Nínive. Só depois de ser jogado no mar e engolido por um grande peixe é que Jonas lembrou-se de Deus e, chamado pelo 2ª vez, aceitou sua missão.
No evangelho Jesus está iniciando sua missão, pregando o arrependimento e fé no Evangelho do Reino de Deus. Andando na praia do lago da Galiléia, Jesus viu e chamou 4 homens: Simão, André, Tiago e João. Vemos que a resposta deles foi imediata: Simão e André largaram logo as redes e foram com Jesus; Tiago e João deixaram Zebedeu, seu pai, e os empregados no barco e foram com ele.
Hoje, Deus nos chama a pescar gente. Qual a nossa resposta? Assim como chamou Jonas e os discípulos, Deus também nos chama. Ele chamou cada um de nós em nosso batismo, quando fomos chamados da escuridão para sua maravilhosa luz, da morte para a vida que temos em união com Cristo, como dizem Pedro e Paulo.
E desde o batismo até hoje, Deus nos chama a viver diariamente essa nova vida, dizendo a cada um de nós: “Venham comigo e eu ensinarei vocês a pescar gente”. E qual é a nossa resposta ao chamado de Deus?
Se cada um de nós examinar a fundo sua vida, com sinceridade e humildade, vamos descobrir que muitas vezes a nossa resposta ao chamado de Deus pode ter sido assim:
—Eu não vou. Afinal, de que adianta levar a Palavra de Deus para essa gente ruim e cabeça dura de hoje em dia, que não querem saber de nada? — Foi assim que pensou Jonas quando Deus o chamou — ele não queria assumir compromisso!
—Eu até posso aceitar, mas tenho algumas condições que quero colocar primeiro. — Esta resposta é como a de muitos políticos, que não querem deixar de lado certas coisas para aceitar um cargo.
Não é assim que fazemos muitas vezes — dizemos que aceitamos o chamado de Deus, mas nos enchemos de condições e desculpas: “não tenho tempo, não posso assumir compromissos, não tenho dinheiro ou recursos, vou ver se os outros vão fazer primeiro, estou muito cansado para me envolver com coisas da igreja, não sei fazer nada”, ou, “aceito, mas não misturo igreja e fé com meus negócios, meu trabalho, minhas amizades, minhas escolhas de diversões e vida particular...”
Ou quantas vezes dizemos “sim” para Deus com a boca (por ex., na confissão de pecados e antes da Santa Ceia), mas na prática dizemos “não” com nossas atitudes, comportamento e maus exemplos; enfim, nossa vida muitas vezes não mostra aos outros que somos seguidores de Jesus, pessoas diferentes e pescadores de gente!
Às vezes em vez de atrair os peixes — as pessoas — a Jesus, nós os espantamos e afastamos com nossas palavras e atitudes...
Deus nos chama a pescar gente. Que resposta damos? A resposta dos discípulos foi radical e corajosa — eles deixaram tudo para seguir Jesus: as redes, o barco e a família! Ele não ficaram em cima do muro, não foram superficiais em sua resposta e atitudes, não fugiram ao chamado de Jesus. E nós, meus irmãos?
Nossa resposta ao chamado de Deus também pode ser radical e profunda. E isto não quer dizer que Deus exige que nós abandonemos nosso trabalho e família e nos tornemos todos pastores, diaconisas ou freiras ou missionários ambulantes!
Você pode ser um bom pescador de gente. E na verdade é para isso que Cristo chama a cada um de nós através da fé que recebemos no batismo e que é fundamentada em nós na Palavra e Santa Ceia. O segredo está em duas coisas que os discípulos fizeram: largar as redes e seguir Jesus.
Responda ao chamado de Deus largando as redes, isto é, não ficando de longe ou apenas observando Jesus, mas bem de perto, andando ao seu lado dia a dia, através do estudo da Palavra, da comunhão com Ele e da oração. Responda ao chamado no lugar e na situação em que você está — como pai ou mãe, filho ou filha, patrão ou empregado, pobre, rico ou classe média, com diploma ou sem muito estudo, como jovem, velho ou criança, enfim, onde e como Deus colocou você.
Responda ao chamado de Deus seguindo Jesus como fizeram os discípulos: com total confiança de que aquele que os chamou e os guiava sabia o que era melhor, conhecia o melhor caminho e tinha o melhor objetivo para as suas vidas.
Deus nos chama a pescar gente. Qual a nossa resposta? A nossa resposta radical, profunda, comprometida e que agrada a Deus não depende, e ainda bem!, das nossas próprias forças. Lembrem-se de que é Jesus quem diz: venham comigo, que eu ensinarei vocês a pescar gente!
É Ele mesmo que nos leva ao arrependimento e nos faz crer no Evangelho e também é Ele, que nos dá a missão, quem também nos dá as forças, a capacidade, os dons, os recursos e a vontade de segui-lo, de aprender dele e assim pescar gente para a salvação eterna, como nos diz Paulo em Fp 2.13: Deus está sempre agindo em vocês para que obedeçam à vontade dele, tanto no pensamento como nas ações.
Que a nossa resposta ao chamado de Deus seja verdadeira, alegre e profunda, motivada pelo amor de Jesus a nós, para que, fundamentados na fé, possamos dizer com o salmista de hoje:
Somente em Deus eu encontro paz; é dele que vem a minha salvação. A minha salvação e a minha honra dependem de Deus; ele é a minha rocha poderosa e o meu abrigo (Sl 62.1,7). Amém.

Rev. Leandro Daniel Hübner — Rio Branco-AC, pastor da Igreja Evangélica Luterana do Brasil.